Reavivados por Sua Palavra


Deuteronômio 14 by Jeferson Quimelli
25 de dezembro de 2015, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

Porque os israelitas foram separados para o Senhor, Moisés os lembra de novo, como fez em Levítico 11, quais animais cuja carne se poderia comer e quais eram impuros. A condição de separação e consagração dos israelitas deveria ser completamente incorporada ao seu estilo de vida e suas escolhas. Embora a “bebida forte” referida neste capítulo (v. 26) seja a fermentada, isto não era o ideal de Deus para Seu povo, assim como a escravidão e a poligamia. A instrução de Paulo para glorificar a Deus em tudo, até mesmo no que nós bebemos (1Co 10:31; 1Co 6:19-20), nos aconselha a abandonar tudo o que é prejudicial para o organismo.

O conceito de um “segundo dízimo” – distinto do primeiro dízimo, de uso exclusivo para o sustento dos sacerdotes e levitas – mostra-nos a importância de repartir de nossa abundância com aqueles que têm menos. Isto incluía os “sem terra” (hoje também incluímos os “sem teto”), o migrante, os marginalizados, os pobres e os refugiados. Ellen White nos lembra de nossa obrigação para com o pobre desamparado, com estas palavras: “Quando se tem feito o que é possível para ajudar o pobre a se ajudar a si mesmo, restam ainda a viúva e o órfão, o velho, o
inválido e o enfermo, os quais requerem simpatia e cuidado.” A Ciência do Bom Viver, p 137/202.

Cindy Tutsch
Diretora Associada aposentada do Patrimônio Ellen G. White

Também disponível em: http://www.revivalandreformation.org/bhp/pt/biblia/deut/14 e https://www.facebook.com/ReavivadosPorSuaPalavra
Texto original: http://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/deut/14 e http://revivedbyhisword.org/en/bible/deut/14/
Tradução/adaptação: Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Deuteronômio 14
Comentário em áudio
Leituras da semana programa Crede em Seus Profetas: Parábolas de Jesus, cap. 28



Deuteronômio 14 – Comentários pr Heber by Jeferson Quimelli
25 de dezembro de 2015, 0:21
Filed under: Sem categoria

DEUTERONÔMIO 14 – No estudo do capítulo anterior vimos como Deus preza pela verdade. A doutrina pode ser adulterada, mas não tem aprovação de Deus. Há falsos profetas, apóstolos, mestres, e, até falsos cristãos.

Ignorantes em relação à Bíblia torcem Sua mensagem para sua própria destruição e a de seus adeptos (II Pedro 2:1-3; 3:16). No texto em apreço, escrito por Moisés sob a inspiração do Espírito Santo, muitos têm-se desviado do seu verdadeiro significado.

Deus quer um povo santificado, separado do pecado, descomprometido com o erro, e avesso à corrupção (vs. 1-2). Diante disso, dois pontos são destacados:

1. Alimentação dos servos de Deus difere dos que servem ao seu bel prazer (vs. 3-21);

2. Os recursos dos que servem a Deus são usados diferentemente daqueles que servem ao orgulho/egoísmo, aos seus próprios interesses corruptos (vs. 22-29).

Em relação ao primeiro ponto, quase todas as instituições religiosas o descartam; já o segundo ponto, muitos o distorcem/deturpam.

Sobre o primeiro ponto, muitos consideram errado beber, fumar, usar drogas; mas, aprovam comer carnes que Deus declarou serem imundas, impróprias ao cristão, como porco e derivados: bacon, salame, banha, mortadela, calabresa, linguiça, etc.

Sobre o segundo ponto há várias controvérsias. Os que interpretam as Escrituras conforme suas próprias intenções (II Pedro 1:19-21) declaram que o dízimo pode ser usado conforme cada um propor no coração, não apenas entregar na igreja para evangelismo.

Em Tese de Conclusão de Curso (TCC), de Teologia, no UNASP-EC, Alex Adriano Machado destacou, sobre o dízimo em Deuteronômio 14 que, “a interpretação de um único dízimo, não exclusivo aos levitas, não é razoável, pois conduziria a tribo de Levi ao empobrecimento. A insistência nesta ideia macula todo o ensino bíblico sobre os dízimos e torna questionável a própria Bíblia, tendo em vista a irreconciliável contradição entre Dt 14 e Nm 18. Além disso, compromete seriamente a pregação do evangelho, uma vez que o próprio indivíduo define onde aplicar o dízimo. Uma investigação minuciosa das Escrituras não admite tal interpretação”.

Em seguida, Machado atesta que a Bíblia apresenta claramente três espécies de dízimos: O destinado totalmente aos levitas, o anual e o trienal.

Estude mais para não ser enganado! Não permita que o dinheiro, ou teu ventre, seja teu deus!

“Senhor, torna-nos santos… Amém!”– Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: