Reavivados por Sua Palavra


II CRÔNICAS 20 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
4 de fevereiro de 2023, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: II CRÔNICAS 20 – Primeiro leia a Bíblia

II CRÔNICAS 20 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL

II CRÔNICAS 20 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO – ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO – PR HEBER TOTH ARMÍ

Acesse os comentários em vídeo em nosso canal no Youtube (pastores Adolfo, Valdeci, Weverton, Ronaldo e Michelson)



II CRÔNICAS 20 by Luís Uehara
4 de fevereiro de 2023, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://www.bibliaonline.com.br/nvi/2cr/20

No capítulo 20 de Crônicas somos imediatamente convidados a ver como um filho de Deus deve reagir aos desafios da vida. Tão logo um inevitável infortúnio se apresenta diante de Josafá ele, de pronto, se apresentou diante de Deus em busca de refúgio. Diante da iminente batalha contra tropas inimigas o ato de fé do rei Josafá foi expresso na promoção de um jejum nacional em busca pelo Senhor. Esse sem dúvidas foi um ato de grandeza maior mesmo que os exércitos inimigos em torno de Jerusalém.

Tal jejum revelou a sua certeza de que não era a força física o que eles necessitavam para a vitória, mas o poder que está acima de qualquer fonte de vigor proveniente desta terra. Disto aprendemos que o reconhecimento humano de sua nulidade é condição necessária para o agir divino em sua completude. Neste segmento, umas das grandes belezas desta história é que o local da peleja que representaria o vale da morte ao povo de Deus passou a chamar-se o vale da Benção.

Isael Santos Souza Costa
Professor, Seminário Latino Americano de Teologia, Bahia, Brasil

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/2ch/20
Tradução: Pr. Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli/Luis Uehara



II CRÔNICAS 20 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
4 de fevereiro de 2023, 0:50
Filed under: Sem categoria

571 palavras

1 filhos de Moabe … Amon. Os descendentes desses inimigos continuaram sendo uma ameaça a Israel após a volta do exílio babilônico (Ne 2.19; 4.1-3,13) (Bíblia de Genebra).

3 Josafá teve medo. Não há problema em se ter medo diante do perigo; errado é sucumbir ao medo. Pessoas fortes e corajosas muitas vezes sentem medo; mas, apesar do temor, elas seguem adiante e agem resolutamente (Comentário Bíblico Adventista do 7º Dia, vol. 3, p. 277).

3-4,9 apregoou jejum. Josafá reagiu imediatamente convocando Judá a um jejum e a buscar o Senhor. Esses atos relembram a oração dedicatória de Salomão (20.18-19). … Josafá aplicou a oração dedicatória de Salomão explicitamente à sua situação (Bíblia de Genebra).

10 não permitiste. Foi ordenado a Israel que poupassem os edomitas por serem filhos de Esaú, o os moabitas e amonitas. Ver Dt 2:4, 5, 9, 19; Nm 20:14-21. (Comentário Bíblico Adventista do 7º Dia, vol. 3, p. 277).

15 Talvez não lutemos contra um inimigo armado, mas todo dia batalhamos contra a tentação, pressões e “governantes … deste mundo tenebroso” (Ef 6.12) que querem que nos rebelemos contra Deus. Lembre-se que como crentes nós temos o Espírito de Deus em nós. Se clamarmos pelo auxílio de Deus quando enfrentarmos dificuldades, Deus lutará por nós. E Deus sempre triunfa. Como podemos deixar que Deus lute por nós? (1) Pela conscientização de que a batalha não é nossa, mas, sim, de Deus; (2) pelo reconhecimento das limitações humanas e pela permissão que o poder de Deus atue através de nossos medos e fraquezas; (3) Certificando-se que estamos buscando os interesses de Deus e não nossos próprios desejos egoístas; (4) Pedindo a Deus que nos auxilie em nossas batalhas diárias (Life Application Bible Kingsway NIV).

20-30 A estratégia o resultado dessa batalha formam um contraste notável com a batalha anterior de Josafá (Bíblia de Genebra).

23 Depois de os amonitas e moabitas terem destruído o exército de Edom, parece ter havido contendas entre si acerca dos despojos, as quais trouxeram à tona antigas animosidades tribais (Bíblia Shedd).

36 navios que fossem a Tarsis. NVI: navios mercantes. Hebraico: “de navios que pudessem ir a Társis (comentário NVI). Isto é, navios do tipo transoceânico, que habitualmente iam a Társis, provavelmente na Espanha. No caso, a viagem seria para Ofir (talvez na Índia), cf. 1 Rs 22.49.

Eziom-Geber. Este porto marítimo de Salomão era também seu centro de refinação de cobre. É o gêmeo do atual porto de Elate, em Israel, no golfo de Aqaba, reconhecido como ponto altamente estratégico (Bíblia Shedd).

37 os navios se quebraram. Talvez saíram direto dos estaleiros, apanhando uma tempestade súbita no meio do golfo rochoso. O melhor plano resultará em fracassos e decepções, quando realizado em conformidade com aqueles que não pertencem a Deus. Os crentes fariam bem em não se comprometerem com as forças do mundo, por mais vantajoso que pareça (Bíblia Shedd).

Procuramos desastre quando entramos em sociedade com não crentes em Deus porque nossos fundamentos diferem (2 Co 6.14-18). enquanto um serve ao Senhor, o outro não reconhece a Sua autoridade. Inevitavelmente aquele que serve a Deus será confrontado com a tentação de comprometer seus valores. Quando isso acontece, o desastre espiritual acontece. Antes de firmar uma sociedade, questione: (1) Quais são os meus motivos? (2) Que problema estou tentando evitar ao buscar esta parceria? (3) Esta sociedade é a melhor solução ou é apenas uma solução rápida ao meu problema? (4) Eu já orei ou pedi a outros para orarem por a orientação? (5) O meu parceiro e eu realmente buscamos os mesmos objetivos? (6) Estou pronto a conseguir menores ganhos por obedecer à vontade de Deus? (Life Application Bible Kingsway NIV).



2Crônicas 20 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
4 de fevereiro de 2023, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Pela manhã cedo, se levantaram e saíram ao deserto de Tecoa; ao saírem eles, pôs-se Josafá em pé e disse: Ouvi-me, ó Judá e vós, moradores de Jerusalém! Crede no Senhor, vosso Deus, e estareis seguros; crede nos Seus profetas e prosperareis” (v.20).

Quando você ouve a palavra deserto, o que lhe vem à mente? Calor? Areia? Peregrinação? Tentação? Josafá havia acabado de renovar sua aliança com Deus por meio da segunda reforma em seu reinado. E “depois disto” (v.1), passou por uma das piores provas de sua vida. Dois grandes povos, Moabe e Amom, “com alguns meunitas”, ameaçaram destruir a nação de Judá. A Bíblia diz que “Josafá teve medo” (v.3). Só que esse medo o fez buscar socorro no lugar certo: “e se pôs a buscar ao Senhor” (v.3).

Todo o Judá se reuniu na Casa do Senhor, a mesma Casa que Deus disse que se o Seu povo orasse, se humilhasse e O buscasse, com genuíno arrependimento, Ele o ouviria, o perdoaria e o ajudaria (2Cr.7:14). Pois bem, lá estava todo o povo fazendo exatamente como disse o Senhor que fizesse: pedindo “socorro ao Senhor” (v.4). E que oração a de Josafá! Ele estava prestes a entrar no deserto. Ele sabia disso. E ele não procurou aliados políticos, não se apegou ao seu exército, mas na força e no poder do Senhor dos Exércitos. Não confiou em suas próprias forças, mas fixou os olhos em Deus: “porém os nossos olhos estão postos em Ti” (v.12).

Prontamente, o Espírito Santo veio sobre Jaaziel, que trouxe a mais fiel mensagem de Deus a todo filho em angústia: “Não temais, nem vos assusteis por causa desta grande multidão, pois a peleja não é vossa, mas de Deus” (v.15). “não tereis de pelejar […] ficai parados e vede o salvamento que o Senhor vos dará […] porque o Senhor é convosco” (v.15,17). Uau! Você pôde sentir o poder saindo de cada palavra? Não há como duvidar de um Deus assim! Meus irmãos, sempre que resolvemos fazer a vontade de Deus, podemos ter a certeza de que desertos virão. Surgirão provações que nos farão sentir medo, desânimo. Inimigos se levantarão para tentar nos tirar a paz. No entanto, em meio a tudo isso, se assumirmos a atitude de Josafá, e buscarmos ao Senhor de todo o nosso coração, Ele nos diz:

— Não precisa ter medo, filho(a), a guerra não é tua, é Minha. Você não tem que lutar. Apenas contemple o livramento que te darei, pois Eu sou contigo.

Que outra atitude podemos ter diante de um Deus tão maravilhoso, senão a atitude que teve Josafá e todo o povo? — Oh, Senhor, nos prostramos diante da Tua face e Te adoramos! (v.18). Mas para que Deus nos ajude no deserto da tentação, precisamos “pela manhã cedo” (v.20) nos dirigir ao deserto da comunhão. A nossa luta não é “contra o sangue e a carne”, amados (Ef.6:12), mas contra as forças do mal que tentam nos destruir. Eis aí a receita da vitória:

Levanta-te, povo do Senhor, todos, “como também as suas crianças, as suas mulheres e os seus filhos” (v.13), e de manhã cedo buscai ao Senhor por meio do estudo da Palavra e da oração, para crer no Senhor e no que Ele nos deixou escrito por intermédio de Seus profetas.

Lembrem-se que foi por meio de jejum, oração e do “está escrito” que Cristo venceu Satanás no deserto (Mt.4). Se seguirmos essa receita espiritual, logo estaremos “no vale da Bênção” (v.26), rendendo “graças ao Senhor, porque a Sua misericórdia dura para sempre” (v.21). Oh, amados, não percamos esse foco e Deus há de nos dar “repouso de todos os lados” (v.30). Há um recado do Céu para cada um de nós, hoje:

Não permita que Deus tenha que “destruir as tuas obras” (v.37) para que então você perceba que elas não têm poder para te fazer vencer. Você está sendo ameaçado? Busque ao Senhor. Está sendo perseguido? Busque ao Senhor. Alguém te faz sofrer? Busque ao Senhor. Circunstâncias adversas te afligem? Busque ao Senhor. Creia em Deus e estarás sempre seguro. Creia em Sua Palavra, e Ele te fará prosperar. “Tomai posição” (v.17) com os joelhos no chão e Jesus no coração, e apenas com os teus olhos contemplarás o livramento que Deus te dará, conduzindo-te ao eterno vale de Bênção. “Não temais”, povo de Deus, “nem vos assusteis […] porque o Senhor é convosco” (v.17). Vigiemos e oremos!

Feliz sábado, crentes perseverantes!

Rosana Garcia Barros

#2Crônicas20 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



II CRÔNICAS 20 – COMENTÁRIO PR HEBER by Jeferson Quimelli
4 de fevereiro de 2023, 0:40
Filed under: Sem categoria

II CRÔNICAS 20 – As dificuldades de vida parecem promover nossa espiritualidade. Quando buscamos a Deus, os grandes desafios e crises que enfrentamos neste mundo são excelentes oportunidades para Ele revelar Seu poder e vantagens de O buscarmos.

II Crônicas 20 ensina-nos a fazer jejuns coletivos; a convidar outras pessoas para juntos buscarem a Deus; a orar confiantemente reconhecendo Quem Deus é, o que Ele fez e o que pode fazer; a depender do tempo e da forma do Espírito Santo agir; a participar da adoração a Deus frente aos desafios da vida; a agir em sintonia com Deus na busca pela vitória completa; e, a ser grato por Deus conceder vitória e paz.

No texto, a coligação transjordanenses de Moabe, Amom e do monte Seir travou uma guerra desproporcional contra Judá sem causa justa (II Crônicas 20:10-12). Após a consagração do rei Josafá juntamente com o povo que viera de todas as cidades de Judá e juntos clamarem a Deus, o Espírito Santo “veio sobre Jaaziel” com orientações que resultariam em vitória para o exército que de madrugada sairia ao deserto de Tecoa e cantaria louvores a Deus.

Diante da orientação profética, foram os cantores do templo que lideraram o exército, não os capitães militares treinados para a batalha. Além disso, a música não era de batalha, nem exaltava a justiça ou a soberania divina; a letra rezava: “Deem graças ao Senhor, pois o Seu amor dura para sempre” (II Crônicas 20:20-21). Tem lógica?

A vitória ficou para o povo que buscou a Deus e confiou piamente em Suas orientações sem lutar; pois, a luta se deu entre os aliados, que se autodestruíram (II Crônicas 20:22-30); mesmo que nem Josafá nem o povo eram perfeitos diante de Deus (II Crônicas 20:31-37). Tudo isso nos evidencia que:
• Não importa o tamanho do problema, Deus é maior e sabe como resolvê-lo.
• Não importa quão pequenos somos, Deus pode conceder-nos Seu favor.
• Não importa se a lógica divina seja aparentemente absurda, ela tem mais lógica que nossa forma de ver as coisas.
• Não importa se não somos perfeitos; se perfeitamente buscarmos ao Senhor, graciosamente seremos atendidos e surpreendidos.

Se hoje buscarmos verdadeiramente ao Senhor, nosso dia será bem diferente do que seria sem dependência dEle. Portanto, reavivamo-nos! – Heber Toth Armí



SITUAÇÃO DO WEBMAIL by Jeferson Quimelli
3 de fevereiro de 2023, 20:21
Filed under: Sem categoria

Caríssimos, recebi da administração do WordPress informação de que a situação do Webmail (envio dos posts via email) estava normalizada.

Esperamos que continue assim.

Agradecemos a compreensão de todos.



II CRÔNICAS 19 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
3 de fevereiro de 2023, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: II CRÔNICAS 19 – Primeiro leia a Bíblia

II CRÔNICAS 19 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL

II CRÔNICAS 19 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO – ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO – PR HEBER TOTH ARMÍ

Acesse os comentários em vídeo em nosso canal no Youtube (pastores Adolfo, Valdeci, Weverton, Ronaldo e Michelson)



II CRÔNICAS 19 by Luís Uehara
3 de fevereiro de 2023, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://www.bibliaonline.com.br/nvi/2cr/19

Ontem, vimos que os planos de Deus prevalecem, mesmo com as consequências e baixas resultantes de falhas na sua implementação pelos seres humanos.

Ao retornar a Jerusalém, o profeta Jeú repreendeu Jeosafá por ajudar os iníquos e amar aqueles que odeiam o Senhor. Jeú disse que ele suportaria consequências por suas decisões, embora houvesse algo bom nele, como evidenciado ao livrar o país dos bosques onde a adoração pagã ocorria. Josafá continuou seu programa de reforma por toda Judá, visitando cada cidade pessoalmente para demonstrar seu compromisso em realizar a vontade de Deus. Este programa incluiu a criação de sistemas eclesiásticos e civis separados de justiça. Cada juiz foi exortado a se ver a si mesmo como um representante de Deus em seus julgamentos e a julgar cuidadosamente “porque com o Senhor nosso Deus não há injustiça, parcialidade ou suborno”.

O capítulo conclui com Jeosafá pedindo que eles “ajam com coragem, e que o Senhor esteja com aqueles que fazem o bem.” É preciso coragem para realizar a vontade de Deus; a falta de coragem geralmente nos impede de fazer as coisas que sabemos que precisam ser feitas. Agir com coragem e fazer o bem são sinônimos. Quanto mais cedo começarmos a agir com coragem em nossas vidas, mais cedo estaremos fazendo o bem e experimentando as bênçãos completas de Deus.

Tobias Elias
Professor de História em escola pública
Michigan USA

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/2ch/19
Tradução: Pr. Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli/Luis Uehara



II CRÔNICAS 19 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
3 de fevereiro de 2023, 0:50
Filed under: Sem categoria

316 palavras

4 O próprio rei Josafá liderara a obra reformadora, que induziu o povo à fé e à obediência ao Senhor. As instruções deixadas aos juízes e aos sacerdotes (v.5-9) servem para qualquer líder civil ou eclesiástico: 1) Tudo deve ser feito com dedicação e cuidado (v.6 e 7); 2) Deve ser feito num espírito de reverência e de fé (v.7 e 9); 3) reconhecendo que todo poder emana de Deus, e em Seu nome deve ser usado (v.6); 4) Deus, em tudo, é o grande Exemplo de justiça e imparcialidade (v. 7); 5) Deus está presente junto aos que realmente O amam, para inspirá-los, corrigi-los e consolá-los (v. 6) (Bíblia Shedd).

5 nomeou juízes. O nome Josafá (que significa “o Senhor julga”) é apropriado para o rei que instituiu essa reforma judiciária. A organização dos tribunais de justiça por Josafá (v. 5-11) seria de interesse especial para o cronista do período pós-exílico quando os tribunais da comunidade restaurada teriam sua existência e estrutura legitimadas por esse precedente (Bíblia de Estudo NVI Vida).

5-10 Josafá nomeou sacerdotes e levitas para ajudar a administrar a lei civil. Muitos anos antes, Moisés tinha escolhido homens capazes, fiéis e honestos para ajudá-lo a julgar as disputas entre as pessoas (ex. 18.21,22). Obviamente o melhor tipo de líder é o que sempre age com reverência a Deus. Líderes efetivos fazem que o trabalho seja feito; líderes fiéis garantem que o trabalho seja feito do modo de Deus e no tempo de Deus. Ele procuram incutir a sabedoria de Deus em futuros líderes e construir os valores de Deus em toda a comunidade (Life Application Study Bible Kingsway NIV).

10 sentença contestada. Isto é, casos que poderiam chegar ao tribunal central em Jerusalém, provenientes de outras cidades. Fica claro a partir desta passagem que o tribunal da capital era um supremo tribunal de apelação (Comentário Adventista do 7º Dia,vol. 3, p. 274).

entre sangue e sangue. Para definir os casos de morte “acidental”, em “legítima defesa”, ou “assassínio” (Bíblia Shedd).



2Crônicas 19 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
3 de fevereiro de 2023, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Agora, pois, seja o temor do Senhor convosco; tomai cuidado e fazei-o, porque não há no Senhor, nosso Deus, injustiça, nem parcialidade, nem aceita Ele suborno” (v.7).

Depois de voltar “para sua casa em paz” (v.1), Josafá se deparou com as palavras de repreensão do profeta “Jeú, filho de Hanani” (v.2), aquele que anteriormente fora usado por Deus para repreender o seu pai. Foi-lhe dito: “Devias tu ajudar ao perverso e amar aqueles que aborrecem o Senhor?” (v.2). Josafá havia se unido a Acabe não somente em batalha, mas estabeleceu uma aliança de resultados duradouros e desastrosos, ao permitir o casamento de seu filho Jeorão com Atalia, filha de Acabe com Jezabel. Josafá se mostrou como um homem de coração bondoso, mas também ingênuo no quesito relacionamentos.

Não podemos confundir o princípio bíblico de amar os inimigos, com a insensatez de nos tornarmos cúmplices deles. Não podemos confundir compaixão com condescendência. Compaixão é colocar-se no lugar do outro; é sofrer junto. Já a condescendência, de acordo com o dicionário, é “atitude de quem concorda com algo, embora tenha vontade de o recusar”. Josafá tolerou as ações de Acabe, embora soubesse que eram contra a vontade de Deus. Ele foi conivente. Foi isso que provocou “a ira da parte do Senhor” (v.2). No entanto, Josafá não recebeu apenas uma repreensão, mas uma admoestação plena de misericórdia: “Boas coisas, contudo, se acharam em ti; porque tiraste os postes-ídolos da terra e dispuseste o coração para buscares a Deus” (v.3).

A partir de então, Josafá deu início a uma nova reforma em seu reino, estabelecendo juízes para que julgassem o povo “da parte do Senhor” (v.6). Ao aceitar a repreensão profética, buscou admoestar as autoridades locais a andar no “temor do Senhor” (v.7). A Bíblia diz que “o temor do Senhor é a sabedoria” (Jó 28:28). Temer a Deus seria o sustentáculo da justiça no ofício daqueles juízes. E a mesma coisa Josafá ordenou aos levitas, sacerdotes e cabeças das famílias de Israel: “Assim, andai no temor do Senhor, com fidelidade e inteireza de coração” (v.9). Se o temor de Deus é sabedoria, então, se tememos a Ele, fazemos o que Ele nos pede; se tememos a Deus, nossa vida é governada pelo “assim diz o Senhor”; se tememos a Deus, temos amor e compaixão pelo próximo, mas não nos tornamos participantes de seus pecados; se tememos a Deus, não levantamos falso juízo contra nossos semelhantes; se temos o temor de Deus, o Senhor nos torna bons (v.11) assim como Ele é.

Josafá agiu corretamente ao consultar um profeta de Deus antes de ir à batalha, mas falhou ao aliar-se com Acabe. Como está escrito: “Não vos ponhais em jugo desigual com os incrédulos; porquanto que sociedade pode haver entre a justiça e a iniquidade? Ou que comunhão, da luz com as trevas?” (2Co.6:14). Isso não significa que devemos viver isolados do mundo, mas que temos a escolha de rejeitar o que ele nos oferece. Jesus nos deixou escrito o que devemos fazer para alcançar este propósito: “Eis que Eu vos envio como ovelhas para o meio de lobos; sede, portanto, prudentes como as serpentes e símplices como as pombas” (Mt.10:16). Então, amados, “fazei assim e não vos tornareis culpados” (v.10).

A primeira voz angélica anuncia a plenos pulmões: “Temei a Deus e dai-Lhe glória, pois é chegada a hora do Seu juízo; e adorai Aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas” (Ap.14:7). Muito em breve os juízes desta terra darão lugar ao Justo Juiz, e Ele não julgará simplesmente as ações de nossas mãos, mas as intenções de nosso coração. O princípio apresentado no livro de Jó, reforçado por Josafá e proclamado pela primeira voz angélica, deve ser a nossa motivação e escolha diária: temer a Deus, “com fidelidade e inteireza de coração” (v.9). “Sede fortes no cumprimento disso, e o Senhor será com os bons” (v.11). Vigiemos e oremos!

Bom dia da preparação, bons filhos de Deus!

Rosana Garcia Barros

#2Crônicas19 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100




%d blogueiros gostam disto: