Reavivados por Sua Palavra


CREDE EM SEUS PROFETAS – Patriarcas e Profetas, cap. 1 by jquimelli
3 de janeiro de 2016, 13:55
Filed under: Sem categoria

O título do primeiro capítulo impressiona: "Por que foi o pecado permitido?" Isto é um enigma para muitas pessoas, especialmente tendo em conta a afirmação de que "Deus é amor", com a qual Ellen White começa o capítulo. Por que um Deus de amor permite o pecado, o sofrimento, o mal e a morte em Sua criação? Se Deus é todo-poderoso, onisciente e todo-amoroso, porque permite que Sua criação seja perturbada e arruinada por criaturas que devem a sua própria existência a Ele?

Com base na Bíblia, Ellen White mostra como o pecado e a rebelião contra Deus começaram no céu com Lúcifer, um anjo altamente exaltado. Ele estava com ciúmes de Cristo e queria ser igual a Deus. Ela escreve: "Pouco a pouco Lúcifer veio a condescender com o desejo de auto-exaltação" (pp 35). Isso começou o que Ellen White chamou de “O Grande Conflito Entre Cristo e Satanás”. A leitura deste capítulo me ajudou a ver que não há realmente nenhuma razão para que Lúcifer se rebelasse contra o governo de Deus.

O capítulo explica porque Deus não destruiu Satanás imediatamente, mas permitiu-lhe desenvolver suas reais intenções, de modo que todas as criaturas inteligentes fossem capazes de ver as desastrosas consequências de rejeitar o soberano governo do Deus de amor.

Podemos agradecer a Deus pelo sacrifício de Cristo, não só pela salvação da humanidade caída, mas também porque o verdadeiro caráter de Satanás pôde claramente ser exposto perante todo o universo.

Peter van Bemmelen

Seminário Teológico da Universidade de Andrews

Patriarcas e Profetas, cap. 1, disponível em:
http://www.revivalandreformation.org/bhp/pt/sop/pp/1 e http://credeemseusprofetas.org/



Deuteronômio 23 by jquimelli
3 de janeiro de 2016, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

O que está escrito neste capítulo é uma extensão às regras de saneamento e limpeza dadas a todo o Israel em Levítico 15. Mas, você notou a razão pela qual Moisés dá essas regras? “Porquanto o SENHOR, teu Deus, anda no meio do teu acampamento para te livrar e para entregar-te os teus inimigos; portanto, o teu acampamento será santo…” (v.14)

Nós muitas vezes nos referimos a Enoque como aquele que andava com Deus, e isso é verdade. Mas, o que raramente se fala é que o grande Deus do universo desejava caminhar com Enoque. Este prazer do Criador, em caminhar com Sua criatura, foi tornado notavelmente claro quando Jesus veio a esta terra como “Emanuel, que traduzido é: ’Deus conosco.’” (Mateus 1:23)

Você já reparou que quando duas pessoas caminham sempre juntas elas estão estabelecendo ou mantendo um relacionamento maravilhoso? Enoque “estudou o caráter de Deus com um propósito. Ele não estabeleceu o seu próprio percurso. Ele se esforçou para se conformar com a semelhança divina. “(EGW, 1BC 1087)

“Querido Deus, como Moisés, meu único desejo é: ‘Mostre-me sua glória [caráter]’” (Êx. 33:18). E ajude-me a limpar as áreas desordenadas e impuras da minha vida. “

John Ash
União Missão Chinesa
Hong Kong

Também disponível em: http://www.revivalandreformation.org/bhp/pt/biblia/deut/23 e https://www.facebook.com/ReavivadosPorSuaPalavra
Texto original: http://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/deut/23 e http://revivedbyhisword.org/en/bible/deut/23/
Texto original expandido em: https://reavivadosporsuapalavra.org/2012/10/09/
Tradução/adaptação: Jeferson Quimelli/Pr Jobson Santos/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Deuteronômio 23
Comentário em áudio
Leituras da semana programa Crede em Seus Profetas: Patriarcas e Profetas, cap. 1



DEUTERONÔMIO 23 – Comentário Pr. Heber Toth Armí by pastorheber
3 de janeiro de 2016, 0:45
Filed under: Sem categoria

DEUTERONÔMIO 23 – Deus está tão preocupado com a vida secular dos seres humanos como está da espiritualidade. Seus princípios devem reger nossa vida integralmente, ou de nada nos valerá servir ao Senhor.

Tópicos do capítulo em apreço:

1. Pessoas proibidas de entrar na assembleia do Senhor: Os homens castrados, os amonitas e as primeiras gerações de edomitas e egípcios (vs. 1-8);

2. Lidando corretamente com a impureza no acampamento, ou melhor, como operar a limpeza no lugar onde se habita, em relação à guerra, à polução noturna, às fezes (vs. 9-14);

3. Agindo prudentemente em relação aos escravos fugitivos: Cuide dele (vs. 15-16);

4. Lei proibindo a prostituição espiritual, não imitar a religião adulterada, falsificada e pagã (vs. 17-18);

5. Quando é proibido cobrar juros e quando é permitido (vs. 19-20);

6. Lei sobre o cumprimento dos votos feitos ao Senhor (vs. 21-23);

7. Orientações sobre comer no campo alheio: O que é permitido e o que é proibido (vs. 24-25).

Deus não quer estar presente somente nos cultos e celebrações de louvor e adoração que Lhe rendemos, Ele quer estar sempre presente em nossa vida (v. 14). Podemos expulsar a presença de Deus em nossa rutina com nossa atitude impura, negligente e imoral.

Se agirmos constantemente demonstrando interesse pela presença de Deus em nossos afazeres diários, certamente teremos miraculosos e extraordinários livramentos (v. 14). Deus nos livra do mal, das astutas ações de inimigos diversos; Ele nos protege de todo perigo.

Deus quer habitar onde nós habitamos, Ele quer estar onde nós trabalhamos, Ele quer nos acompanhar em nossas lutas diárias; Ele quer não apenas nos livrar, Ele quer nos orientar a fim de vivamos melhor – eis aí o motivo das leis deste capítulo.

Deus está atento a tudo, inclusive à nossa higiene e à higiene de onde moramos. Ele quer nos dar saúde, mas temos de querer seguir Suas recomendações para evitar as enfermidades. “Deus não operará um milagre para preservar de enfermidades os que não têm nenhum cuidado consigo mesmos, mas estão violando constantemente as leis de saúde, e nenhum esforço fazem para evitar a doença” (Ellen G. White).

Deus quer proteger, abençoar e curar àqueles que se comprometem tanto com Ele a tal ponto de viver Seus princípios revelados. Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.



Deuteronômio 23 – Comentários selecionados by jquimelli
3 de janeiro de 2016, 0:30
Filed under: Sem categoria

1 trilhados os testículos (NVI: “testículos esmagados”) ou cortado (NVI: “amputado”) o membro viril.A mutilação intencional dos órgãos masculinos em devoção a algum deus por alguns “homens santos” sobreviveu até os tempos modernos. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 1, p. 1134.

Era uma prática pagã. Nas antigas religiões pagãs, os eunucos eram sacerdotes dos templos. Bíblia Shedd.

A redução na “completeza” do físico de uma pessoa e, portanto, de sua santidade (comparar Lv 21:20 – Um defeito desqualificaria um descendente de Arão de oficiar como sacerdote). Andrews Study Bible.

não entrará na assembleia do SENHOR. …exclusão do santuário, onde a congregação adorava (Ne 13:1, 7; Lm 1:10), mas não a exclusão da salvação ou da casa espiritual de Deus (ver Is 56:3, 5). Séculos mais tarde, na comunidade espiritual cristã, um eunuco foi altamente honrado por um mensageiro especial enviado por Deus (At 8:27-40). CBASD, vol. 1, p. 1134.

Essa frase refere-se à comunidade reunida em adoração diante do Senhor e não á população de Israel como um todo (Ne 13.1-3). A palavra hebraica que significa “assembléia” (qahal) é geralmente traduzida por ekklesia na Septuaginta (o Antigo Testamento grego). Este é, também, o termo empregado no Novo Testamento para “igreja”. Bíblia de Genebra.

bastardo. Ou “filho de uma união ilegítima”, que poderia incluir um “casamento proibido”, como o casamento entre um israelita e uma cananita (compare 7:3-4). Andrews Study Bible.

A tradição rabínica não aplica este termo a todo que nascia de uma união ilegítima, mas o limita ao nascido de incesto. … A pureza da vida familiar e da vida espiritual sempre foi algo de suprema importância para Deus. CBASD, vol. 1, p. 1135.

nem ainda sua décima geração. Talvez para sempre, pois o número dez simboliza a conta completa ou definitiva. No v. 6, a expressão equivalente é “enquanto vocês viverem” (lit., “todos os seus dias para sempre”). Bíblia de Estudo NVI Vida.

Nenhum amonita ou moabita entrará na assembleia do SENHOR. Tobias, um amonita, foi excluído do templo com base neste texto (ver Ne 2:10; 13:1-8). CBASD, vol. 1, p. 1136.

Rute é uma exceção notável à regra de Moabe ser excluído de Israel. Bíblia de Estudo NVI Vida.

nem aborrecerás o egípcio. Não se devia esquecer de que Israel tinha encontrado refúgio do Egito por muitos anos e havia prosperado na terra a despeito das dificuldades. … Deus não permitiria que Seu povo visse apenas o lado mau de uma nação. CBASD, vol. 1, p. 1136.

coisa má. Ou: “qualquer coisa ruim”. Isto podia incluir coisas impuras, impróprias, nojentas, não propriamente moralmente “ímpias”. Andrews Study Bible.

Nesta passagem se adverte sobre estrita limpeza física e pureza de vida. Como um exército em marcha, um contingente de soldados sem as relações sociais normais podia ser tentado a rebaixar as normas de conduta. A condição de Israel diante de Deus era muito mais importante do que sua preparação militar para o confronto com o inimigo. Deus não podia conduzir à vitória um povo infiel e impuro. CBASD, vol. 1, p. 1136, 1137.

10 polução noturna. Uma emissão noturna de sêmen, que causava uma impureza ritual menor (comparar com Lv 15:16-17). Andrews Study Bible.

12 haverá um lugar, fora do acampamento, para onde irás. Devia se observar a decência e o respeito pelas convenções da vida. As regras sanitárias deviam ser observadas, não apenas por respeito ao próximo, mas como proteção da saúde do exército. CBASD, vol. 1, p. 1137.

13 porrete (ARA; NVI: “algo com que cavar”).Um instrumento pontiagudo que tinha várias utilidades. CBASD, vol. 1, p. 1137.

14 que ele não veja em ti coisa indecente. A expressão hebraica significa, literalmente, “a nudez de alguma coisa”, isto é, alguma coisa impropriamente deixada descoberta. Andrews Study Bible.

Uma igreja impura não pode ser vitoriosa no conflito entre Cristo e Satanás, pois as bênçãos do Céu são somente para aqueles que creem em Deus e Lhe obedecem sem reservas. CBASD, vol. 1, p. 1137.

15 escravo fugido. Pode-se supor que o escravo fugira de um senhor cruel. Bíblia Shedd.

A escravidão em Israel era cuidadosamente regulamentada e seus abusos eram limitados (15.12, nota). Em vista, aqui, está algum escravo que escapou de outro país e se refugiou no território de Israel. Bíblia de Genebra.

17 se prostitua no serviço do templo. Sem exceções, a prostituição do corpo é uma abominação a Deus, mas fazer da prostituição uma parte da religião constitui uma depravação terrível. Há várias referências à prostituição em conexão com a religião (1Rs 14:23, 24; 15:12; 2Rs 23:7; Jr 3:2). CBASD, vol. 1, p. 1137.

18 não trarás salário de prostituição nem preço de sodomita à Casa do Senhor … por qualquer voto.

A prostituição é uma zombaria do plano original de Deus para o sexo, tratando o sexo como um ato físico isolado ao invés de um ato de comprometimento por outra pessoa. Fora do casamento, o sexo destrói relacionamentos. Dentro do casamento, se praticado com a atitude correta, é um construtor de relacionamentos. Deus teve que constantemente advertir Seu povo contra o sexo extramarital. Hoje ainda precisamos destas advertências – jovens precisam ser lembrados a respeito do sexo premarital e adultos precisam ser lembrados de fidelidade sexual. Life Application Study Bible Kingsway.

19 A teu irmão não emprestarás com juros. A economia agrícola da antiga região de Israel era muito diferente da economia comercial de nossos dias, e todo empréstimo normalmente era pedido em face da pobreza. Bíblia de Genebra.

O propósito era beneficiar aqueles que de fato estivessem em apuros. CBASD, vol. 1, p. 1138.

20 Ao estrangeiro emprestarás com juros. Um comerciante estrangeiro viria para Israel buscando vantagens financeiras [Bíblia Shedd: relacionamento de “caráter comercial”], e por isso estaria sujeito ao pagamento de juros. Bíblia de Estudo NVI Vida.

21 voto ao SENHOR. Tal voto era feito voluntariamente (v. 22). Um voto tomado era considerado uma coisa seríssima e todo voto válido devia ser observado. A lei dos votos aparece, na íntegra, em Lv 27; Nm 30. Bíblia de Genebra.

24 comerás uvas. Este caso se refere a trabalhadores numa vinha e a viajantes com necessidade de alimento. É comum no Oriente que, ao passar por um canavial, a pessoa corte e consuma cana-de-açúcar ao ir de uma aldeia a outra (ver Mt 12:1-9). CBASD, vol. 1, p. 1138.

25 na seara não meterás a foice. Ver Mc 2:23. A fome legítima devia ser satisfeita; pegar mais seria roubo. Esta previsão estava em harmonia com o segundo “grade mandamento”, o do amor ao próximo, além de ser um reconhecimento de que a colheita pertencia a Deus. … O dono não perderia com a pequena quantidade de grão ou fruto tomado de seu campo ou horta, porém, seria suficiente para satisfazer a fome imediata de quem passasse por ali. … O estranho, se fosse pobre, não pensaria que a sociedade não se interessava por suas necessidades. CBASD, vol. 1, p. 1138.




%d blogueiros gostam disto: