Reavivados por Sua Palavra


JOÃO 09 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
14 de julho de 2021, 0:45
Filed under: Sem categoria

“É necessário que façamos as obras dAquele que Me enviou, enquanto é dia; a noite vem, quando ninguém pode trabalhar” (v.4).

A crença que prevalecia entre os judeus era que enfermidades ou deficiências eram castigos de Deus aos pecadores. Por isso que, geralmente, a sorte de “um homem cego de nascença” (v.1), por exemplo, era a de viver “como mendigo” (v.8). Aquele homem cego deveria estar em seu costumeiro lugar, esperando ouvir o tilintar das moedas que caíssem em sua vasilha. O relato de João não diz que o cego pediu para ser curado e nem que Jesus lhe comunicou o que estava prestes a fazer. E sim que Ele “cuspiu na terra”, fez lodo com a saliva e aplicou aquela mistura nos olhos do cego (v.6). Imagino aquele homem tateando os braços e o rosto de Jesus, tentando entender o que estava acontecendo. Mas, antes que pudesse dizer alguma palavra, ouviu uma agradável voz que lhe ordenou: “Vai, lava-te no tanque de Siloé”, então “Ele foi, lavou-se e voltou vendo” (v.7).

Numa linguagem científica, Jesus tinha acabado de entrar no córtex visual primário daquele homem e restaurado os danos que o fizeram nascer cego. Mas um fato curioso é que, mesmo que uma criança nasça com sua visão perfeita, se lhe fosse colocado um tampão em um dos olhos, privando aquele olho de ter acesso à luz nos dois ou três primeiros meses de vida do bebê, este ficaria irreversivelmente cego do olho que foi obstruído. Ou seja, é o contato dos olhos com a luz que desenvolve a visão.

O porquê de Jesus ter aplicado lodo nos olhos do homem, não sabemos. Mas a Sua declaração anterior define bem o que Ele desejava realizar em sua vida: “sou a Luz do mundo” (v.5). Então me pego a pensar que Jesus mandou aquele homem se lavar porque se simplesmente o tivesse curado naquele momento, se a primeira imagem que ele tivesse visto fosse da pessoa de Jesus, seus olhos sempre adormecidos para a luz do sol não suportariam contemplar de pronto os brilhantes raios do Sol da Justiça.

Parece que esses milagres extraordinários tinham um dia escolhido a dedo para acontecer: o sábado. Conforme a considerável lista de várias regras sabáticas criadas pelos líderes judeus, uma delas proibia cuspir no chão em dia de sábado, pois a saliva estaria regando a terra. Os judeus estavam com algum tipo de “tampão” que os tornavam cegos espirituais. Não aceitavam a Cristo e Suas obras porque não tinham olhos espirituais para nEle crer. O sábado era um dia de rituais vazios e reuniões religiosas, e o que passasse disso era considerado grave pecado.

Após escrever tantos preciosos conselhos em Eclesiastes, o sábio Salomão terminou com a seguinte conclusão: “De tudo o que se tem ouvido, a suma é: Teme a Deus e guarda os Seus mandamentos; porque isto é dever de todo homem” (Ec.12:13). Notem que ele não disse que “isto é dever de todo judeu”, e sim “de todo homem”. E, ao contrário do que julgavam os judeus, Jesus foi o perfeito exemplo de obediência. Em nenhum momento transgrediu os mandamentos de Seu Pai, mas os confirmou e engrandeceu, sendo um fiel praticante de Sua Palavra. E, a cada sábado, Sua luz incidia o perfeito brilho de um dia especial de cura e restauração.

A primeira voz angélica nos diz: “Temei a Deus e dai-Lhe glória, pois é chegada a hora do Seu juízo; e adorai Aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas” (Ap.14:7). Ora, qual é o único mandamento que nos lembra que Deus é o Criador de todas as coisas? Há uma luz especial sobre o quarto mandamento da Lei de Deus e, certamente, Jesus também deixou isso bem claro. O profeta Isaías declarou que de um sábado a outro sábado adoraremos ao Senhor na Nova Terra (Is.66:23). Após citar um importante princípio sobre os dez mandamentos, Tiago diz que seremos julgados por esta Lei, a qual ele chamou de “lei da liberdade” (Tg.2:10-12). Paulo escreveu que “resta um repouso para o povo de Deus” (Hb.4:9). O remanescente dos últimos dias possui as seguintes características: “os que guardam os mandamentos de Deus e têm o testemunho de Jesus” (Ap.12:17).

Portanto, é nosso dever, meus irmãos, brilhar a luz de Cristo, especialmente aos sábados. A obediência como uma obrigação cega não é obediência, é presunção. Mas a obediência como resultado do temor a Deus e do amor que Lhe devotamos, é a manifestação da luz de Jesus em nossa vida. “Crês tu no Filho do Homem?” (v.35). Então, faça as obras de Deus enquanto é dia. O adore todos os dias, mas principalmente no dia que Ele abençoou, santificou e descansou (Gn.2-1-3), e te deleitarás no Senhor (Is.58:13-14). Vigiemos e oremos!

Bom dia, adoradores do Criador!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #João9 #RPSP


2 Comentários so far
Deixe um comentário

Olá! Bom dia.
Estou sentindo falta dos comentários selecionados. Eles dão mais clareza ao texto. Costumo diariamente ler o capítulo do Reavivados do dia, os comentários e fecho com a reflexão da Rosana Barros. Por isso que senti falta nestes últimos dois dias.

Comentário por Angelo Márcio

Olá. Também estou sentindo necessidade dos comentários selecionados, é o único comentário bíblico que tenho acesso. Está sendo temporário ou não será mais postado o comentário selecionado?

Comentário por Caio Santana




Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.



%d blogueiros gostam disto: