Reavivados por Sua Palavra


MIQUEIAS 6 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
29 de março de 2021, 1:10
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO MIQUEIAS 6 – Primeiro leia a Bíblia

MIQUEIAS 6 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral) 

MIQUEIAS 6 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO – ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO – PR HEBER TOTH ARMÍ

COM. VÍDEO PR ADOLFO SUÁREZ(link externo)

COM. VÍDEO PR VALDECI JÚNIOR (link externo)

COM. VÍDEO PR EVANDRO FÁVERO(link externo)

COM. VÍDEO PR WEVERTON CASTRO E EQUIPE (link externo)

COM. VÍDEO PR RONALDO DE OLIVEIRA (link externo)



MIQUEIAS 6 by Jobson Santos
29 de março de 2021, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/mq/6

“Ele mostrou a você, ó homem, o que é bom e o que o Senhor exige: pratique a justiça, ame a fidelidade e ande humildemente com o seu Deus” (Mq 6:8).

É muito mais fácil fazer coisas que podem ser mensuradas (tais como devolver o dízimo ou ofertar uma porcentagem bem alta de sua renda à igreja) do que agir com justiça e amar a misericórdia. É mais fácil argumentar sobre a idade da Terra, ou outros pontos controversos da doutrina, do que viver como guardiões da Terra e ser misericordiosos com todas as pessoas.

Ellen White diz: “Sempre que a mensagem de verdade se apresenta às almas com especial poder, Satanás suscita seus instrumentos para disputarem sobre qualquer ponto de somenos importância. Procura assim desviar a atenção do verdadeiro assunto. Quando quer que se comece uma boa obra, há pessoas prontas a suscitar discussões sobre formas e detalhes de técnica, para desviar as mentes das realidades vivas. Quando parece que Deus está prestes a operar de maneira especial em benefício de Seu povo, não se empenhe este em disputas que só trarão ruína de almas. Os pontos que mais nos interessam, são: Creio eu com salvadora fé no Filho de Deus? Está minha vida em harmonia com a lei divina?” (O Desejado de Todas as Nações, p. 276).

Gordon Bietz
Presidente da Southern Adventist University (aposentado)

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=1145
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli/Luis Uehara



MIQUEIAS 6 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
29 de março de 2021, 0:50
Filed under: Sem categoria

581 palavras

1 Causa. Miqueias é chamado a pleitear pelo povo diante da natureza inanimada, “as montanhas” e as “colinas”, testemunhas silenciosas dos grandes feitos de Deus para com os israelitas e da ingratidão deles para com o Senhor. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 4, p. 1132.

4 Pois te fiz sair. Deus defende Seu caso, rememorando alguns dos benefícios notáveis que concedera a Seu povo. O êxodo foi um dos sinais evidentes de Seu interesse amoroso e constante cuidado (ver Is 63:11-13; Am 2:10). CBASD, vol. 4, p. 1132.

5 Maquinou. Balaão atendeu ao pedido de Balaque para amaldiçoar Israel, mas pronunciou, em vez disso, uma bênção (ver Nm 22-24). CBASD, vol. 4, p. 1132.

Desde Sitim. Sitim foi o último ponto de parada dos israelitas antes de atravessarem o Jordão (Js 3:1) e Gilgal, o primeiro acampamento na terra de Canaã (Js 4:19). Em sua viagem de Sitim a Gilgal, eles atravessaram o Jordão e viram a intervenção maravilhosa de Deus em favor deles (Js 3, 4). CBASD, vol. 4, p. 1132.

6 Deus excelso. Literalmente, “o Deus das alturas” (comparar com Is 33:5; 57:15; 66:1). CBASD, vol. 4, p. 1132.

De um ano. Os “filhos de um ano” (Lv 9:3; Nm 7:17) eram os nascidos no presente ano (ver Êx 12:5), pelo menos, com uma semana de idade (Lv 22:27). CBASD, vol. 4, p. 1133.

7 Milhares. Como se tão grande número pudesse garantir o maior favor de Deus, e assim uma maior disposição divina para perdoar os pecados. CBASD, vol. 4, p. 1133.

Azeite. Usado em conexão com as ofertas de manjares (Lv 2:1, 4-7; 7:10-12; Nm 15:4). CBASD, vol. 4, p. 1133.

Primogênito. Aqui se faz referência a um costume pagão comum nos tempos antigos, e que era proibido aos israelitas; mas que foi praticado por alguns reis de Israel (Lv 18:21, 20:2; 2Rs 3:27; 16:3; 23:10; Sl 106:37, 38; Jr 7:31). O costume parece que se baseava na ideia que Deus deveria receber do ser humano o que ele possuía de melhor e de mais caro, e que o Céu atribuiria valor a uma oferta de acordo com o seu custo. Apesar da declarada santidade da vida humana (Gn 9:6) e da prática de se resgatar o filho primogênito (Êx 13:13), o paganismo exerceu influência sobre Israel. A questão aqui levantada é retórica e, como todas as outras, exige uma resposta negativa. CBASD, vol. 4, p. 1133.

8 Ele te declarou. … o povo parecia ter se esquecido de que a mera prática dos ritos exteriores não tem valor sem a verdadeira piedade. CBASD, vol. 4, p. 1134.

Humildemente. O objetivo da verdadeira religião é o desenvolvimento do caráter. A cerimônia exterior só tem valor se contribuir para esse desenvolvimento. Mas, como muitas vezes é mais fácil prestar um culto externo do que mudar as más inclinações do coração, as pessoas sempre foram mais propensas a adorar externamente do que cultivar as graças do espírito. Assim foi com os escribas e fariseus a quem Jesus repreendeu. Eles ciosamente se guardavam de qualquer infração em matéria de dízimo, mas negligenciavam “os preceitos mais importantes da Lei: a justiça, a misericórdia e a fé” (Mt 23:23). … Andar “humildemente com o teu Deus” é viver em harmonia com os princípios da primeira parte do decálogo (ver com. [CBASD] de 22:37, 38), que tem a ver com nossa relação com Deus. CBASD, vol. 4, p. 1133, 1134.

10 Tesouros da iniquidade. Riquezas obtidas por meios ilícitos (ver Am 8:5). CBASD, vol. 4, p. 1134.

14 Removerás. O povo procuraria em vão salvar seus tesouros, removendo-os. CBASD, vol. 4, p. 1134.

16 Estatutos de Onri. A Bíblia não menciona “estatutos” especiais deste rei de Israel. Talvez seja uma provável referência às regras idólatras do culto que Onri instituiu (ver 1Rs 16:25, 26). Onri foi o fundador da dinastia iníqua que produziu Acabe a Atalia (ver 1R 16:29-33; 2Rs 8:26; 11:1). CBASD, vol. 4, p. 1134.



MIQUEIAS 6 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
29 de março de 2021, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Ele te declarou, ó homem, o que é bom e que é o que o Senhor pede de ti: que pratiques a justiça, e ames a misericórdia, e andes humildemente com o teu Deus” (v.8).

No primeiro sermão de Cristo, o famoso sermão do monte, Ele apresentou o passo a passo de uma vida cristã vitoriosa. Ao contrário do que os judeus tinham aprendido de seus líderes desde então, “as multidões” ficaram “maravilhadas da Sua doutrina; porque as ensinava como quem tem autoridade e não como os escribas” (Mt.7:28-29). Tomando os antigos profetas como exemplo, Jesus elencou as bem-aventuranças definindo como felicidade real aquela que tem o Céu como alvo bem definido. Ser feliz, portanto, não depende dos benefícios que possam existir na caminhada, mas o que há no final dela. E foi “por amor da Sua própria justiça”, tornando a Sua lei gloriosa (Is.42:21), que Ele não somente veio para morrer em nosso lugar, mas para nos deixar exemplo de como devemos viver aqui, a fim de seguirmos “os Seus passos” (1Pe.2:21), até que Ele volte.

Foi a partir da mensagem central do Cristo que viria como antítipo dos sacrifícios realizados no santuário, que Deus introduziu a Sua “controvérsia com o Seu povo” (v.2). “Ouvi, agora” (v.1), apelava o profeta aos incautos de coração. Os dois episódios relatados pelo Senhor revelam a natureza de Seu caráter misericordioso e Seu amor incondicional para com Seu povo. O Senhor enviou Moisés para libertar Israel quando este nem sequer tinha um lugar de adoração e quando muitos dentre o povo haviam se corrompido com a cultura e a idolatria pagã. E o único sacrifício exigido foi aquele que, mais do que qualquer outro relatado nas Escrituras, revelava o perfeito plano da salvação em Cristo (Êx.12:1-13). Já no episódio de Balaão, após abençoar Israel por três vezes, sem que o povo percebesse o perigo que estava correndo, declarou a profecia a respeito de Cristo: “uma estrela procederá de Jacó, de Israel subirá um cetro” (Nm.24:17). Em ambas as experiências, a resposta para Israel foi: Jesus Cristo salva!

A doutrina da salvação por obras, por mais que seja considerada como um problema do passado na vida dos escribas e fariseus, e um mal que imperava na Idade das trevas, prosseguiu com seus efeitos alcançando a nossa geração de crentes apenas com uma roupagem diferente. De modo que “milhares de carneiros” (v.7) continuam sendo sacrificados, sendo mudado apenas o formato e o objeto do “sacrifício”. Praticar a justiça, amar a misericórdia e andar humildemente com Deus não requer de nós uma religião de aparências e de sacrifícios vazios, mas um vivo e transparente relacionamento com Deus de forma que nossas palavras possam tão-somente refletir a coerência de quem aceitou viver a vida dAquele que nos “chamou das trevas para a Sua maravilhosa luz” (1Pe.2:9).

Todo aquele que deseja andar com Deus, como andou Enoque (Gn.5:24), encontrará verdadeira e suficiente motivação na pessoa de Jesus Cristo. Muitos alegam ter lido muitas vezes a Bíblia e os escritos do espírito de profecia enquanto mantém seus corações fechados para a boa obra que o Espírito Santo deseja realizar na vida. Deveriam, porém, deter-se em ler outras milhares de vezes, desta vez clamando ao Céu com humildade para que, silenciado o coração enganoso, ouçam com clareza a mesma voz que acalmou a tempestade, curou os enfermos, expulsou os demônios e perdoou os pecadores. Você ainda nutre alguma dúvida acerca das Escrituras e dos Testemunhos Inspirados? Então olhe para Jesus. Examine a Sua vida. Contemple a Sua morte. Maravilhe-se com Sua ressurreição. Se você fixar os seus olhos em Jesus, o Espírito Santo lhe concederá o poder para praticar a justiça, amar a misericórdia e andar humildemente com o Senhor até que Ele volte. Vigiemos e oremos!

Bom dia, imitadores de Cristo!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Miqueias6 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



MIQUEIAS 6 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
29 de março de 2021, 0:40
Filed under: Sem categoria

MIQUEIAS 6 – Deus é sensivelmente intolerante à hipocrisia. “O hipócrita não pode curtir a verdadeira espiritualidade, pois está envolvido pela aparência e não pela essência, absorto em si mesmo e não em Deus. O hipócrita fica parado naquilo que a espiritualidade aparenta ser” (Brennan Manning).

Observe com atenção que, para Álvaro César Pestana o livro profético de Miquéias tem três grandes ensinamentos:
1. Deus sente-se pessoalmente ofendido quando ocorrem injustiças sociais: Opressão e ganância não são pequenas faltas da sociedade humana que não têm nada a ver com Deus ou com a religião. Miqueias mostra que os pecados no trato de uns para com outros serão punidos pelo justiceiro maior, Deus.
2. A falsa segurança logo será desmascarada: Os judeus sempre achavam que por serem povo de Deus, guardiões do templo, nenhuma desgraça os alcançaria (3:11-12). Mas não há escape para quem provoca a ira de Deus. Não há refúgio.
3. Deus quer nosso coração e consagração e não apenas obediência externa: Este problema antigo e moderno ainda perturba os homens. É necessário adorar a Deus no dia a dia e não apenas nos momentos designados de “culto”.

O capítulo em pauta está relacionado com a hipocrisia, ou o legalismo. Fica claro que ninguém consegue salvar-se, mesmo oferecendo ou fazendo a Deus ofertas ou obras grandiosas.
• A falta de relacionamento íntimo e dependência de Deus a tal ponto de refletir a justiça e a misericórdia na prática resultará em uma religião enfadonha (vs. 1-8).
• Injustiça, exploração e opressão social presentes nos crentes que dizem servir a Deus atraem o julgamento e não livramento do Deus Onipotente, pois usar a máscara da religião significa pecar em nome de Deus e isso significa difamar o Seu santo nome (vs. 9-16).

“A primeira mensagem de Miqueias foi apresentada como uma cena que se desenrola no tribunal, e essa forma se repete em sua terceira mensagem. O Juiz declarou a acusação (Mq 6:1-8), pronunciou a sentença (Mq 6:6-7:7) e, em sua graça, prometeu misericórdia (Mq 7:7-20)! Miqueias usou esses fatores – culpa, castigo e misericórdia – como argumentos para suplicar ao povo que se arrependesse e que voltasse para o Senhor” (Warren W. Wiersbe).

Vamos rejeitar à hipocrisia! Sejamos súditos do reino do Messias! “Senhor, reaviva-nos para que sejamos íntegros!” – Heber Toth Armí.



MIQUEIAS 5 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
28 de março de 2021, 1:10
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO MIQUEIAS 5 – Primeiro leia a Bíblia

MIQUEIAS 5 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

MIQUEIAS 5 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO – ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO – PR HEBER TOTH ARMÍ

COM. VÍDEO PR ADOLFO SUÁREZ(link externo)

COM. VÍDEO PR EVANDRO FÁVERO(link externo)

COM. VÍDEO PR VALDECI JÚNIOR (link externo)

COM. VÍDEO PR WEVERTON CASTRO E EQUIPE (link externo)

COM. VÍDEO PR RONALDO DE OLIVEIRA (link externo)



MIQUEIAS 5 by Jobson Santos
28 de março de 2021, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/mq/5

“O remanescente de Jacó estará no meio de muitos povos como orvalho da parte do Senhor,” (Mq 5:7, NVI). O plano de Deus é que seus filhos fiéis se constituam um grupo que exerça uma influência positiva sobre a terra, como orvalho ou chuvisco que traz vida à erva seca.

Note que o remanescente não é importante apenas por ser o povo fiel de Deus, mas principalmente pela missão que tem a desempenhar. O remanescente sem a sua missão não é o remanescente.

O remanescente do tempo do fim tem a missão profética de anunciar as três mensagens de Apocalipse 14, um solene convite ao mundo para que esteja em harmonia com Deus e seus propósitos. Ele representa a Deus em meio aos outros povos. Fazer parte do remanescente não é apenas pertencer a um clube, mas ter uma tarefa a cumprir.

Que Deus nos ajude a buscarmos a plenitude do Espírito Santo a fim de representá-Lo corretamente às pessoas da nossa geração. Fazendo assim, pelo Seu poder, cumpriremos a missão que Deus nos confiou e estaremos prontos para subir com Cristo quando Ele vier nas nuvens do céu!

Gordon Bietz
Ex-presidente da Southern Adventist University (aposentado)

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=1144
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli/Luis Uehara



MIQUEIAS 5 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
28 de março de 2021, 0:50
Filed under: Sem categoria

809 palavras

1 Ajunta-te … ó filha de tropas. Jerusalém é chamada a convocar seus exércitos em vista da aproximação do perigo. Ela é chamada de “filha de tropas”, provavelmente por causa da concentração de tropas reunidas ali. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 4, p. 1129.

Ferirão com a vara a face. Um dos piores insultos (ver 1Rs 22:24; Jó 16:10; Mt 26:67, 68). A profecia é messiânica e prediz o tratamento que Messias devia receber das mãos dos inimigos. CBASD, vol. 4, p. 1129.

2 Este que há de reinar é Jesus, o Messias. Miqueias predisse com precisão o local de nascimento de Jesus centenas de anos antes de Jesus nascer. … Apesar de eterno, Cristo entrou na história humana como homem, Jesus de Nazaré. Life Application Study Bible Kinsgway.

Belém-Efrata. Sobre o significado, ver Gn 35:19. Uma cidade que dista 8,5 km do sul de Jerusalém, a moderna Beit Lahm. A cidade era também chamada Efrata (Gn 35:19; cf. Rt 4:11) e de Belém-Judá, sem dúvida, para distingui-la de Belém, em Zebulom (Js 19:15, 16). Belém era a terra natal de Davi (1Sm 16:1, 4; cf. Lc 2:11). CBASD, vol. 4, p. 1129.

De ti me sairá. Os judeus reconheceram essa profecia como messiânica, e em resposta à pergunta de Herodes sobre onde o Messias havia nascido, eles citaram a passagem de Miqueias (Mt 2:3-6; cf. Jo. 7:42). CBASD, vol. 4, p. 1130.

Da eternidade. Miqueias apresenta a pré-existência daquele que devia nascer em Belém. As manifestações de Cristo alcançam a eternidade no passado. “No princípio, era o Verbo” (ver Jo 1:1-3). “Desde os dias da eternidade o Senhor Jesus Cristo era um com o Pai” (DTN, 19; cf. DTN, 530; Ev, 615). CBASD, vol. 4, p. 1130.

4 Ele se manterá. Como “o bom pastor”, o Messias permaneceria firme no cuidado e na defesa de suas ovelhas. CBASD, vol. 4, p. 1130.

Até os confins. O domínio do Messias seria universal (ver Sl 2:7, 8; 72:8; Lc 1:30-33). CBASD, vol. 4, p. 1130.

5 A nossa paz. O Messias não governaria em paz, mas Ele próprio é o autor e a fonte da paz (ver Jo 14:27; 16:33; Ef 2:13, 14). CBASD, vol. 4, p. 1130.

Este capítulo apresenta uma das mais claras profecias do Antigo Testamento da vinda de Cristo. A frase descritiva chave é “Ele será a sua paz” (v. 5, NVI). Em uma de suas palavras finais Ele disse: “Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como a dá o mundo. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize.” (Jo 14:27). Por causa do primeiro advento de Cristo, temos a oportunidade de experimentar paz com Deus sem mais medo do juízo e sem mais conflito ou culpa. A paz de Cristo nos dá certeza mesmo embora a guerra continue. Quando da segunda vinda, todas as guerras e armas serão destruídas (v. 3-5). Life Application Study Bible Kinsgway.

Assíria. Já que a era messiânica está em discussão aqui, a Assíria, sem dúvida, representa as nações que se oporiam ao desenvolvimento do Israel restaurado (ver com. de Mq 4:11; ver a p. 17[CBASD, vol. 4]). CBASD, vol. 4, p. 1130.

Sete pastores. Os números dados aqui, “sete” e “oito”, embora indiquem uma cifra indefinida, mostram que Israel havia ajustado sua liderança contra a agressão estrangeira. CBASD, vol. 4, p. 1130.

6 Ninrode. Aqui empregado como sinônimo para Assíria. CBASD, vol. 4, p. 1130.

7 Como orvalho. De acordo com o plano de Deus para o antigo Israel, a vitória sobre a oposição do inimigo deveria ter sido seguida de intenso programa de evangelismo. Os filhos de Israel deveriam iluminar o mundo com o conhecimento de Deus (ver p. 13-17; cf. DTN, 27). CBASD, vol. 4, p. 1130.

8 Como um leão. Uma figura do poder conquistador. Era propósito de Deus que Seu povo fosse a “cabeça” e não a “cauda” (Dt 28:13). CBASD, vol. 4, p. 1130.

9 Serão eliminados. Completa vitória foi assegurada (ver Is 60:12). Esta deveria ter sido a sorte de Israel após o exílio; no entanto, o povo falhou e Deus vai cumprir esse plano de evangelismo mundial através do novo Israel (ver p. 21-23). CBASD, vol. 4, p. 1130, 1131.

10 Eliminarei. Os v. 10 e 11 descrevem a eliminação daqueles artefatos de guerra nos quais Israel havia confiado em vez de confiar no Senhor. Era proibido multiplicar cavalos (Dt 17:16; ver com. de 1Rs 4:26). CBASD, vol. 4, p. 1131.

11 As cidades. As fortalezas e as cidades fortificadas, como fontes de confiança humana, seriam removidas. CBASD, vol. 4, p. 1131.

12 Feitiçarias. Feitiçaria ou necromancia, ou consultar os mortos, era comum nos tempos antigos (ver Dn 1:20; 2:2). Os israelitas foram proibidos de praticar feitiçaria e adivinhação (Dt 18:9-12). CBASD, vol. 4, p. 1131.

13 Imagens. Do heb. Pesilim, de pasal, “cortar”, “talhar”. … Desde os primeiros tempos, Israel mostrou uma tendência para a idolatria. O segundo mandamento do decálogo proibia a fabricação e a adoração de um pesel. CBASD, vol. 4, p. 1131.

Colunas. Em todos os tempos, houve e há a tendência de se confiar em coisas materiais e seculares, em obras humanas em vez de se confiar no Deus que dá ao ser humano tudo que proporciona “satisfação” (1Tm 6:17, NVI). Na devoção idólatra às coisas feitas humanamente, as pessoas se esquecem daquele que é o Criador de todas as coisas (ver Dt 8:17-20). CBASD, vol. 4, p. 1131.



MIQUEIAS 5 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
28 de março de 2021, 0:45
Filed under: Sem categoria

“E tu, Belém-Efrata, pequena demais para figurar como grupo de milhares de Judá, de ti Me sairá o que há de reinar em Israel, e cujas origens são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade” (v.2).

A esperança apresentada pelo profeta não consistia em uma experiência de livramento para Israel apenas, mas no maior livramento de todos os tempos para todas as nações da Terra. Na cidade de Belém, nasceria Aquele cuja primeira vinda dividiu o tempo em antes e depois de Cristo, e garantiu com sangue inocente a salvação de “todo aquele que nEle crê” (Jo.3:16). Sendo constantemente assaltados pelas nações inimigas, os filhos de Israel acabaram canalizando suas esperanças em uma mera libertação terrena. Aguardavam o Messias que destruísse de uma vez por todas o poderio estrangeiro e perderam o privilégio de participar das alegrias que somente a verdadeira esperança pode proporcionar.

Jesus veio primeira vez exatamente como descrito pelos profetas. Tudo em Sua vida revelava o íntegro e fiel testemunho das Escrituras e o caráter dAquele que O enviou. Em uma família pobre e temente ao Senhor, o menino Deus cresceu sentindo na pele as dificuldades deste mundo de pecado e adquirindo, um dia após o outro, a resistência espiritual que o estava forjando para assumir, de fato, o Seu ministério à humanidade. O Príncipe da Paz não veio para erguer a bandeira de um só país, mas para ser levantado como vergonha para os perversos e alegria para os redimidos. Por Sua morte ignominiosa, Ele Se tornou “a nossa paz” (v.5).

As fileiras do Senhor que hoje são ocupadas por muitos cuja visão não passa das coisas desta terra, logo serão preenchidas pelo “restante de Jacó”, que está “no meio de muitos povos” (v.8) e ao “restante de seus irmãos” que retornarão “aos filhos de Israel” (v.3). As ovelhas perdidas serão carregadas de volta, as dracmas serão encontradas e os pródigos voltarão. Esta é uma obra que já está sendo realizada e se apressa para o seu desfecho. O remanescente “estará no meio de muitos povos, como orvalho do Senhor” (v.7). A presença e influência peculiar do povo de Deus será uma bênção entre as nações, de modo que muitos que ainda se encontram em Babilônia, ao ver o santo procedimento do remanescente através da “fé que atua pelo amor” (Gl.5:6), atenderão ao último apelo: “Retirai-vos dela, povo Meu, para não serdes cúmplices em seus pecados e para não participardes dos seus flagelos” (Ap.18:4).

Sim, Jesus é paz, Jesus é amor, Jesus é vida. Mas Jesus também é justiça, e não permitirá que o mal atinja um limite acima do que Ele mesmo estabeleceu como medida final. Ele diz: “Com ira e furor, tomarei vingança sobre as nações que não Me obedeceram” (v.15). A obediência não é a causa da salvação, já que somos salvos pela graça mediante a fé (Ef.2:8). Contudo, ela se torna um resultado inevitável na vida de todos os que foram salvos por Jesus. E, por conseguinte, uma das características do remanescente dos últimos dias: “Aqui está a perseverança dos santos, os que guardam os mandamentos de Deus e têm a fé em Jesus” (Ap.14:12).

Logo o nosso Salvador virá e a urgência com que pregamos não deve estar mais evidente em palavras do que em atitudes. Aquele “cujas origens são […] desde os dias da eternidade” (v.2) deseja realizar a obra necessária em nossa vida a fim de que muito em breve com Ele possamos habitar seguros. Não temos o que temer se descansarmos nAquele que quer nos apascentar “na força do Senhor” (v.4). Nesses dias difíceis, clamemos ao Senhor pelo poder do Consolador, para que sustentados em Suas mãos sejamos o que Ele nos criou para ser. Vigiemos e oremos!

Feliz semana, restante de Jacó!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Miqueias5 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



MIQUEIAS 5 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
28 de março de 2021, 0:40
Filed under: Sem categoria

Antes de Jesus nascer, Sua cidade natal estava profeticamente prevista. Além de tantos outros detalhes, Belém era a cidade indicada para receber o Messias.

• Belém seria a cidade natal do Messias!

Mergulhe fundo nas páginas sagradas e maravilhe-se não apenas com as profecias, mas também com a vinda do Filho de Deus, o Salvador do mundo. O capítulo em pauta oferece muitíssimas informações, princípios e lições de vida para este dia.

• Belém era a cidade de Davi (Gênesis 35:16), a Casa do pão; ela receberia o Pão da vida. Jesus nasceu e seu alvo era morrer (Miqueias 5:1-2). Como um bebê veio ao mundo, cresceu e viveu para revelar o plano divino. Seus inimigos O feriram (Marcos 15:19), mas em breve Ele ferirá a todos os Seus inimigos (Apocalipse 19:1-21).

• A revelação é progressiva, Miqueias não separa tão claramente a primeira vinda de Cristo da segunda. O capítulo 5:2 fala de Seu nascimento. E, nos versículos 3 a 6, revelam o tempo do reino absoluto de Cristo que se dará em Sua segunda vinda e o remanescente será salvo e estará em paz (Lucas 2:14; II Tessalonicenses 2:7-8).

• O Libertador salvará o pecador, mas devido a aceitação de poucos, somente um remanescente será considerado povo de Deus. Embora sejam poucos, Deus os abençoará reavivando com o orvalho de Sua graça, fortalecendo como um leão e protegendo dos adversários (vs. 7-9; ver 2:12-13).

• A salvação não se encontra na confiança de si mesmo, isso é orgulho que a impede. Ela também não está nas riquezas e forças militares ou políticas, nem em poderes religiosos, feitiçarias e idolatrias; somente no Messias (vs. 10-15).

Os reis do Oriente sabiam que o Rei dos judeus nasceria. Os conhecedores das profecias também. Mas, diferentemente dos judeus, os reis estavam interessados no Filho de Deus. Eles foram sozinhos adorar ao Messias em Belém, após serem informados pelos melhores eruditos e teólogos da época.

Indiferença gera descrença e desconfiança. O antigo povo de Deus, embora conhecedor, não levou a sério a revelação de Deus (Mateus 1:1-12). E… nós, a valorizamos?

A mudança de nossa história começou em Belém! Tomara que nenhum de nós seja indiferente também diante no nascimento de Jesus, o qual é O real sentido do Natal! – Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: