Reavivados por Sua Palavra


1Crônicas 24 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
10 de janeiro de 2023, 0:45
Filed under: Sem categoria

“O ofício destes no seu ministério era entrar na Casa do Senhor, segundo a maneira estabelecida por Arão, seu pai, como o Senhor, Deus de Israel, lhe ordenara” (v.19).

Sem dúvida, o ofício sacerdotal era o de maior responsabilidade dentro da nação eleita. Como principais líderes religiosos de Israel, cabia aos sacerdotes a missão de fortalecer a espiritualidade do povo, ensinando-o a guardar todas as palavras da Lei. Dando continuidade aos últimos atos de Davi, este cuidou de dividir os sacerdotes “segundo os seus deveres no seu ministério” (v.3), de forma justa e ordenada.

Não se sabe que tipo de método foi utilizado, mas, “sendo escolhidas as famílias por sorte” (v.6), Davi promoveu uma espécie de comissão de nomeação harmônica e prática. Como as famílias que descendiam de Itamar estavam em menor número — metade do número das famílias de Eleazar — o procedimento utilizado por Davi também promoveu igualdade entre todos, vinte e quatro “dos cabeças das famílias dos sacerdotes” (v.31).

“O ofício destes no seu ministério era entrar na Casa do Senhor, segundo a maneira estabelecida por Arão, seu pai, como o Senhor, Deus de Israel, lhe ordenara” (v.19). Tanto os príncipes do santuário como os príncipes de Deus, sacerdotes e sumo sacerdotes, representavam as “funções religiosas da mais elevada hierarquia” (CBASD, v.3, p.194). Tudo deveria seguir um padrão criterioso, e estes sacerdotes principais tinham por dever garantir isso.

O próprio santuário era uma figura de Cristo e de Seu ministério. Tudo ali apontava para o plano da redenção e seu objetivo salvífico. O fato de haver formas preestabelecidas de como tudo deveria funcionar não elimina em nada o caráter de um Deus que faz de tudo para salvar. Se a cada geração de sacerdotes houvesse a mesma disposição em servir ao Senhor através da “fé que atua pelo amor” (Gl.5:6), certamente haveria sempre comunhão entre forma e resultado, e a primeira visitação de Jesus teria sido celebrada não só por todo o Israel, mas por todo o mundo daquele tempo.

Como povo de Deus dos últimos dias, necessitamos do abundante dom do Espírito a fim de cumprirmos com fidelidade os deveres de nosso chamado. Não queremos estar inertes como o Israel do passado, mas alertas nas colinas de Belém e na jornada dos sábios do Oriente. A religião de Cristo possui sim limites bem estabelecidos em Sua Palavra, mas se obedecidos apenas como uma formalidade, não passam de regras pesadas, quando na verdade são centelhas do ardente amor de Deus pela humanidade. Pastores e líderes, hoje, devem fazer brilhar ainda mais a luz do protoevangelho e não serão menos cobrados no juízo do que os que oficiavam no santuário; pois estes deveriam anunciar a primeira vinda de Cristo, e aqueles, devem alertar às últimas gerações de que Ele voltará.

Como no santuário, os nossos locais de culto devem ser regidos com ordem e harmonia, respeitando que, apesar de haver uma hierarquia, esta não pode e não deve ser usada ou considerada de forma arbitrária, mas sob o zeloso olhar de quem ama o bom Pastor e as ovelhinhas de Seu rebanho. Negociar princípios em troca de pequenas concessões pode não parecer perigoso, mas tem o potencial de causar grave ruptura e divisão no meio do povo de Deus. Como membros do corpo de Cristo, precisamos estar bem atentos quanto a isto, “orando em todo tempo no Espírito e para isto vigiando com toda perseverança e súplica por todos os santos” (Ef.6:18).

Sempre que houver risco de cometermos alguma injustiça ou que surjam diferenças que ameacem a harmonia do corpo de Cristo, busquemos ao Senhor de todo o nosso coração, oremos e clamemos por Seu auxílio e, certamente, o Espírito Santo nos unirá num só pensamento (At.4:32). Como “sacerdócio real” de Deus, fomos eleitos para proclamar “as virtudes dAquele que [nos] chamou das trevas para a Sua maravilhosa luz” (1Pe.2:9). Vivamos, pois, ministros e membros da Igreja de Deus, segundo os deveres do ministério que o Senhor nos confiou. Pois isto é justo, e nos guiará para Casa. Vigiemos e oremos!

Bom dia, sacerdócio real de Deus!

Rosana Garcia Barros

#1Crônicas24 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100


Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.



%d blogueiros gostam disto: