Reavivados por Sua Palavra


Ageu 2 by Jobson Santos
7 de janeiro de 2018, 1:00
Filed under: reforma, Sem categoria | Tags:

Comentário devocional:

Quando uma criança rebelde volta para casa, o que acontece na família? Celebração! Da mesma forma, quando Deus viu o trabalho feito por Seu povo, Ele lhes disse: “Estou feliz. Estou com vocês! Estou feliz não porque o que vocês fizeram foi perfeito, ou  impecável. Mas estou feliz porque vocês retornaram para mim”.

Quando o povo obedeceu ao Senhor e fez o que Ele lhes pediu para fazer, Ele revelou o seu segredo e prometeu que, em pouco tempo, o Desejado de todas as nações viria para preencher de glória este Templo. E a sua glória futura haveria de superar a sua glória passada. Aleluia!

Como um povo que aguarda a segunda vinda do Desejado de todas as Nações, demos de bom grado nossos corações a Deus. O principal templo que precisamos construir hoje é a nossa vida espiritual, o nosso relacionamento com o nosso amoroso Criador que nos levará a trabalharmos de coração para Ele.

Se aceitarmos este desafio e entregarmos completamente o coração ao Senhor, então nos últimos dias, o Senhor nos dirá, eu vou levá-lo para o meu reino e farei de você o meu sinete, o meu anel de selar.

Emmanuel S. D. Manu
Tesoureiro da Divisão Centro-Oeste Africana


Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/hag/2 ou https://www.revivalandreformation.org/?id=1157
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/10/14    
Equipe de tradução: Jeferson Quimelli/Pr Jobson Santos/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Ageu 2 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/


Ageu 1 by Jobson Santos
6 de janeiro de 2018, 1:00
Filed under: reforma, Sem categoria | Tags:

Comentário devocional:

Esta mensagem de Ageu, servo do Deus Altíssimo e um dos Profetas Menores do Antigo Testamento, veio durante o segundo ano do reinado de Dario, o Grande, quando o povo tinha retornado a Judá, vindos do exílio na Babilônia. Ele deu a mensagem a Zorobabel, governador de Judá (o líder político), ao sumo sacerdote Josué (líder espiritual), e aos que restaram de Judá, que aparentemente estavam preocupados com suas necessidades pessoais em vez de com a reconstrução do Templo do Senhor.

Naquela ocasião as pessoas poderiam ter dado muitas razões para justificar seus projetos pessoais. Hoje, enfatizamos que a família é nossa primeira responsabilidade e com razão, mas Ageu nos encoraja a colocar o amor a Deus e o interesse nos negócios de Deus como os principais interesses da família. Se os líderes das famílias e da igreja amam a Deus e permitem que o Seu Espírito os conduza, certamente os membros da igreja responderão positivamente aos apelos espirituais. Quando estabelecemos corretamente as nossas prioridades alcançamos o que pretendemos.

Sejamos como Zorobabel e Josué: prestemos atenção a essa mensagem e tragamos felicidade ao Senhor.

Emmanuel S. D. Manu
Tesoureiro da Divisão Centro-Oeste Africana


Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/hag/1 ou https://www.revivalandreformation.org/?id=1156
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/10/13   
Equipe de tradução: Jeferson Quimelli/Pr Jobson Santos/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Ageu 1 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/


Ezequiel 22 by jquimelli

Comentário devocional:

A lista de pecados entre o povo de Deus é chocante: idolatria, assassinato, sacrifício de crianças, adultério, incesto, extorsão e suborno nos tribunais, roubo, opressão dos pobres pelos ricos e a negação do direito aos estrangeiros. A lista é extensa (v. 7-12) E o pior: a podridão começa de cima para baixo. Príncipes, sacerdotes e profetas são igualmente violentamente corruptos (v. 6).

Sem dúvida alguma Deus intervirá e aqueles que agora parecem tão valentes entrarão em colapso. Como o metalúrgico lança o metal impuro na fornalha de purificação, assim Deus reunirá o povo em Jerusalém e soprará fogo sobre ele e eles irão derreter (v. 18-22). Deste modo eles verão o tamanho do Seu desagrado. Não existe como eles possam ser poupados do julgamento divino,

No entanto, Jerusalém não é a própria cidade do Senhor? Não foi o próprio Deus quem estabeleceu os seus muros para manter o inimigo fora? Sim, mas não se deixe enganar. Aqueles muros, aparentemente firmes e fortes, na verdade já estavam comprometidos.

É necessário encontrar rapidamente alguém para reconstruir os muros enquanto ainda há tempo. E se os muros não estiverem ainda completos no momento em que eles forem necessários, então temos que encontrar alguém que se interponha na brecha, evitando, assim, que o desprazer de Deus seja derramado (v. 30).

Aparentemente, não há ninguém capaz de defender o caso de Israel. Não há ninguém qualificado. O que então pode acontecer, senão a desgraça?

No entanto, existe Alguém qualificado que aceitou ficar na brecha. Alguém cujo perfil foi vislumbrado pelos profetas. Ele é ao mesmo tempo Filho de Deus e Filho do Homem, o Único qualificado. Ele se posiciona na brecha, pondo fim ao desagrado de Deus e salvando a Israel.

Jesus ocupou o lugar em que o muro estava quebrado, recebendo sobre Si a ira de Deus sobre o pecado do mundo, dando uma oportunidade não só a Jerusalém, mas a todos que nEle crerem, de sobreviver à justiça que Deus aplicará a toda a terra (Gn. 18:25). 

Mas eu também sou chamado para estar com Ele na brecha, orando por minha comunidade, por meu pais e pelo mundo. Não é esta uma honra e uma oportunidade maravilhosa?

Ross Cole
Avondale College, Australia

 

Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/eze/22/

Traduzido por JDS/JAQ

Texto bíblico: Ezequiel 22 

Comentário em áudio 



Neemias 13 by jquimelli
16 de junho de 2013, 0:00
Filed under: reforma, verdade

Comentário devocional:

Importantes temas vem à tona neste capítulo. À medida que o livro de Moisés era lido, “novas verdades” eram descobertas. Eles descobriram, por exemplo, que nenhum amonita ou moabita jamais deveria ser admitido na assembléia de Deus.

A verdade presente não é imóvel, ela é dinâmica. A verdade presente é sempre nova e continua inalterada através dos tempos. Para o reformador Martinho Lutero, no século 15, “a verdade presente” era baseada na autoridade das Escrituras e na salvação somente pela fé em Cristo Jesus. “A verdade presente” para os nossos pioneiros adventistas incluía entre outras coisas, a doutrina do santuário, o sábado e a segunda vinda de Jesus.

Se o povo de Deus continuar estudando e suplicando por luz, Deus continuará revelando ao Seu povo mais luz da Escritura. A Bíblia é como uma mina de ouro e somente aqueles que se demoram sobre ela e cavam mais profundamente continuarão a ouvir as verdades de Deus. O fundamental é que toda a verdade é baseada nas Escrituras.

A liderança espiritual de Neemias é demonstrada por conduzir o povo de Deus a efetuar reformas em três grandes áreas: (1) O sustento do trabalho de Deus através do dízimo, (2) A devida observância do sábado e  (3) Compromisso de não se casar com mulheres estrangeiras. 

Grandes líderes sempre levarão o povo de Deus a uma reforma que leva à lealdade para com a vontade de Deus.

“Pai Celestial, envia-nos líderes em todos os níveis da igreja – líderes que trarão um reavivamento e uma reforma”.

Pardon Mwanza

Vice-Presidente Geral

Conferência Geral

Trad JAQ/JDS



Texto bíblico: Neemias 13



Esdras 10 by jquimelli
3 de junho de 2013, 0:00
Filed under: reforma | Tags:

Resumo:

Os Israelitas choram. O sacerdote Esdras levanta-se e lhes diz: “Confessem seu pecado ao Senhor, e façam a vontade dele. Separem-se dos povos vizinhos e das suas mulheres estrangeiras”. Os chefes das famílias investigam o assunto durante três meses. 


Comentário devocional:

Existe esperança em qualquer situação! A graça de Deus é suficiente para cada situação somente se Seu povo estiver disposto a se voltar para Ele. E para que isso aconteça o povo de Deus precisa fazer mais do que orar – o povo precisa se apropriar de Sua graça e se empenhar em fazer a Sua vontade.

Enquanto Esdras orava e se confessava, chorando e curvando-se diante da casa de Deus, Secanias, filho de Jeiel, um dos filhos de Elão, que, como outros, havia transgredido por tomar mulheres estrangeiras, se arrependeu e disse a Esdras: “Fomos infiéis ao nosso Deus … Mas, apesar disso, ainda há esperança para Israel” (v. 2 NVI). Ele pediu uma reforma e uma renovação da aliança de acordo com a lei (v. 3), e disse: “nós seremos contigo, sê forte e age” (v. 4).

Qualquer reforma é sempre um retorno a fazer a vontade de Deus. A obra de reforma não é trabalho de um dia. O que é importante é que o povo de Deus decida a cada dia desistir de seus maus caminhos – a cada dia desistir daquilo que não é da vontade de Deus.

Os líderes espirituais e o povo concordaram em fazer o que foi proposto, mas como em qualquer reforma, nem todos concordaram em obedecer à vontade de Deus (v. 15).

“Pai Celestial, faz-nos saber que há esperança o tempo todo em Jesus.”

 

Pardon Mwansa
Vice-Presidente Geral
Conferência Geral
Trad JAQ/GASQ



II Crônicas 35 by jquimelli
23 de maio de 2013, 0:00
Filed under: reforma

Comentário devocional:

 

Enquanto que reavivamentos renovam o desejo de um coração nascido de novo, as reformas materializam este desejo em ações. Decisão e implementação são duas coisas diferentes, mas no final, ambas dependem uma da outra, resultando em reavivamento e reforma. Assim, como o capítulo anterior mostra Josias implementando um avivamento bíblico, este capítulo revela os três ingredientes necessários a uma reforma bíblica.

O primeiro deles é a restauração da Páscoa, um dos mais claros símbolos do sacrifício de Jesus Cristo. A primeira Páscoa aconteceu quando Israel foi libertado do Egito, o que apontava para o sangue de Cristo que nos liberta do pecado e da escravidão mundana e nos coloca no caminho de Canaã. Um grande esforço foi efetuado sob o comando de Josias para restaurar o modelo Cristocêntrico, para a Páscoa, desde o próprio sacrifício em si e o pessoal envolvido, até uma variedade de pequenos detalhes. “Nunca, pois, se celebrou tal Páscoa em Israel, desde os dias do profeta Samuel; e nenhum dos reis de Israel celebrou Páscoa, como a que celebrou Josias com os sacerdotes e levitas, e todo o Judá e Israel, que se achavam ali, e os habitantes de Jerusalém “(verso 18).

O segundo ingrediente da reforma é uma fiel coerência com as Escrituras. Josias insistiu que a reforma seguisse as prescrições de Davi (versos 4, 15), de Salomão (v. 4) e Moisés (versículo 6, 12). O rei conectou a reforma com as escrituras anteriores (versos 10, 16). Esse tipo de reforma não apenas honra a inspiração passada, mas encontra também uma convicção presente.

A terceira é a ênfase em todas as pessoas. O sangue da Páscoa não só os reunia. Através dele eles estavam desistindo de suas identidades genética, espiritual e pessoal em troca da nova identidade em ser povo de Deus. Tribos separadas, estrangeiros ou forasteiros já não existem, mas são novas criações pelo poder de Cristo. Tudo gira em torno de Deus – tempo, alimentação, identidades, valores, finanças, afetos – tudo, enfim. O terceiro ingrediente na reforma, portanto, é o “Fator Inclusivo”: todo o povo, todas as coisas, todos de Cristo.

Esta reforma não era uma nova ordem, mas o restabelecimento da original. Enquanto outras ações de reforma podem ser diferentes em detalhes, elas ainda mantêm as características da centralidade na cruz de Cristo, uma base bíblica para a crença, e uma afinidade absoluta para todos.

 

Justin Kim
Geração Juventude para Cristo
Trad JAQ/GASQ




%d blogueiros gostam disto: