Reavivados por Sua Palavra


ECLESIASTES 1 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
2 de agosto de 2020, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Vaidade de vaidades, diz o Pregador; vaidade de vaidades, tudo é vaidade” (v.2).

Apesar de não haver a citação específica da autoria deste livro, ele próprio contribui para atribuir a Salomão o título de autor: “filho de Davi, rei de Jerusalém” (v.1). O título hebraico do livro significa “O Pregador” e define bem o seu objetivo: uma pregação que não possui prazo de validade. Salomão iniciou a sua tese pela conclusão da experiência de sua vida: “vaidade de vaidades, tudo é vaidade” (v.2). Por mais que avancemos no tempo e que a história nos confirme de que a cada geração o mundo se torna palco de novas descobertas e de novas conquistas, o sábio rei afirmou que “geração vai e geração vem” (v.4) e “nada há, pois, novo debaixo do sol” (v.9). Ou seja, o homem pode criar inovações tecnológicas, pode avançar em descobertas científicas, pode até inventar coisas que as gerações passadas nunca imaginaram que pudessem existir, porém, como o vento, tudo isso um dia passa.

A palavra hebraica usada para vaidade é “hebel” que quer dizer “vapor ou sopro”. O que tanto valorizamos ontem, amanhã pode não ter mais utilidade e assim sucessivamente. Um dia, quando o meu filho mais velho tinha por volta dos sete anos de idade, eu estava fazendo uma arrumação em meu guarda-roupas e encontrei uma fita K7. Imediatamente ele começou a puxar a fita enquanto perguntava: “Mãe, o que é isso?” Eu ri muito na hora e percebi que aquele “estranho” objeto que já havia sido uma sensação, agora não passa de uma peça de museu sem serventia.

A nossa vida não tem sentido se for resumida apenas aos louros desta Terra. Como a fita K7, “Já não há lembrança das coisas que precederam” (v.11). Tudo aqui passa. E com o passado foram as conquistas, as derrotas e todas as vaidades que fizeram de algumas pessoas nomes que marcaram a história. Famosos se vão e outros ocupam suas cadeiras. O que era novidade hoje, amanhã já será ultrapassado. Enquanto as “novidades” desta Terra ocuparem o espaço que só Deus pode preencher, as pessoas continuarão enfadadas e iludidas por algo cujos resultados só faz aumentar a tristeza (v.18). Quem entende que a “novidade de vida” (Rm.6:4) só pode vir por meio de Cristo, viverá aplicando “o coração a esquadrinhar” (v.13) como caminhar até encontrá-Lo face a face.

Creio que jamais houve uma geração tão sedenta por novidades e exposição como essa; tão consumista, mas ao mesmo tempo tão vazia; tão aplicada na tentativa de ser feliz, mas tão frustrada e depressiva. Portanto, amados, não apliquemos o coração em coisas que têm prazo de vencimento, “onde a traça e a ferrugem corroem e onde ladrões escavam e roubam; mas ajuntai para vós outros tesouros no Céu… porque onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração” (Mt.6:19-21). Cristo em breve voltará! Seja esta bendita esperança a riqueza que, todos os dias, ocupe o nosso coração! Vigiemos e oremos!

Feliz semana, herdeiros dos tesouros celestes!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Eclesiastes1 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100


Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.



%d blogueiros gostam disto: