Reavivados por Sua Palavra


Deuteronômio 11 by Jeferson Quimelli
22 de dezembro de 2015, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

Há um elemento de proteção em obedecer a Deus. Basta olhar ao longo deste capítulo e vemos recompensas como: força, “vida longa”, boas condições climáticas, sucesso, a bênção de Deus, e assim por diante.

Mas uma ênfase exagerada sobre as “recompensas da obediência”, muitas vezes gera obediência por razões erradas. Na verdade, esse era o problema de Israel quando Jesus viveu entre eles. Desde o tempo do cativeiro babilônico, os judeus começaram a obedecer a Deus com o claro propósito de obter as recompensas prometidas por Ele. A obediência tornou-se mecânica e motivada pelo ganho. A obediência não era uma resposta espiritual, íntima, ao Deus misericordioso que eles adoravam.

No cerne do capítulo temos a promessa: “darei as chuvas da vossa terra a seu tempo, as primeiras e as últimas…” (v.14) É claro que isso está se referindo às chuvas reais. Na Palestina, as primeiras chuvas eram necessárias para amolecer o solo para arar e semear. As últimas chuvas permitiam a maturação final das culturas.

Hoje, o Espírito Santo deseja nos dar chuva espiritual e operar em nós o querer e o efetuar da boa vontade de Deus (Filipenses 2:13). Será que deixaremos isso acontecer?

John Ash
União Missão Chinesa
Hong Kong

Também disponível em: http://www.revivalandreformation.org/bhp/pt/biblia/deut/11 e https://www.facebook.com/ReavivadosPorSuaPalavra

Texto original: http://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/deut/11 e http://revivedbyhisword.org/en/bible/deut/11/
Texto original expandido em: https://reavivadosporsuapalavra.org/2012/09/26/
Tradução/adaptação: Jeferson Quimelli/Pr Jobson Santos/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Deuteronômio 11
Comentário em áudio
Leituras da semana programa Crede em Seus Profetas: Parábolas de Jesus, cap. 28



Deuteronômio 11 – Comentários pr Heber by Jeferson Quimelli
22 de dezembro de 2015, 0:45
Filed under: Sem categoria

DEUTERONÔMIO 11 – Não podemos gostar da superficialidade espiritual nem da hipocrisia religiosa. Devemos trocar qualquer coisa pela comunhão real e íntima com Deus. Isso é questão de decisão.

Conheça mais sobre DECISÃO…

1. Todo pai que teve grandes privilégios concedidos por Deus deve decidir revelar verdadeiro e grande amor a Deus guardando todos os Seus preceitos e obedecendo a todos os Seus requerimentos. Deus disciplina aos pais para que eles ensinem corretamente aos filhos (vs. 1-7).

2. Obediência a Deus não deve ser uma prática cega, um salto no escuro, uma vida sem lógica. Deus mesmo apresenta razões para a obediência, as quais são todas positivas: benefícios pessoais, familiares, materiais, espirituais, sociais, emocionais, etc. Sim, tudo isso resulta da verdadeira obediência motivada pelo amor fluindo do coração (vs. 8-25). Escolha ser obediente!

3. Desobediência ou obediência não tem nada a ver com predestinação. Qualquer pessoa, em qualquer lugar, época ou situação, pode escolher uma das opções sabendo que obediência resulta em bênçãos e, desobediência resulta em maldição. Você, agora mesmo, pode decidir por bênçãos ou por maldições em tua vida, família, trabalho, finanças, sociedade, etc. (vs. 26-32).

Reflita mais sobre DECISÃO…

• O rebelde/incrédulo/ateu não quer saber de Deus. Todavia, nem todo o que obedece ama; mas, todo o que ama a Deus, certamente obedece a Seus mandamentos. Infelizmente, muitos “obedientes” sem amor atrapalham a expressão da verdadeira religião.

• Obediência que não seja de coração não agrada a Deus. Fazer as coisas a Deus por obrigação, sem verdadeiro amor no coração, não passa de um(a) artista imitando alguém que serve a Deus.

• Escolher amar a Deus é uma decisão pessoal. Quem decide amar a Deus como se deve amá-Lo vive uma vida incomparável. A diferença é gritante, quanto são contrastantes as bênçãos e as maldições.

• Sem Deus vive-se sem esperança, sem opção; vive-se na escravidão, sem liberdade. Deus é Quem nos oferece a possibilidade e nos dá capacidade de escolher; depois, respeita essa capacidade deixando-nos escolher e colher os resultados de cada opção (v. 26-28).

Deus não impõe nada a ninguém: “Se diligentemente obedecerdes a meus mandamentos…”.

Atenção: A quais mandamentos? “… de amar o Senhor vosso Deus, e de O servir de todo coração e de toda vossa alma…” (v. 13).

Qual tua decisão? – Heber Toth Armí.



Deuteronômio 11 – Comentários selecionados by Jeferson Quimelli
22 de dezembro de 2015, 0:30
Filed under: Sem categoria

preceitos. Heb mishmar, lit “aquilo que se deve guardar”, portanto, a soma total daquilo que Deus ordenou ao povo observar. Bíblia Shedd.

a Datã e Abirão. Moises distinguiu Datã e Abirão de Corá. Por semelhante modo, o Sl 106.7 não incluiu Corá com aqueles que foram sepultados vivos. … Uma leitura mais cuidadosa do registro em Nm 16.16-35 mostrará que Corá estava no tabernáculo, entre os 150 homens que portavam incensários. Datã e Abirão, que não eram levitas, estavam defronte de suas tendas, juntamente com seus familiares, quando a terra os engoliu e a família de Corá estava com eles. Mas o róprio Corá pereceu com os 150 por causa do fogo que saiu do Senhor. Bíblia de Genebra.

10 não é como a terra do Egito, donde saístes. O Egito dependia de irrigação para ser frutífero, mas Canaã dependia da bênção direta de Deus, cf 8.7. Bíblia Shedd.

O Egito era regado pelo constante fluxo do rio Nilo, de onde os fazendeiros retiravam água para seus campos, através de canais de irrigação e outros meios. Por contraste, a terra de Israel depende da chuva, a qual Deus provê. Isto significa que Deus pode suster a chuva se Seu povo precisava ser disciplinado (vs. 16-17). Andrews Study Bible.

13 de todo o vosso coração. O mandamento de amar a Deus “de todo o coração” (Dt 6.5) é repetido em Deuteronômio pelo menos seis vezes. Bíblia de Genebra.

com o pé, a regáveis. O pé era usado para abrir e fechar pequenos canais em lugares onde a água era necessária. Bíblia Shedd.

14 chuva de outono e de primavera. A estação chuvosa na Palestina começa em outubro e termina em abril. Bíblia de Estudo NVI Vida.

18 frontal. A palavra assim traduzida provém de uma raiz cujo significado é “atar”, “rodear”. O substantivo é encontrado apenas nesta passagem, em Êxodo 13:6 e em Deuteronômio 6:8. Os judeus tomaram o conselho ao pé da letra, atando filactérios à fronte, pensando que desta forma ganhariam mérito com Deus (ver com. de Êx 13:9). CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 1, p. 1086.

21 como os dias do céu acima da terra. Quer dizer para sempre. Bíblia Shedd.

24 Todo lugar que pisar a planta do vosso pé. A mesma expressão e as mesmas fronteiras da terra de Canaã são reiteradas em Js 1.3-5. Bíblia de Genebra.

26 a bênção e a maldição. Essa introdução à cerimônia de bênçãos e maldição que devia ser celebrada em Ebal e Gerizim é reiterada em Dt 30.19, no fim do discurso de Moisés. Sob inspiração divina, Moisés enfatizou a obrigação do povo de Israel de amar a Deus e de obedecer aos Seus mandamentos. Bíblia de Genebra.

É surpreendente que Deus tenha colocado aos israelitas uma escolha entre bênçãos e maldições. É mais surpreendente ainda que a maioria deles, através da desobediência, escolheu as maldições. Nós temos a mesma escolha fundamental hoje. Podemos viver para nós mesmos ou viver em serviço a Deus. Escolher nosso próprio caminho é viajar em uma estrada sem saída, mas escolher os caminhos de Deus significa receber a vida eterna (Jo 5:24). Life Application Study Bible.

29 Gerizim … Ebal. A quem viaja das planícies de Moabe (34.1), é fácil avistar ao longe aquelas duas montanhas, para além do vale do Jordão, onde, ao entardecer, o sol se esconde (30). Ali estão a atestar a necessidade de uma escolha entre o bem e o mal. Bíblia Shedd.

Do lado sul do vale fértil onde fica Siquém. O monte Ebal está ao norte do mesmo vale. O monte Gerizim é fértil e o Ebal, não. Alguns comentaristas consideram que essa distinção dá motivo, ao menos em parte, a que um seja o monte da “bênção” e o outro, o da “maldição”. CBASD, vol. 1, p. 1087.

Os detalhes desta cerimônia são vistos nos caps. 27-28; a própria cerimônia foi realizada por Josué conforme a direção de Moisés (Js 8.30-35).

30 As frases “além do Jordão, na direção do por de sol” (v. 30) indicam uma localização de Canaã (isto é, a oeste do rio Jordão). Bíblia de Genebra.

Alguém que esteja do lado oriental do Jordão, do outro lado de Jericó, pode ver o pôr do sol próximo aos montes Gerizim e Ebal,  a uns 60 km de distância. CBASD, p. 1087.




%d blogueiros gostam disto: