Reavivados por Sua Palavra


LEVÍTICO 15 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
28 de abril de 2022, 0:50
Filed under: Sem categoria

1086 palavras

Este capítulo aborda a impureza causada pelas emissões dos órgãos sexuais: (a) emissão masculina de longo prazo (p. ex., gonorreia: vs. 2-15); (b) emissão masculina de curto prazo (vs. 16-18); (c) emissão feminina de curto prazo (menstruação, vs. 19-24); (d) emissão feminina de longo prazo (vs. 25-30). É surpreendente que processos perfeitamente naturais como o contato sexual (v. 18) ou a menstruação pudessem tornar alguém imundo (isto é, incapaz de adorar). Mas todos esses casos envolvem a perda de fluidos do corpo (sangue ou sêmen), e qualquer perda de “fluidos da vida” sugere a morte e é incompatível com a presença de Deus, que é vida perfeita. O Novo Testamento nos mostra Deus, o doador da vida perfeita, encarnado em Jesus Cristo, curando os que sofriam a exclusão da sua presença por causa dessas regras do Antigo Testamento (Mt 9.20-22). O programa divino da redenção foi historicamente progressivo. Bíblia de Genebra.

1-3 Certos fluxos do corpo eram normais, mas causavam impureza cerimonial. Outros fluxos eram anormais e indicavam doenças. As doenças venéreas eram usualmente transmitidas através de relações sexuais promíscuas, sendo, pois, claramente associadas ao pecado. Bíblia Shedd.

fluxo. [Aqui] se refere a alguma impureza que a Septuaginta traduz “gonorréia”, doença conhecida desde a antiguidade mais remota, sendo tão antiga como o pecado que a produz. Bíblia Shedd.

3 se o seu corpo vaza o fluxo ou o estanca (ARA; NVI: “quer continue ou fique retido”). O homem continuava a constar como imundo até que, fisicamente curado, era também cerimonialmente purificado, 13-15. Bíblia Shedd.

4-12 Regulamentava-se o isolamento completo para essas pessoas doentes. Bíblia Shedd.

cama. Algo semelhante a uma esteira (cf 2Sm 11.13). Bíblia de Estudo NVI Vida.

8 cuspir sobre alguém era um costume oriental que demonstrava desprezo, expressando um insulto (Nm 12.14; Dt 25.9; Jó 30.10; Is 50.6; Mt 26.67). até a tarde. Isto significava a imundície cerimonial até o poente, que era o fim do dia israelita. Durante esse tempo de imundície, a pessoa não podia oferecer sacrifício algum. Bíblia Shedd.

sela. Heb, merkabh, lit “algo para sentar-se”, traduzido “carro” em 1 Rs 4.26, e “assento” em Ct 3.10. Bíblia Shedd.

12 vaso de barro. Estes vasos porosos retinham a sujeira e deixavam os germes se desenvolverem; haveria muito mais facilidade em lavar e purificar os vasos de madeira e de metal, cf 6.28. Bíblia Shedd.

13 águas correntes. Excelente profilaxia contra as bactérias. Bíblia Shedd.

16 Quando de um homem sair o sêmen. Emissão noturna (comparar com Dt 23:10-11)

banhará todo o seu corpo. A atividade sexual normal e a menstruação da mulher não exigiam nenhum sacrifício, mas somente a lavagem e um período mínimo de impureza. Bíblia de Estudo NVI Vida.

17 pele (ARA; NVI: “couro”). Estas peles cabeludas eram os assentos e colchões do povo. Bíblia Shedd.

18 e tiver emissão do sêmen (ARA). NVI: “e lhe sair o sêmen”.

Este verso não quer dizer que o sexo é algo sujo ou repugnante. Deus criou o sexo para o prazer de marido e mulher assim como para a continuidade da raça e continuidade da aliança. Tudo deve ser visto e feito tendo em vista o amor e controle de Deus. O sexo não está separado da espiritualidade e do cuidado de Deus. Deus se interessa pelos seus hábitos sexuais. Nós tendemos a separar nossa vida física da espiritual, mas existe uma inseparável ligação entre elas. Deus deve ser o Senhor da nossa vida completa – incluindo nossa vida privada. Life Application Study Bible.

A impureza ritual das relações sexuais não implica que o sexo é algo mau ou “sujo” (ver Cantares de Salomão). Mas, desde a queda no pecado (Gn 3), a reprodução humana cria nova vida que eventualmente irá morrer.Andrews Study Bible.

19 sete dias. V 12.2. Esse regulamento forma os antecedentes históricos de 2Sm 11.4 (Bate-Seba). Bíblia de Estudo NVI Vida.

24 No caso de o período menstrual da mulher começar durante a relação sexual. A situação é diferente de 18.19 e 20.18. menstruação. Durante a menstruação [período geralmente de grande desconforto], a mulher era protegida contra a atividade sexual. Nenhuma oferta era exigida por causa da impureza contraída por um homem dessa maneira, mas a impureza durava sete dias. Bíblia de Estudo NVI Vida.

25-27. Os hebreus tinham sido abençoados com uma revelação particular e específica de Deus, e por isso mesmo, somente a Ele podiam prestar culto. A impureza moral separa o adorador do seu Deus. A impureza física, sem ser estritamente pecado, certamente não podia ser classificada como santidade e, além disso, sugere o pecado. Nunca se deve esquecer do fato de estarmos adorando o Deus da santidade; era esta a razão de ser destes sacrifícios de purificação. Bíblia Shedd.

25 fluxo de sangue por muitos dias. Como, e.g., a mulher em Mt 9.20. além desse período. O fluxo anormal, possivelmente provocado por doença, era tratado como enfermidade e exigia uma oferta quando a mulher sarava (v. 28-30; cf. v.14, 15). Bíblia de Estudo NVI Vida.

todos os dias do fluxo (ARA). NVI: “enquanto durar o corrimento”.

26 toda coisa sobre que se assentar será imunda, conforme a impureza da sua menstruação (ARA). NVI: “tudo sobre o que ela se sentar estará impuro, como durante a sua menstruação”.

30 o sacerdote oferecerá (ARA). NVI: “o sacerdote sacrificará”.

31 separeis os filhos de Israel das suas impurezas (ARA; NVI: “Mantenham os israelitas separados das coisas que os tornam impuros”). Palavras dirigidas aos sacerdotes, ressaltando a importância dos regulamentos. Como Deus habitava no tabernáculo, qualquer falta de santidade, simbolizada pelos fluxos no cap. 15, podia resultar na morte se as pessoas comparecessem na presença divina. Bíblia de Estudo NVI Vida.

Quem quer que se aventurasse a ir ao tabernáculo quando estivesse contaminado poderia contaminar também o santuário, apesar de, em muitos casos, a imundícia [impureza] ser involuntária e não requerer sacrifício. Essas normas indicam o interesse de Deus na saúde pessoal e na limpeza, ao mesmo tempo em que enfatizam a pureza das coisas sagradas. A impureza cerimonial era um símbolo da impureza moral. nas leis levíticas, a diferença entre o pecado real e a impureza é claramente distinta. Deus odeia o pecado. Ele conhece seu princípio e sabe qual é sua natureza. Ele também abomina toda espécie de impureza, embora nem todas possam ser consideradas como pecado. Deus faz diferença entre pecado e impureza e não classifica como transgressão moral o que é simplesmente imundícia [impureza]. Contudo, nem por isso Ele deixa de mostrar aos seres humanos que aborrece todo tipo de contaminação. Não se deve passar por alto essa lição. Deus exige santidade e pureza, modéstia e humildade. Ele orienta que Seus filhos nada façam para embotar os sentidos de modo a não ouvir claramente a Sua voz. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 1, p. 833, 834.


Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.



%d blogueiros gostam disto: