Reavivados por Sua Palavra


Hebreus 7 by Jeferson Quimelli
31 de maio de 2015, 1:00
Filed under: Jesus, paz | Tags: , , ,

Comentário devocional:

Hebreus 6 termina com a ideia de que Jesus é a “âncora firme e segura da alma ” (6:19). Hebreus 7 explica o porquê.

O capítulo está dividido em duas grandes seções. Os versos 1-10 descrevem três principais características de Melquisedeque que prefiguravam o sacerdócio de Jesus. Os versos 11-28 explicam como essas características, cumpridas em Jesus, nos fornecem total segurança.

O nome Melquisedeque significa que ele é um rei de justiça (v. 2). Isto prefigurava Jesus, que é “santo, inculpável, puro, separado dos pecadores … perfeito para sempre” (Hebreus 7:26-28). Não há pecados que possam separá-lo do Pai. Ele está perfeitamente qualificado a se aproximar de Deus em nosso favor, sem impedimento.

Melquisedeque era rei de Salém, o que significa rei de paz (v. 2). O autor diz que enquanto a lei da ordem sacerdotal de Levi não poderia aperfeiçoar os adoradores, o ministério de Jesus traz a perfeição (vs. 11, 18-19). Perfeição está relacionada com a palavra hebraica “paz” (שלום – shalom), que significa também “inteiro, completo”. Jesus traz a perfeição no sentido de que ele pode realmente proporcionar a remissão dos pecados (10:1-4) e também nos fornece acesso a Deus (10:19-23).

Melquisedeque não tem genealogia (v. 3a). Ele não era um sacerdote, porque ele pertencia a uma família de sacerdotes – como era o caso de Aarão. Na verdade, ele foi feito sacerdote através de um juramento, que não pode ser quebrado (7:20-22). O autor sugere que a Escritura não registra a genealogia de Melquisedeque para que ele pudesse “se parecer” com o Filho de Deus, que realmente não tinha “nem princípio de dias nem fim de vida” (v. 3b). 

Assim, o sacerdócio de Jesus fornece uma certeza que o sacerdócio levítico não podia oferecer. Ele é um sacerdote perfeito que tem acesso irrestrito a Deus. Ele proporciona limpeza completa. Ele também vive para sempre para interceder por nós. Que maravilhoso amor tem Deus a ponto de ter designado Jesus para ser o nosso sumo sacerdote. 

Precisamos nos apegar a Ele como a âncora de nossa alma, segura e firme!

Felix H. Cortez
Andrews University Theological Seminary 
Estados Unidos
Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/heb/7/
Traduzido por JAQ/JDS
Texto bíblico: Hebreus 7
Comentário em áudio 



João 16 by Jeferson Quimelli

Comentário devocional:

Jesus estava indo embora! Os discípulos estavam aterrorizados. Sua presença trouxe-lhes a paz e Ele prometera mais ainda desta paz (Jo 14:27). Estar com Ele e conhecê-Lo era a primeira prioridade deles (Mc 3:14) para que pudessem fazer as obras de Deus (Jo 6:28,29). Então, Ele anuncia: “virá o tempo quando quem os matar pensará que está prestando culto a Deus” (v 2 NVI). Ele também disse: “Agora … vou para aquele que me enviou” (16:5a NVI). Imagine a frustração e confusão dos discípulos! Ele irá embora enquanto eles têm de ficar e serem mortos!

Jesus comunica aos discípulos a próxima fase do plano: enviar a eles um “Advogado”, ou um “Consolador.” O palavra grega, Parakletos, significa “aquele que vem para estar junto”. E isto deveria ser para o bem dos discípulos (v. 7). Eles ainda não estavam convencidos? Jesus diz: “Tenho ainda muito que lhes dizer, mas vocês não o podem suportar agora” (v 12 NVI). O quê, Senhor, será que entendemos corretamente? O Senhor acaba de nos dizer que as pessoas tentarão nos matar em nome de Deus e o Senhor não ficará conosco? Tente imaginar o que os discípulos devem ter sentido naquele momento.

Todos nós temos aqueles momentos de frustração e confusão a respeito dos planos de Deus E isto pode ser muito desgastante. Como você lida com isso? A sua fé se enfraquece ou você se achega a Jesus mais fortemente do que nunca?

Se praticarmos a fé nos pequenos desafios da vida, Deus nos prepara para as provas maiores que virão ao nosso caminho. As dificuldades estão acontecendo em sua vida agora? Você está firmemente ligado a Jesus? 

O Espírito Santo está com você, se esta é a sua vontade e seu pedido. O Pai dará tudo o que pedirmos em nome de Jesus. Jesus diz: “Meu Pai lhes dará tudo o que pedirem em meu nome. … Peçam e receberão, para que a alegria de vocês seja completa.” (vv 23-24).

Jesus prediz que os discípulos iriam se dispersar, mas diz: “Eu lhes disse essas coisas para que em mim vocês tenham paz. Neste mundo vocês terão aflições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o mundo” (v 33 NVI).

Você tem algum problema? Anime-se, receba a paz, seja ungido pelo Espírito ungido, e segure-se firme a Jesus, pois Ele venceu o mundo!

Christopher Bullock
Pastor em Atlanta, Georgia
Estados Unidos da América

 

Texto original:  http://revivedbyhisword.org/en/bible/jhn/16/
Traduzido por JAQ/JDS
Texto bíblico: João 16 
Comentário em áudio 



João 14 by Jeferson Quimelli
22 de janeiro de 2015, 1:00
Filed under: Amor de Deus, Espírito Santo, , paz | Tags: , , , , , , ,

Comentário devocional:

Pessoalmente, este capítulo significa muito para mim. Deus usou o verso 1 para revelar Jesus para mim, e usou o verso 27 para confirmar o meu chamado para o ministério. 

Eu fui ateu por cerca de 5 anos e então comecei a acreditar em um “Poder Superior”. Então, eu me matriculei na Southern Adventist University [Universidade Adventista do Sul], e uma das matérias que escolhi fazer era Doutrinas Cristãs. Eu estava interessado em saber mais sobre a religião cristã, uma vez que eu já conhecia outras religiões do mundo. O primeiro tema em sala de aula foi a importância da Palavra de Deus. A segunda lição foi sobre Deus Pai. Não tive nenhum problema com as duas primeiras aulas, mas a terceira, que focou em Deus, o Filho, realmente me incomodou! Por que tanta ênfase em Jesus?

“Quem é esse Jesus? E o que é que isso tem a ver comigo?”, eu me questionava. Um dia eu fui passear no bosque da escola, parei junto à maior árvore, e fiquei perguntando a Deus estas duas questões vez após vez. Então ouvi uma voz: “Tome sua Bíblia, Eu quero lhe dizer uma coisa”. Eu peguei a minha Bíblia, orei, e com os meus olhos ainda fechados, a abri com o dedo sobre João 14:1. Este verso respondeu às minhas duas perguntas!  “Credes em Deus, crede também em mim” (ARA). Naquele momento eu recebi Jesus em meu coração e coloquei a minha fé nEle como meu Deus e Salvador.

O verso 27 também é um dos meus favoritos. Eu sempre estivera à procura de paz na minha vida, mas nunca conseguia encontrá-la. Como Deus estava me chamando para o ministério pastoral, tarde da noite eu Lhe contei todos os medos quanto a esse chamado. Mais uma vez Ele falou comigo: “Abra a sua Bíblia para que eu possa lhe dizer algo.” Orei, e com os olhos ainda fechados, coloquei meu dedo sobre João14:27. Através daquele verso Deus me disse: “Chris, você tem a minha paz (o Espírito de Jesus), portanto não tenha medo. Então eu disse “SIM!” ao chamado para me tornar um pastor. Alguns anos mais tarde, o mesmo Professor que me ensinara sobre Jesus, ordenou-me ao Ministério do Evangelho.

Em João 14: 6, Jesus disse: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida.” Jesus é a instrução de Deus para a humanidade: acerca de Seu amor, Seu modo de agir, verdade e vida.

Senhor, quero aprender a obedecer as Tuas instruções diárias. Através do Espírito Santo, ajuda-me a dizer SIM para todas as orientações de Jesus.

Christopher Bullock
Pastor em Atlanta, Georgia.
Estados Unidos da América.
Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/jhn/14/
Traduzido por JAQ/JDS
Texto bíblico: João 14 
Comentário em áudio 



Mateus 11 by Jeferson Quimelli
12 de novembro de 2014, 0:30
Filed under: confiança em Deus, paz | Tags: , , ,

Comentário devocional:

Quando leio a Bíblia, procuro descobrir o que ela está a me dizer. Eu sinto que cada capítulo tem algo que se aplica a mim como esposa e mãe. Este não é apenas um livro antigo de histórias. É muito mais. Todos os dias eu busco nela por paciência e paz da parte de meu Pai celestial para me fortalecer.

Em Mateus 11, João Batista está à procura de mais discernimento espiritual a respeito de Jesus. Ele está na prisão e ainda assim seu coração ainda está repleto de amor para com o Salvador do Mundo. Ele havia seguido diligentemente o caminho que Deus havia planejado para ele e, então, foi preso. Jesus continuou o Seu ministério e quando os seguidores de João O encontraram, Jesus elogia João pelo trabalho que ele tinha feito em preparar o caminho para Ele. João era diferente do que as pessoas esperavam. Ele não usava roupas finas nem se alimentava das melhores comidas. Mas o que ele fez não foi sem importância para Deus. Não devemos nunca pensar que o que fazemos para Deus não é importante. 

Enquanto Paulo refletia sobre suas limitações, o Senhor lhe disse: “Minha graça é suficiente para você, pois o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza” (2 Cor. 12:9, NVI). A mensagem também para nós é: apesar de nossas debilidades somos valiosos para Deus.

Costumo cantar em escolas, igrejas e retiros de mulheres e dar o meu testemunho pessoal. Desde muito jovem tenho cantado em louvor a Jesus. Sentir-se inadequada é uma sensação que está sempre presente: “Quem estaria interessado em meu testemunho?” Então lembro a mim mesma que isto é o que Deus quer que eu faça. Todos nós somos chamados a apresentar a história de como Jesus tem trabalhado em nossas vidas. O que realmente importa é como interagimos com os outros e como representamos a Jesus em nosso lares e na comunidade em que vivemos.  

Quando leio Mateus 11, duas mensagens me vem a mente: 1. Jesus quer que mesmo nos momentos mais difíceis da nossa vida busquemos saber mais sobre Ele, porque Ele é quem verdadeiramente nos ama. 2. Jesus promete dar-nos paz e descanso quando colocamos a nossa confiança nEle. 

Mantenhamos firmes a nossa confiança, pois nada poderá nos separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus! (Romanos 8:39).

Joey Norwood Tolbert
Cantora e compositora cristã

 

Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/mat/11/

Traduzido por JAQ/JDS

Texto bíblico: Mateus 11 

Comentário em áudio 



Naum 2 by Jeferson Quimelli
5 de outubro de 2014, 0:00
Filed under: confiança em Deus, cuidado de Deus, paz, profecias | Tags: ,

Comentário devocional:

Como os orgulhosos governantes de Nínive Senaqueribe  e Assurbanipal, um grande número de líderes arrogantes afirmaram que seus reinos durariam para sempre. Nabucodonosor, a “cabeça de ouro” (Dan 2:38), fez para si mesmo uma estátua inteiramente coberta de ouro (Dan 3:1), proclamando que seu reino não teria fim. Hitler declarou que seu Terceiro Reich duraria mil anos, mas este durou apenas mil dias, e trouxe enorme sofrimento e inúmeras morte para o mundo. Khrushchev prometeu “enterrar o Cristianismo”, mas em vez disso foi enterrado em uma cova bastante comum.

As profecias de Naum sobre a destruição de Nínive e do poder assírio tem também uma aplicação secundária, descrevendo o fim de todos os reinos da terra, cidades e riqueza. Eles vão ficar devastados, destruídos, desolados (Naum 2:10) durante o período de mil anos  após a Segunda Vinda de Cristo. 

É surpreendente como os homens confiam em alianças, poder militar e riqueza para a segurança! No entanto, em tudo isso, eles exibem uma sensação de insegurança e erguem torres de Babel para se protegerem, ignorando Aquele que lhes deu a inteligência e a força para realizar grandes coisas (Deut 8:11-20). 

Quando os homens confiam em conquistas, falsos deuses, governos, força militar, riquezas ou tecnologia a fim de alcançarem “paz e segurança”, ao invés de buscarem ao Senhor, para eles vem a advertência: “…a destruição virá sobre eles de repente, … ; e de modo nenhum escaparão” (I Tess 5: 3 NVI).

A paz e a segurança originam-se no Senhor e vem de conhecer e confiar no Criador. Seu maior interesse é pelo nosso bem estar. Lancemos todos os nossos cuidados sobre Ele, porque Ele cuida de nós (I Pedro 5: 7).

Gary Councell
Capelão aposentado do Exército dos EUA


Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/nah/2/

Traduzido por JAQ/JDS

Texto bíblico: Naum 2 

Comentário em áudio 



Ezequiel 27 by Jeferson Quimelli
24 de julho de 2014, 0:00
Filed under: paz, Queda de babilônia, segurança | Tags:

Ezequiel 27 – Comentário Devocional:

Observe o seguinte texto, retirado de uma página do Facebook: “O seu Volkswagen é alemão. Sua vodka é russa. Sua pizza é italiana. O kebab é turco. Sua democracia é grega. Seu café é brasileiro. Seus filmes são americanos. Seu chá é tamil. Sua camisa é indiana. Sua gasolina é da Arábia Saudita. Seus aparelhos eletrônicos são chineses. Seus números árabes, suas letras latinas. E você ainda se queixa de que seu vizinho é um imigrante? Controle-se! (postado na página “The True Activist”  em 13 de junho de 2014).

Nem todos podem pagar por um carro alemão. A maioria abrirá mão da vodka. Alguns preferem não beber o café. Outros não vivem em democracias. Mas todos compreendemos o significado da afirmação acima.

Pensamos no mundo de hoje como uma aldeia global. No entanto, nenhum lugar hoje é mais cosmopolita do que a antiga Tiro. Mas isto iria acabar. No dia da ruína de Tiro todos os reis e mercadores que a amavam se manteriam à parte, com medo de serem envolvidos no meio da destruição provocada pela Babilônia. 

Eles lamentariam a queda de Tiro, raspando seus cabelos como Jó, vestindo peles de cabra, chorando e lamentando amargamente. Impressionante, de fato. No entanto, não é por Tiro que eles lamentam. É pela riqueza que esta cidade os ajudou a adquirir e pelo sonho de sua própria segurança que eles estão perdendo. 

A globalização de hoje pode nos fazer sentir que estamos seguros. Porque se alguém ataca um lugar, todos os outros lugares sofrem. Esperamos que o interesse próprio de todos vá prevalecer e a paz seja restaurada. Pois qualquer violência, em menor ou maior escala nos faz sentirmos vulneráveis. No entanto, João, o Revelador toma emprestado a linguagem de Ezequiel para falar do colapso final de Babilônia, quando os comerciantes e reis voltarão a lamentar, um lamento egoísta e desesperado (Apoc 18:9-24). 

A queda de Tiro nos ensina que embora as pessoas do mundo estejam acostumadas com a troca de favores e com o comércio que beneficia aos poderosos, a paz e a segurança não podem ser encontradas na prosperidade material.

Há apenas um caminho para a paz verdadeira, apenas um verdadeiro Príncipe da paz. Que o brilho do mundo nunca nos leve a crer o contrário.

Ross Cole
Avondale College, Austrália

 

Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/eze/27/

Traduzido por JAQ/JDS

Texto bíblico: Ezequiel 27 

Comentário em áudio  



Salmo 4 by Jeferson Quimelli
11 de agosto de 2013, 0:00
Filed under: confiança em Deus, paz

Comentário devocional:

Não temos como conhecer a música associada ao Salmo 4. Mas, por ter sido escrito para instrumentos de corda, a lira e a harpa, que eram instrumentos ligados a músicas mais tranquilas (em oposição aos de sopro e percussão), sabemos que este salmo era associado a momentos de meditação e oração.

Este salmo foi chamado de Oração Vespertina e visto como sequência do Salmo 3, conhecido como Oração Matutina. O Salmo 4 descreve a paz e tranquilidade do salmista ao chegar à noite na confiança de que do mesmo modo como Deus o ajudou a superar as dificuldades e angústias do dia (v. 1), não o desamparará também à noite. A confiança no cuidado e no poder de Deus dá àquele que O ama paz, tranquilidade e sono sereno. Ainda que cercado de dificuldades, ele sabe que Deus está com ele.

“O cristão que compartilha a confiança do salmista não precisa temer durante o sono da noite, nem em meio aos deveres do dia (cf Sl 121). “(Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 3, p. 721).

Enquanto os materialistas negam a importância da espiritualidade para a felicidade do homem (“Quem nos fará desfrutar o bem?” v. 6, NVI), a experiência do salmista lhe diz que a alegria que Deus lhe colocou no coração é mais plena e duradoura do que aquela proporcionada por muitos bens (v. 7). 

“A alegria do mundo baseia-se sobre cereal e vinho, mas o verdadeiro regozijo do crente depende de sua comunhão com Deus (Fp 4.4)” (Bíblia Shedd).

Que você possa experimentar a paz e a proteção decorrente de se refugiar no Senhor.

Senhor,
Chama-me a um relacionamento íntimo conTigo para que eu possa conhecer a verdadeira felicidade, confiança e paz em todos os momentos.

Jeferson Quimelli

Texto do blog mundial: http://revivedbyhisword.org/en/bible/Psa/4/
Texto bíblico: Salmo 4


Salmo 3 by Jeferson Quimelli
10 de agosto de 2013, 0:00
Filed under: oração, paz

Comentário devocional:

Este salmo foi escrito por Davi enquanto fugia de seu filho Absalão, que tinha conspirado contra seu pai. Não é fácil dormir em meio a uma crise, mas Davi clamou ao Senhor e Ele o ouviu. A certeza de ter sua oração atendida lhe trouxe paz.


O salmo começa questionando a boa vontade de Deus de livrá-lo do perigo, e termina com a garantia indiscutível da proteção de Deus. “Não me assustam os milhares que me cercam” (v. 6, NVI). Davi teve sua fé novamente fortalecida.

Davi termina o Salmo reconhecendo que a libertação vem somente do Senhor. E ora para que o povo de Deus seja abençoado.

Que as promessas de Deus lhe tragam coragem no dia de hoje e você receba Suas bênçãos!

Jackie O Smith
Silver Spring, Mariland, USA

Traduzido e adaptado por JAQ/JDS


Texto original em: http://revivedbyhisword.org/en/bible/Psa/2/
Texto bíblico: Salmo 2



%d blogueiros gostam disto: