Reavivados por Sua Palavra


Hebreus 6 by Jeferson Quimelli

Comentário devocional:

De todos os capítulos de Hebreus, esse é o que provavelmente mais tem causado consternação entre os cristãos. É realmente possível que uma pessoa possa ir além da graça de Deus? Existem pessoas que Deus realmente não pode perdoar? Sim, este capítulo diz que é possível.

Nos versos 1-3 o apóstolo diz que seus leitores precisam avançar em seu conhecimento do evangelho. Eles precisam comer o alimento espiritual dos adultos. Sua recusa em fazê-lo não só interrompe o crescimento, mas também pode levar à morte de sua relação com Cristo. Os versos 4-6 argumentam que o problema não é a possibilidade de haver um pecado grande demais para ser perdoado (pois o sangue de Jesus pode cobrir qualquer pecado, I João 1:7), mas que uma vez que o dom de Deus tenha sido apreciado e, em seguida, rejeitado, a pessoa assim neutraliza os meios que Deus usa para sua salvação. Na verdade, nesse caso possuir dons do Espírito pode causar mais distanciamento de Deus (vs. 7-8).

Felizmente, esse não é o caso da audiência da carta. Eles estão no caminho para a salvação. Eles precisam, no entanto, fazer duas coisas: (1) manter sua esperança até o fim e (2) ter paciência e perseverança (vv 9-12).

No resto do capítulo, o autor explica como realizar essas duas coisas. Os versos 13-15 descrevem Abraão como um exemplo de perseverança a imitar e os vs. 16-20 apresentam Jesus como a âncora firme da esperança do crente. Deus jurou a Abraão que através de sua descendência iria abençoar todas as famílias da terra (isto é, você e eu). Ao entronizar Jesus à Sua mão direita, Deus começou a cumprir Sua promessa a Abraão. É impossível que Ele esqueça do Seu juramento.

Jesus é a âncora de nossa alma!

Felix H. Cortez
Andrews University Theological Seminary 
Estados Unidos

Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/heb/6/
Traduzido por JAQ/JDS/IB
Texto bíblico: Hebreus 6 
Comentário em áudio 



Gálatas 4 by Jeferson Quimelli
16 de abril de 2015, 1:00
Filed under: confiança em Deus, salvação | Tags: , ,

Comentário devocional:

Tenho certeza que você já ouviu aquele velho ditado: “Se fizermos o nosso melhor, Deus fará o resto.” No entanto, esse ditado é tão absolutamente errado quanto comum quando se trata de salvação. Assim como os Gálatas, muitas vezes, perdemos de vista esse fato nas realidades do dia-a-dia da vida. Ficamos tão acostumados a confiar em nós mesmos para chegar a algum lugar neste mundo que às vezes agimos do mesmo modo espiritualmente. Numa última tentativa para mostrar aos gálatas a loucura dessa mentalidade, Paulo lembra-lhes que Abraão também falhou em confiar na promessa de Deus.

Depois de esperar 10 anos pela chegada do prometido, Abrão e Sara concluíram que Deus devia estar esperando que eles fizessem algo. Olhando para os costumes antigos de utilizar uma escrava como mãe de aluguel para uma esposa estéril, Abrão e Sara decidiram ter um filho através de sua serva egípcia, Hagar (Gn 16:1-6). O plano deles, no entanto, estava condenado ao fracasso desde o início. Em vez de resultar em uma bênção, esse plano causou nada mais do que tumulto e sofrimento. Quando a criança nasceu, o único elemento “milagroso” no nascimento de Ismael foi a disposição de Sara em compartilhar seu marido com outra mulher! Somente cerca de 15 anos depois Abraão finalmente percebeu que a promessa de salvação de Deus era algo que só Deus poderia efetuar – como o nascimento milagroso do filho Isaque através de sua esposa estéril Sara.

Olhando para trás é fácil e claro ver quão tola havia sido a tentativa de Abraão e Sara de tentar ajudar a promessa de Deus se cumprir. No entanto, quão frequentemente fazemos a mesma coisa? Em vez de esperar no Senhor para que Ele faça o que prometeu – seja em nossa própria vida ou na vida de familiares e amigos – ficamos impacientes e tentamos fazer com que as promessas se cumpram por nossos esforços resultando na maior confusão.

Carl P. Cosaert
Universidade Walla Walla
Estados Unidos




Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/gal/4/
Traduzido por: JAQ/JDS/IB
Texto bíblico: Gálatas 4
Comentários em áudio 



Romanos 15 by Jeferson Quimelli
13 de março de 2015, 1:00
Filed under: gentios, prudência, religião viva, restauração | Tags: ,

Comentário devocional:

Este capítulo dá continuidade aos pensamentos do capítulo anterior. Aqueles que são fortes devem “suportar as fraquezas dos fracos”, em vez de agradar a si mesmos. Devemos procurar edificar nossos irmãos e irmãs e não fazer nada que possa confundir a sua fé. Cristo não agradou a si mesmo e de bom grado levou sobre si as nossas culpas. 

A seguir, somos lembrados que as Escrituras foram escritas para a nossa paciência e aprendizado para que nos tornemos de um só pensamento para a união do corpo de Cristo, trazendo glória ao Pai e a Jesus Cristo (vs. 3-7).

Em seguida, Paulo passa a mostrar que Jesus Cristo veio para ministrar aos judeus, em confirmação das promessas das Escrituras (v. 8). Ele começa citando o Antigo Testamento para mostrar que os gentios deveriam também fazer parte do plano de salvação. Ele cita 2Sm 22:50, Sl 18:49, Dt 32:43 e Salmos 117:1, mostrando que os gentios são incluídos na expressão “povo”. Isso deixa claro que Deus veio para todos, não apenas para os judeus. Por fim, ele cita Isaías 11:10,11 para mostrar que a raiz de Jessé brotaria para reinar sobre o remanescente, preparando-o para a vinda do Senhor (vs. 9-12). 

Paulo explica que, por serem os gentios tão importantes para o plano de salvação, Deus o chamou para ser o ministro para os gentios a fim de pregar o evangelho a eles. E declara que os sinais e prodígios foram efetuados por intermédio dele para demonstrar que Deus estava por trás de seu trabalho. Ele cita Isaías 52:15 para mostrar que sua pregação do evangelho de Jesus Cristo aos gentios era um cumprimento da profecia. 

Paulo explica também que planeja estar com os crentes em Roma em seu caminho para a Espanha. No entanto, ele deve primeiro ir a Jerusalém para levar aos cristãos judeus o dinheiro arrecadado pelos gentios como uma demonstração do seu amor para com eles (vs. 23-33).

Infelizmente, Paulo seria preso em Jerusalém antes desta viagem planejada, o que acabaria por levá-lo a Roma, porém não como um homem livre, mas como um prisioneiro. No entanto, em meio a tudo isso, Deus fez com que todas as coisas contribuíssem para o bem (Rom. 8:28). A epístola que Paulo escreveu a Roma permanecerá até o fim do tempo preparando os crentes para receber a justiça de Cristo.

Norman McNulty
Neurologista, TN, EUA




Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/rm/15/
Traduzido/adaptado por JAQ/JDS
Texto bíblico: Romanos 15 
Comentário em áudio 



Provérbios 12 by Jeferson Quimelli
16 de janeiro de 2014, 0:00
Filed under: sabedoria | Tags: , ,

Comentário devocional:

Um velho ditado diz: “Eu gostaria de ser jovem novamente. Era quando eu sabia todas as respostas.” Eu me lembro de quando era adolescente e tinha uma opinião sobre tudo e queria compartilhá-la. Agora, quanto mais velho fico mais eu prefiro ouvir.

Poucas horas antes de escrever este comentário sobre Provérbios 12, recebi um e-mail de uma colega russa com um pedido que me pareceu completamente inapropriado. Ela pediu informações sobre minhas atividades que estavam fora do âmbito de sua responsabilidade. Enquanto eu me encolhia de contrariedade durante a leitura do pedido, decidi não enviar uma resposta irritada inadequada, mas obter mais informações. E fiquei feliz que o tenha feito. 

Poucos minutos depois, uma colega de trabalho me escreveu dizendo que a informação que essa colega russa estava pedindo não era para ela, pessoalmente, mas para o nosso departamento, que tinha todo o direito de solicitar aquela informação.

Pessoas que não conseguem controlar suas emoções enfrentam o fantasma do constrangimento e da vergonha. “O insensato revela de imediato o seu aborrecimento, mas o homem prudente ignora o insulto” (v. 16 NVI).

Você pode ser tentado a ignorar o meu incidente com o e-mail considerando-o como uma complicação de trabalhar em um ambiente multicultural. Mas isso não é verdade. As pessoas tantas vezes não entendem umas às outras que me surpreendo que mais guerras não tenham eclodido ao redor do mundo. Uma boa comunicação é uma habilidade que é difícil de dominar e escapa à maioria de nós.

É por isso que vale a pena ouvir. Antes de permitir-se sentir irritado com a primeira impressão, busque mais informações junto à fonte. Quando alguém chega até você com uma reclamação ou uma sugestão, consiga o máximo de informações que puder e, em seguida, repita o que ouviu para ter certeza de que entendeu a questão corretamente.

Na verdade, pode ser que você nem precise dar uma resposta. Muitas vezes as pessoas só querem ser ouvidas e só por ouvir você pode ser beneficiado com a oportunidade de aprender e crescer.

De fato: “O homem prudente não alardeia o seu conhecimento, mas o coração dos tolos derrama insensatez” (v. 23).

Façamos um esforço consciente de ouvir mais e falar menos.

 

Andrew McChesney

Jornalista na Rússia

 

Texto original em: http://revivedbyhisword.org/en/bible/pro/12/

Traduzido por JAQ/JDS

Texto bíblico: Provérbios 12 




%d blogueiros gostam disto: