Reavivados por Sua Palavra


ÊXODO 34 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
4 de janeiro de 2019, 0:05
Filed under: Sem categoria

1819 palavras

E, passando o Senhor. O nome do Senhor representa Seu caráter, que segundo essa descrição tem três qualidades fundamentais: misericórdia, justiça e verdade. Coloca-se grande ênfase sobre a misericórdia, pois o relacionamento de Deus conosco está baseado nela (1Jo 4:7-12). Ela foi especialmente importante naquele momento em que tinham perdido o favor divino, que não seria restaurado, não fosse Sua misericórdia. … Na revelação do caráter de Deus a Moisés, o Sinai proclama não apenas a lei divina, mas também Sua graça. Esse fato prova que não tem fundamento a noção popular de que o Sinai representa a justiça mas não a misericórdia. A excelsa proclamação da graça feita no Sinai de modo algum anulou a lei nem impediu a justiça divina; em vez disso, esclareceu a relação de uma com a outra. Numa crise posterior, Moisés recordou a Deus do equilíbrio entre justiça e misericórdia proclamado nessa ocasião. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 1, p. 727.

grande em misericórdia e fidelidade. “Misericórdia”, aqui, traduz o termo hebraico (hesed), que denota a fidelidade da aliança de Deus e a sua devoção ao Seu povo (15.13, nota). Por causa do Seu amor e de Sua fidelidade, Deus não abandonará o Seu povo, mas habitará entre eles no Seu tabernáculo. Bíblia de Genebra.

6, 7 A proclamação pelo Senhor do significado e implicações do Seu nome nesses versículos veio a ser uma exposição clássica muitas vezes relembrada em outros trechos do AT (v. Nm 14.18; Ne 9.17; Sl 86.15; 103.8; 145.8; Jl 4.2). Bíblia de Estudo NVI Vida.

Moisés pediu para ver a glória de Deus (33.18) e essa foi a resposta de Deus. O que é a glória de Deus? É o Seu caráter, Sua natureza, Sua maneira de Se relacionar com Suas criaturas. Note que Deus não deu a Moisés uma visão do Seu poder e majestade, mas de Seu amor. A glória de Deus é revelada em Sua misericórdia, graça, compaixão, fidelidade, perdão e justiça. O amor e a misericórdia de Deus são verdadeiramente maravilhosas e nos beneficiamos delas. Podemos responder e dar glórias a Deus quando nossos caráteres se assemelharem ao dEle. Life Application Study Bible NVI.

Aqueles que dizem que o Deus do Antigo Testamento é “vingativo” deveriam também saber que o Senhor é misericordioso, compassivo, muito paciente e cheio de bondade e verdade. Ele perdoa a iniquidade (o mal), a transgressão e o pecado (que erram o alvo da Lei). Se os pecadores recusarem a misericórdia oferecida por Deus no evangelho, então receberão Seu julgamento. Deus jamais os limpará. Sem a intervenção Dele por meio da conversão, os filhos poderão cometer os mesmos erros dos pais. Bíblia Evangelismo em Ação.

7 Porque os pecados afetariam netos e bisnetos? Esta não é uma punição arbitrária. Crianças sofrem pelos pecados de seus pais. Considere o abuso infantil e alcoolismo, por exemplo. Enquanto esses pecados são óbvios, pecados como egoísmo e orgulho não são considerados. As tristes consequências do pecado não são limitadas a membros individuais da família. Tome cuidado para não considerar que o pecado somente afeta você, mas arrependa-se e deixe deles. O pecado pode causar a você pequena dor agora, mas ele pode ferroar uma área mais sensível de sua vida mais tarde – seus filhos e netos. Life Application Study Bible NVI.

segue em nosso meio conosco. Isto é o que o Senhor disse que não iria fazer, porque o povo era pecaminoso e teimoso demais (33. 3, 5). Agora Moisés cita os pecados deles como sendo a razão porque a presença de Deus deve estar lá. De fato, ele está pedindo que o Deus da graça, compassivo e misericordioso, habite no seu tabernáculo entre o Seu povo, e perdoe os seus pecados. E, então, vem o pedido incrível: “toma-nos por Tua herança”. Moisés não diz “dê-nos a nossa herança na terra” (cf. 33.2-3), mas sim “toma-nos como sendo o tesouro especial no Teu amor fiel” (o pensamento contido em 19.5). Bíblia de Genebra.

10 Eis que faço uma aliança. Esta não é uma referência a uma segunda aliança, mas se refere à renovação da aliança, após os eventos do último capítulo. Andrews Study Bible.

farei maravilhas. Estas maravilhas incluiriam a travessia do rio Jordão “a pé enxuto” (Js 3:14-17), a destruição de Jericó (Js 6:15-21) e a morte de seus inimigos pela chuva de pedras (Js 10:1-11). CBASD, vol. 1, p. 728.

coisa terrível. Não para Israel, mas para os inimigos (Dt 10:21; Sl 106:22; 145:6). CBASD, vol. 1, p. 728.

12 não fazer acordo com aqueles que vivem na terra. Israel não deve fazer  um tratado de paz com nenhum dos povos de Canaã para deixar algum deles viver no país. Bíblia de Estudo NVI Vida.

cilada. Os israelitas iam entrar num lugar de cultura elevada, com cidades, agricultura e uma religião organizada, etc. Seria fácil para descendentes de escravos, depois se longos anos no deserto, simploriamente abraçar a organização de Canaã. A todo custo deviam evitar a cilada de aceitar o paganismo e sua cultura. Bíblia Shedd.

12-14 Deus disse aos israelitas que não se unissem em rituais religiosos com o povo pecador à sua volta, mas que dessem absoluta lealdade e exclusiva devoção a Ele. Adoração pagã não pode ser simplesmente misturada com a adoração do santo Deus. Como Jesus destacou: “Ninguém pode servir a dois senhores … Você não pode servir a Deus e ao dinheiro” (Lc 16:13 NVI). O amor ao dinheiro é o deus de nossa época, e muitos cristãos tentam fazer acordo com este deus escravizante. Você está tentando adorar a dois deuses ao mesmo tempo? Para quem você é fiel? Life Application Study Bible NVI.

13 postes-ídolos. Da palavra ‘asherim. Estes “postes ídolos” parecem ter sido objetos de adoração feitos de madeira na forma de árvores truncadas. Essas cepas de árvores, possivelmente ainda com alguns tocos de galhos, eram objetos de adoração. CBASD, vol. 1, p. 728.

Os postes de Asherah eram postes de madeira que existiam junto dos altares a Baal (v. Jz 6:25). Asherah era a deusa consorte (esposa) de Baal. Representava boa sorte na agricultura e fertilidade. Life Application Study Bible NVI.

15 se prostituindo. A palavra é empregada para ilustrar a infidelidade religiosa, mormente porque Deus se revelou como um amantíssimo esposo de Sua Nação escolhida (Os 2.16), e porque os ritos de Canaã inculcavam as piores imoralidades sexuais. Bíblia Shedd.

comer dos seus sacrifícios. Participar de alimentos sacrificados a uma deidade pagã é um convite à transigência (cf 1Co 8; 10.18-21). Bíblia de Estudo NVI Vida.

18 O mês de abibe corresponde ao final do mês de março e início do mês de abril. Life Application Study Bible NVI.

21 na aradura. Visto que nas épocas do plantio e da colheita a tentação de violar o sábado era maior, a ordem é repetida. CBASD, vol. 1, p. 728.

24 alargarei o teu território. Ao contemplar a incomparável superioridade de Israel sobre as demais nações, muitos se uniriam ao povo escolhido de Deus de forma voluntária. Desse modo, as fronteiras de Israel seriam ampliadas até que finalmente “seu reino abarcasse o mundo” (PJ, 290). Jerusalém teria permanecido para sempre (GC, 19) e se tornaria a metrópole de toda a Terra (DTN, 577). CBASD, vol. 1, p. 728.

26 não cozerás… A compaixão é mais importante do que um prato. Bíblia Shedd.

28 quarenta dias. Isto duplicou o tempo que Moisés esteve no monte pela primeira vez (Êx 24:18). Nesta ocasião, o povo passou no teste da ausência de Moisés (ver Êx 34:30-32). CBASD, vol. 1, p. 729.

não comeu pão. Nisto também se repetiu a experiência anterior (Dt 9:9-12). A comunhão de Moisés com o Senhor lhe deu força física, e, por isso, ele não sentiu necessidade de comer e beber. As necessidades do corpo não foram sentidas porque os anseios do espírito estavam plenamente satisfeitos (Sl 16:11). Elias (1Rs 19:8) e Jesus (Mt 4:1, 2) são os únicos personagens que também ficaram sem comer e beber pelo mesmo período de tempo. CBASD, vol. 1, p. 729.

escreveu. Na oração final deste versículo o verbo “escreveu” se refere a Deus e não a Moisés (Êx 34:1; Dt 10:1-4). CBASD, vol. 1, p. 729.

O próprio Senhor escreveu os Dez Mandamentos nas tábuas. Bíblia de Genebra.

as palavras da aliança. Os Dez Mandamentos. Bíblia de Estudo NVI Vida.

29 não sabia Moisés que a pele do seu rosto resplandecia, depois de haver Deus falado com ele. O rosto resplandecente de Moisés era um reflexo da glória divina (2Co 3:7). De forma similar, na transfiguração, a divindade se deixou refletir na humanidade (Mt 17:2). Na ocasião anterior em que Moisés havia estado com Deus, não ficou em seu rosto nenhuma marca visível da presença divina (Êx 24:12-18). Esta diferença se devia em parte ao fato de ele ter passado por uma terrível prova e, com essa experiência amarga, tinha se tornado um homem melhor, mais puro e apto para a íntima comunhão com Seu Deus; e em parte ao fato de o povo estar arrependido, em vez de em rebelião. Moisés tinha demonstrado devoção, coragem e zelo ao refrear a apostasia. … O que está cheio do Espírito de Deus reflete o glorioso caráter de Deus. Dos que vivem próximo a Deus emana uma influência que, embora não percebam, como aconteceu a Moisés, tem notável efeito sobre outros. O ser humano não é tão impressionado com a aquilo que um cristão se esforça para conseguir, mas com o que o cristão consegue de forma inconsciente. CBASD, vol. 1, p. 729.

O verbo hebraico traduzido por “resplandecia” relaciona-se com o substantivo hebraico que representa “chifre”. O significado da expressão foi por isso entendido erroneamente pela Vulgata (a tradução em latim), de modo que a arte medieval européia muitas vezes retratava chifres britando da cabeça de Moisés. Bíblia de Estudo NVI Vida.

28-35 A face de Moisés brilhava após passar ele tempo com Deus. O povo podia claramente ver a presença de Deus nele. Quão frequentemente você passa tempo a sós com Deus? Apesar de sua face não iluminar um quarto, o tempo passado em oração. lendo a Bíblia e meditando teriam tamanho efeito em sua vida que as pessoas saberiam que você esteve com Deus. Life Application Study Bible NVI.

33 Tendo Moisés acabado de falar. Enquanto Moisés dizia ao povo “tudo o que o Senhor lhe falara” (v. 32), sua face estava descoberta. A partir de então, ele usou um véu sobre o rosto na presença do povo. O ato de cobrir o rosto com o véu aponta para jesus Cristo, que velou Sua divindade com a humanidade a fim de que pudesse estar com o ser humano (Fl 2:5-11; DTN, 23). Se o Filho de Deus tivesse vindo na glória do Céu, os pecadores não teriam resistido à Sua presença. Mas, como Filho do homem, Ele podia associar-Se livremente com os pecadores e prepará-los para a restauração à imagem de Deus. CBASD, vol. 1, p. 730.

35 viam que a pele do seu rosto resplandecia. A glória refletida no semblante de Moisés ilustra as bênçãos a serem recebidas, pela mediação de Cristo, pelo povo que guarda os mandamentos de Deus” (PP, 330 [339]). CBASD, vol. 1, p. 730.

Testifica de que, quanto mais íntima for nossa união com Deus, e mais claro o nosso conhecimento de Seus mandos, tanto mais plenamente nos adaptaremos à divina imagem, e mais facilmente nos tornaremos participantes da natureza divina. Patriarcas e Profetas, p. 330 [339].


1 Comentário so far
Deixe um comentário

Muito bom! Que Deus ilumine cada vez mais!

Comentário por Renato P da Costa




Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.



%d blogueiros gostam disto: