Reavivados por Sua Palavra


APOCALIPSE 2 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
24 de dezembro de 2021, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: O vencedor de nenhum modo sofrerá dano da segunda morte” (v.11).

As cartas às igrejas da Ásia são dirigidas aos seus respectivos “anjos”, cuja palavra significa “mensageiros”. Cada carta contém a mesma estrutura: Cristo fala de Si mesmo, da igreja e encerra com uma promessa aos fiéis. A aplicação historicista às sete cartas se encaixa com perfeição na História, dadas as circunstâncias vividas pela igreja cristã no curso do tempo. Aquele que conhece o fim desde o princípio deixou à Sua igreja de todos os tempos conselhos e promessas a fim de que guardassem a sua fé com perseverança.

Começando pela igreja de Éfeso, a realidade desta comunidade se encaixava perfeitamente a da igreja primitiva. Éfeso significa “desejável” e abrange o período de 31 a 100 d.C. Inicialmente liderada pelos apóstolos, essa igreja experimentou a messe da chuva temporã: “E perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações” (At.2:42). Havia uma busca genuína pelo Espírito Santo e pelo conhecimento de Cristo através das Escrituras. As reuniões de oração eram constantes e suas vidas testificavam do amor genuíno e altruísta. Mas o que havia começado de forma poderosa foi esmorecendo e a igreja cristã enfrentou um período crítico de apatia espiritual: “Tenho, porém, contra ti que abandonaste o teu primeiro amor” (v.4). Há um risco muito grande de nos perdermos em uma religião de formalidades, fazendo tudo certinho e evitando a aparência do mal, enquanto o nosso coração está endurecido para o amor de Cristo. Mais do que nunca, precisamos dar ouvidos ao apelo divino: “Lembra-te, pois, de onde caíste, arrepende-te e volta à prática das primeiras obras” (v.5).

A igreja de Esmirna (do ano 100 a 313 d.C.), foi uma das duas únicas igrejas as quais Jesus não repreendeu. Esmirna significa “Perfume”. Enfatizando a Sua morte e ressurreição, Jesus falou a um povo que sofreu pelo terrível período de tribulação e pobreza. O coliseu romano foi o palco de terríveis atrocidades cometidas contra os cristãos, mas a postura ilibada daqueles homens, mulheres e crianças testemunhava de uma fé inabalável; suas vidas eram “o bom perfume de Cristo” (2Co.2:15). Foi um período de severa perseguição, que se agravou no ano 303, quando Deocleciano promulgou um decreto que proibia a prática do cristianismo em todo o império. Foram “dez dias” (v.10; em tempo profético, dez anos) de muito sofrimento para o povo de Deus, até que no ano 313, o edito de Constantino concedeu aos cristãos a tão sonhada liberdade religiosa. Esse período crítico da igreja cristã e a fidelidade de seus membros, mesmo em face da morte, nos deixou um legado de inabalável confiança nAquele “que esteve morto e tornou a viver” (v.8), o qual prometeu: “Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida” (v.10). Foi em um dos períodos mais tristes e terríveis da história cristã que os servos de Deus deixaram o mais lindo e fiel testemunho. Diante de nossa realidade atual de liberdade religiosa, reflita nisso.

A próxima igreja foi do período de 313 a 538 d.C.; um período de ascendência para a cidade de Pérgamo, que se tornou um dos principais centros do império. Pérgamo significa “Elevação”. Ali, foi erguido um templo dedicado à adoração da deusa romana e do imperador. Jesus Se apresentou a esta igreja como “Aquele que tem a espada afiada de dois gumes” (v.12); uma referência direta às Escrituras, como está escrito: “Porque a Palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes” (Hb.4:12). Foi um período crítico, onde as verdades da Bíblia estavam sendo lançadas por terra em troca de uma paz temporária. Os mesmos pecados cometidos por Israel no tempo em que Balaão incitou a Balaque estavam contaminando a igreja cristã de Pérgamo. A prostituição espiritual através de uma mistura do santo com o profano estava pondo em risco a fé de muitos. Era necessário que se arrependessem e voltassem a se alimentar do sólido e suficiente maná proveniente das Escrituras. Quão terrível é omitir qualquer brilho da verdade, enfraquecendo a nossa luz! Temos uma verdade presente hoje que inclui um estilo de vida diferenciado do mundo. Muitos podem até se utilizar de sua posição privilegiada, como fez Balaão, a fim de defender sua particular opinião acerca do que chama assuntos controversos, mas o Senhor não tem controvérsias em Sua segura Palavra, nem tampouco deixa espaço para confusão e vãs discussões. Quer fazer o que você acha que não tem problema, você é livre para isso. Mas, por favor, não use como argumento o nome de Jesus e Sua santa Palavra, porque Ele e a Palavra que são um (Jo.1:1) não tem meio termo, é “sim, sim” ou “não, não. O que disto passar vem do maligno” (Mt.5:37).

O significado da palavra Tiatira, “sacrifício”, já nos revela muito acerca deste período profético, que vai do ano 538 ao ano 1517 d.C. Sendo o período de início da supremacia papal e também das primeiras luzes da Reforma Protestante, a igreja cristã se dividiu entre aqueles que se submeteram à autoridade e toleraram as práticas abusivas e idolátricas da igreja romana, se unindo a seus serviços religiosos apóstatas, e aqueles que permaneceram inabaláveis à autoridade das Escrituras, separando-se da igreja católica e de suas tradições. Foi um tempo muito crítico para os fiéis, que eram poucos. Mas Deus provou mais uma vez que os poucos que estão com Ele se tornam a maioria. Os valdenses, Calvino, John Huss, Jerônimo, Lutero, foram uns poucos que se levantaram com fé e coragem em favor da verdade e iluminaram a Europa e o novo mundo com as boas-novas da justificação pela fé. Morticínio, insegurança e medo estavam por toda a parte diante das constantes ameaças das autoridades eclesiásticas. Muitos preferiram ceder aos reclamos papais a fim de defender suas vidas e propriedades, mas acabaram perecendo justamente pelo modo que mais temiam. Não havia segurança, a não ser aquela contida no coração dos mártires que enfrentavam sua sentença com a dignidade e singeleza que comovia até mesmo seus verdugos. Todo reavivamento e reforma desperta com fúria a perseguição. Ellen White escreveu: “Haja um reavivamento da fé e poder da igreja primitiva, e o espírito de opressão reviverá, reacendendo-se as fogueiras da perseguição” (O Grande Conflito, CPB, p.46).

Meus amados irmãos, todos esses recados de Cristo dados à igreja cristã de cada período da história deste mundo são perfeitamente aplicáveis a nós hoje. Precisamos dar atenção ao apelo divino, que em todo o tempo nos diz: “tão somente conservai o que tendes, até que Eu venha” (v.25). Também temos uma mensagem especial para o nosso tempo e conselhos inspirados que só entenderemos e aceitaremos mediante a sabedoria dada pelo Espírito Santo. Você está percebendo a importância de compreendermos as verdades contidas neste livro? Ele aponta para a veracidade de toda a Escritura e para as promessas infalíveis de um Deus que nos diz: “Eu virei outra vez”. Não podemos alicerçar a nossa fé em palavras de homens que disputam a razão nas redes sociais, mas na “espada do Espírito, que é a Palavra de Deus” (Ef.6:17). Estude a Bíblia por si mesmo com a humildade de conhecer “qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus” (Rm.12:2). Que Deus te abençoe em sua busca e até amanhã, pela graça de Deus! Vigiemos e oremos!

Bom dia, perseverantes na verdade!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Apocalipse2 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100


1 Comentário so far
Deixe um comentário

Excelente comentário!
Obrigado!
Bom dia e tenham um feliz Natal!

Comentário por Silvio Fernandes




Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.



%d blogueiros gostam disto: