Reavivados por Sua Palavra


Isaías 4 by Jeferson Quimelli
28 de fevereiro de 2014, 0:00
Filed under: confiança em Deus | Tags:

Comentário devocional:

Isaías 4:1 é a conclusão do tema iniciado no capítulo 3. A tragédia de Judá em não confiar em Deus resultou em guerra. Com a perda de homens em batalha, as mulheres egoístas em Jerusalém (ao contrário da mulher virtuosa descrita em Provérbios 31:10-31) competiam entre si pelo casamento com os homens sobreviventes. Elas supersticiosamente acreditavam que era uma maldição divina não ter filhos. Em vez de confiar em Deus e esperar pacientemente pela Sua vontade e Seu tempo, estavam dispostas a uma solução humana incompleta (diversas mulheres casadas com um só homem). 

Em meio a uma mensagem de desgraça, Isaías encoraja os corações ansiosos para que vejam no futuro um pequeno remanescente de sobreviventes que seriam “chamados santos” (v.3 ARA e NVI). Hoje, enquanto um mundo sem fé caminha para a auto- destruição, aqueles que vêem Jesus como “o Renovo do Senhor” ( v.2), e O aceitam como Salvador pessoal, experimentarão o cumprimento dessas promessas messiânicas. Paz, perdão e salvação estão disponíveis a toda pessoa, de qualquer raça. O evangelho eterno mencionado em Apocalipse 14:6 não tem fronteiras nacionais.

O ministério de Jesus no Santuário nos oferece a limpeza de nossa “impureza” (v. 4 NVI).

À medida que seguimos para a Canaã celestial, temos a promessa de sermos cobertos por uma nuvem de proteção e glória (v.5). Jesus será o nosso “abrigo e sombra para o calor do dia, refúgio e esconderijo contra a tempestade e a chuva” (v.6 NVI) , tal como prometido nos Salmos 91 e 46. Que bendita esperança! 

Oração:  Obrigado Senhor por nos dar Tua grande salvação, tão rica e livre. Seja o que for que o futuro nos reserva, permita-nos, por Tua graça, sermos sempre fiéis a Ti. Amém.

Pr Lloyd e Sheila Schomburg

EUA

 

Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/isa/4/

Traduzido por JAQ/JDS

Texto bíblico: Isaías 4 



Isaías 3 by Jeferson Quimelli
27 de fevereiro de 2014, 0:00
Filed under: caráter | Tags:

Comentário devocional:

Foi mostrado a Isaías o resultado da falta de confiança de Judá em Deus. As alianças com nações pagãs não conseguiram evitar as repetidas invasões que levaram cativos ou mataram muitos anciãos e príncipes (versos 2 -3). Isso deixou o país sob o governo de homens jovens indisciplinados que tinham prazer em oprimir os pobres (versos 4 -5). Em uma cena de tribunal, o Senhor levanta julgamento não somente contra estes homens que pecaram descaradamente (v.9), mas também contra as suas mulheres degeneradas, as “filhas de Sião” (v. 16) – pessoas vãs, vestidas com orgulho e que andavam de cabeça erguida.

Louvado seja Deus que apresentou a Isaías que os “justos” (v.10) – as pessoas que confiam em Deus – serão abençoados e “comerão do fruto de suas ações” (NVI).

A maneira como procedemos diz muito a respeito do Deus a quem servimos. Em Mateus 5:16 Jesus disse: “Assim brilhe a luz de vocês diante dos homens, para que vejam as suas boas obras e glorifiquem ao Pai de vocês, que está nos céus” (NVI).

Isaías praticamente pergunta aos homens e mulheres de hoje: Existem áreas em sua vida que estão levando você a desenvolver um caráter diferente do que Deus quer para você? (1 Ped. 3:3-4). Você vai confiar em Deus de todo coração?

Junte-se a nós em oração: 
Senhor Jesus, que o Teu Espírito me guie em tudo que eu veja, ouça, coma, vista, e em tudo mais que eu faça. Que os outros vejam Jesus em mim. Amém.

Pr. Lloyd e Sheila Schomburg
EUA

 

Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/isa/3/

Traduzido por JAQ/JDS

Texto bíblico: Isaías 3 



Isaías – autor e mensagem by Jeferson Quimelli
26 de fevereiro de 2014, 9:10
Filed under: Bíblia | Tags: ,

Isaías, filho de Amoz, parece ter sido membro de uma próspera e respeitada família de Jerusalém, pois não apenas o nome de seu pai é registrado, como também gozava de relações íntimas com a família real e com os mais altos oficiais do governo. Embora tenha, talvez, iniciado seu ministério profético nos últimos dias do reinado de Uzias, ele registra o ano da morte de Uzias (provavelmente 740 a.C.) como o tempo em que recebeu uma unção e comissão especial da parte de Deus no templo (cap. 6). Recebeu ordem de pregar ousadamente e sem qualquer transigência uma mensagem de advertência e denúncia contra o seu povo, devido a sua vida ímpia, de adoração idólatra, e de convocar a nação para entregar-se a um arrependimento e reforma completos. Foi odiado e sofreu a oposição do idólatra rei Acaz; foi favorecido e respeitado pelo rei Ezequias (716-698 a.C.) – que, não obstante, desconsiderou suas advertências contra a aliança com o Egito – e provavelmente foi martirizado pelo depravado e brutal filho de Ezequias, o rei Manassés, mais ou menos por volta de 680 a.C.

Isaías é merecidamente conhecido como o Profeta evangélico, visto que apresenta a mais completa e clara exposição do evangelho de Jesus Cristo que se pode encontrar em qualquer porção do Antigo testamento. Sendo um pouco parecido com a epístola aos Romanos, no Novo Testamento, o livro de Isaías serve de compêndio das grandes doutrinas da época pré-cristã, e aborda quase todos os temas cardeais de toda a gama da teologia. Ênfase especial recai sobre a doutrina de Deus, em Sua onipotência, onisciência e amor redentor. Em contraste com os imaginários deuses dos pagãos adoradores de ídolos, Ele se revela como o único verdadeiro Deus, o soberano criador do universo, que ordena todos os acontecimentos da história de conformidade com o Seu grandioso e completo plano. […] É principalmente na qualidade de Santo de Israel que Isaías apresenta o Senhor, que o impelia a profetizar. Sendo Santo, Ele requer antes e acima das formalidades da adoração por sacrifícios, o sacrifício vivo de uma vida piedosa.

Fonte: Bíblia Shedd, p. 980.



Isaías 2 by Jeferson Quimelli
26 de fevereiro de 2014, 0:00
Filed under: Aliança | Tags: ,

Comentário devocional:

Sheila: É interessante como as palavras de Isaías 2:2-4 são quase idênticas às de Miquéias 4:1-4. Mas fiquei surpresa ao descobrir que algumas pessoas interpretam estes versos  afirmando que os Judeus irão voltar para a terra de Israel e retornarão ao seu antigo papel de serem o “povo escolhido” de Deus.
Lloyd: Se Judá não tivesse quebrado sua aliança com Deus, eles teriam sido procurados por muitas pessoas desejosas de conhecer os “caminhos” de Deus e dispostas a andar em “Suas veredas” (v. 3). Deus queria que o povo estivesse preparado para o primeiro advento de Cristo, de modo que o aceitassem alegremente como o Messias em vez de O crucificarem. 
Isaías lista a seguir algumas das maneiras pelas quais o povo de Judá havia quebrado o concerto: o espiritualismo (v. 6), a incessante busca por riquezas terrenas (v. 7), a idolatria (v. 8) e o orgulho (v. 11). Através dessas práticas eles trouxeram sobre si mesmos os juízos do Senhor (vs. 12-18). Então Isaías fala do dia em que as pessoas ímpias “fugirão para as cavernas das rochas e os buracos da terra” a fim de se esconderem “do terror que vem do Senhor e do esplendor da Sua majestade” (v. 19, NVI). Palavras semelhantes a estas são encontradas em Apocalipse 6:15-17, numa referência clara à segunda vinda de Cristo.
Sheila: Isso significa que a promessa condicional dos versículos 2-4 nunca foi cumprida para o Israel literal, mas será cumprida para o Israel espiritual quando Jesus voltar. Em vez de nos escondermos cheios de culpa e medo (vs. 19-21), teremos o privilégio de abraçar os nossos entes queridos que serão ressuscitados da morte. Então, sorrindo em meio a lágrimas de alegria, nos uniremos aos remidos ao dizer: “Este é o nosso Deus; nós confiamos nEle e Ele nos salvou” (Isaías 25:9. NVI).
Lloyd: Sim, por isso é importante estarmos preparados para a segunda vinda de Cristo. Precisamos olhar menos para nós e muito para Jesus. Que o nosso foco não esteja num reino terrestre, mas, sim, no celestial (Filipenses 3:14).
Meu Deus, à medida que nos tornamos cada vez mais familiarizados com Sua Palavra, ensina-nos mais acerca do incomparável amor de Jesus. Use-nos no Teu serviço e prepara-nos para a Sua vinda. Amém.
Pr Lloyd and Sheila Schomburg
EUA 
Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/isa/2/
Traduz\ido por JDS/JAQ
Texto bíblico: Isaías 2 


Isaías 1 by Jeferson Quimelli
25 de fevereiro de 2014, 0:00
Filed under: graça | Tags: ,

Comentário devocional:

Em Isaías 1, Deus é mostrado ao profeta falando com Seu povo que havia quebrado a promessa da aliança feita com Ele. É como uma cena de tribunal: Deus é o juiz e o céu e a terra são as testemunhas (v. 2). As maldades das pessoas são a razão dos julgamentos horríveis. Mas existe uma razão para não desistir de vez do povo: existe um pequeno remanescente que é fiel a Deus (v. 9).

Muda-se a cena e nos é mostrado que as mesmas pessoas que são descritas como estando enfermas da cabeça aos pés com “machucados, vergões e ferimentos abertos” ( v. 6, NVI) continuam cegamente participando de orações e atos exteriores de adoração (vs. 13 – 15), sem perceber a sua necessidade de um Salvador!

Quando estamos a ponto de declarar que não existe esperança para a situação israelita daquela época e que seu julgamento deve ser a destruição, nossas mentes se voltam para nós mesmos e para nossa situação. Oh não, Senhor! Estamos nós também quebrando a nossa aliança conTigo de sermos exclusivamente Teus filhos? Estamos seguindo os “deuses” dos nossos dias? Seguimos apenas formalidades em nossa adoração, sem nenhum relacionamento pessoal com o Deus com quem fizemos aliança? 

Quando nossos corações estão quebrantados, Deus entra em cena com uma mensagem de amor e misericórdia. Nos emociona ler os versos 16-20. Essa mensagem é para as pessoas no século 8 a.C. ou é para nós? Oh, obrigado Jesus, é para pessoas de todos os tempos!

Oração: 
Senhor, purifica-nos! Por favor cubra o registro de nossos pecados e nos torne limpos! Nós queremos lhe dar todo o nosso coração! Ajude-nos a compartilhar Seu amor com aqueles que nos rodeiam – buscando a justiça e defendendo os indefesos (v. 17). Capacita-nos a sermos Teus filhos obedientes (v. 19), para que possamos estar entre os remidos (v. 27) e não entre aqueles que irão receber o Teu julgamento final (v. 31).

A resposta do Céu: 
“À medida que dEle vos aproximardes, em arrependimento e confissão, Ele Se aproximará de vós, com misericórdia e perdão.” (Caminho a Cristo, p. 55) .

Pr Lloyd e Sheila Schomburg
EUA

 

Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/isa/1/

Traduzido por: JAQ/JDS

Texto bíblico: Isaías 1 



Cantares 8 by Jeferson Quimelli
24 de fevereiro de 2014, 0:00
Filed under: amor conjugal | Tags:

Comentário devocional:

O Cântico dos Cânticos nos apresenta um retrato poderoso da maravilhosa relação matrimonial  que Deus deseja que todos os casais casados desfrutem: um verdadeiro retorno ao paraíso!

Tal relação de amor pode parecer impossível levando em conta toda a nossa bagagem pecaminosa. Então um casamento conforme descrito em Cantares é apenas um sonho? O auge de Cantares, 8:6, nos dá a resposta. Sob inspiração, a Sulamita diz que o amor descrito em Cantares é nada menos que “fogo ardente, … labaredas do SENHOR [Yahweh]” (NVI). A promessa implícita é que tal amor é uma chama que se origina com o próprio Deus. É uma faísca da Chama Sagrada! O amor entre homem e mulher é um amor santo aceso pelo próprio Senhor!

Podemos, eventualmente, optar por rejeitar tal amor, como Salomão fez em seus últimos anos. Mas, se estivermos dispostos, Deus continuamente encherá nossos corações e nossos lares com um amor que “nem muitas águas conseguem apagar” (v. 7 NVI)! Além disso, se o amor humano é a própria Chama do Senhor, então este amor humano refinado e puro, como descrito em Cantares – aponta para o próprio Senhor do amor.

O amor humano santificado tipifica o divino. A relação conjugal entre marido e mulher em Cantares é, portanto, um tipo da relação de amor entre Deus e o Seu povo. Podemos, então, ler o Cântico dos Cânticos e ver não só um retrato de Salomão e da Sulamita, mas de Jesus Cristo, o grande Salomão, e seu relacionamento com sua noiva, a Igreja.

Ao contemplar o íntimo, permanente e exclusivo relacionamento de amor descrito em Cantares, pode-se ter um vislumbre do santo amor divino que Jesus quer compartilhar conosco. E, ao experimentarmos nós mesmos tal casamento com Cristo, pregaremos para o mundo acerca do amor incrível de Deus!

O Cântico dos Cânticos é a suprema declaração bíblica sobre a teologia do amor e do casamento. Nós realmente alcançamos o Santo dos Santos, e nos tornamos inflamados com a Chama do Senhor!

Querido Senhor, convido que faças meu coração e minha casa brilharem cada vez mais forte com o Teu amor. Amém.

Richard M. Davidson
Professor de Interpretação do Antigo Testamento 
Seminário Teológico da Universidade Andrews

 

Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/son/8/

Traduzido por: JAQ/JDS

Texto bíblico: Cantares 8 



Cantares 7 by Jeferson Quimelli
23 de fevereiro de 2014, 0:00
Filed under: amor conjugal | Tags: ,

Comentário devocional:

Neste quarto e último dos wasfs (“descrições” de louvor ) de Salomão para a Sulamita (versos 1-9), ele começa admirando suas formas a partir dos pés até a cabeça, enquanto seu primeiro wasf (4:1-7 ) se inicia com a cabeça de sua noiva e se move para baixo para elogiar a beleza de suas formas. Tal contraste é um exemplo da estruturação simétrica e elegante de Cantares. (os quatro wasfs estão em 4:1-7; 4:8-15; 6:4-9 e 6:13b a 7:9).

Este capítulo contém várias expressões com aplicações duplas. Aqui e em outros lugares na última metade de Cantares, o inspirado escritor Salomão fala com delicadeza e bom gosto acerca da intimidade sexual com sua esposa (p. ex., ver 7:7-8, 12-13; cf 5:2-5; 8:2, 14). O verso 10 indica que o “desejo” do homem pela mulher foi observado com satisfação pela mulher.

Cantares representa com muita propriedade a beleza e a alegria do amor conjugal como vivenciados no paraíso edênico, ao saírem Adão e Eva das mãos de Deus, ainda em harmonia com Ele. Deste modo, o amor do casal original, no Éden, teria sido: 
(1) belíssimo (1:15-16; etc), 
(2) experimentado de maneira maravilhosa, 
(3) uma celebração exuberante (5:1, etc.), 
(4) uma aventura emocionante (1:4, 2:8, etc.), 
(5) um prazer requintado (2:3-4, etc.), 
(6) plenamente satisfatório (ver os versos acima, além de inúmeras outras passagens com duplas aplicações), 
(7) sem pudor e desinibido (ver as descrições de 4:1-5; 5:9 – 7:10 ); 
(8) contido e de bom gosto – a relação íntima do casal é descrita de modo não ofensivo (2:7; 3:5; 8:4), 
(9) uma interação alegre e despreocupada (1:7-8; 7:9), 
(10) um caso de amor romântico (7:11-12, etc,), 
(11) poderosamente apaixonado (2:5; 4:9; 5:4; 7:4) e 
(12) um mistério inspirador (6:4, 10; 8:6). 

Estas são as qualidades do casamento que Deus anseia que todos os casais desfrutem, sem medo ou vergonha, em harmonia com Sua intenção amorosa! Mesmo em um mundo decaído, podemos ter casamentos que são um retorno ao Éden.

Senhor Deus, muito obrigado pelo extraordinário, multi-facetado dom da sexualidade e companheirismo do amor conjugal que criastes para que desfrutássemos. Ajude-nos a valorizar e proteger este presente! Amém.

Richard M. Davidson
Professor de Interpretação do Antigo Testamento
Seminário Teológico da Universidade Andrews



Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/son/7/

Traduzido por JAQ/JDS

Texto bíblico: Cantares 7 



Cantares 6 by Jeferson Quimelli
22 de fevereiro de 2014, 0:00
Filed under: amor conjugal | Tags: ,

Comentário devocional:

O capítulo 6 contém o segundo dos três refrões de Cantares que exaltam as qualidades do relacionamento entre Salomão e a Sulamita: igualdade, mutualidade, unidade e amor recíproco.

Este capítulo contém também (nos versos 4-9) o terceiro dos quatro wasfs de Salomão (expressões de louvor ) descrevendo a beleza de sua amada (os outros três wasfs estão em 4:1-7, 4:8-15 e 6:13 a 7:9).

O livro de Cantares exalta a importância do sentimento de pertencer. A Sulamita declara três vezes ao longo do poema: “Eu sou do meu amado e o meu amado é meu” (2:16; 6:3; 7:10). Deus deseja que protejamos a exclusividade do nosso casamento.

Alguns argumentam que a referência a “sessenta rainhas e oitenta concubinas” (v. 8 NVI) indica que o Cântico dos Cânticos foi escrito depois de Salomão aderiu à poligamia. Mas não há evidências de que nos primeiros vinte anos do reinado de Salomão tenha tido mais de uma esposa (ver 1 Reis 3:1; 6:38; 7:1, 8; 9:10, 24), e Cantares pressupõe uma relação exclusiva entre Salomão e a Sulamita (por exemplo, 2:2, 3, 16; 5:10; 6:3; 7:10; 8:6-7). 

A esposa de Salomão é descrita em termos elogiosos: “bela como a lua, brilhante como o sol, admirável [ou imponente] como um exército e suas bandeiras” (v. 10 NVI). Essa descrição reflete perfeitamente a maneira como Cristo vê a igreja, a sua Noiva. O cristão que ama a Cristo e está unido com Ele, por meio do Espírito Santo, é belo aos olhos de Deus.

A escritora cristã Ellen White aplica esta linguagem ao triunfo futuro da igreja militante: “Enquanto permanecessem unidos, a igreja avançaria ‘formosa como a Lua, brilhante como o Sol, formidável como um exército com bandeiras’. Cant. 6:10. Nada lhe impediria o progresso. Ela avançaria de vitória em vitória, cumprindo gloriosamente sua divina missão de proclamar o evangelho ao mundo” (Atos dos Apóstolos 91, cf Apocalipse 12:1).

Ó Senhor, que esta seja a experiência de sua igreja nestes últimos dias! Amém.

Richard M. Davidson
Professor de Interpretação do Antigo Testamento
Seminário Teológico da Universidade Andrews

Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/son/6/

Traduzido por JAQ/JDS

Texto bíblico: Cantares 6 



Cantares 5 by Jeferson Quimelli
21 de fevereiro de 2014, 0:00
Filed under: amor conjugal | Tags: , ,

Comentário devocional:

O primeiro sonho da Sulamita, em Cantares 3:1-6, apresenta primeiro a ausência do amado e, logo após, a sua presença. No sonho correspondente, no capítulo 5 (versos 2-8), o amado primeiro está presente e, em seguida, ausente. A mulher sonha com a chegada do marido, usando várias palavras de duplo sentido que provavelmente se refiram à relação de amor do casal.

Este sonho talvez aponte para os problemas que surgiram no começo do casamento (Salomão chegando tarde da noite e a falta de interesse da esposa). Os versos de 5:9 a 6:13 podem significar uma tentativa de resolver esses problemas através de uma mudança de atitude e ação.

Em nosso casamento iremos enfrentar desafios relacionais, mas pela graça de Deus, podemos encontrar soluções que resultarão em casamentos ainda mais fortes e mais felizes.

A Sulamita descreve com eloquência as qualidades de seu marido (versos 10-16). Ela retrata Salomão, filho de Davi, como “o mais distinguido entre dez mil” e “totalmente desejável” (versos 10 e 16 ARA). Estas frases são também particularmente aplicáveis a Jesus, o Messias, o prometido Filho de Davi. Veja quão similar é a fraseologia que descreve o Messias no Salmo 45:2.

Neste capítulo vamos encontrar marido e mulher se referindo a seu cônjuge com nomes carinhosos. Ele a chama de “minha querida, minha pomba, minha mulher ideal” (v. 2 NVI). Ela o chama de “meu amado, …meu querido”(v. 16 NVI). Ao longo de Cantares os amantes empregam pelo menos catorze diferentes termos carinhosos para se referirem um ao outro! 

O Cântico dos Cânticos nos encoraja a encontrar maneiras criativas em nosso casamento de expressar verbalmente o nosso carinho um pelo outro. Qual é o “apelido” que você mais gosta de usar para o seu cônjuge? Eu gosto de chamar minha esposa de “Schatzie“, nome alemão que significa “tesouro”.

Senhor, obrigado por minha querida esposa. E muito obrigado por Jesus, Aquele que é “o mais distinguido entre dez mil” e “totalmente desejável”. Que todos nós olhemos mais constantemente para Seus incomparáveis atrativos e assim sejamos transformados mais e mais à Sua semelhança ! Amém.

Richard M. Davidson
Professor de Interpretação do Antigo Testamento
Seminário Teológico da Universidade Andrews

 

Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/son/5/

Traduzido por JAQ/JDS

Texto bíblico: Cantares 5 



Cantares 4 by Jeferson Quimelli
20 de fevereiro de 2014, 0:00
Filed under: amor conjugal | Tags: , ,

Comentário devocional:

O capítulo 4 (e o primeiro verso do capítulo 5) retrata a cerimônia de casamento entre Salomão e sua amada. Apenas neste capítulo Salomão a chama de “minha noiva” (versos 8, 9, 10, 11, 12, e 5:1). 

Tanto a noiva quanto o noivo descrevem a beleza da pessoa amada com louvor exuberante, aqui e mais adiante no livro (4:1-7, 8-15; 5:10-16; 6:4-10; 7:1-9 ), de modo similar às canções de louvor (chamadas wasfs), dos atuais casamentos rurais na Síria. As mútuas descrições de beleza da pessoa amada nem sempre se referem à beleza física, mas muitas vezes retratam as qualidades morais admiráveis dos amantes. 

A descrição de Salomão de sua noiva: “Você é toda linda, minha querida; em você não há defeito algum” (v. 7, NVI) encontra eco na descrição que Paulo faz da noiva de Cristo, a igreja (Efésios 5:27).

A expressão “jardim fechado”, utilizada por Salomão para referir-se à sua noiva no verso 12, denota virgindade. Isso indica que, no momento do casamento, ela ainda era virgem. No Cântico dos Cânticos a relação sexual entre os amantes ocorre apenas no contexto do compromisso do casamento. Este verso é um forte incentivo para a abstinência sexual até o casamento.

Os versos 4:16 e 5:1 constituem o centro exato e o ápice de Cantares, com igual número de linhas poéticas de cada lado destes dois versos. Aqui a noiva convida seu noivo (Salomão) a vir e participar dos frutos do jardim dela (agora dele!) (verso 16), e o noivo alegremente aceita o convite (5:1). Isso equivale à cerimônia pública atual da troca de alianças e dos votos de casamento em que a noiva convida e o noivo aceita, de bom grado, completar a aliança de casamento através da união sexual. Na parte final do verso (5:1) é a autoridade da voz do próprio Deus que pronuncia uma bênção sobre o casamento recém concluído, assim como Ele pessoalmente oficiou e abençoou o primeiro casamento no Jardim do Éden (Gênesis 2:22-24).

Senhor, oramos por nossos jovens, para que possam permanecer puros até o casamento guardando-se sexualmente para o cônjuge. Obrigado, Deus, por afirmares a beleza do amor sexual conjugal. Amém.

Richard M. Davidson
Professor de Interpretação do Antigo Testamento
Universidade Andrews

 

Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/son/4/

Traduzido por JDS/JAQ/GASQ

Texto bíblico: Cantares 4 




%d blogueiros gostam disto: