Reavivados por Sua Palavra


MARCOS 1 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
27 de maio de 2021, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Princípio do evangelho de Jesus Cristo, Filho de Deus” (v.1).

O evangelho segundo Marcos, atribuído a um possível seguidor de Jesus, é introduzido pela percepção do autor: “Jesus Cristo, Filho de Deus”. A vida e ministério de Cristo são relatados por João Marcos explorando as emoções e reações dAquele que possuía a filiação divina. Desde João Batista, o evangelista deixou escrito detalhes que nos ajudam a montar o “quebra-cabeças” dos evangelhos a fim de que tenhamos um quadro límpido e vívido da vida terrestre do Filho de Deus. Primeiro, “apareceu João Batista no deserto, pregando batismo de arrependimento para remissão de pecados” (v.4). A obra do Batista foi um preâmbulo da nova aliança, tornando o batismo o símbolo do primeiro passo do homem na direção de Cristo: o arrependimento.

O batismo nas águas, contudo, precisa ser confirmado a cada dia pelo batismo “com o Espírito Santo” (v.8). Jesus foi ungido pelo Espírito em Seu batismo, aceito pelo Pai e levado ao deserto onde foi “tentado por Satanás” (v.13). Muitos passam pelas águas batismais dispostos a receber o Espírito Santo e serem aceitos pelo Pai, mas não estão dispostos a enfrentar o deserto. Na primeira dificuldade, logo se escandalizam, perdendo o privilégio de, mesmo entre “as feras”, serem servidos e cuidados pelos anjos (v.13). Foi após o deserto que Jesus partiu “para a Galileia, pregando o evangelho de Deus” (v.14). E o fundamento de Sua pregação está em Suas primeiras palavras: “O tempo está cumprido, e o reino de Deus está próximo; arrependei-vos e crede no evangelho” (v.15).

A vida de abnegação de Cristo nos diz que as dificuldades têm mais a nos ensinar do que a tranquilidade. Deus não tem prazer em ver o sofrimento de Seus filhos, mas é na escola do sofrimento que nossa vida se liga à vida do nosso Salvador. A experiência do endemoniado, da sogra de Pedro, do leproso e de tantos outros que foram curados foi o que os ligou a Jesus e lhes deu uma nova percepção de quem de fato é Deus. Porque Satanás vem para “matar, roubar e destruir”, mas Jesus vem até nós para nos dar vida em abundância (Jo.10:10), e nos reconciliar com o Pai (Rm.5:10). E quando esta mudança acontece em nossa vida, ela se torna gradual e constante, de forma que, em Cristo, nos tornamos novas criaturas e Seus embaixadores, “como se Deus exortasse por nosso intermédio” (2Co.5:20).

Mas enquanto os próprios demônios “sabiam quem Ele era” (v.34), aqueles que foram criados no princípio à Sua imagem e semelhança (Gn.1:26), tinham dúvidas quanto à natureza de Jesus. “Maravilhavam-se da Sua doutrina” (v.22) e todos O buscavam (v.37) a fim de serem atendidas as suas necessidades físicas e espirituais, mas poucos deixaram tudo o que tinham “e O seguiram” (v.18). Da mesma forma, Satanás age hoje com grande ira, “sabendo que pouco tempo lhe resta” (Ap.12:12). Ou seja, até os demônios sabem que se aproxima o tempo da segunda visitação de Cristo. Como Seu último povo, o Senhor nos apela através do apóstolo Paulo: “E digo isto a vós outros que conheceis o tempo: já é hora de vos despertardes do sono; porque a nossa salvação está, agora, mais perto do que quando no princípio cremos” (Rm.13:11).

A ira do inimigo se avoluma contra um pequeno povo que ousa conhecer as profecias e buscar o único conhecimento que ele não mais pode ter: “E a vida eterna é esta: que Te conheçam a Ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste” (Jo.17:3). Um povo que tem buscado a devida preparação à semelhança do leproso: “Se quiseres, podes purificar-me” (v.40); que veem em Jesus, em Seu sangue remidor e purificador, em Sua graça e poder, a Fonte do conhecimento que purifica e que salva da lepra do pecado. Portanto, apenas declarar conhecê-Lo não é suficiente, pois isto até os demônios fazem (v.24). Conhecer a Deus, consiste em um relacionamento pessoal com Ele, como Jesus nos deixou o exemplo: “Tendo-Se levantado alta madrugada, saiu, foi para um lugar deserto e ali orava” (v.35).

Pela experiência de uma vida de comunhão, para João Marcos Jesus era o Filho de Deus. Quem é Jesus para você? Marcos nos deixou o legado de sua experiência em um livro de registros sagrados. Deus deseja que sejamos Sua carta, “conhecida e lida por todos os homens” (2Co.3:2). Que o nosso testemunho aponte para Jesus pela clara evidência de uma vida coerente com nossa pregação. E ainda que por vezes venhamos a falhar, lembremos dos pescadores rudes que Jesus chamou como discípulos, nos mostrando que a nossa parte é confiar e permitir que Ele nos purifique e nos salve, “porque todas as nossas obras [Ele as faz] por nós” (Is.26:12). Vigiemos e oremos!

Bom dia, curados por Cristo Jesus!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Marcos1 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100


Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.



%d blogueiros gostam disto: