Reavivados por Sua Palavra


Josué 12 – Comentários selecionados by Jeferson Quimelli
26 de janeiro de 2016, 0:30
Filed under: Sem categoria

O capítulo 12 é um sumário da primeira metade do livro de Josué. Lista os reis e nações conquistados por [Moisés e] Josué tanto a leste quanto a oeste do Rio Jordão. Enquanto o povo confiou e obedeceu a Deus, uma nação ímpia caia após a outra. Life Application Study Bible Kingsway.

Este capítulo resume toda a conquista da Terra Prometida sob Moisés e Josué, com uma lista dos reis derrotados e seus territórios. Trata-se de uma elaboração de 11.17, uma notável resposta para o problema de 9.1-2 e um testemunho à veracidade da promessa que há em 1.5, provendo uma conclusão apropriada à narrativa inteira da conquista. Bíblia de Genebra.

A inspiração assinala como Deus usa muitos instrumentos para cumprir Sua obra e mostra que Ele não depende de uma só pessoa. O capítulo apresenta uma breve narrativa das vitórias de Israel e das derrotas sofridas pelos cananeus. O capítulo 12 descreve a extensão da conquista e mostra as terras que então estavam para ser ocupadas. Os v. 1 a 6 falam do território a leste do Jordão e apresentam a lista de reis vencidos por Moisés. O restante do capítulo trata das conquistas de Josué do lado oeste do rio. Nesse resumo, há tanto a trajetória como o fim daqueles que resistem a Deus. O caminho estreito, bem como o largo são salientados nessa lição. A senda de Israel [na conquista] foi o caminho da obediência, sob a direção divina. No entanto, esse caminho nem sempre foi fácil. Muitas vezes, significou avançar a despeito dos grandes obstáculos. A hesitação significaria fracasso e perda. A história de Israel, porém, nesse momento, se caracterizava por perseverança constante e resoluta. A característica dos cananeus era a rebelião. Perguntavam: “Quem é senhor contra nós?”e endureciam o coração contra a vontade de Deus e a revelação de Sua pessoa feita por meio de Israel. Eles combateram até o fim, sem aprender nenhuma lição e se recusando a ceder. Durante toda a guerra de conquista, Israel tinha uma esperança de uma herança divina, com toda a glória e a honra que ela significava. Os cananeus, por sua vez, estavam sem Deus e sem esperança. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 2, p. 233.

toda a planície do oriente. Literalmente, “todo o Arabá para o oriente”. O Arabá é a depressão que se estende para o sul, a partir do mar da Galileia, passando pelo vale do Jordão, até chegar ao golfo de Áqaba. No entanto, esta descrição inclui [aqui] apenas a área meridional [mais ao sul] até o Arnom e o leste do rio Jordão. CBASD, vol. 2, p. 233.

campina. Do heb arabah, a depressão pela qual corre o Jordão. CBASD, vol. 2, p. 233.

Quinerete. É um dos nomes para o mesmo lago conhecido como “Genesaré” (Lc 5.1), “Tiberíades” (Jo 21.1), Mar da Galiléia. Bíblia Shedd.

Pisga era um ponto geográfico bem conhecido: o lugar onde Moisés subira para contemplar Canaã. CBASD, vol. 2, p. 234.

Mar Salgado. É o Mar Morto, muitíssimo salgado (Gn 14.3); é também chamado o Mar do Deserto (Dt 3.17); o Mar Oriental (Ez 47:18; Zc 14.18). Bíblia Shedd.

Ogue, rei de  Basã. Ogue e Seom (v. 2) foram derrotados pelo exército comandado por Moisés, o que permaneceu lembrado por muito tempo como tributo ao grande poder de Deus (v. Ne 9.22; Sl 135.11). Bíblia de Estudo NVI Vida.

Astarote. O plural hebraico de Astarte, deusa pagã do sexo e da guerra. A cidade [a leste do Jordão] era o centro do culto a Astarote no reino de Ogue. CBASD, vol. 2, p. 235.

6 A obra de Moisés e de Josué é uma só, e os território de ambos os lados do Jordão formam uma nação só, a Terra Prometida. Bíblia Shedd.

no lado ocidental. Canaã propriamente dito (9.1; 11.16, 17; Gn 15.18, 19). Bíblia de Estudo NVI Vida.

Seir. “Cabeludo”. Era um dos nomes dados à terra ocupada pelos descendentes de Esaú (Gn 32.3; 14.6). (Veja “Edom” – Gn 25.30; Nm 20.18). Bíblia Shedd.

na região montanhosa, nas planícies, nas descidas das águas, no deserto e no Neguebe. Este versículo descreve, em claros contrastes, as características gerais da Palestina com sua rica variedade de solos. Era uma terra que manava “leite e mel”, destinada por Deus aos israelitas. Hoje, em contrapartida, com exceção das regiões irrigadas, é uma das terras mais estéreis. CBASD, vol. 2, p. 234.

9 – 24 A existência de tantos reis em um território tão pequeno demonstra que seus reinos deviam ser relativamente pequenos. Na Antiguidade, muitos reis governavam sobre o território de uma cidade ou aldeia. Eles eram independentes entre si. CBASD, vol. 2, p. 235, 236.

14 Horma. Foi para esse lugar que os amalequitas e cananeus levaram os israelitas logo após a rebelião em Quedes, provocada pelo relatório dos espias, quando o povo de Senhor teimosamente insistiu em atacar os habitantes, apesar das enfáticas advertências de Moisés (Nm 14:40-45). CBASD, vol. 2, p. 235 .

24 Tirza. Cidade muito célebre na história posterior de Israel, pois se tornou a capital de Jeroboão e de seus sucessores. Pela beleza de sua localização, os poetas a transformaram num símbolo de tudo que é formoso. CBASD, vol. 2, p. 235.


Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.



%d blogueiros gostam disto: