Reavivados por Sua Palavra


NÚMEROS 35 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
14 de junho de 2022, 0:40
Filed under: Sem categoria

NÚMEROS 35 – Líderes espirituais são essenciais para Deus, pois realizam um serviço especial. O destino de povos, nações e do mundo dependem muito de bons líderes espirituais.

Os levitas (líderes espirituais) deveriam receber 48 cidades de herança, das quais 6 seriam consideradas cidades de Refúgio para abrigar assassinos culposos. Três destas cidades ficariam antes da terra de Canaã, as outras três em Canaã. Elas seriam úteis a israelitas (crentes) e estrangeiros (interessados). Através delas, Deus intencionava preservar a vida de assassinos culposos, não de criminosos intencionais.

Até a morte do sumo sacerdote, o refugiado não deveria deixar a cidade; caso saísse, os vingadores agiriam. Números 35 apresentam leis de preservação da vida e da justiça. Antes de prejudicar alguém, o indivíduo deveria conscientizar-se das terríveis consequências, assim evitava prejudicar alguém. Essa era e ainda pode ser um excelente sistema de inibir o desenvolvimento do ódio, da crueldade/perversidade e da malícia humana.

Líderes espirituais deveriam prezar pela justiça contra o assassino doloso e proteger assassinos culposos. Porém, nem mesmo crimes acidentais são insignificantes perante Deus. Somente após o sumo sacerdote morrer, haveria liberdade do refugiado de voltar à vida normal. “A morte do sumo sacerdote libertava os asilados que viviam nas cidades de refúgio. Nesse caso, o vingador do sangue não poderia mais causar dano ao agressor. A morte de Cristo, nosso sumo sacerdote, nos liberta da condenação exigida pela lei. Tal prescrição não faria sentido se não simbolizasse a obra de nosso Senhor na cruz!” – explica William MacDonald.

O Comentário Bíblico Africano destaca:
• Homicídio não devia ser considerado levianamente. Quem mata outra pessoa merece morrer; entretanto, a pena de morte não devia ser aplicada levianamente. Precisaria mais de uma testemunha do crime para aplicar a pena (35:29-30).
• Nenhum homicida, de crime doloso ou culposo, poderia ser resgatado (35:31). Ricos não poderiam pagar para escapar das consequências dos seus crimes.
• Quando alguém buscava proteção numa cidade de refúgio, não era possível pagar resgate para que pudesse voltar para casa antes da morte do sumo sacerdote (35:32). O propósito primário dessas prescrições visava proteger a terra da contaminação provocada pelo derramamento do sangue inocente ou pela falta de justiça.

Deus pretende refrear a maldade! Líderes espirituais precisam cooperar com Ele nesse propósito, juntamente com a comunidade! – Heber Toth Armí.


Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.



%d blogueiros gostam disto: