Reavivados por Sua Palavra


LEVÍTICO 19 by jquimelli
29 de janeiro de 2019, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: http://biblia.com.br/novaversaointernacional/levitico/lv-capitulo-19/

“Sejam santos porque eu, o Senhor, o Deus de vocês, sou santo.” (v. 2, NVI). Isso é um comando? Ou uma promessa?

Jesus disse: “Portanto, sejam perfeitos como perfeito é o Pai celestial de vocês” (Mt 5:48, NVI). O que isto significa? “Você deveria ser!”? … ou: “Boas notícias, um dia, se você ficar comigo, você será perfeito!”?
O grego original pode significar qualquer dos dois. Com Deus, todo mandamento é uma promessa!

“Perfeito” significa maduro; “Santo” significa separado. Do que devemos nos separar? Não de uma vida cotidiana de trabalho comum, mas de egoísmo, rebelião, sobrevivência do mais apto, poder sobre os outros.

O contexto de ambos os textos é o amor – para o próximo, para “o estrangeiro que permanece contigo”, até mesmo para o seu “inimigo”! – “para que vocês venham a ser filhos de seu Pai que está nos céus. Porque ele faz raiar o seu sol sobre maus e bons e derrama chuva sobre justos e injustos” (Mt 5:45, NVI).

“Nós amamos porque Ele nos amou primeiro” (I João 4:19, NVI). Porque Deus ama, podemos saber o que é amor. E porque o amor dele nos transforma, nós também podemos amar. Somos santos porque Ele é santo … e nós somos Seus.

Virginia Davidson
Professora da Escola Sabatina, membro da equipe de louvor e do comitê de decoração da igreja
Igreja Adventista do Vale
Vale de Spokane, Washington, EUA

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/lev/19
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli



LEVÍTICO 19 – VÍDEO COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
29 de janeiro de 2019, 0:55
Filed under: Sem categoria



LEVÍTICO 19 – COMENTÁRIOS PR HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
29 de janeiro de 2019, 0:45
Filed under: Sem categoria

Santidade não depende de comportamento. Santidade depende do sacrifício de Cristo e Seu sangue derramado por, e, em nós, para remissão/eliminação dos nossos pecados. Aceitando de fato tal sacrifício, a vida será pautada pela santidade (vs. 1-2).

Salvação sempre foi, e continua sendo, unicamente pela graça divina; o livro de Levítico deixa tal verdade absolutamente clara aos que estão atentos às sequencias da Palavra de Deus nele.

Após apresentar pedagógica, simbólica e didaticamente o plano de purificação que resulta em libertação do pecado e em salvação (Levítico 16), Deus apresentou-nos (nos capítulos seguintes) a forma de vida daqueles que, sinceramente, entregam-se completamente ao Seu serviço.

Síntese do capítulo 19:

1. A santidade requer não só respeito aos pais e idosos, guarda do sábado, rejeição total à idolatria, mas também dependência radical no sacrifício de Cristo apontado pela morte de inocentes animais (vs. 3-8, 30, 32).

2. A santidade requer preocupação com pessoas desprovidas de recursos para viver: pobres, mendigos, órfãos, etc. (vs. 9-10).

3. A santidade requer conduta correta: Não roubar, mentir, enganar, jurar em vão, explorar, extorquir, amaldiçoar, trapacear, zombar, perverter, fofocar, injuriar, negligenciar socorro, guardar rancor ou vingar-se, prostituir-se (vs. 11-18, 29, 33-37). O amor será a regra áurea de todo relacionamento!

4. A santidade requer respeito aos imperativos divinos: Não cruzar espécies diferentes de gado, não plantar espécies diferentes na lavoura, nem vestir roupas com dois tipos de materiais (v. 19).

5. A santidade requer reparo quando se pratica imoralidade. Deus promete perdão a quem O buscar (vs. 20-22).

6. A santidade requer respeito à flora. Nos três primeiros anos, árvores frutíferas não seriam comestíveis; frutos do quarto ano seriam ofertadas a Deus; e, do quinto ano resultariam grandes bênçãos, somente neste ano seus frutos seriam comestíveis na terra prometida (vs. 23-25).

7. A santidade preza por vida descente em cada aspecto: Não comer carne com sangue; nem praticar mágicas/adivinhações/horóscopo, ocultismo/espiritismo/necromancia/médiuns; não cortar o cabelo dos lados da cabeça nem as pontas da barba, nem fazer corte no corpo pelos mortos, nem tatuagem – estes são costumes pagãos/idólatras (vs. 26-28, 31).

Conversão a Cristo que não resulta em santidade não passa de mera fantasia; esta religiosidade pauta-se pela falsidade, clara hipocrisia!

Precisamos desprezar o pecado para prezar pela pureza! Deus quer transformar-nos! – Heber Toth Armí.



LEVÍTICO 19 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
29 de janeiro de 2019, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Guardareis todos os Meus estatutos e todos os Meus juízos e os cumprireis. Eu sou o Senhor” (v.37).


Na providência de Deus, instruções foram estabelecidas e leis instituídas a fim de que o Seu povo permanecesse separado dos demais povos da Terra. O atributo divino que mais se destaca em toda a Bíblia foi requerido daqueles que representam a Deus: “Santos sereis, porque Eu, o Senhor, vosso Deus, sou santo” (v.1). A santidade coloca em ordem as prioridades estabelecidas por Deus e rejeita as estabelecidas pelo homem. Antes mesmo de proferir uma espécie de resumo das diversas leis dadas a Seu povo, o Senhor deu destaque ao seu objetivo: para que se tornasse santo como Ele é santo. Israel estava para deparar-se com povos cujo grau de corrupção e depravação sobrepujava a malignidade do Egito. Apenas se fossem fiéis em guardar e cumprir as leis do Senhor, dEle receberiam poder para não contaminarem-se com as abominações daqueles povos.

A obediência verdadeira requer disciplina, perseverança, mas, acima de tudo, a prática do amor altruísta. Em todas estas leis podemos perceber que elas nos elevam a uma atmosfera de amor a Deus e uns pelos outros. Todos os “nãos” de Deus apresentam um claro e sonoro “Eu amo vocês!” Se apreciássemos devidamente as Escrituras como um tesouro de inestimável valor, nossos ouvidos compreenderiam e nossos olhos se abririam para ver que, ainda que algumas leis tenham sido criadas apenas para o antigo Israel, outras prevalecem em sua eterna força normativa, e todas elas apresentam princípios que não se invalidam com o tempo. O Decálogo, por exemplo, é a inscrição do caráter de Deus, algo que é eterno como Ele mesmo o é. E a mesma posição em que foi colocado, no mais interior do lugar Santíssimo do santuário terrestre, permanece diante do trono de Deus, no Santíssimo do santuário celeste (Ap.11:19).

Outras leis específicas que encontramos como reivindicações de um Deus santo ao Seu povo, podemos encontrar no Novo Testamento. As leis com relação ao cuidado com os pobres e os estrangeiros, por exemplo, revelam o mesmo princípio nas palavras do apóstolo Paulo à igreja de Corinto: “Quanto à coleta para os santos… No primeiro dia da semana, cada um de vós ponha de parte, em casa, conforme a sua prosperidade, e vá juntando” (1Co.16:2). E também no trabalho dos diáconos para com as viúvas da igreja primitiva (At.6:3). E no ministério do próprio Jesus que, compadecendo-Se de uma multidão faminta a alimentou a partir de cinco pães e dois peixinhos (Mt.14:13-21).

A verdade, a honestidade e a transparência também devem nortear a vida do fiel filho de Deus. É uma questão de caráter. Fofocas, rancor que consome o coração e vingança são venenos tomados a conta gotas e, mais cedo ou mais tarde, destroem o possuidor. O mesmo princípio destacado no verso 17 do capítulo de hoje, Paulo aplicou ao perceber a insensatez de Pedro: “Quando, porém, Cefas [Pedro] veio a Antioquia, resisti-lhe face a face, porque se tornara repreensível” (Gl.2:11). O amor ao próximo bíblico não tem nada a ver com o amor mundano romantizado. Aquele que ama busca o bem do seu próximo ainda que para isso tenha que repreendê-lo ou afastar-se, como Paulo também advertiu: “Rogo-vos, irmãos, que noteis bem aqueles que provocam divisões e escândalos… afastai-vos deles” (Rm.16:17). Não é uma questão de política da boa vizinhança, é uma questão de salvação, pois “nós sabemos que já passamos da morte para a vida, porque amamos os irmãos; aquele que não ama permanece na morte” (1Jo.3:14).

Repetidas vezes o Senhor tem mostrado o Seu amor para conosco no exame de cada capítulo sagrado. O Espírito Santo tem nos revelado os segredos do Céu e a cada “chave” que nos é dada, uma nova porta é aberta para que possamos entrar na presença de Deus oferecendo-Lhe o nosso culto racional (Rm.12:1). Precisamos cooperar com o poder divino a fim de recebermos porções de sabedoria cada vez maiores do divino Professor. O testemunho de um povo que ama a Deus e ao próximo; que não se contamina com ídolos e nem com homens que professam adivinhar o futuro; um povo que guarda os sábados do Senhor como sinal de que pertence ao Criador do Universo; que trata com respeito os seus progenitores e anciãos do povo; que teme a Deus e pratica a justiça; será este povo que terminará a derradeira obra do Senhor na Terra. Nele cumprir-se-á a profecia de Isaías:

“Nos últimos dias, acontecerá que o monte da Casa do Senhor será estabelecido no cimo dos montes e se elevará sobre os outeiros, e para ele afluirão todos os povos. Irão muitas nações e dirão: Vinde, e subamos ao monte do Senhor e à casa do Deus de Jacó, para que nos ensine os Seus caminhos, e andemos pelas Suas veredas” (Is.2:2-3).

Há uma igreja invisível à procura de um lugar de adoração ao Deus verdadeiro. Mas, o que Cristo disse à mulher samaritana, ecoa até nós hoje: “Mas vem a hora e já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque são estes que o Pai procura para Seus adoradores” (Jo.4:23). “O Capitão de nossa salvação nos deu Suas ordens, e devemos prestar-Lhe implícita obediência; se, porém, fecharmos o Livro que revela Sua vontade, e não investigarmos ou examinarmos, nem buscarmos compreender, como poderemos cumprir suas obrigações?””(Ellen G. White, E Recebereis Poder, p.129).

O Senhor tem um só povo em cada tribo, língua e nação, um povo unido no mesmo propósito de adorá-Lo em espírito e em verdade. Que por meio de Sua Palavra, seguros na âncora da graça de Cristo, façamos parte do povo que o Senhor erguerá perante o Universo como “fruto do penoso trabalho de Sua alma” (Is.53:11).

Bom dia, povo de propriedade exclusiva de Deus!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Levítico19 #RPSP

Comentário em áudio:
https://www.youtube.com/user/nanayuri100
https://www.youtube.com/channel/UCzzqtmGdF4UqBopc6CRiqLA



LEVÍTICO 19 – VÍDEO COMENTÁRIO PR RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
29 de janeiro de 2019, 0:05
Filed under: Sem categoria



LEVÍTICO 19 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
29 de janeiro de 2019, 0:05
Filed under: Sem categoria

2075 palavras

O tema da santidade é elaborado enquanto Deus instrui o povo de Israel sobre os princípios da boa vizinhança. Este capítulo ilustra o que a santidade significa na vida diária. Bíblia de Genebra.

Na leitura de hoje, vemos Deus chamando a atenção de volta aos Dez Mandamentos, bem como expondo e re-enfatizando várias leis. O tema dos primeiros quatro mandamentos pode ser resumido no verso 2, “Santidade ao Senhor”, enquanto o tema dos últimos 6 pode ser resumido no versículo 18, “Honra ao próximo.” No entanto, é interessante que os primeiros mandamentos enfatizados nesta linha de lembretes de Êxodo 20 são uma combinação de “honra aos pais ” e ”honra ao sábado“. Infelizmente, nós, como povo de Deus (tanto nos tempos antigos quanto nos atuais) temos a tendência de esquecer de onde viemos e a quem devemos adorar. E assim, Deus está constantemente trazendo os nossos pensamentos de volta para estes dois pontos importantes. “Lembre-se de onde você veio e respeite seus pais. Mas também além de se lembrar deles, lembre-se de Mim, seu Pai celestial! Eu criei você. Você veio de mim! Sua adoração e lealdade pertencem somente a mim, pois eu sou o Senhor vosso Deus. “ Melodious Echo Mason, em http://revivedbyhisword.org/en/bible/lev/19/.

2 Santos sereis. Esta é a nota tônica do livro de Levítico. Todo o livro enfatiza a santidade, e a razão dada aqui para esta ordem é que Deus é santo. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 1, p. 853.

Isto repete a ideia de 11:44-45 (ver tb 20:26). O povo de Deus deve imitar Sua santidade ao seguir Seus princípios, que se baseiam no amor não egoísta [altruísta, não centrado em si mesmo] (ver v. 18).  … O objetivo desta mescla [de instruções em Lv 19] é que o povo de Deus deve ser santo em todos os aspectos de sua vida. Andrews Study Bible.

Cada um respeitará a sua mãe e seu pai. Aqui a ordem comumente seguida na Escritura é invertida. Alguns pensam que as palavras foram transpostas por acidente. Porém, não há dúvida de que Deus quis que assim fosse. Isto de modo algum diminui a dignidade e a posição do pai, mas enfatiza que as mães não são esquecidas por Deus e não devem ser esquecidas. CBASD, vol. 1, p. 853.

e guardará os meus sábados. O quarto e o quinto mandamentos, aqui nomeados, são os dois mandamentos afirmativos da lei. Ambos inculcam reverência e respeito pela autoridade. CBASD, vol. 1, p. 853.

Não vos virarei para os ídolos. Há várias palavras hebraicas que descrevem os ídolos; aqui temos ‘elilim, lit “coisas de nada”, “vaidade”. Vem de uma raiz que significa “evaporar-se”. A essência do ídolo realmente é nada. Bíblia Shedd.

O v. 4 aponta para o primeiro e o segundo mandamentos, particularmente o segundo. Não é preciso se curvar diante de ídolos de madeira ou de pedra para transgredir estes mandamentos. Qualquer coisa que tomar o lugar de Deus ou for preferível a Ele constitui um ídolo, mesmo se for só nos pensamentos. CBASD, vol. 1, p. 854.

5 sacrifício pacífico (ARA). NVI: “sacrifício de comunhão”.

9, 10 ao pobre e ao estrangeiro. Essa lei era uma proteção ao pobre e estrangeiro e uma lembrança de que a terra pertencia a Deus: o povo era apenas dela guardador. … É muito fácil ignorar o pobre ou esquecer das necessidades daqueles que tem menos que nós. Mas Deus deseja generosidade. De que modos você pode deixar as “bordas de seu campo” para aqueles em necessidade? Life Application Study Bible.

Duas classes de pessoas que, juntamente com o órfão, não possuíam força carnal para defender seus direitos. … São justamente aqueles que, sendo desprovidos de recursos humanos, são os melhores recipientes do socorro divino, 2 Co 12.9-10. Bíblia Shedd.

10-35 Não Algumas pessoas pensam que a Bíblia não é nada mais que um livro de “nãos”. Mas Jesus claramente resumiu todas essas regras quando disse para amar a Deus de todo o coração e ao próximo como a si mesmo. Ele chamou estes de os grandes mandamentos (Mt 22:34-40). Ao observarmos esses simples mandamentos de Jesus estaremos obedecendo a todas as outras leis de Deus. Life Application Study Bible.

12 nem jurareis falso pelo Meu nome. O perjúrio é considerado delito gravíssimo porque perverte a justiça. É violação ao terceiro mandamento e merece severa punição (Mt 5:33-37). CBASD, vol. 1, p. 854.

16 Não andarás como mexeriqueiro (ARA). NVI: “Não espalhem calúnias”.

17 Não aborrecerás teu irmão no íntimo (ARA). NVI: “Não guardem ódio contra seu irmão no coração”.

repreenderás o teu próximo. Uma reprimenda franca e delicada a alguém em erro é melhor do que acumular ódio destrutivo contra o próximo e, assim, ser levado a pecar também (Pv 27.5; Mt 18.15; Gl 6.1). Bíblia de Genebra.

18 Não te vingarás. É próprio da natureza humana desejar “acertas as contas” com quem nos prejudica, mas a Bíblia não aprova esse procedimento. Paulo diz: “Não vos vingueis a vós mesmos, amados, mas dai lugar à ira” (Rm 12.19). É inútil guardar rancor. Altera o humor e distorce o modo de ver a vida. CBASD, vol. 1, p. 855.

ame cada um seu próximo como a si mesmo. Aqui está o amor no coração do Pentateuco (cinco livros de Moisés: Gênesis a Deuteronômio), que é o fundamento de toda a Bíblia. Jesus reconheceu que toda a lei de Deus como revelada em todo o AT é baseada no amor (Mt 22:37-40, citando Dt 6:5 e Lv 19:18). , que é o caráter de Deus (1 Jo 4:8). Em Lv 19:18, “vizinho” significa primariamente “companheiro israelita”. Andrews Study Bible.

O amor é o cumprimento da Lei, Mt 22.40. Bíblia Shedd.

O “próximo” é qualquer pessoa com quem se entra em contato, seja essa pessoa israelita (v. 17) ou estrangeira (v. 34; cf Mt 22.39-40; Rm 13.9). Bíblia de Genebra.

Citado por Cristo (Mt 22.39; Mc 12.32; Lc 10.27), Paulo (Rm 13.9; Gl 5.14) e Tiago (2.8). Os fariseus mais rigorosos (escola de Shammai) acrescentaram a esse mandamento o que consideravam subentendido: “Odeie o seu inimigo” (Mt 5.43). A reação de Jesus, “amem os seus inimigos”, estava em harmonia com os ensinos genuínos do AT (cf. v. 17, 34) e mais de acordo com os fariseus moderados, cujos sentimentos o rabino Naamânides conseguiu captar: “Ninguém deve colocar limitações no amor ao próximo, antes, pelo contrário, a pessoa deve querer fazer tanto bem ao próximo quanto gosta de fazer o bem a si mesmo”. “Próximo” não significa meramente a pessoa que mora perto, mas qualquer um com quem entramos em contato. Bíblia de Estudo NVI Vida.

Até mesmo os críticos admitem que a declaração “Amarás o próximo como a ti mesmo” é o pronunciamento mais incomum para todas as épocas do mundo. O egoísmo prevalece hoje, como sempre, e há pouco amor pelo próximo quando os interesses mútuos entram em conflito. Normalmente o que se vê é cada um por si. CBASD, vol. 1, p. 855.

19 não permitirás que os teus animais se ajuntem com os de espécie diversa (ARA). NVI: “Não cruzem animais diferentes espécies de animais”.

Misturas [de tecidos] eram apropriadas no santuário, que representava o reino dos céus (Êx 25.18-20; 26:1, 31; comparar com Ez 1:5-12; 10:8-22). Portanto, a proibição dessas mesclas [de tecidos] fora do santuário ressaltava a unicidade deste lugar sagrado na terra (comparar com Êx 30.21, 37 – unicidade do óleo da unção e incenso). Agora que o santuário terrestre não existe mais, a razão para observância da lei das mesclas não existe mais. Andrews Stuby Bible.

20 escrava desposada com outro homem (ARA). NVI: “escrava prometida a outro homem”.

Se alguém se deitar com uma mulher, se for escrava desposada. Neste caso, a escrava é comprometida com outro homem, mas ainda não foi resgatada; ela é, portanto, propriedade daquele a quem serve. CBASD, vol. 1, p. 855.

24 Os primeiros frutos, assim como os primogênitos do gado e das crianças, deveriam ser dedicados ao Senhor (Êx 22.29-30; 23.19), porquanto Israel era o primogênito de Deus, consagrado a Ele (Êx 4.22). Bíblia de Genebra.

26 Não comereis coisa alguma com sangue. Todo animal morto para servir de alimento deveria ter todo o seu sangue escoado. Até hoje, judeus observam esta regra e, onde é possível, eles têm seus próprios matadouros e açougues. Em certos lugares, o sacerdote presencia a morte de animais para consumo de judeus, a fim de verificar se as regras estão de acordo com a ordem divina. Essa carne é identificada como kosher. Os cristãos dão pouca atenção a esta ordem sanitária, esquecendo-se de que Deus originalmente  permitiu o uso da carne somente sob essas condições (Gn 9:4). A mesma restrição foi levada aos cristãos gentios (At 15:20, 29). CBASD, vol. 1, p. 856.

não agourareis, nem adivinhareis. Os que praticavam a magia, ou que empregavam certas palavras chamadas “mágicas” com o fim de obter auxílio dos espíritos para produzirem efeitos sobrenaturais nas criaturas, eram condenados. Bíblia Shedd.

Isto provavelmente se refere a feitiços e encantamentos que, embora não fossem imorais ou licenciosos, tendiam à superstição e idolatria. É surpreendente que ainda hoje muitos são influenciados por crenças supersticiosas. mesmo jornais publicam informações sobre dias “de sorte” ou de “azar”. Pessoas afirmam ter capacidade para predizer o futuro pela posição dos astros e aconselham o que deve ou não ser feito em determinados dias. CBASD, vol. 1, p. 856-857.

27, 28 Os pagãos cortavam os cabelos da cabeça ou da barba de certas maneiras para honrar seus ídolos ou para os ritos fúnebres pagãos, Dt 14.1. Cortar o corpo era praticado para mostrar arrependimento extremo ou desespero. Condenam-se aqui estas práticas entre o povo de Deus. Estas proibições eram para guardar o povo de Israel de seguir as práticas supersticiosas e idólatras dos pagãos que viviam ao seu redor. Bíblia Shedd.

28 nem fareis marca nenhuma sobre vós (ARA). NVI: “Não façam … tatuagens em si mesmos”.

Não devia haver nenhuma desfiguração do corpo – do tipo que os pagãos praticavam. Bíblia de Estudo NVI Vida.

29 Não contaminarás a tua filha. Esta era uma prática comum da antiguidade, especialmente entre os pobres, que, com frequência, vendiam suas filhas e, às vezes, as esposas à escravidão e prostituição. As mulheres não eram valorizadas e respeitadas. CBASD, vol. 1, p. 857.

30 Guardareis os Meus sábados e reverenciareis o Meu santuário. Estes dois estatutos envolvem reverência. Há alguns que guardam o sábado, mas não demonstram a devida reverência para com o santuário. Outros reverenciam o santuário, mas não guardam o sábado. A verdadeira religião exige reverência a ambos, pois são santos. CBASD, vol. 1, p. 857.

31 Não vos voltareis para os necromantes, nem para os adivinhos(ARA). NVI: “Não recorram aos médiuns, nem busquem a quem consulta espíritos”.

Aqui há uma forte condenação das práticas espíritas existentes nos dias de hoje. Bíblia Shedd.

32 Diante das cãs te levantarás (ARA). NVI: “Levantem-se na presença dos idosos”.

Esta ordem amplia o quinto mandamento. Respeito e reverência são virtudes fundamentais. … No mundo moderno, a juventude é valorizada. Mas isso não implica menosprezar pessoas idosas e experientes, nem desrespeitar seu conselho. CBASD, vol. 1, p. 857.

As pessoas com facilidade desconsideram as opiniões dos idosos e evitam empregar tempo para visitá-los. Mas o fato de que Deus ordenou aos israelitas para honrarem os mais velhos mostra quão seriamente deveríamos considerar a responsabilidade de respeitar os mais velhos. Sua sabedoria obtida pela experiência podem nos salvar de muitos tropeços. Life Application Study Bible.

33 Se o estrangeiro peregrinar na vossa terra (ARA). NVI: “Quando um estrangeiro viver na terra de vocês”.

No passado, os estrangeiros eram vistos com suspeita. Por que esse estrangeiro deixou seu lar de origem? Teria cometido algum crime? Seria um fugitivo da justiça ou um escravo foragido? Naturalmente essas indagações surgiam, num tempo em que poucos se aventuravam a ir além de seus vales e colinas de origem. O estranho estava sempre na defensiva, mas o povo de Deus não deveria aborrecê-lo. CBASD, vol. 1, p. 858.

34 Como o natural, será entre vós o estrangeiro. Não era suficiente que o estrangeiro fosse deixado em paz, sem ser aborrecido ou molestado. Ele devia ser tratado com a mesma consideração de um nativo. Cristo enunciou o mesmo padrão. Na verdade, ele citou o texto de Levítico quando disse: “Amarás o teu próximo como a ti mesmo” (Mt 22:39; Lv 19:18). Para que ninguém concluísse que por “próximo” Jesus se referia somente aos judeus, ele contou a parábola do bom samaritano. Qualquer pessoa em necessidade, judeu ou samaritano, amigo ou estrangeiro, é nosso próximo (Lc 10:30-37). CBASD, vol. 1, p. 858.

Deus falou para tratarmos os estrangeiros como trataríamos aos conterrâneos e amá-los como a nós mesmos. Na verdade, todos somos estrangeiros neste mundo, porque ele é nosso lar apenas temporariamente. Veja os desconhecidos, recém chegados e estrangeiroscomo oportunidades para demosntrar o amor de Deus. Life Application Study Bible.

35 O culto a Jeová e a desonestidade são incompatíveis, nunca podendo coexistir. Bíblia Shedd.

36 Balanças justas, pesos justos, efa justo e justo him tereis (ARA). NVI: “Usem balanças de pesos honestos, tanto para cereais quanto para líquidos”.




%d blogueiros gostam disto: