Reavivados por Sua Palavra


ISAÍAS 35 – COMENTÁRIO ROSANA BARROS by Ivan Barros
24 de junho de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Fortalecei as mãos frouxas e firmai os joelhos vacilantes” (v. 3).


A vitória sobre os inimigos é relatada neste capítulo como a promessa de um tempo em que o povo de Deus não teria mais que preocupar-se com guerras. Mas a mensagem profética vai além, e descortina os séculos até o dia em que “verão a glória do SENHOR” (v. 2) e a “retribuição de Deus” (v. 4). Se o povo houvesse aceitado o “bom caminho”, de modo algum teria errado e de forma alguma teria rejeitado “o Caminho Santo” (v. 8). Teria sido tão real a felicidade da Sião terrestre quanto o será da Sião celeste.

A promessa da primeira vinda do Messias era o evento mais esperado entre o povo de Deus, ou pelo menos era o que deveria ser. Porém, a realidade mostrou que “o esplendor do nosso Deus” (v. 2) “veio para o que era Seu, e os Seus não O receberam” (João 1:11). O “Caminho Santo” (v. 8) tornou-se um de nós, fez cegos enxergar, surdos ouvir, coxos saltar, mudos cantar (v. 5-6), e, ainda assim, foi desprezado. A maior prova do amor de Deus pela humanidade foi em ter Cristo vindo para morrer em nosso lugar, garantindo-nos a salvação eterna por intermédio de Sua segunda vinda. Isto deve fortalecer e firmar a nossa vida na certeza de que é só uma questão de tempo até que tudo se cumpra e possamos dizer: “Eis que Este é o nosso Deus, em Quem esperávamos, e Ele nos salvará; Este é o SENHOR, a Quem aguardávamos; na Sua salvação exultaremos e nos alegraremos” (Isaías 25:9).

Infelizmente, a nossa situação não dista da situação do antigo Israel. Deus tem nos provado através de toda a história que Ele cumpre as Suas promessas e nenhuma JAMAIS falhou. Sua aliança eterna permanece em seu curso e o segundo advento de Cristo será tão real quanto o fato de você estar lendo este comentário agora. Mas realmente temos almejado este Dia? Você sente saudades de Jesus? O conflito dos séculos tem revelado toda a fúria do inimigo de Deus e toda a maldade do coração humano, fazendo com que os filhos do Reino fiquem “desalentados de coração” (v. 4), de “mãos frouxas” e “joelhos vacilantes” (v. 3). Contudo, há um recado especial para estes: “Sede fortes, não temais. Eis o vosso Deus… Ele vem e vos salvará” (v. 4).

Há um lugar de eterna paz reservado para “os resgatados do SENHOR”. Ali, “alegria eterna coroará a sua cabeça; gozo e alegria alcançarão, e deles fugirá a tristeza e o gemido” (v. 10). “Os remidos” (v. 9) de todas as nações “verão a glória do SENHOR” e irão maravilhar-se com “o esplendor do nosso Deus”. A força que lhes sobrevirá nos instantes finais será o resultado do que praticaram até então. Pela fé, contemplaram aqui a glória de Deus e hão de vê-la no Dia da manifestação do Unigênito do Pai. Da fraqueza extrairão força e do desalento, esperança.

Somos todos chamados a fazer parte deste rebanho de um só Pastor. Está prestes a se cumprir na vida dos salvos o anseio de Davi: “e habitarei na Casa do SENHOR para todo o sempre” (Salmo 23:6). Não troque os “mananciais de água” do SENHOR pelas ilusões desta “terra sedenta” (v. 7). Preparemos o nosso coração, “resgatados do SENHOR”, estamos quase chegando em casa!

Feliz sábado, amados!

Desafio do dia: Semana de oração especial: “Eu, __(seu nome)__, na presença de Deus!” (6o dia). Hoje cante hinos que falem sobre a Nova Terra e peça ao Espírito Santo que continue a lhe conduzir no “Caminho Santo” (v. 8).

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus
#Isaías35
#RPSP
#IASD



ISAÍAS 35 – COMENTÁRIO PR EVANDRO FÁVERO by Maria Eduarda
24 de junho de 2017, 0:25
Filed under: Sem categoria



ISAÍAS 34 by jquimelli
23 de junho de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário Devocional

Podemos ver reproduzido ao longo de toda a Bíblia, na vida do povo de Deus, o tema do Grande Conflito: luz contra as trevas, bem contra o mal, carne contra espírito. Isaías 34, uma profecia contra Edom, também se insere neste contexto e, para melhor compreender seu significado, é útil rever um pouco de história.

Edom prosperou por um tempo. No entanto, por causa de sua contínua batalha contra o povo de Deus ao longo da história, sua destruição como nação foi determinada. Como rejeitaram a Deus e Sua salvação, deveriam finalmente enfrentar um fim terrível. Em Isaías 34, encontramos a severa profecia de sua destruição (ver tb Ez 25:12,13).

Esta profecia cumpriu-se exatamente como predita. No entanto, ela possui um sentido mais amplo e terá o seu cumprimento futuro com a destruição no fim do mundo de todos aqueles que escolheram desprezar seu patrimônio espiritual e caminhar na direção contrária às leis de Deus. Naquele tempo, não haverá mais misericórdia e nem segunda chance.

Enquanto que os ímpios e os que escolheram ceder à carne em vez do Espírito Santo de Deus finalmente terão seu sangue derramado no último dia do julgamento, podemos nos alegrar de que Cristo já derramou Seu sangue para nós que optarmos por caminhar pelo Espírito.

Melodious Echo Mason
Coordenadora do programa Unidos em Oração [United in Prayer]
Sede mundial da Igreja Adventista do Sétimo Dia
Washington, DC – EUA

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/isa/34, https://www.revivalandreformation.org/?id=958 e http://revivedbyhisword.org/en/bible/isa/34/
Tradução anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/03/30
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Isaías 34 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/



ISAÍAS 34 – COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
23 de junho de 2017, 0:55
Filed under: Sem categoria



ISAÍAS 34 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
23 de junho de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria

ISAÍAS 34 – A grande batalha entre o bem e o mal está em rápido desenvolvimento; logo chegará ao seu auge! O armagedom faz parte deste grande conflito que é mais que real, é literalmente espiritual.

Pare! Pense…

1. A guerra espiritual é global; todos os habitantes do mundo todo estão envolvidos neste conflito (v. 1).

2. Deus nunca está limitado pela geografia, Sua jurisprudência é universal (v. 2); Sua santa presença no mundo fará com que o exército celestial se dissolva; o céu enrolará como pergaminho; os corpos celestes cairão; e, os pecadores morrerão por não suportarem a Sua glória (vs. 3-4).

3. Edom é uma ilustração do julgamento divino sobre as nações do Planeta Terra. O mundo se transformará numa terrível carnificina global quando Deus lidar com os exércitos do mal, formado por pessoas que enredaram-se no pecado (vs. 5-7).

4. O juízo contra a impenitente Edom é uma amostra do que acontecerá com os impenitentes habitantes do mundo (vs. 8-15):

a) Serão consumidos pelo fogo, não viverão eternamente entre o fogo como os salvos, visto no capítulo anterior.
b) O inferno não é um lugar à parte da Terra. Não está localizado em algum ponto do Universo; a sentença será dada no mundo e, todos os condenados morrerão.
c) Fogo que não se apaga e fumaça que sobe de geração em geração revelam que nenhuma matéria resistirá ao fogo. “Afirma-se que a devastação de Edom duraria para sempre, queimando de dia e de noite, um conceito comumente associado a queimar eternamente no inferno. Todavia, Edom não queimou para sempre. A expressão bíblica tem a intenção de dizer que o fogo não será extinto antes de consumir por completo aquilo que está queimando, até não restar nada” (Bíblia de Estudo Andrews).

5. Estude a Bíblia para ficar alerta. “Buscai no Livro do Senhor e lede”. As promessas reveladas cumprirão. Quem nelas confia se alegrará ao perceber a mão de Deus operando a salvação dos que se comprometem com o plano divino e, entenderão o julgamento dos que rejeitam a Deus (vs. 16-17). “Os juízos sobre os inimigos nacionais do antigo Israel em seus territórios servem como tipos ou profecias do Armagedom” (Hans K. LaRondelle).

Atenção: Estude mais a Bíblia para teu próprio bem! – Heber Toth Arm



ISAÍAS 34 – COMENTÁRIO ROSANA BARROS by Ivan Barros
23 de junho de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Chegai-vos, nações para ouvir, e vós, povos, escutai; ouça a terra e a sua plenitude, o mundo e tudo quanto produz” (v. 1).


Toda a terra está envolvida no grande conflito entre o bem e o mal, entre Cristo e Satanás, destinada “para a destruição” a fim de Deus “exercer juízo” (v. 5). A visão que Isaías teve não foi só da destruição “na terra de Edom” (v. 6), mas este povo foi uma representação do que acontecerá por causa da “indignação do SENHOR… contra TODAS AS NAÇÕES” (v. 2).

Não podemos ignorar o fato de que o SENHOR precisará um dia exercer o Seu juízo definitivo. E quando a Bíblia fala de destruição eterna, não se refere a um lago de fogo onde os ímpios queimarão eternamente. O contexto do verso 10 é de consequências eternas. Deus não perpetuará o mal, mas o extinguirá para todo o sempre. Ainda restam dúvidas? “Buscai no Livro do SENHOR e lede” (v. 16):

  • Judas 7: “como Sodoma e Gomorra, e as cidades circunvizinhas, que, havendo-se entregado à prostituição como aqueles, seguindo após outra carne, são postas PARA EXEMPLO DO FOGO ETERNO, sofrendo punição”. Estas cidades estão queimando até hoje? NÃO. Simplesmente deixaram de existir.
  • Malaquias 4:1: “Pois eis que vem o Dia e arde como fornalha; todos os soberbos e todos os que cometem perversidade serão como o restolho; o Dia que vem os abrasará, diz o SENHOR dos Exércitos, de sorte que NÃO LHES DEIXARÁ NEM RAIZ NEM RAMO”. A ação de Deus não deixará nem um vestígio sequer do pecado.
  • Apocalipse 21:4: “E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já NÃO existirá, já NÃO haverá luto, NEM pranto, NEM dor, porque AS PRIMEIRAS COISAS PASSARAM”. Logo após a destruição, João viu “novo céu e nova terra” (Ap. 21:1), ou seja, após purificar a terra com fogo, Deus a recriará para o deleite eterno dos salvos.

A Bíblia deixa bem claro que haverá uma segunda MORTE (Ap. 21:8), e esta definitiva. Será a última vez que alguma coisa no Universo irá morrer! “A MORTE JÁ NÃO EXISTIRÁ”, entendem? A “terra se tornará em piche ardente” (v. 9), como um “lago de fogo e enxofre” (Ap. 20:10), com o fogo que descerá do céu e consumirá Satanás, as hostes satânicas e os ímpios (Ap. 20:9). “A espada do SENHOR” (v. 6) exercerá juízo definitivo.

Amados, “o salário do pecado é a morte”, mas graças ao SENHOR, nosso Deus, porque este versículo não termina assim! O texto continua, dizendo: “… mas o dom GRATUITO de Deus é a VIDA ETERNA EM CRISTO JESUS, NOSSO SENHOR” (Romanos 6:23). Portanto, “já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus” (Romanos 8:1). Vivemos em um corpo destinado para a morte, mas “graças a Deus por Jesus Cristo, nosso SENHOR” (Romanos 7:25). Somente pela maravilhosa graça de Jesus poderemos ser salvos da destruição eterna.

“Buscai no Livro do SENHOR e lede” (v. 16)! Continue examinando as Escrituras, pois elas testificam de Jesus e nos conduzem à vida eterna (João 5:39). Se aceitarmos a Cristo como o nosso Advogado (I João 2:1), todos os dias até o fim, não precisaremos temê-Lo quando vier como Juiz (João 5:22). Salvação e juízo são mensagens mundiais. “O Salvador do MUNDO” (João 4:42) deseja salvar a todos (II Pedro 3:9), mas deixa bem claro de quem é a decisão: “escolhei, HOJE, a quem sirvais” (Josué 24:15). Escolha, AGORA, fazer a vontade do “Pai, que está nos céus” (Mateus 7:21).

Bom dia, salvos pela graça de Cristo!

Desafio do dia: Semana de oração especial: “Eu, __(seu nome)__, na presença de Deus!” (5º dia). Não desista! Vamos seguir com este propósito até o fim! Estou orando por você! Por favor, ore por mim também!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus
#Isaías34
#RPSP
#IASD



ISAÍAS 34 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
23 de junho de 2017, 0:25
Filed under: Sem categoria

Ouça a terra. A mensagem de Isaías 34 não é apenas para Judá, mas para todas as nações e para todas as épocas. Isaías descreve o terrível e triste destino dos ímpios, tanto em seus dias quanto no fim dos tempos. ele contempla o grande dia da matança, quando os ímpios serão mortos e seus corpos ficarão espalhados como o exército de Senaqueribe após a visita do anjo destruidor da parte do Senhor (Is 37:36). Na destruição do exército assírio, ele vê de antemão o destino final de todos os exércitos do mal que lutam contra Deus. Edom (v. 5) representa os inimigos do bem porque, com frequência, ele foi o mais cruel e impiedoso dos inimigos de Judá (ver 2Cr 28:17; Ez 35; Am 1:11). CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 4, p. 237.

O mau cheiro. Isto é, de guerreiros inimigos mortos. Quando Deus destruiu as forças de Senaqueribe, os corpos dos mortos ficaram espalhados como lixo (ver Is 66:16; Jr 25:33; Ez 39:11-20; Ap 19:17-21). CBASD, vol. 4, p. 237.

Os céus se enrolarão. Referência ao céu atmosférico (ver com. 2Pe 3:7, 10-12; Ap 6:14; cf. s 24:19, 20; Jr 4:23, 28). CBASD, vol. 4, p. 237.

Minha espada. A espada do Senhor simboliza Seus juízos sobre os ímpios (comparar com Dt 32:41, 42; Jr 46:1; Ap 19:13, 15, 21). CBASD, vol. 4, p. 238.

Edom. Ver com. de Ez 35:15. Com frequência, todos os inimigos do povo de Deus são tipificados por alguma nação cujo ódio e crueldade foram particularmente amargos. Esse foi o caso do Egito, Babilônia, Edom, Amom e Moabe. Embora parentes próximos dos judeus, os edomitas sempre manifestaram um particular rancor contra eles (ver com. de Is 34:1). CBASD, vol. 4, p. 238.

Sacrifício em Bozra. Esta era uma importante cidade de Edom (Is 63:1; cf. Gn 36:33; 1 Cr 1:44). CBASD, vol. 4, p. 238.

Bois selvagens. Do heb re’emim (ver com. de Nm 23:22). Os animais deste versículo, que representam as nações fortes da Terra, acompanhariam os fracos, ou seja, os cordeiros, bodes e carneiros do v. 6, ao local de sacrifício. CBASD, vol. 4, p. 238.

8 O dia da vingança. As nações aqui são representadas como participantes do grande conflito entre Cristo e Satanás, aliadas do mal contra Sião, a cidade de Deus (comparar com Zc 3:1, 2 … ver GC, 673). CBASD, vol. 4, p. 238.

Enxofre. As figuras do v. 9 se baseiam na destruição de Sodoma e Gomorra (ver com. de Gn 19:24). CBASD, vol. 4, p. 238.

10 A sua fumaça. Expressões similares são usadas em Apocalipse 14:11 e 19:3. A destruição de Sodoma e Gomorra é apresentada como um exemplo do “fogo eterno”, que destruirá os ímpios (Jd 7). Essas cidades, cuja destruição é “exemplo a quantos venham a viver impiamente”, foram consumidas “a cinzas” (2Pe 2:6). Todos os ímpios serão destruídos por completo e “se desfarão em fumaça” (Sl 37:20). … O fogo do juízo final não deixará dos ímpios “nem raiz nem ramo” (Ml 4:1; cf. Sl 37:9, 10; Ob 10) como se jamais tivessem existido (ver Ez 28:18, 19; Ob 16). CBASD, vol. 4, p. 238.

11 O cordel de destruição e o prumo de ruína. Do heb tohu … bohu, os mesmos termos traduzidos como “sem forma” e “vazia” em Gênesis 1:2, com o significado de  “caótico” e “desabitado” (ver com. de Gn 1:2). a mesma figura vívida da Terra se verá durante o milênio (ver com. de Is 24:1, 3; Ap 20:1-3). CBASD, vol. 4, p. 238, 239.

14 Sátiros (ARA; NVI “bodes selvagens”). Os versículos 11 a 15 apresentam uma descrição bastante simbólica do mundo em estado caótico. CBASD, vol. 4, p. 239.

16 No livro do SENHOR. Além das Escrituras, em nenhuma outra fonte há informação sobre o que acontece quando “a indignação do SENHOR está contra todas as nações” (ver com. do v. 2). CBASD, vol. 4, p. 239.




%d blogueiros gostam disto: