Reavivados por Sua Palavra


I Timóteo 6 by Jeferson Quimelli
16 de maio de 2015, 1:00
Filed under: dinheiro, relacionamento, testemunho | Tags: ,

Comentário devocional:

A maioria de nós não vive em uma sociedade de senhores e escravos. Então como podemos aplicar o conselho dos versos 1-5? Bem, nós vivemos em uma sociedade de empregador e empregado, de professor e aluno, de ricos e pobres, de marido e mulher, pais e filhos. Como posso me relacionar com meu empregador ou com quem trabalha para mim, assim como todas as outras pessoas com quem estou em contato diariamente? Um cristão não deve ser hostil a um empregador ou supervisor ou membro da família, mas sim, provar que vive como Jesus, mesmo através dos aborrecimentos da vida diária.

Os versos 6-10 podem ser a antítese do “evangelho da prosperidade.” Nós todos conhecemos as palavras, “o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males” (v. 10, NVI). Aceitemos esta verdade e aprendamos a gerenciar nossa renda de acordo com ela. Coloquemos Deus em primeiro lugar em nossas vidas, busquemos o Seu conselho e direção e todas as coisas ocorrerão de acordo com a Sua santa vontade.

Nos versos 11-16, Paulo se dirige diretamente a Timóteo, e faríamos bem em aplicar a nossas vidas: “Você, porém, homem de Deus” (v. 11). “Homem de Deus”, que título! Quem merece tal nome? “Mas tu, ó mulher de Deus.” “Tu, ó Juventude de Deus” – “fuja de tudo isso [cobiça] e busque a justiça, a piedade, a fé, o amor, a perseverança e a mansidão … até a manifestação de nosso Senhor Jesus Cristo” (vs 11, 14, NVI). Este é o objetivo do Senhor para cada um de nós. Esta é em grande parte a nossa maneira de testemunhar ao mundo.

Lembro-me de visitar uma pessoa que trabalhava em um escritório onde Mable, uma de nossos membros da igreja também trabalhava. A pessoa disse: “Mable é a melhor cristã que eu já conheci.” As circunstâncias da vida de Mable tornavam difícil para ela estar presente todos os sábados. Apesar de irregular em sua presença aos cultos, ela mostrava Cristo brilhando de dentro para fora, influenciando aqueles com quem ela trabalhava, assim como seu marido incrédulo.

Ser fiel a Cristo e Sua doutrina é a mensagem desta carta a Timóteo, e o tema de Reavivamento e Reforma.

Como o meu amor por Jesus cresceu nestes últimos dois anos? Pode o Mundo ver Jesus em mim?

David Manzano
Pastor aposentado
Collegedale, TN USA
Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/1ti/6/
Traduzido por JAQ/GASQ
Texto bíblico: I Timóteo 6 
Comentários em áudio 



I Tessalonicenses 2 by Jobson Santos
4 de maio de 2015, 0:25
Filed under: Cartas de Paulo | Tags: , , , ,
Comentário devocional:
Era amplamente conhecido no mundo antigo que dinheiro, sexo e poder são  grandes motivadores do comportamento humano. Muitos “pregadores de rua” do primeiro século vendiam suas idéias como uma forma de evitar trabalhar com as mãos. Outros descobriram que as mulheres eram atraídas por homens articulados e conhecidos publicamente. Outros ainda estavam obcecados com o poder que as grandes ideias exerciam sobre os outros. Mas se você está motivado pelo dinheiro, sexo ou poder, você não está motivado pelo desejo de agradar a Deus. E pode ser que você nem consiga reconhecer suas verdadeiras motivações.
Em 1 Tessalonicenses 2:1-12 temos um vislumbre da vida interior de Paulo e seus companheiros. Ministério genuíno significa deixar Deus testar a sua vida interior e motivações, falar o que você realmente acredita e procurar sempre agradar a Deus. Permitir que Deus teste a sua vida interior é a melhor maneira de desenvolver e manter a autenticidade espiritual (2:3-6). E essa autenticidade será testada não apenas por Deus, ela será testada pela vida. O sofrimento e a perseguição ajudam a separar o genuíno do falso. Se a motivação dos apóstolos fosse dinheiro, sexo ou poder, a difícil experiência deles em Filipos os teria feito desistir da missão (2: 1-2). Mas a autenticidade de suas motivações afetou tudo o que eles fizeram em prol dos tessalonicenses (2:7-12).
Paulo e os outros apóstolos eram pessoas reais. Eles poderiam ter ficado abatidos e até com raiva quando a mensagem pregada por eles foi rejeitada (1 Tessalonicenses 2:13-16), mas eles foram profundamente encorajados pela acolhida favorável dos tessalonicenses (1 Ts 2:17-20). Acima de tudo, eles permitiram que Deus testasse continuamente a sua autenticidade como apóstolos (2:3-6). Se a mensagem que eu prego não mudou a minha própria vida, será de pouca utilidade para aqueles a quem eu prego.
Jon Paulien
Universidade Loma Linda
Estados Unidos
Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/1th/2/
Traduzido por: JDS/JAQ/IB
Texto bíblico: I Tessalonicenses 2
Comentários em áudio


Lucas 12 by Jeferson Quimelli

Comentário devocional:

Era a maior multidão que havia se reunido até então. Tantas pessoas se reuniram para ver Jesus que um quase pisoteava o outro (v 1). Neste ambiente, um homem forçou caminho para chegar até Jesus com um pedido importante que, se atendido, iria lhe dar segurança financeira. Ele reclamou: “Mestre, dize a meu irmão que divida a herança comigo” (v 13 NVI).

Talvez seu irmão mais velho não quisesse lhe dar uma parte do espólio de seu falecido pai. Jesus ajudou muitas vezes aqueles que tinham sofrido injustiças dos outros. Assim, a resposta de Jesus surpreendeu a todos: “Homem, quem me designou juiz ou árbitro entre vocês?” (v 14 NVI). Por que Jesus negou assumir o papel de juiz e lhe respondeu do modo como fez? Porque Jesus não tinha sido nomeado para arbitrar os casos judiciais entre as pessoas. Ele está dizendo aqui: “Eu não sou um juiz para lidar com seu caso financeiro; Eu estou aqui para julgar o coração das pessoas”. Jesus julgou o homem pela sua ganância, não pela questão da herança entre ele e seu irmão.

E para certificar-se que a multidão entendera Seu ponto, Jesus lhes ensinou uma verdade fundamental: “Cuidado! Fiquem de sobreaviso contra todo tipo de ganância; a vida de um homem não consiste na quantidade dos seus bens” (v. 15 NVI).

Jesus conta então a história de um homem que planejava ampliar seus celeiros para armazenar suas grandes colheitas. Mas Deus lhe disse: “Insensato! Esta mesma noite a sua vida lhe será exigida. Então, quem ficará com o que você preparou?” (v 20).  Jesus então concluiu: “Assim acontece com quem guarda para si riquezas, mas não é rico para com Deus”(v 21 NVI) .

Uma vez que Deus é o Criador de tudo, Ele pode nos prover qualquer coisa que precisamos. Se realmente acreditamos nisso, iremos seguir o conselho de Jesus em Lucas 12:22-34 para buscar em primeiro lugar o reino de Deus e não nos preocuparmos com nossas necessidades físicas. Jesus diz: “Não se preocupe”, porque “o Pai sabe que vocês precisam delas” (v 30 NVI).

Jesus conclui com um chamado para que seus ouvintes vendessem suas coisas e ajudassem os pobres. O resultado será um tesouro no céu que não pode ser destruído, porque “onde estiver o seu tesouro, ali também estará o seu coração” (v 34 NVI). Em essência, Jesus está dizendo: “Aquilo que você valoriza determina o seu futuro.” Deus valoriza pessoas. Ele estava disposto a resgatá-los com Sua própria vida.

As suas posses são realmente valiosas quando elas são usadas para atender às necessidades das pessoas a quem Jesus ama.

Douglas Jacobs, D.Min.
Professor do Ministério e Homilética
School of Religion, Southern Adventist University 

Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/luk/12/
Traduzido por JAQ/GASQ
Texto bíblico: Lucas 12 
Comentário em áudio 



Salmo 135 by Jeferson Quimelli
20 de dezembro de 2013, 1:01
Filed under: Salmos, Sem categoria | Tags: , ,

Comentário devocional:

Após alguns versos de louvor a Deus, exaltando quem Ele é e o que Ele tem feito, o autor deste Salmo utiliza alguns versos para mostrar uma visão contrastante entre Deus e os ídolos. Em resumo, isto é o que o autor diz sobre cada um:

O Senhor: é grande e muito superior a todos os deuses (v. 5);

Ídolos: são somente prata e ouro, obras das mãos dos homens (v. 15).

O Senhor: faz tudo o que Lhe agrada (v. 6);

Ídolos: não podem fazer nada (v. 16, 17).

O Senhor: Seu nome durará para sempre (v. 13);

Ídolos: Nem tem vida. E assim se tornam os que os fazem (v. 17, 18).

Analisando esses contrastes óbvios, é fácil balançar a cabeça e perguntar como os israelitas podiam adorar esses pedaços inúteis de ouro em vez de se comprometer com Deus e Seus propósitos. Mas será que somos diferentes? Ou apenas trocamos os deuses de prata e ouro deuses por ídolos de papel de dinheiro?

Embora tenhamos crescido com o velho ditado de que “o dinheiro não compra a felicidade”, nossas ações parecem determinadas a mostrar que acreditamos que compra. Nós armazenamos riqueza como se ela pudesse nos proteger em momentos de dificuldade e tragédia e nos esquecemos de que a tragédia pode nos tirar o dinheiro e tornar qualquer riqueza inútil. Por outro lado, nos esquecemos do verdadeiro valor das bênçãos de Deus.

Do mesmo modo que os filhos de Israel podiam escolher usar a sua prata e ouro para construir um ídolo ou um templo, podemos fazer a mesma escolha com o nosso dinheiro. Será que iremos idolatrar e acumular este tesouro, ou vamos usá-lo para edificar a igreja de Deus e compartilhar com os necessitados?

Lori Futcher

Estados Unidos

Texto bíblico: Salmo 135

Traduzido por JAQ/JDS

Texto original em: http://revivedbyhisword.org/en/bible/psa/135/




%d blogueiros gostam disto: