Reavivados por Sua Palavra


JONAS 2 – Comentário Pr. Heber Toth Armí by Jeferson Quimelli
21 de março de 2021, 0:40
Filed under: Sem categoria

O crescimento da fé é gradativo. Jonas que havia rejeitado abertamente a orientação de Deus no capítulo anterior, agora decide orar. Porém, suas palavras não revelam arrependimento nem reconhecimento de uma missão a ser cumprida.

Jonas, embora fosse profeta, tinha muito a aprender. Deus conduzia cada um de seus passos, ainda que trôpegos, a um amadurecimento espiritual. Em sua oração ele reconheceu que o grande peixe era o meio de livramento e louvou ao Senhor pela salvação.

Contudo, “sua oração era mais uma reflexão sobre a oração em situações de vida ou morte do que um pedido de ajuda” (John D. W. Watts).

Em espírito de oração, observe que:

1. Na barriga do peixe, Jonas teve a oportunidade de orar devido à graça divina (v. 1);

2. Foi um salmo de louvor proferido do mais profundo abismo devido ao cuidado gracioso do Senhor (vs. 2-9);

3. A graça divina é vista em atos concretos: Embora Jonas tenha se tornado em vômito de peixe, isso se deu por ordem de Deus; do contrário, Jonas teria virado fezes de peixe (v. 10).
Indiferença e rebeldia levam-nos para baixo, enquanto que a reflexão e a oração nos elevam: Jonas desceu a Jope quando fugiu da missão de pregar em Nínive (Jonas 1:3); desceu ao porão do barco (Jonas 1:5); foi jogado e parou no fundo do ventre do peixe (Jonas 1:17); finalmente, chegou ao fundo do abismo (Jonas 2:6). Somente após orar percebeu sua condição restaurar (Jonas 2:10).
• Jonas estava aprendendo tudo isso! E, nós, já aprendemos?

Jonas ainda tinha muito que amadurecer. “Tendo assinalado a posição do Senhor como criador, Jonas fez um comentário lógico de que somente Yahweh é um Deus vivo, ouvinte, atuante e salvador. A questão que fica por resolver é se o profeta acolherá ou não esta crença e a transformará num ministério a toda a criação. Teologia meramente declarada não é suficiente. A teologia de Jonas tem de se tornar tão ativa quanto a preocupação do Senhor” (Paul R. House).
• Somos parecidos com Jonas? Precisamos ser transformados e amadurecidos como ele?

O amadurecimento espiritual nos fará ver que, “como Jonas, o povo de Deus hoje tem a responsabilidade de pôr de lado o nacionalismo inflexível e o ódio racial e compartilhar o amor de Deus com os de outras culturas” (Watts).

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.


1 Comentário so far
Deixe um comentário

Não existe inimigo mais perigoso do que o “eu” não convertido. Muitos há que, no abismo da aflição pessoal, estão sofrendo sozinhos e clamando em silêncio. E a pergunta que não cala em seus corações, é: “Ainda existe salvação para mim?” Jonas também levantou a possibilidade de não mais haver salvação para ele (v.4). Porém, quando a sua oração foi recebida e a voz de lamentação tornou-se em voz do agradecimento, a alegria da salvação em Deus inundou o seu coração de esperança e de gratidão.. O nosso eu verdadeiramente tem que ser mortificado, ou então a nossa fé vai esmorecendo e não conseguimos mais ouvir a voz do Espírito Santo de DEUS. Misericórdia de nós Senhor.

Comentário por Maise




Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.



%d blogueiros gostam disto: