Reavivados por Sua Palavra


LEVÍTICO 8 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
18 de janeiro de 2019, 0:30
Filed under: Sem categoria


“E Arão e seus filhos fizeram todas as coisas que o Senhor ordenara por intermédio de Moisés” (v.36).


Uma das coisas que podemos perceber no estudo sobre o santuário é que Deus estabeleceu como ele deveria ser construído, quais os materiais que seriam utilizados, quem o construiria, o que ficaria dentro dele, quem o ministraria, como realizaria este ofício e até com que roupa faria isso. Absolutamente nada poderia fugir das instruções “que o Senhor ordenou que se fizesse” (v.5). Pela primeira vez, alguém iria oficiar no tabernáculo, realizando o primeiro sacrifício, e este alguém foi Moisés. Conforme tudo o que o Senhor lhe ordenara, Moisés seguiu o passo a passo divino na obra de consagração do templo e de Arão e seus filhos. Antes de assumir a posição dada por Deus, Arão precisou submeter-se a um ritual simbólico mas muito significativo. Ele e seus filhos foram lavados, vestidos, ungidos e consagrados por Moisés.

A respeito do simbolismo de tal cerimônia, já aprendemos nos capítulos 28 e 29 do livro de Êxodo. Assim como o pecado entrou no mundo através de um só homem, Arão, o sumo sacerdote carregava o peso de semelhante responsabilidade. Precisava fazer expiação não somente pelo povo, mas também por ele mesmo e por sua família. Sua vida deveria corresponder ao chamado que recebera. E a cada animal imolado, sob a forte impressão do quanto o pecado é repulsivo, suas palavras ao pecador que ali chegava com sua oferta deviam ser mais ou menos assim:

“Estou triste por haverdes pecado, e estou certo de que vós também estais. Mas Deus proveu o perdão para o pecado. Trouxestes aqui uma oferta. Ponde as mãos sobre a oferta e confessai vosso pecado a Deus… O cordeiro que ireis matar simboliza o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. O Messias há de vir e dar Sua vida pelos pecados do povo. Pelo Seu sangue sois perdoados. Deus aceita vossa penitência. Ide, e não mais pequeis” (O Ritual do Santuário, p.49).

O pecado deve gerar tristeza e aversão. A errônea compreensão acerca dos rituais de sacrifício, no entanto, podem torná-lo prazeroso e aceitável. Ali estavam os sacerdotes e o sumo sacerdote, em seu dever de fazer mediação entre Deus e o povo. Ali estava sempre à disposição dos filhos de Israel um lugar em que pudessem “pagar” pelos pecados que cometiam. Caso fosse esta a concepção que tivessem acerca do objetivo do santuário, e seria apenas um depósito de indulgências. Assim como o Senhor não Se alegra com sacrifícios e nem tem prazer em holocaustos (Sl.51:16), a morte daqueles animais deveria comover seus corações e levá-los a entender que “o salário do pecado é a morte” (Rm.6:23).

Há uma ênfase neste capítulo sobre a obediência do servo de Deus. “Fez, pois, Moisés como o Senhor lhe ordenara” (v.4). Por sete vezes é mencionada a obediência quanto às ordens dadas pelo Senhor a Moisés. Muitos há que têm confundido obediência com sacrifício. Antes da obediência deve haver a confiança. Moisés fez tudo conforme o “Assim diz o Senhor”, porque confiava nEle. Arão e seus filhos se submeteram a serem banhados, vestidos e consagrados por Moisés porque confiavam de que ele era um enviado de Deus. Quando Saul retornou da batalha contra os amalequitas trazendo os animais e o rei daquele povo com vida, desafiou as ordens divinas. O que dizia ser para sacrifício, na verdade eram emblemas que trazia para sua própria glória perante o povo. Mas logo suas vestes reais não teriam significado algum sem a bênção de Deus e sob o forte impacto da rejeição isso ficou bem claro nas palavras do profeta Samuel: “Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar” (1Sm.15:22).

Saul escolheu fazer o que era agradável à vista do povo. Moisés fez tudo conforme a vontade de Deus perante “toda a congregação à porta da tenda da congregação” (v.3). A condição para que Arão e seus filhos permanecessem na posição que o Senhor lhes designara era a obediência. Da mesma forma que Saul um dia perderia as suas vestes reais, o sacerdote que não cumprisse com fidelidade o seu voto feito ao Senhor, seria destituído de seu cargo, podendo até perder a vida (como veremos mais adiante, no capítulo 10). Como servos e servas de Deus, precisamos revelar ao mundo não o que lhe seja agradável, e sim o que lhe seja necessário. A diferença não deve ser vista apenas nas vestes, mas na vida que dentro delas exala o bom perfume de Cristo. Que nossa voz e nosso exemplo possam soar qual trombeta de Deus a advertir o mundo caído. Eis, agora, o tempo oportuno para isso.

Bom dia, vestidos e consagrados por Deus!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Levítico8 #RPSP

Comentários em áudio:
https://www.youtube.com/user/nanayuri100
https://www.youtube.com/channel/UCzzqtmGdF4UqBopc6CRiqLA


Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.



%d blogueiros gostam disto: