Reavivados por Sua Palavra


I Pedro 2 by Jeferson Quimelli

Comentário devocional:

Pedro não quer que seus leitores permaneçam estáticos em sua caminhada com Jesus. Nesse capítulo, ele exorta àqueles que experimentaram o novo nascimento (cap.1:23-25) a deixarem de lado tudo o que impede o crescimento espiritual e permanecerem em Jesus, a pedra angular. A nação judaica se escandalizou nAquele que ansiava fortalecê-los, tropeçou nAquele que deveria ser um degrau para a paz e a felicidade.

Um dos pontos altos do capítulo é o verso 9: “Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz” (ARC). Aqui Pedro escreve novamente acerca do sagrado convite dirigido àqueles escolhidos para o elevado privilégio de representar a Deus na terra. Os cristãos devem render louvor e honra a Jesus, que os chamou das trevas para a luz da verdade. 

Nas Escrituras, a luz frequentemente é utilizada para se referir à verdade (Mt. 4:16; Lc. 11:35). À medida que apontamos para a Bíblia como a fonte de luz e refletimos o amor de Jesus em nossas vidas, podemos ser agentes de restauração daqueles que vivem sem a certeza do amor de Deus por eles. 

Cindy Tutsch, DMin
Estados Unidos

Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/1pe/2/
Traduzido por JAQ/JDS/IB
Texto bíblico: I Pedro 2 
Comentário em áudio 



Tiago 5 – Comentários Selecionados by tatianawernenburg

1 Atendei, agora. A dura repreensão no cap. 4:13 se dirige àqueles que buscam riquezas sem considerar o plano de Deus para sua vida. Tiago reprova aqueles que alcançaram seu objetivo material e enriqueceram. Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 7, p. 586.

3 Testemunho. Essa ferrugem que indica que as posses não foram usadas será uma evidência clara contra os “ricos” no dia do juízo. O dinheiro que possuíam foi acumulado com egoísmo, quando poderia ter sido usado no serviço de Deus e para o próximo. A destruição de seus tesouros prevê sua condenação iminente. Homens do AT tinham o costume de deixar seu dinheiro num lugar secreto que consideravam seguro (Is 45:3), pois não havia bancos para se depositarem fundos particulares. CBASD, vol. 7, p. 587.

5 Vivido regaladamente. Do gr. truphaõ, “ter uma vida tranquila e luxuosa”. As riquezas acumuladas à custa do pobre são gastas na busca do prazer. CBASD, vol. 7, p. 588.

Resistência. Do gr. antitassõ, “opor-sé”, “oferecer resistência”. O testemunho desses justos “condenados” e maltratados se levantará em terrível condenação de todos os opressores no dia do juízo. Os justos oprimidos não podem resistir à tirania dos ricos nesta vida, e terão justiça somente quando Deus Se levantar para vingar a causa deles. Então, lhes será feita justiça: eles serão recompensados, e os opressores ímpios, destruídos (v. 3 , 5). CBASD, vol. 7, p. 588.


Uns dos outros. Depois de exortar seus leitores a serem pacientes para suportar as injustiças dos ricos opressores (v. 7), o apóstolo os exorta a serem pacientes uns com os outros. Cristãos que enfrentam com destemor as mais severas injustiças às vezes se tornam impacientes com problemas menores dentro da igreja. Os cristãos precisam do encorajamento de seus irmãos de fé ao enfrentarem aflições. CBASD, vol. 7, p. 589.


11 Perseveram. A fidelidade constante em meio aos problemas (Tg 1:3) revela lealdade completa a Deus e se torna um requisito para a vida eterna (Mt 10:22; 24:13). Quando os membros da igreja passam por dificuldades, podem reclamar as mesmas bem-aventuranças. CBASD, vol. 7, p. 590.


12 Sim sim. Quando as palavras de uma pessoa se provam verdadeiras por meio de seus atos, ela não terá a necessidade de reforçá-las com um juramento.  CBASD, vol. 7, p. 590.


15 Oração da fé. A falta de fé é um obstáculo para a cura (Mc 6:5), assim como para a salvação (Ef 2:8). A pessoa que possui fé confia na sabedoria e no amor de Deus e busca se identificar com Seu desígnio e cumpri-lo. Por isso, a oração da fé é a oferecida pela pessoa que se destaca por sua fé. CBASD, vol. 7, p. 591.

16 Confessai. O primeiro requisito da fé sincera na oração é a consciência limpa. As faltas cometidas em segredo devem ser confessadas a Deus. Pecados que envolvam outras pessoas devem ser confessados também aos que sofreram dano. Uma consciência culpada é uma barreira à fidelidade completa a Deus e um entrave à oração. CBASD, vol. 7, p. 592.

19 Meus irmãos, se algum. Tiago conclui sua epístola de advertência e instrução, demonstrando seu interesse solícito pela salvação de cada um dos leitores. A nota dominante da epístola de Tiago é a preocupação com o bem-estar eterno de seus amados irmãos. CBASD, vol. 7, p. 593.


20 Cobrirá. Do gr. kalu-ptõ, “cobrir”, “velar” (SI 32:1; IPe 4:8). Quando a pessoa se converte, é como se seus pecados fossem lançados “nas profundezas do mar” (Mq 7:19). Tiago conclui sua majestosa exortação a seus irmãos de fé com a tônica do NT: o resgate do ser humano de seus pecados e sua restauração à estatura plena de Jesus Cristo. CBASD, vol. 7, p. 594.



Tiago 2 by Jeferson Quimelli
8 de junho de 2015, 1:00
Filed under: amor, , religião viva, Vida Cristã | Tags: ,

Comentário devocional:

Tiago está nos lembrando de que não devemos assumir o nome de Jesus Cristo e ao mesmo tempo mostrar favoritismo para com algumas pessoas em detrimento de outras. Como poderemos ficar com a consciência tranquila se mesmo no ambiente de culto tratamos melhor uma pessoa bem vestida, rica, do que uma pessoa humilde, com roupas simples, a quem praticamente ignoramos (vs. 1-11)?

Vivamos de acordo com Escrituras: “Ame o seu próximo como a si mesmo” (v. 8). Se fazemos isso, podemos estar confiantes de que estamos vivendo a lei do amor, como Jesus vivia. Se tratamos os outros como inferiores, com parcialidade ou preconceito simplesmente por causa de sua história ou status, é evidente que estamos vivendo em oposição à lei do amor. É tolice pensar que podemos quebrar um pequeno mandamento e mesmo assim estar em harmonia com a lei. Se você rasgar ou manchar uma parte de uma peça de vestuário, todo o vestuário fica arruinado. Assim é com os mandamentos.

Palavras somente – quando ações são necessárias – mostram que nós não conhecemos verdadeiramente a Cristo (vs. 15, 16). Por exemplo, quando ocorre um desastre e os necessitados vem a você e à sua comunidade suplicando por auxílio e tudo o que você diz é: “Não se preocupe, vou orar por você, vá em paz”, de que valeram suas palavras? Que benefício elas trouxeram?

Deus é compassivo. Seu amor é uma realidade viva, ativa, que se traduz em ações que valorizam o Seu relacionamento conosco. Assim também devemos proceder. Nossa fé deve ser viva, demonstrando que somos imitadores de Deus. 

Nós cristãos somos chamados a ser as mãos e os pés de Deus para o mundo. Jesus praticava aquilo que pregava. Que essa também seja a nossa prática.

Robin Pratt
Estados Unidos

Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/jam/2/
Traduzido por JAQ/JDS
Texto bíblico: Tiago 2
Comentário em áudio 



Hoje começamos a ler a carta de Tiago! by Jeferson Quimelli

    O Livro de Tiago nos traz maravilhosos conselhos práticos e orientações para melhor vivermos nossa vida cristão, falando sobre as provações e dificuldades da vida, sabedoria, prudência, a Lei da liberdade de Deus.

    O correto entendimento de Tiago é vital para compreendermos como a fé e as obras se relacionam.

    “Que a leitura da carta de Tiago possa nos ajudar a desfrutar das bem-aventuranças e das boas dádivas que, como diz Tiago, descendem ‘do Pai das luzes’ [Tg 1:17]”. Pr. Reinaldo Siqueira.

 



Hebreus 13 by Jeferson Quimelli
6 de junho de 2015, 1:00
Filed under: oração, Vida Cristã | Tags: , ,

Comentário devocional:

Hebreus 13 encerra a carta com uma exortação prática. O autor não continua ascendendo em sua poderosa exposição teológica a respeito do que Deus realizou através de Jesus. Ele pousa seus pensamentos em conselhos práticos para uma congregação que precisa muito deles. Ele os conhece bem.

No início de sua história, os destinatários da carta experimentaram a bondade da palavra de Deus, provaram o dom celestial e tiveram uma experiência com o Espírito Santo (Heb 4:6). Eles testemunharam poderosos sinais e maravilhas e vários milagres que confirmaram sua fé (2:4), e responderam com obras de amor e serviço em prol dos santos (6:10). Mais tarde, no entanto, eles perderam seus bens e foram expostos publicamente a vergonha e aflição por causa de sua fé (10:32). Alguns deles tinham sido postos na cadeia e não tinha sido liberados (13:2). Depois vieram os falsos mestres (13:9-10) e as tentações do sexo e do dinheiro (13:4-6). Outros não conseguiram crescer em conhecimento (5:11-14) e os seus corações haviam endurecido pelo engano do pecado (3:12-13).

O autor argumenta que as pequenas coisas importam. Os versos 1-3 nos dizem que o amor fraternal é necessário. A hospitalidade é um dos meios que Deus usa para nos abençoar e visitar os presos faz parte de nossos deveres como membros do corpo da igreja. 

Os versos 4-6 falam sobre as tentações do sexo e da avareza. Assim como raízes de amargura, esses pecados começam pequenos, mas produzem um fruto amargo. 

Os versos 7-17 falam sobre a importância de valorizar os ensinamentos dos líderes da igreja – qualidade muito necessária hoje, quando a independência é vista como um sinal de maturidade.Os líderes podem ajudar-nos a discernir o perigo de falsos ensinamentos e a nos concentrarmos na esperança que temos e nas boas obras. 

O autor de Hebreus termina pedindo orações intercessoras a seu favor. Ele conclui apelando aos irmãos para que ouçam a sua “palavra de exortação”. Que, ao lermos essas palavras, entendamos que fazemos parte desses “irmãos”, e que também precisamos ouvir essa “palavra de exortação” hoje.

Felix H. Cortez
Andrews University Theological Seminary 
Estados Unidos

 

Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/heb/13/
Traduzido por JAQ/JDS/GASQ
Texto bíblico: Hebreus 13 
Comentário em áudio



Tito 1 – Comentários Selecionados by tatianawernenburg
21 de maio de 2015, 17:16
Filed under: Cartas de Paulo | Tags: , ,

1 Pleno conhecimento. Do gr. epignosis. Paulo se refere não só à compreensão intelectual, mas a um conhecimento experimental do evangelho. Com base na fé, o conhecimento é construído e fortalecido. Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 7, p. 381.

2 Vida eterna. A vida eterna é a meta do ministério de Paulo e o objetivo do verdadeiro cristão, que constrói sua vida sobre os princípios da verdade. CBASD, vol. 7, p. 381.

5 Presbíteros. A nomeação de presbíteros incluía a cerimonia de ordenaçãoCBASD, vol. 7, p. 382.

6 Filhos crentes. Ou seja, filhos que sejam cristãos e que, por seu comportamento, demonstrem lealdade aos princípios cristãos. CBASD, vol. 7, p. 382.

8 Domínio de si. Esta é uma pedra angular apropriada às qualidades positivas a serem exercidas. Pelo fato de uma boa qualidade poder ser prejudicada pelo excesso, o domínio próprio em todas as coisas é um requisito para a bem-sucedida liderança da igreja. CBASD, vol. 7, p. 383.

13 Severamente. Assim como o bisturi do cirurgião corta o tecido doente, em benefício da preservação da saúde, as palavras e a disciplina de Tito e dos anciãos cretenses deveriam cortar o que expunha o bem-estar da igreja ao perigo. CBASD, vol. 7, p. 385.

14 Fábulas judaicas. A pratica judaica de interpretar o AT pelo método alegórico obscurecia a verdade e gerava especulações e conflitos. Esse método agradava o coração, mas deixava a mente estéril. As fabulas judaicas davam origem a contendas e não mantinham o poder regenerador do Espirito Santo. CBASD, vol. 7, p. 385.

Mandamentos de homens. A igreja crista sempre enfrentou o problema de ensinos falsos que se apresentam como verdades. Satanás sempre faz mais danos ao avanço da verdade, trabalhando dentro da igreja do que atacando-a de fora. CBASD, vol. 7, p. 385.

15 Mente. Os “impuros e descrentes” têm a mente governada pelos desejos não santificados (Rm 12:2). CBASD, vol. 7, p. 385.

Consciência. O discernimento do certo e errado fica entorpecido quando a pessoa se entrega a desejos não santificados. Sob essas circunstâncias, a consciência não pode funcionar de forma eficaz. Como uma bússola defeituosa, ela deixa de ser um guia preciso e confiável. CBASD, vol. 7, p. 385.

16 São abomináveis. A pretensa fé dos mestres religiosos corrompidos e dos membros da igreja “insubordinados” constituía uma ofensa aos olhos de Deus. Seria melhor que tais pessoas nunca tivessem ouvido falar do cristianismo. CBASD, vol. 7, p. 385.



Colossenses 3 by Jeferson Quimelli
1 de maio de 2015, 1:00
Filed under: Vida Cristã | Tags: ,

Comentário devocional:

Ainda me lembro de quando meu filho de cinco anos filho estava tentando memorizar um texto bíblico. Sua determinada repetição em um padrão rítmico constante logo fixou o verso bíblico em minha própria mente: “Mantenham o pensamento nas coisas do alto, e não nas coisas terrenas… Mantenham o pensamento nas coisas do alto, e não nas coisas terrenas…” (Cl 3:2, NVI). Desde aquele momento, Deus muitas vezes tem trazido esse texto à minha mente quando fortes tentações queriam me atrair para coisas terrenas espiritualmente prejudiciais.

Em Colossenses 3, onde este versículo é encontrado, o apóstolo Paulo faz uma correlação direta entre o foco que determinamos para nossas mentes e a nossa vida prática diária. Ele explica que precisamos ser proativos ao lidarmos com o lado terrestre da nossa humanidade. Ele nos ordena fazer morrer e abandonar todas as coisas de natureza terrena (vs. 5, 8). A lista das ações terrenas que Paulo cita não é agradável e inclui muitas práticas pecaminosas destrutivas, como impureza sexual, calúnias e mentiras (vs. 5-9).

Paulo não nos diz apenas o que deixar de lado. Ele também nos encoraja a nos revestir das práticas condizentes com aqueles que são “povo escolhido de Deus, santo e amado” (v. 12, NVI). Isto inclui a “compaixão, bondade, humildade, mansidão e paciência” e, claro, o amor, a que Paulo chama de “o elo perfeito” (vs. 12-14 NVI). Junto com isso, Paulo nos encoraja a ter “a paz de Cristo” em nossos corações e a fortalecermos uns aos outros com “salmos, hinos e cânticos espirituais com gratidão a Deus” (vs. 15, 16 NVI).

Paulo encerra o capítulo mostrando-nos como será um lar cristão quando as mentes estiverem focadas nas coisas do alto (vs. 17-25). Esposas, maridos e filhos tratarão uns aos outros de forma diferente, porque o que eles fazem, “seja em palavra ou em ação”, estão fazendo “em nome do Senhor Jesus” (vv. 17 NVI). Quando agem em nome de Jesus, na verdade é Ele que está a viver a Sua vida através deles (v. 4).

Jesus também quer viver através de sua vida hoje e isso será possível se você optar por manter “o pensamento nas coisas do alto, e não nas coisas terrenas” (v. 2 NVI).

Kenneth Norton
Collegedale, TN
Estados Unidos

 

 

Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/col/3/
Traduzido por: JDS/JAQ/IB
Texto bíblico: Colossenses 3 
Comentários em áudio 



Colossenses 3 – Comentários Selecionados by tatianawernenburg
1 de maio de 2015, 0:00
Filed under: Cartas de Paulo | Tags: , , ,

1 Buscai. Isto é, formar o hábito de buscar, como indica o grego (Mt 6:33). Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 7, p. 205.

4 Cristo, que é nossa vida. Jesus não é apenas o autor da vida cristã e o objetivo final dos esforços humanos; Ele também é a fonte diária de força e orientação para os filhos e filhas de Deus e a garantia da vida futura imortal. A vida do cristão é inseparável de Cristo. CBASD, vol. 7, p. 206.

10 Que se refaz. Melhor, “que está sendo renovado”, a forma grega da palavra indica um processo contínuo. A palavra traduzida como “renovada” enfatiza novidade em qualidade. A imagem se refere ao desenvolvimento gradual no pleno conhecimento de Deus. O crescimento é o produto e a evidência na vida natural e na espiritual. O poder do Doador da vida é o único meio de se manter o crescimento. CBASD, vol. 7, p. 207.

13 Perdoai-vos mutuamente. No relacionamento entre cristãos não deve ser habitual apenas a longanimidade ou domínio próprio em palavras ou ações, mas também deve ser normal desconsiderar interiormente as faltas, os erros ou a fraqueza dos outros.  Isso é perdão verdadeiro. CBASD, vol. 7, p. 208.

15 Sede agradecidos. Ser agradecido é um dever cristão. A gratidão a Deus pode ser assemelhada ao solo em que floresce a tenra planta da paz. CBASD, vol. 7, p. 209.

17 Dando por Ele graças. O louvor deve acompanhar tudo o que o cristão pensa e faz. CBASD, vol. 7, p. 210.

22 Temendo ao Senhor. Ele é o mestre principal. Seus princípios impelem os cristãos por onde quer que andem a agir reconhecendo que o Senhor é o único a quem devem prestar contas. CBASD, vol. 7, p. 211.

25 Receberá. Paulo se refere ao juízo final, quando o mestre opressor e o escravo infiel receberão a recompensa pela conduta injusta. CBASD, vol. 7, p. 206.



Filipenses 2 by Jeferson Quimelli
26 de abril de 2015, 1:00
Filed under: religião viva, Vida Cristã | Tags: , ,

Comentário devocional:

Neste capítulo, Paulo mostra-nos como a sua alegria podia ser completa, assim como a nossa também pode ser: através do exemplo de Cristo. A alegria de Paulo se tornava completa ao ver crentes unidos e amorosos uns para com os outros (v.2).

A humildade está intrinsecamente ligada ao altruísmo e em colocar as necessidades dos outros acima de nossas próprias necessidades (v.3). Conheça a fórmula da alegria: Coloque Jesus em primeiro lugar, em seguida, os outros, e a si mesmo por último [NT: Aqui existe, no original, um trocadilho intraduzível: “It is the formula of  J-O-Y: Place Jesus first, then Others, and Yourself last“]. Esse modo de pensar é o oposto do pensamento do mundo que afirma que o “eu”deve vir em primeiro lugar. Entretanto, basta olhar a grande quantidade dos maus resultados para testemunhar do efeito do egoísmo da humanidade. Isto é tristemente exemplificado pelos resultados da “ira ao volante”!

Como podemos experimentar a alegria de ser um cristão? A alegria nasce quando decidimos mudar de sermos centrados em nós mesmos para nos tornarmos centrados em Cristo. Alguém disse uma vez: “Aquele que escolhe a si mesmo como companhia e busca agradar a si mesmo está pronto a ser corrompido pela companhia que escolheu.” Em contraste, o cristão convida continuamente Jesus a ser seu companheiro e modelo.

Somos instados por Paulo a seguir o exemplo de amor e humildade que Cristo demonstrava em uma cultura que promove o egoísmo como modelo. A proliferação quase global de “selfies” – imagens de si mesmo – pode ser um indicativo da época em que estamos vivendo. Pode ser difícil para alguns de nós colocar as necessidades dos outros acima das nossas. Mas esta era a atitude de Cristo a qual somos exortados a possuir (v.5).

Ser humilde como Cristo é o exemplo máximo que devemos procurar imitar (vs. 5-7). Cristo colocou nossas necessidades acima das Suas próprias e Se esvaziou, assumindo a forma mais baixa da humanidade, a de um escravo a morrer na cruz.

Paulo termina o capítulo (vs.19-30) com exemplos de dois crentes que colocaram as necessidades dos outros em primeiro lugar: Timóteo e Epafrodito. Seus serviços abnegados foram exercidos num momento em que as pessoas estavam buscando seus próprios interesses (v.21), semelhante ao que vemos hoje. Que possamos trazer alegria aos outros ao considerarmos suas necessidades acima das nossas.

Edward A. Appollis
Heidelberg College
África Do Sul


Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/php/2/
Traduzido por: JAQ/JDS
Texto bíblico: Filipenses 2 
Comentários em áudio 



Romanos 14 by Jobson Santos
12 de março de 2015, 1:00
Filed under: Vida Cristã | Tags: , , , , ,
Comentário devocional:
Aqui Paulo lida com diferentes práticas dentro da fé cristã. A leitura deste capítulo, juntamente com 1 Coríntios 8, onde ele lida com as mesmas questões, nos dá uma melhor compreensão do que Paulo está ensinando. Naquele tempo, os cristãos estavam se perguntando se era ou não lícito comprar carnes vendidas no mercado que haviam sido sacrificadas a ídolos. Havia alguns que haviam abandonado as práticas pagãs e tinham escrúpulos em comer destes alimentos. A estes, Paulo os exorta a não comerem destes alimentos, se assim sentissem desejos de voltar à sua antiga prática da adoração de ídolos. Outros poderiam comer a mesma comida e nem pensar a respeito dos ídolos aos quais estes alimentos haviam sido sacrificados. Paulo encoraja aos que comem esse alimento que não desprezem aqueles que não comem. E, por outro lado, exorta aqueles que não comem esses alimentos a não julgarem aqueles que o fazem (vs. 3, 4).
Paulo também aborda o fato de que alguns cristãos observavam os dias das festas cerimoniais, enquanto outros não os observavam (veja Gálatas 4:10). O apóstolo diz que cada um deve estar “plenamente convicto em sua própria mente” (v. 5, NVI). Em outras palavras, a questão das comidas sacrificadas a ídolos, e a observância de dias cerimoniais não era uma questão de salvação (vs. 5, 6). No entanto, Paulo lembra aos crentes que nenhum homem vive para si mesmo e ninguém morre para si mesmo (v. 7). O que fazemos afeta os que nos rodeiam. Em seguida, ele afirma que todos estaremos diante do tribunal de Cristo e seremos julgados de acordo com as nossas ações, não as dos outros (vs. 8-12).
Então, até o final do capítulo, Paulo volta ao assunto inicial. Paulo está pessoalmente convencido de que comer carnes sacrificadas a ídolos não contamina ninguém. E embora ele tenha exortado ambos os lados a não julgarem uns aos outros, ele se preocupa que aqueles que são espiritualmente fracos possam perder sua fé ao verem outros cristãos fazendo coisas que acham erradas, ou seja, comendo alimentos que tenham sido sacrificadas aos ídolos. Com base nessas preocupações, Paulo encoraja aqueles que são fortes na fé que se abstenham de comer ou beber qualquer coisa que possa ofender a um irmão,fazendo assim que ele deixe de seguir a Cristo (vs. 21-23).
Como pode ser visto neste capítulo, Paulo não está lidando com a ingestão de alimentos puros ou impuros, como muitos cristãos afirmam, ou guardar ou não dias cerimoniais. E, sim, em respeitar o ponto de vista/a consciência de nossos irmãos. Os princípios são claros:. devemos evitar fazer qualquer coisa que possa fazer os novos na fé retornarem ao que faziam antes de se tornarem cristãos.
Norman McNulty
Neurologista, TN, EUA
Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/rom/14/
Traduzido por JDS/JAQ
Texto bíblico: Romanos 14
Comentário em áudio

 

 



%d blogueiros gostam disto: