Reavivados por Sua Palavra


JEREMIAS 30 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
25 de novembro de 2020, 0:50
Filed under: Sem categoria

660 palavras

2 Escreve. O profeta foi instruído a escrever o que foi revelado a ele a respeito da restauração de Israel, e este registro é encontrado nos cap. 30 e 31. CBASD, vol. 4, p. 501.

3 Meu povo de Israel e de Judá … fá-los-ei voltar. A promessa divina de Jeremias 29:10 a 14 se amplia neste versículo para incluir não apenas o reino do sul, de Judá, mas também o reino do norte, de Israel. O coração do profeta acompanhava não apenas os cativos em Babilônia, mas os que estavam na Assíria e nas cidades da Média (ver 2Rs 17:5, 6). CBASD, vol. 4, p. 501.

7 Que grande é aquele dia. A princípio, o profeta viu a angústia que logo sobreviria a Jerusalém e à Judeia por causa dos babilônios … Quando aplicado ao tempo do fim, “aquele” dia se refere ao grande dia do Senhor no final da história deste mundo. CBASD, vol. 4, p. 501.

Tempo de angústia para Jacó. A LXX traduz “um tempo de angústia para Jacó”. Jeremias ilustra a intensidade da experiência que recairia sobre Israel … por meio de uma comparação com a experiência de Jacó quando lutou com o Anjo (ver com. de Gn 32:24-26). Jacó foi ameaçado por um irmão irado disposto a matá-lo em vingança pelos erros passados. A fim de se preparar para a crise, Jacó permaneceu ali para passar a noite em oração. O fardo em seu coração era que tudo deveria estar ajustado com Deus. O quanto pôde, Jacó se esforçou para corrigir cada erro que cometeu. Por sua persistência e fé, a Jacó foi dada a certeza da bênção de Deus antes que a noite terminasse. Ao olhar para a luz do futuro, à luz da experiência de Jacó, Jeremias mostra que, na época da invasão babilônica (ver com. De Jr 34:7), eles passariam por uma agonia semelhante à de seu antepassado. Mas, à profecia da grande “angústia”, o profeta associou uma mensagem de conforto a toda alma fiel que, “porém, será livre dela”. Esta mesma experiência de intensa busca da alma sobrevirá ao Israel espiritual depois do fim de graça, antes do segundo advento do Senhor. Apenas os que confessaram cada pecado conhecido conseguirão sair vitoriosos daquele tempo de agonia espiritual conhecido como o “tempo da angústia de Jacó” (ver GC, 616-623). CBASD, vol. 4, p. 501, 502.

8 Eu quebrarei o seu jugo. Primariamente, é uma referência ao jugo dos babilônios que foi quebrado quando Ciro permitiu que os exilados retornassem à sua terra (ver 2Cr 36:22, 23; Ed 1:1-4). CBASD, vol. 4, p. 502.

10 De longe. Primariamente, isto se refere ao retorno dos exilados do cativeiro babilônico, como o contexto mostra. CBASD, vol. 4, p. 502.

12 Teu mal é incurável. A razão pela qual Deus não deixou Judá “totalmente impune” (ver v. 11) é que o povo, nessa época, tinha ido longe demais em seus pecados. CBASD, vol. 4, p. 502.

13 Não há quem defenda. Judá foi abandonada por seus amantes … e, enfim, estava sozinha, porque abandonou seu Deus. CBASD, vol. 4, p. 502.

16 Os que te devoram serão devorados. Apesar do fato de Deus ter usado os babilônios como instrumento para castigar Seu povo por causa da apostasia, os próprios caldeus não escapariam da retribuição divina por causa de suas iniquidades (ver com. De Jr 25:12). CBASD, vol. 4, p. 502.

22 Meu povo. O Senhor desejava que Judá entrasse no pleno relacionamento indicado nesta expressão, mas o povo escolhido falhou em viver de acordo com seus privilégios. A promessa pertence agora à igreja cristã (Hb 8:10). Na condição da nova terra, este relacionamento ocorrerá em sua plenitude (ver Ap 21:3). CBASD, vol. 4, p. 503.

23 Redemoinho. Uma ilustração gráfica do juízo de Deus descendo sobre os pecadores impenitentes (ver Jr 23:19, 20; 25:32, 33). CBASD, vol. 4, p. 503.

24 Não voltará atrás. Deus anuncia Seu propósito de realizar esse ato [livramento de Israel e queda do império babilônico] até sua conclusão. CBASD, vol. 4, p. 503.

Últimos dias. Isto é, na época do cumprimento da predição e posteriormente. No momento, o futuro parecia obscuro. Adiante estavam a invasão e a deportação. O cumprimento das gloriosas promessas de prosperidade pareciam quase inacreditáveis. O futuro confirmaria os misericordiosos propósitos de Deus. CBASD, vol. 4, p. 503.


1 Comentário so far
Deixe um comentário

Este capítulo 30 do livro de Jeremias retrata as mesmas condições que “o povo de Deus” vive hoje. Poderia se dizer que a ordem de Deus à Jeremias de escrever Suas promessas, decisões e a Sua visão do povo e dos seus perseguidores, é semelhante ao que ocorre neste tempo do fim que vivemos hoje.
Ao retornarmos para o SENHOR, antes Judeus e Israelitas e hoje a Igreja cristã descobriu as Leis, Mandamentos, os Estatutos e reaprendemos a ser cristãos; renova a esperança na grande promessa, apesar das tribulações babilônicas e perseguições que é o período do castigo pelas iniquidades, transgressões, idolatrias, apostasias; o tempo da angústia de Jacó” é vigente. Como tudo tem seu tempo, depois de aceitar o tempo do castigo, lutamos com o anjo para alcançarmos a benção, a graça e a prosperidade, em muitas noites e também em oração. Suplicando à Deus o perdão por que já acreditamos no resgate que o Senhor Jesus fará aos seus filhinhos, os que estudam a Palavra podem claramente afirmar que é este o tempo do fim, que estamos vivendo todos os sinais apocalípticos.
Se Jeremias vivesse hoje gritaria em todos os canais de TV, mídia, redes sociais, outdoor”s, rádios, em prantos que a grande promessa estaria por se cumprir e que o tempo da graça está se findando, arrependei-vos! Arrependei-vos! Convertei-vos de todo o coração e vos aceite o Senhor Jesus Cristo como o vosso único e Bastante salvador! Entrai-vos pelo caminho estreito para a glória eterna! Quantos ouviriam? Quantos levariam a sério o Profeta do antigo testamento? Temos o Espírito de Profecia Adventista, o mais atual, Ellen G. White, e muitos não a aceitam como tal, e até ignoram seus gritos de amor por estes últimos remidos. Os que irão morar na Jerusalém de Deus.
A seleção deste povo está acontecendo naturalmente, haja vista o mais terrível e temido mal da atualidade que é o Corona vírus, junto à depressão, o câncer e outras doenças psicossomático. A solidariedade surge como tabua de salvação e um novo sentido da vida. Os males morais, políticos, na economia, na ética, cultura e artes, é o estopim que dia a dia se incendeia, o fim de todos os males… Não haverá mais dor, choro, fome, morte… Nem noites, porque o resplendor do SENHOR é a luz que não se apaga!
Ora vem Senhor Jesus! Amém!

Comentário por Sandra Maria Madureira Maia Rodrigues Cordeiro




Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.



<span>%d</span> blogueiros gostam disto: