Reavivados por Sua Palavra


MATEUS 04 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
2 de maio de 2021, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Daí por diante, passou Jesus a pregar e a dizer: Arrependei-vos, porque está próximo o reino dos céus” (v.17).

Após o Seu batismo, “foi Jesus levado pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo” (v.1). Ao sair das águas, as palavras do Pai e a presença do Espírito Santo O fortaleceram para o que estava por vir. Era necessário que o Filho do Homem fosse provado e vencesse exatamente onde o primeiro homem havia falhado. Ninguém na Terra acompanhou tão de perto a vida e o crescimento do Salvador do que Satanás. Ao perceber que chegada era a hora de Sua revelação, as primeiras palavras do inimigo a Jesus visavam lançar dúvida sobre Sua origem divina: “Se és Filho de Deus” (v.3). O período de “quarenta dias e quarenta noites” (v.2) sem comer parecia ser uma vantagem, de forma que não somente o apetite foi posto à prova, como também a tentativa de fazer com que Jesus usasse o Seu poder para benefício próprio.

Em Sua humanidade, Cristo havia aprendido a ser completamente dependente do Pai. Desde a infância, Seus pais terrenos O ensinaram a manter essa comunhão pessoal diária e constante. O sol nunca encontrava o nosso Salvador dormindo, mas a entreter com Deus um relacionamento que se fortalecia a cada dia. As Escrituras tinham sido sempre o primeiro alimento da manhã em Seus trinta anos de anonimato, de forma que Sua privação de alimento material não pôde superar a Sua nutrição espiritual: “Está escrito: Não só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus” (v.4). A aparição de Satanás não foi manifestada em sua ira e indignação, mas como nos advertiu o apóstolo Paulo: “E não é de admirar, porque o próprio Satanás se transforma em anjo de luz” (2Co.11:14).

A sutileza do maligno foi seguida por outro engano que há tantos tem seduzido: a mistura da verdade com a mentira. Conhecedor exímio das Escrituras, Satanás ousou usar o Texto Sagrado para enganar Aquele que era a própria encarnação da Palavra: “E o Verbo Se fez carne e habitou entre nós” (Jo.1:14). A vitória de Cristo neste sentido torna-se a vitória de todo sincero e fiel estudante das Escrituras. Muitos, porém, têm se contentado apenas com a simples citação de porções bíblicas aplicadas de forma a aplacar a consciência culpada. Buscam um evangelho fácil que se amolde aos seus gostos pessoais e são vencidos exatamente onde Cristo lhes deu o poder para vencer. Precisamos estudar a Bíblia pedindo ao Espírito Santo que a possamos compreender em sua verdadeira luz. Somente assim, podemos obter o verdadeiro conhecimento, aquele que transforma e enobrece o caráter.

Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares” (v.9), revela a origem da idolatria. As glórias deste mundo, suas riquezas, o desejo por fama e poder, as diversões insanas e projetos que visam engrandecer a criatura no lugar do Criador, são os artifícios de Satanás para aprisionar a muitos como seus súditos e adoradores, ainda que estes não façam ideia disso. Na verdade, a maior estratégia do inimigo é fazer com que o mundo acredite que ele não existe, que não passa de uma lenda e invenção da mente humana. Assim, ele tem o caminho mais livre para destruir vidas enquanto estas estiverem alheias ao conflito espiritual em que todos estamos envolvidos. Mas através do trio espiritual — oração, jejum e conhecimento das Escrituras — pela vitória de Cristo, somos também habilitados a vencer e com a autoridade dada pelo Céu declarar: “Retira-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás, e só a Ele darás culto” (v.10).

Como foi com Jesus, todo aquele que resiste ao diabo recebe do Céu o auxílio dos anjos, que são “enviados para serviço a favor dos que hão de herdar a salvação” (Hb.1:14); tornando-se verdadeiras testemunhas dAquele que os “chamou das trevas para a Sua maravilhosa luz” (1Pe.2:9). Em Cristo, irrompeu grande luz na Galileia, “e aos que viviam na região e sombra da morte resplandeceu-lhes a luz” (v.16). “Daí por diante, passou Jesus a pregar e a dizer: Arrependei-vos, porque está próximo o reino dos céus” (v.17). O arrependimento é o primeiro passo do homem em direção à vitória. É pelo reconhecimento de nossa degradante condição que nos achegamos Àquele que “é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça” (1Jo.1:9).

Amados, como Jesus chamou os discípulos e, “no mesmo instante” (v.22), eles O seguiram, Ele nos faz o mesmo convite agora: “Vinde após Mim” (v.19). Foi ensinando, pregando e curando, que nosso Mestre, Pastor e Médico nos deixou o perfeito legado da obra redentora. É olhando para Ele, observando a Sua vida e Sua íntima comunhão com o Pai que “somos transformados, de glória em glória, na Sua própria imagem, como pelo Senhor, o Espírito” (2Co.3:18). Perseveremos em contemplar as obras do nosso Redentor e meditar em Suas palavras até que sejamos “dia perfeito” (Pv.4:18). Se nos sujeitarmos a esta santa modelagem, certamente o diabo fugirá de nós (Tg.4:7). Vigiemos e oremos!

Feliz semana, transformados à imagem de Cristo!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Mateus4 #RPSP


Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.



%d blogueiros gostam disto: