Reavivados por Sua Palavra


I Samuel 24 – terça, 01.01.2013 by Jeferson Quimelli
31 de dezembro de 2012, 23:02
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico à I Samuel 24
Texto de hoje do blog da Bíblia:
Enquanto Saul saiu para repelir as incursões dos  filisteus (ver capítulo 23:27-28), Davi se refugiou nas cavernas perto do oásis de En Gedi, que está localizado na costa ocidental do Mar Morto.
Saul, com “três mil homens, escolhidos dentre todo o Israel” (v. 2) veio procurando por Davi. Precisando se aliviar, Saul entrou sozinho dentro da mesma caverna onde Davi estava escondido, tirou o manto, e colocou-o ao lado. Alguns de seus homens sussurraram para Davi: “Agora é a sua chance! O Senhor colocou Saul em suas mãos!”
Davi, então, rastejou até onde Saul tinha colocado o seu manto, cortou um canto do manto de Saul e se arrastou de volta. Davi não chegou perto de Saul e não deixou ninguém fazê-lo. Ele disse: “O Senhor me guarde de que eu faça tal coisa ao meu senhor, […] o ungido do Senhor” (v. 6).
Quando Saul colocou seu manto e saiu da caverna, Davi saiu e fez seu apelo (v. 8-15). Ele não estava conspirando contra Saul; por que, então, Saul procurava matá-lo? O coração de Saul foi claramente tocado, mas Davi não confiou nas promessas de Saul e ele “e os seus homens subiram ao lugar seguro” (v. 22).
Se Davi tivesse matado Saul, ele teria agido como o próprio rei Saul estava agindo. Mas ele confiava o seu caso ao Senhor, que lhe havia prometido o trono de Israel. Ele iria esperar o tempo de Deus. Ele conhecia a promessa de Deus: “A Mim pertence a vingança e a retribuição” (Deut.32: 35 NVI). Ao confiar e esperar em Deus, Davi mostrou o Espírito de Cristo, quando disse: “Amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem” (Mat. 5:44).
Ralph Neall
Professor aposentado e missionário
Trad JAQ – Rev GASQ/JDS


I Samuel 23 – segunda, 31.12.2012 by Jeferson Quimelli
30 de dezembro de 2012, 23:02
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico à I Samuel 23
Texto de hoje do blog da Bíblia:
Ao lermos este capítulo, perguntamos: “O que essa passagem me diz sobre Deus?”
No verso 1, Davi ouve que o povo de Queila (uma cidade de Judá) estava sofrendo com as incursões dos  filisteus que lhes roubavam as colheitas de grãos. Então ele pergunta ao Senhor (v. 2 e 4) se deveria ou não livrar dos filisteus o povo desta cidade, e o Senhor responde que sim e lhe dá a vitória.
 Desde que Abiatar, filho de Aimeleque, o sacerdote, se juntara a Davi, trazendo com ele o éfode, ou estola sacerdotal, é provável que o Senhor se comunicasse com o jovem sacerdote por meio do Urim e Tumim, pedras que estavam anexadas ao éfode [Nota trad: Estas pedras brilhavam, uma ou outra, para indicar um “sim” ou “não” à pergunta formulada pelo sumo-sacerdote].
Nos versículos 10-12 Davi ouve que Saul iria destruir Queila a fim de colocar suas mãos sobre ele, Davi. O Senhor confirma que estas eram, realmente, as intenções de Saul, e diz a Davi que o povo de Queila iria entregá-lo e a seus homens a Saul. Então Davi retira seus homens de Queila para o deserto da Judéia.
O Senhor estava guiando os movimentos de Davi, mesmo na solitária região desértica. O versículo 14 diz que “Deus não entregou Davi em suas [de Saul] mãos” (NVI).
O ponto alto do capítulo é o encontro entre Davi e Jônatas, no deserto de Zife. Jônatas ajudou Davi “a encontrar forças em Deus” (v. 16 NVI) e lhe disse que Davi seria rei de Israel e ele, Jônatas, lhe seria o segundo no comando. Como João Batista, Jônatas disse, “que ele cresça e eu diminua.” (João 3:30). E esta foi a última vez em que Davi e Jônatas se viram.
No incidente final do capítulo, Davi escapou de forma dramática de Saul, quando o rei foi chamado de volta para expulsar os invasores filisteus do país. Deus não é mencionado, mas O vemos em ação nas entrelinhas.
O Senhor tinha um plano para Davi e apesar de seus erros e das agressões de Saul, Deus estava trabalhando por este plano. Ele tem planos para nós, também, e se confiarmos nEle, Ele irá resolver todas as coisas para que estes planos se concretizem. 
Ralph Neall
Professor aposentado e missionário


I Samuel 22 – domingo, 30.12.2012 by Jeferson Quimelli
29 de dezembro de 2012, 23:02
Filed under: Sem categoria
Texto bíblico à I Samuel 22
Texto de hoje do blog da Bíblia:

Neste capítulo, contemplamos os resultados do fracasso de Davi em não confiar totalmente no Senhor (1Sm 21:2) face à sistemática perseguição de Saul. Reunindo a corte em sua casa, Gibeá, Saul lança suspeitas de que seus próprios oficiais estejam dando cobertura para Davi. Neste momento, Doegue, o edomita, chefe dos pastores de Saul, conta a ele que viu o sacerdote Aimeleque dar a Davi pão e a espada de Golias.

Imaginando ver conspiradores mesmo entre os sacerdotes, Saul convocou a Aimeleque e toda a sua família. Os sacerdotes, é claro, não tinham idéia do porquê Saul queria vê-los. Nos versículos 14 e 15 temos a defesa razoável de Aimeleque em favor de Davi, mas Saul estava fora do alcance da razão. Ele ordenou que seus oficiais matassem os sacerdotes, e quando eles se recusaram ordenou que Doegue o fizesse. Então Doegue assassinou 85 sacerdotes. Toda a população da pequena cidade de Nobe foi, então, massacrada. Apenas um dos filhos de Aimeleque, Abiatar, sobreviveu.

A Bíblia não retrata Davi com um halo de perfeição. Ela mostra as coisas como realmente são, para o nosso próprio proveito. O erro de Davi levou à morte de todos os sacerdotes, assim como as pessoas da vila. Se tão apenas ele tivesse sido totalmente honesto com Aimeleque, quanta amargura poderia ter sido evitada!  Que arrependimento Davi deve ter sentido!
As palavras, “se tão apenas” ou: “eu poderia ter feito diferente!”, podem ser muito tristes, às vezes. Porém o Senhor não abandonou Davi, como lemos a seguir.
A história de Davi é um testemunho vivo da misericórdia de Deus. Aquele que fere outros pelos seus erros pode ser perdoado e restaurado, se ele se arrepender e renovar sua confiança no Senhor.

Ralph Neall

Professor aposentado e Missionário
Trad JAQ – Rev GASQ/JDS


Mapa das fugas de Davi – I Samuel 19 a 27 by Jeferson Quimelli
29 de dezembro de 2012, 22:11
Filed under: Sem categoria

Créditos do mapa: Atlas Bíblico, CPAD


I Samuel 21 – sábado, 29.12.2012 by Jeferson Quimelli
28 de dezembro de 2012, 23:02
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico à I Samuel 21

Texto de hoje do blog da Bíblia:

Para fugir do ciúme assassino do rei Saul, Davi fugiu e dirigiu-se ao sacerdote Aimeleque o qual servia no tabernáculo em Nobe. Sua aparição repentina surpreendeu o sacerdote. “Por que você está sozinho? Porque ninguém está com você?”, perguntou ele. Temeroso de que a verdade de que estava fugindo de Saul fosse descoberta, Davi recorreu ao engano. Ele disse a Aimeleque que o rei o havia enviado em uma missão secreta o que fez com que ele partisse rapidamente.

Nessa ocasião a fé de Davi falhou. Ele enfrentou sem medo o gigante Golias, mas agora não sabia exatamente o que fazer. Se ele tivesse dito a verdade, Aimeleque saberia como salvar a sua vida. Como o sacerdote não queria impedi-lo de cumprir a missão do rei, deu-lhe um pouco de comida e a espada de Golias e Davi saiu as pressas. Entretanto Doegue, o edomita e chefe dos pastores de Saul, relatou o incidente ao rei, como veremos no próximo capítulo.

Uma vez mais a fé de Davi falhou. Ele imaginou que poderia encontrar mais segurança entre os inimigos do seu povo do que no Reino de Israel sob a liderança de Saul. Então fugiu para Aquis, rei de Gate. Mas quando Aquis ouviu que o campeão israelita tinha vindo até ele, Davi passou a correr grande perigo. Ele só escapou porque fingiu-se de louco. Naqueles tempos acreditava-se que qualquer pessoa que prejudicasse uma pessoa insana podia, ela própria, tornar-se insana.

O Senhor é muito paciente e trata gentilmente com seus filhos tentados e provados, mas a vida de Davi mostra que aqueles que confiam em Deus e em Seu cuidado nunca devem ser desonestos e enganosos a fim de salvarem a si mesmos.

Ralph Neall
Professor aposentado e Missionário
Trad JDS – Rev JAQ



I Samuel 20 – sexta, 28.12.2012 by Jeferson Quimelli
27 de dezembro de 2012, 23:02
Filed under: Sem categoria
Texto bíblico –>  I Samuel 20
Texto de hoje do blog da Bíblia:


Só podemos vagamente imaginar a dor e o desgosto na alma de Davi, quando ele teve que se tornar um fugitivo, tentando salvar a própria vida. Na angústia do seu coração ele clama para Jônatas: “O que eu fiz de errado? Por que tudo isso está acontecendo?”
Quantas vezes essas mesmas perguntas ecoam em nosso próprio coração quando uma prova vem a nós ou quando as coisas parecem estar saindo do controle. Gritamos: “O que eu fiz de errado? Por que isto está acontecendo comigo? Será que Deus me abandonou?”
Devemos ter sempre em mente a batalha espiritual que enfrentamos como povo escolhido de Deus. O fato de estarmos sentindo o calor da batalha nem sempre significa que estamos fazendo algo errado. Pelo contrário, isso poderia significar que o inimigo está com raiva porque estamos fazendo a coisa certa!
“Pois a nossa luta não é contra seres humanos, mas contra os poderes e autoridades, contra os dominadores deste mundo de trevas, contra as forças espirituais do mal nas regiões celestiais. Por isso, vistam toda a armadura de Deus, para que possam resistir no dia mau e permanecer inabaláveis, depois de terem feito tudo.” Ef. 6:12,13 NVI.
Davi não é o único a sofrer perseguição neste capítulo. Jônatas também sente o calor da batalha enquanto continua a implorar por seu melhor amigo. Para o rei Saul, a atitude de Jônatas não faz sentido: “O que você tem na cabeça? Você não vê que o seu reino não poderá ser estabelecido enquanto Davi viver?” Mas Jônatas não está preocupado com o seu reino. Ele só quer ver estabelecido o Reino de Deus, mesmo que tenha de sacrificar a própria vida para que isso aconteça.
Ao enfrentarmos dificuldades e perguntas sem resposta nessa vida, mantenhamos essa perspectiva sempre em mente. “De fato, todos os que desejam viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos” 2Tm 3:12 NVI. Mas um dia, nós seremos declarados justos (Romanos 12:19) e Deus escreverá o último capítulo de nossa história (Ap 21:4).
No final, assim como aconteceu com Davi, veremos que valeu a pena passar por tudo isso. “Porque para mim tenho por certo que as aflições deste tempo presente não são para comparar com a glória que em nós há de ser revelada.” Rom. 8:18.
Embora não vejamos no momento da provação, a justa recompensa de Deus está aguardando a todos aqueles que se colocam a favor do Seu reino.

Melodious Echo Mason
ARME Bible Camp Ministries

Trad JAQ – Rev JDS



I Samuel 19 – quinta, 27.12.2012 by Jeferson Quimelli
26 de dezembro de 2012, 23:02
Filed under: Sem categoria
Texto bíblico à I Samuel 19

Texto de hoje do blog da Bíblia:


Se o pecado não é confessado e abandonado ele irá crescer e apodrecer até resultar em nada menos do que assassinato. O ódio começou no céu com Lúcifer (Isaías 14) e culminou com a morte de Jesus. Semelhante ódio continua hoje a levar perseguição e assassinato ao povo de Deus (Apocalipse 12:12). Isto é o que vemos acontecer em 1 Samuel 19 com o rei Saul. Inicialmente ele era um homem orgulhoso, depois ficou com inveja quando alguém passou a ser estimado mais do que ele mesmo, se encheu de ódio e, finalmente, tornou-se disposto a matar o próprio ungido de Deus. Felizmente Deus não deixou Davi à mercê da vingança de Saul. Neste capítulo, vemos como Deus levantou três intercessores diferentes para se interporem em favor de Davi.
O primeiro intercessor é Jônatas, suplicando a seu pai pela vida do seu amigo, com o risco de sua própria vida. É este o tipo de intercessor que estamos sendo para o povo escolhido de Deus? “Somos um amigo mais chegado que um irmão?” Prov. 18:24.
O segundo intercessor é a esposa de Davi, Mical, a filha de Saul. Ela não apenas professa amar seu marido, mas se empenha de todo o seu coração e força física a fim de ajudá-lo a escapar. É este o tipo de intercessor que estamos dispostos a ser, transformando em ações a nossa retórica de amor, mesmo quando isso significa arriscar a nossa reputação? “Sede praticantes da palavra, e não apenas ouvintes, enganando-vos a vós mesmos” Tiago 1:22 NVI.
O terceiro intercessor em favor de Davi é o profeta Samuel. E talvez a sua intercessão seja a mais importante das três. Neste capítulo, não o vemos argumentando com Saul ou agindo fisicamente a fim de salvar a vida de Davi, como os dois primeiros fizeram. Em vez disso, vemos o resultado que só poderia ter vindo de suas fervorosas orações. Vemos em operação aqui uma atuação tão poderosa do Espírito Santo de modo que ninguém, nem mesmo o rei Saul, conseguiu fazer mal a Davi. Este é um paralelo poderoso da história de Balaão em Números 23:8, onde ele mesmo é forçado a reconhecer: “Como posso amaldiçoar a quem Deus não amaldiçoou? Como posso pronunciar ameaças contra quem o Senhor não quis ameaçar? ” (NVI).
Eu acho que através desta história Deus quer nos ensinar a vital necessidade que Ele tem de intercessores. Não apenas em favor dos nosso vizinho perdido ou dos nossos entes queridos afastados da fé, mas em favor daqueles que dirigem a nossa igreja, os pastores do moderno Israel! Quando vemos problemas ou dificuldades no reino, é fácil apontar o dedo ou falar como poderíamos fazer um trabalho melhor. Deus ungiu Seus escolhidos e está nos pedindo para nos interpormos e sermos intercessores em prol deles (Ezequiel 22:30). Ele está nos pedindo para erguermos em oração os braços deles (Êxodo 17:12) para que possa haver hoje vitória para o Israel espiritual.
Você está disposto a ser um intercessor em prol da Igreja de Deus? A colocar a sua vida, o seu coração e suas orações a batalhar em favor dos líderes ungidos de Deus?


Melodious Echo Mason
ARME Bible Camp Ministries
Trad JDS – Rev JAQ



I Samuel 18 – quarta, 26.12.2012 by Jeferson Quimelli
25 de dezembro de 2012, 23:02
Filed under: Sem categoria
Texto bíblico à I Samuel 18
Texto de hoje do blog da Bíblia:
Imagino que quando Davi contava a história de sua vitória sobre Golias ao rei Saul, que Jônatas, em pé por perto, deve ter sentido uma profunda agitação em sua alma ao se lembrar da sua própria batalha de fé contra os filisteus (I Sam. 14:6). Esses jovens guerreiros tinham muito em comum.
Tanto Jônatas quanto Davi possuíam uma fé ousada, rara nos seus dias e para as suas idades. Eles tinham uma fé que dizia: “Se Deus é por nós, quem será contra nós?” (Rm 8:31); uma fé que dizia que: “Não por força ou por violência”, mas pelo Espírito de Deus a vitória seria conseguida (Zc 4:6); uma fé que dizia: “Ainda que Ele me mate, ainda assim esperarei nele” (Jó 13:15 NVI). Davi e Jônatas haviam trazido, praticamente sozinhos, a vitória para Israel quando eles avançaram na dependência da força de Deus. Ambos foram acima e além do dever a que foram chamados. Ambos eram humildes, mas corajosamente dispostos a defender a verdade a qualquer custo.

 Eles também tinham mais uma coisa muito importante em comum: ambos estavam na linha de sucessão ao trono, um por nascimento e o outro pelo plano de Deus. Se havia alguém que teria razões de não gostar de Davi, seria Jônatas. Mas, ao invés de lutar por seus direitos ou tornar-se amargo ou invejoso da força de Davi, como se tornou seu pai Saul, Jônatas se rendeu ao plano divino de Deus. Ele não apenas aceitou plano, mas alegremente deu até mesmo as suas vestes de príncipe e sua armadura, e as colocou em Davi reconhecendo assim que ele era o rei legitimamente escolhido. Jônatas e Davi também estabeleceram aliança mútua e perpétua de amizade e proteção leal entre suas famílias. Que linda representação do amor altruísta de Cristo!

Além do início da bela amizade entre Jônatas e de Davi, destaca-se quatro vezes ao longo deste capítulo que Davi era bem sucedido em tudo o que fez por Saul. Mesmo que ele soubesse que deveria ser o próximo rei e que se tornasse cada vez mais evidente que Saul era seu inimigo, Davi não se aproveitou da liderança concedida por Deus em seu próprio proveito, nem buscou o reinado pela força, mas serviu fielmente a Saul e continuou a esperar no Senhor.
Se sentimos que Deus nos chamou para uma grande tarefa, poderíamos ser tentados a forçar as circunstâncias para fazer acontecer o que acreditamos seja a vontade de Deus, em vez de esperar em Deus e andar pela fé. Mas em Tiago 4:10 lemos: “Humilhai-vos na presença do Senhor, e ele vos exaltará”. Como Jônatas e Davi, procuremos nos humilhar diante de Deus e permitir que Ele seja aquEle que nos exaltará!

Melodious Echo Mason
ARME Bible Camp Ministries
Trad JAQ – Rev GASQ


I Samuel 16 – Comentários bíblicos selecionados by Jeferson Quimelli
25 de dezembro de 2012, 18:54
Filed under: Sem categoria

Três temas em I Samuel 16 merecem uma maior atenção, em especial, o do v. 14.
Que o Espírito do Senhor nunca se aparta de nós.
Um abraço.

2 Saul […] me matará. A estrada entre Ramá (onde Samuel estava, 15.34) e Belém passava por Gibeá de Saul. Saul já sabia que o Senhor escolhera alguém para substituí-lo como rei (15.28). Samuel teme que os ciúmes incitem Saul à violência. Incidentes posteriores (18.10,11; 19.10; 20.33) demonstram que os temores de Samuel eram bem fundamentados (Bíblia de Estudo NVI Vida).

14 O Espírito do Senhor se retirou de Saul. Ver Jz 16.20. Quando o Espírito se retirou de Saul e se apoderou de Davi (v.13), as respectivas careiras contrastantes dos dois foram determinadas (Bíblia de Estudo NVI Vida).
Saul rejeitou o Espírito de Deus – cometeu o pecado imperdoável – e não havia nada mais que Deus pudesse fazer por ele. O Espírito do Senhor não se retirou de Saul de maneira arbitrária. Em vez disso, Saul se rebelou contra a orientação divina e, por vontade própria, se afastou da influência do Espírito. É preciso compreender isso em harmonia com o Salmo 139:7 e com o princípio fundamental do livre arbítrio. Se Deus, por meio do Espírito Santo, forçasse Sua presença na vida de Saul, a despeito dos desejos do monarca, estaria transformando-o numa mera máquina (CBASD-Comentário Bíblico Adventista do 7º Dia, Vol. 2, p. 569).

um espírito maligno, vindo da parte do Senhor. Essa declaração, e outras semelhantes nas Escrituras, indicam que os maus espíritos estão sujeitos ao controle de Deus e que operam somente dentro de limites divinamente determinados (Jz 9.23; 1 Rs 22.19-23; Jó 1.12; 2:6; cp. 2 Sm 24.1 com 1Cr 21.1) (Bíblia de Estudo NVI Vida).
Enquanto o Espírito de Deus estava com Davi, Saul começava a experimentar sérias desordens mentais. Espíritos malignos estão sujeitos ao controle de Deus (1Rs 22:19-23) (Andrews Study Bible).
Às vezes, as Escrituras representam Deus fazendo algo que, na verdade, Ele não impediu. Ao dar a Satanás oportunidade de demonstrar seus princípios, na verdade, o Senhor estaria restringindo Seu próprio poder. É claro que há limites que o inimigo não pode ultrapassar (ver Jó 1:12) (CBASD, Vol. 2, p. 569).

o atormentava. As crescentes tendências de Saul à depressão, aos ciúmes e à violência eram ocasionadas, por certo, pelo conhecimento que tinha da sua rejeição como rei (13.13,14; 15.22-26; 18.9; 20.30-33; 22.16-18) e por sua consciência da crescente popularidade de Davi, mas um espírito maligno também estava em jogo nessas aberrações psicológicas (ver 18.10-12; 19.9,10) (Bíblia de Estudo NVI Vida).
Josefo descreve o mal da seguinte maneira: “E quanto a Saul, algumas desordens estranhas e demoníacas lhe sobrevieram, provocando-lhe a sensação de sufocamento, como se estivesse pronto a estrangulá-lo” (Antiguidades, vi8.2). Com certeza, uma grave melancolia se desenvolveu à medida que ele se preocupava com o anúncio do profeta de que a coroa fora dada a um homem “melhor” do que ele (1Sm 15:28). A possessão intermitente por um espírito maligno levou Saul a se sentir e agir como uma pessoa demente (CBASD, Vol. 2, p. 569).

16 tu te sentirás melhor. Reconhece-se geralmente o efeito calmante de certos tipos de música sobre o espírito perturbado (ver 2 Rs 3.15). Além desse efeito natural da música, no entanto, parece no presente caso que o Espírito do Senhor estava ativo na música de Davi para suprimir temporariamente o espírito maligno (cf v. 23) (Bíblia de Estudo NVI Vida).
A musicoterapia tinha um efeito calmante sobre Saul. Mais tarde na Bíblia, Davi é descrito como um doce cantor em Israel que compunha salmos (2Sm 23:1) (Andrews Study Bible).
harpa. Ou melhor, “lira”. Saul foi aconselhado a procurar alívio na musicoterapia. O som da lira de Davi e o canto de hinos consagrados proporcionavam a Saul libertação temporária do espírito mau que o atormentava […] Por rejeitar continuamente a orientação divina, ele se tornou como o homem da parábola que Jesus contou sobre a possessão demoníaca (Lc 11:24-26) na qual o “último estado” da alma acabou sendo muito “pior do que o primeiro” (CBASD, Vol. 2, p. 569).

21 Esteve perante ele. Esta declaração não se refere à postura de Davi na presença de Saul, mas que ele entrou no serviço do rei (ver Gn 41:46; Dn 1:19) (CBASD, Vol. 2, p. 570).

23 Saul sentia alívio. Literalmente, “”Saul respirava”. O termo ruach significa “respirar”, “soprar”. O uso do verbo sugere um exalar forte e pronunciado do fôlego, como o que costuma acompanhar o relaxamento após um período de tensão, seguido de respiração normal. Os ataques de possessão demoníaca eram, ao que parece, acompanhados de tensão física e nervosa (CBASD, Vol. 2, p. 570).



I Samuel 17 by Jeferson Quimelli
25 de dezembro de 2012, 1:00
Filed under: Sem categoria | Tags:

Texto bíblico à I
Samuel 17

Texto de hoje do blog da Bíblia:
1 Samuel 17 narra uma das histórias mais conhecidas da
Bíblia: Davi e Golias. Golias era um campeão dos filisteus, o que significa que
ele havia vencido todas as suas batalhas.
De acordo com algumas estimativas ele tinha mais de 2,5 metros de altura
e usava uma armadura que pesava cerca de 90 quilos. É surpreendente que o jovem
Davi tenha tido a coragem de enfrentar esse gigante!
Mas olhemos para esta história com um pouco mais de
profundidade. Golias desafiou os exércitos de Israel, ou seja, ele desafiou o
Deus vivo de Israel. E ele fez isso, todas as manhãs e tardes, durante 40 dias
antes de Deus enviar um libertador. O libertador que Deus trouxe era um jovem
que com uma única pedra trouxe o gigante Golias ao chão.
Em Lucas 4:2 lemos que nosso Salvador foi tentado pelo diabo
durante quarenta dias. É interessante notar que no final dos quarenta dias
Cristo venceu e foi vitorioso sobre as três tentações, e todas elas tinham a
ver com pedras. (Relembre: 1) transformar pedras em pão x confiar; 2) uma alta
montanha de pedra representando a glória do mundo x adoração; e 3) a proteção
ao tropeçar o pé contra uma pedra x orgulho).
Cada tentação teve como base a presunção em relação a
bondade de Deus. Ainda assim, Cristo, a Pedra Viva, a pedra angular (Ef 2:20),
não abusou da bondade de Deus e derrotou a Satanás e todo o seu exército.
Cristo abriu assim um caminho para cada um de nós obtermos a vitória sobre todo
e qualquer “Golias”.
Davi não se abalou com a inveja dos seus irmãos, a
hipocrisia de Israel, ou os palavrões e insultos de Golias. Seu interesse era
apenas um: Provar a toda a terra que ainda havia um Deus em Israel que não poderia
ser desafiado daquela maneira! Ele não confiava na pedra que estava em sua mão,
mas na Pedra Viva, a Palavra de Deus.
Pois assim é dito na Escritura: “Eis que ponho em Sião
uma pedra angular, escolhida e preciosa, e aquele que nela confia jamais será
envergonhado” (1 Pedro 2:6 NVI).
nde temos colocado a nossa confiança hoje? Nos gigantes do
mundo ou na Pedra Viva?
Melodious Echo Mason
ARME Bible
Camp Ministries
Trad JDS – Rev JAQ 



%d blogueiros gostam disto: