Reavivados por Sua Palavra


SALMO 131 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
12 de junho de 2020, 0:45
Filed under: Sem categoria

“… fiz calar e sossegar a minha alma; como a criança desmamada se aquieta nos braços de sua mãe, como essa criança, é a minha alma para comigo” (v.2).

Havia a necessidade de sossego e contentamento. Até então, minha vida girava em torno de mim mesma e dos meus desejos e projetos pessoais. Ao contrário do salmista, andava “à procura de grandes coisas” (v.1), como se as exigisse de Deus; como recompensas de minha religião farisaica. Sustentando um cristianismo raso e superficial, não enxergava um palmo à minha frente do que fosse uma vida cristã significativa. Foi em meio a essa riqueza e abastança de justiça própria que o Senhor abriu os meus olhos para a realidade: “tu és infeliz, sim, miserável, pobre, [cega e nua]” (Ap.3:17).

Foi quando vi minha real condição, que compreendi não conhecer Aquele de quem tanto necessito. Então, aceitei o chamado do Espírito Santo que, me guiando “a toda a verdade”, tem me anunciado “as coisas que hão de vir” (Jo.16:13), convencendo-me “do pecado, da justiça e do juízo” (Jo.16:8). Através do “dia a dia” com Deus (Lc.9:23), descobri que havia despertado a ira de um inimigo que estava satisfeito com meu estado de letargia anterior. Mas também descobri que neste conflito diário tenho o auxílio que faz o adversário tremer e que não permite que o meu coração seja soberbo “nem altivo o meu olhar” (v.1); que me lembra constantemente da necessidade de vigilância e oração.

Esta dependência de Deus não é alcançada por isolada experiência, mas deve ser comunicada à alma em uma busca diária, perseverante e contínua. Imagino Davi compondo este Salmo perto do fim de sua vida, pela madura experiência de toda uma vida com Deus. Mas pode ser que tenha sido quando jovem, em meio aos prados verdejantes de sua lida pastoril. Qualquer que tenha sido o período em que escreveu tão singelas, mas tão primorosas palavras, as escreveu com base em um relacionamento íntimo e profundo com o Senhor. Deus não mede a nossa experiência com Ele pelos anos, mas a engrandece pelo tempo que Lhe dedicamos cada dia.

Em minha jornada de descobertas espirituais, de enxergar o que nunca havia conseguido antes, de estabelecer uma amizade com Deus e conhecimento de Seu caráter e amor através de Cristo Jesus, quer acreditem ou não, “quer ouçam quer deixem de ouvir” (Ez.2:7), Ele me falou em oração, e me disse há seis anos atrás as seguintes palavras:

Filha, 

A Minha obra de intercessão no santuário celeste ainda não está completa. Tenho intercedido junto ao Pai por todos os crentes e como tem sido difícil para mim o veredicto de alguns!

Filhinha, a Minha luta tem sido para que vocês não Me louvem apenas com os lábios, porque para estes, quando Eu voltar, com o coração partido, terei que dizer: Nunca vos conheci!

Vocês precisam Me buscar e Me louvar com todo o vosso coração. Se vocês Me louvam com o coração cheio de orgulho, vaidade ou raiva que sentem por alguém, este louvor é maldito e para Mim não tem valor algum.

O Meu povo precisa compreender que necessita buscar o coração de uma criança, precisa almejar ser como criança. Precisa buscar um coração puro, rápido para amar, rápido para perdoar.

Assim como um dia Eu disse: Deixai vir a Mim os pequeninos, Eu direi naquele grande Dia: Vinde, benditos de Meu Pai! Não será diferente, pois virão a Mim todos aqueles que aceitaram tornar-se como crianças.

Por isso, filhinha, busque este ideal e leve esta mensagem para quantos Eu colocar em seu caminho.

Eu te amo! Volto logo!

Com lágrimas de amor, Jesus, teu Salvador”.

Guardo esta cartinha de amor de Jesus em meu coração e, desde então, tenho buscado este ideal pelo poder de Deus a fim de, como Davi, poder dizer: “fiz calar e sossegar a minha alma; como a criança desmamada se aquieta nos braços de sua mãe, como essa criança é a minha alma para comigo” (v.2). Não merecemos sequer um olhar de compaixão de Jesus, mas Ele escolheu nos amar até o fim e nos levar de volta para casa do Pai. Ele já nos garantiu este galardão. Basta aceitá-lo. Como crianças, aceitemos este presente de amor e, dentro em breve, Jesus irá declarar ao Universo a nosso respeito: “dos tais é o reino de Deus” (Lc.18:16). Vigiemos e oremos!

Bom dia, crianças de Cristo!

Rosana Garcia Barros 

#PrimeiroDeus #Salmo131 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100


Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.



%d blogueiros gostam disto: