Reavivados por Sua Palavra


DEUTERONÔMIO 6 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
21 de junho de 2022, 0:40
Filed under: Sem categoria

DEUTERONÔMIO 6 – O último livro do Pentateuco deveria ser assiduamente estudado por todo fiel mordomo das preciosas riquezas do evangelho.

O ensino intenso e sistemático ordenado por Deus neste capítulo revela que nenhuma criança pode ser deixada às forças de suas inclinações, pois, são corruptos desde a infância. Conquanto, desde cedo, devem ser perseverantemente corrigidos. Desta forma, não há como exagerar o quanto a educação é primordial.

Precisamos estudar! Ellen White motiva-nos dizendo: “Deuteronômio deve ser cuidadosamente estudado hoje… Nele a lei é repetida”; e, “devia ser repetida com frequência… Para que seus preceitos não fossem esquecidos, ela devia ser conservada diante do povo e devia ser sempre exaltada e honrada. Os pais deviam ler para os filhos, ensinando-a para eles como regra sobre regra, preceito sobre preceito. E em ocasiões públicas, a lei devia ser lida aos ouvidos de todo o povo” (CBASD, v. 1, p. 1233).

Deuteronômio 6 chama adultos, pais, professores e pastores à responsabilidade espiritual em nossa sociedade imoral. Devemos estar cientes que, naturalmente, nosso amor não está focado nos princípios divinos; ninguém nasce amando genuinamente a Deus. Desde bebê, os seres humanos devem aprender amá-Lo através da teoria e exemplos constantes.

Deuteronômio 6 mostra quão difícil é lidar com a natureza corrompida pelo pecado, evidente desde tenra a infância. Desta forma, os pais são grandemente responsáveis pelo bem-estar social. Para isso, a religião deve ser central em toda ocasião. O conhecimento do verdadeiro Deus e Seus princípios são essenciais no seio familiar. Negligenciar isso implica descuidar do destino familiar, eclesiástico e social…

Deus mesmo revela-nos que nosso amor não pode estar focado no objeto errado. Amar outros deuses implica não apenas perder tempo, mas perder Sua proteção (Deuteronômio 6:13-15).

Equilibradamente, este capítulo combate legalismo, liberalismo e perfeccionismo, mostrando que o âmago da aliança divina com a humanidade “não é a obediência compulsória ou obrigatória, mas o amor. O amor de Deus é evidente em Seu desejo de que tudo vá bem [com Seu povo]. Todos os mandamentos divinos fluem desse amor, que por sua vez flui do caráter de Deus. Há um só Deus, um só amor, uma só lei”, destaca Paul House.

Aprenderemos a essência da verdadeira religião para não vivermos equivocadamente pensando estar agindo corretamente? Urgentemente, reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.


Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.



%d blogueiros gostam disto: