Reavivados por Sua Palavra


SALMO 78 – #RPSP – COMENTÁRIO ROSANA BARROS by Ivan Barros
17 de janeiro de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Escutai, povo Meu, a Minha lei; prestai ouvidos às palavras da Minha boca” (v. 1).

Um Salmo que inicia com palavras proferidas pelo próprio Deus merece uma atenção especial, vocês não acham?Ao estudar o livro de Êxodo, percebemos que cada detalhe da história de Israel possui um significado maior. Por exemplo:

  • O maná (v. 24) representava a Cristo, o Pão que desceu dos Céus (Vide João 6:51);
  • A Rocha que jorrava água (v. 16), também era uma representação de Cristo, a Pedra angular (Vide I Pedro 2:4) e a Água da vida (Vide João 4:14);
  • O santuário terrestre (v. 69) era uma ilustração acerca do plano da salvação e do verdadeiro santuário, o celeste (Vide Hebreus 8:2).

Portanto, não é de se estranhar que Jesus tenha Se comunicado através de parábolas (v. 2; Vide Mateus 13:35).

Em nosso estudo da jornada dos hebreus, percebemos também que a ideia de um Deus tirano foi lançada por terra. O cuidado de Deus para com o Seu povo não era guiado por Sua ira, mas por Sua rica misericórdia (v. 38). Vez após vez o povo O tentava com suas rebeliões sem causa (v. 8). Apesar de terem sido testemunhas oculares de sinais e prodígios jamais vistos (v. 11, 12), ainda assim endureciam o coração cada vez que sentiam falta de algo que possuíam no Egito. Não conseguiram avançar para a terra prometida, enquanto não pararam de olhar para trás.

Meus amados, o SENHOR não elegeu Israel para ser o único povo a ser salvo, mas como Seu representante da única mensagem de salvação. A primeira declaração de Cristo na tentação do deserto é um chamado de Deus para TODOS. Ele não disse: “Nem só de pão viverá o judeu…”, e sim: “Nem só de pão viverá o HOMEM, mas de toda palavra que sai da boca de Deus” (Mateus 4:4; Vide Deuteronômio 8:3). Portanto, dar ouvidos às palavras que saem da boca de Deus é dever de todo homem.

Mas, infelizmente, Israel não deu ouvidos ao que Deus ordenou (v. 5). As novas gerações foram surgindo e os propósitos do SENHOR foram sendo esquecidos (v. 7). A ordem de Deuteronômio 6:4-9 (Leia!) foi ignorada e seus filhos “tornaram atrás…desviaram-se como um arco enganoso” (v. 57).

Notem a preocupação de Deus para com a educação dos filhos. Não era importante apenas o conhecimento da Palavra de Deus, mas a sua vivência. A vida espiritual dos pais deveria ser refletida na dos filhos e assim por diante. Ao ver toda a história de Israel se cumprir na vida de Cristo, aquela geração deveria tê-Lo adorado e não rejeitado. Não corremos nós o mesmo risco? Nunca se falou tanto em Deus como hoje. Nunca houve no mundo tantas igrejas cristãs. Mas também nunca houve uma geração tão ignorante com relação as verdades da Bíblia e nem tantos lares destruídos. E quanto mais o mundo busca a paz e a fraternidade, tanto mais o caos se alastra. E porquê? Porque com a boca lisonjeiam a Deus (v. 36), mas o coração não é firme para com Ele e não são “fiéis à Sua aliança” (v. 37). O homem busca o próprio infortúnio ao dar as costas para as palavras de vida eterna. Assim como os filhos de Israel “não reprimiram o apetite” (v. 30), o apetite deste mundo pelo mal não tem limites.

Onde estão vocês, pais e mães que decidem iluminar este mundo com uma descendência que verdadeiramente teme a Deus? Quantos lares têm quebrado o estigma maligno para realizar o culto familiar diário? A maior herança que podemos deixar aos nossos filhos é uma vida espiritual sólida e fiel. O SENHOR nos deu filhos para isto. Eles não são nossos, são do SENHOR (Vide Salmo 127:3). Somos chamados a educar uma geração de verdadeiros adoradores (Vide João 4:23), e, para isso, a mudança deve começar a ser vista em nós:

A primeira obra dos cristãos é manter a unidade da família. Quanto mais intimamente forem unidos os membros da família em sua obra no lar, tanto maior será a influência que pais e mães exercerão fora dele” (Fundamentos do Lar Cristão, p. 20).

Que nossos lares sejam para o mundo a prática da palavra que sai da boca de Deus!

Bom dia, lares de esperança!

Desafio do dia: Se ainda não instituiu o culto familiar em sua casa, HOJE é o dia de transformar o seu lar em uma casa de oração. Realize diariamente o culto matinal e o culto vespertino em seu lar e desfrutem das bênçãos divinas!

*Leiam #Salmo78

Rosana Garcia Barros 



SALMO 77 by jquimelli
16 de janeiro de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

Há muitas coisas tristes acerca da auto-piedade. Uma delas é que ninguém mais sabe o que está acontecendo. A auto-piedade nos devora silenciosamente. Se não detectada, ela pode nos causar grave dano, muito mais do que os eventos que a originaram.
Consideremos a vida de Elias, por exemplo. Deus tinha demonstrado um grande apoio ao profeta quando  juntos acabaram com o culto a Baal e exterminaram todos os falsos profetas, trazendo a nação de Israel de volta para Deus. Parecia que nada era impossível para Deus. No entanto, horas depois, o valente profeta fugiu de uma única mulher. Imagine o efeito que o conhecimento disso causou sobre as milhares de pessoas que tinham acabado de voltar a adorar o poderoso Deus de Elias!
Não há nenhuma maneira de saber o quão longe no deserto o profeta teria corrido ou mesmo se teria retornado caso não houvesse a intervenção de Deus.
O problema com a auto-piedade é que ela nunca melhora a nossa situação. Na verdade, ela pode prejudicar a nossa saúde causando depressão e stress.
Durante os primeiros dez versos nossos salmista se demora na auto-piedade referindo-se a si mesmo e aos seus questionamentos, mais de dez vezes. Felizmente ele tomou uma decisão muito importante nos versos 11 e 12: “Recordarei os feitos do Senhor; recordarei os teus antigos milagres. Meditarei em todas as tuas obras e considerarei todos os teus feitos”.
Ao demorar-se em Deus e seu poder, o abatimento do salmista termina. Ao meditar nas obras de Deus, ele é erguido acima de seus próprios problemas.

Gordon Christo
India

Texto original: http://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/psa/77 e http://revivedbyhisword.org/en/bible/Psa/77/
Tradução: Jeferson Quimelli/Pr Jobson Santos
Texto bíblico: Salmo 77 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leitura da semana programa Crede em Seus Profetas: blog Conferência Geral e blog Crede em Seus Profetas



SALMO 77 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
16 de janeiro de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria

SALMO 77 – Martin Luther King fez a seguinte análise:

“Há tanta frustração no mundo porque confiamos em deuses e não em Deus. ajoelhamo-nos diante do deus da ciência somente para descobrir que ele nos deu a bomba atômica, produzimos medos e ansiedades que a ciência nunca poderá mitigar. Cultuamos o Deus do prazer somente para descobrir que as emoções passam e as sensações são efêmeras. Curvamo-nos perante o deus do dinheiro somente para aprender que há coisas como amor e amizade que o dinheiro não pode comprar, e que num mundo de possíveis depressões, quebras de bolsas de valores e maus investimentos comerciais, o dinheiro é uma divindade bastante incerta. Esses deuses transitórios não são capazes de salvar o coração humano e de lhe dar felicidade. Só Deus é capaz disso. É a fé nEle que devemos redescobrir”.

Contudo, quantas vezes buscamos ao Senhor e não obtemos resposta alguma? O silêncio de Deus resulta em sentimentos ruins tanto quanto os problemas da vida sem Deus. Orar e não obter respostas produz frustrações e aumenta o desespero. Quem nunca teve essa experiência?

Asafe oferece-nos lições valiosíssimas para orientar nossa vida de incertezas. Cada um de nós deveria alimentar nosso coração com as verdades do salmo 77.

1. A dor do presente dificulta a oração incessante. Quando a angústia é grande demais ela furta nossa capacidade até de orar ao Deus onipotente, além de acabar com nosso sono e ofuscar nossa visão de Deus (vs. 1-4, 7-10).
2. Em meio às dores causadas na alma pela angústia, é possível unir-se ao salmista e relembrar com nostalgia os dias de alegria registrados na memória. Refletir ajuda-nos a redefinir nossa vida miserável (vs. 5-6).
3. Sufocado pela asfixiante dor no peito é possível voltar-se para o que Deus tem feito visando vencer o desânimo; recordar os atos de Deus cura a angústia da alma, pois dá certeza de Suas destrezas e esperança no cumprimento de Suas promessas (vs. 11-20).

Num mundo de frustrações, só é possível vencer com fervorosas orações. Numa sociedade e religiosidade de decepções, somente uma existência dedicada à consagração a Deus produz vigor. Relembrar a atuação divina leva-nos a recobrar ânimo a tal ponto de cantar e celebrar.

Experimente colocar tudo isso em prática: Reavivar-te-ás! – Heber Toth Armí



SALMO 77 – #RPSP – COMENTÁRIO ROSANA BARROS by Ivan Barros
16 de janeiro de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“De noite indago o meu íntimo, e o meu espírito perscruta” (v. 6).

O salmista deixa clara a sua situação perante Deus. Ele não desejava um relacionamento relativo com o Altíssimo, mas absoluto. Seu desejo de ser conduzido por Deus era tão grande que lhe causava insônia, perturbação e mudez (v. 4). Questionando a Deus e sentindo-se só, o salmista conclui: “isto é a minha aflição” (v. 10). Recordando o que Deus havia feito ao Seu povo no passado, a conclusão já foi diferente: “O Teu caminho, ó Deus, é de santidade. Que deus é tão grande como o nosso Deus?” (v. 13).

No dia da angústia, a quem ou o que você procura? Espero que a sua resposta seja igual a de Asafe: “procuro o SENHOR” (v. 2). É normal que sintamos a necessidade de desabafar, de expor as nossas angústias e que não poucas vezes tenhamos a sensação de que estamos sozinhos. E Deus espera de nós sinceridade, afinal, Ele perscruta o nosso coração. A Sua obra não está nas mãos dos reis, e sim dos súditos do Rei. Aqueles que dEle dependem totalmente recebem o mais alto privilégio espiritual que muitos doutos têm deixado de receber, justamente pela ausência de dependência. A angústia, portanto, torna-se um instrumento de salvação nas mãos de Deus para nos conduzir a uma comunhão plena e para fazer-nos compreender que não temos forças para vencer o pecado sozinhos.

Contudo, ao mesmo tempo, a comunhão também nos leva a reconhecer a grandeza de Deus e a Sua rica misericórdia. Podemos até nos afligir, mas a nossa aflição deve nos levar para mais perto do SENHOR e não o contrário. Quando a angústia te leva a procurar mais diligentemente a Deus, pode acreditar, confie, porque a Sua providência chegará. O SENHOR lhe remirá (v. 15) e lhe conduzirá (v. 20). Deus deseja realizar em nossa vida obras tão grandes quanto as da antiguidade. Ao invés de elevar a voz em reclamações e protestos contra o mundo, experimente elevar a voz e clamar a Deus, pois só Ele pode lhe atender (v. 1). 

Bom dia, povo de Deus!

Desafio do dia: Algo te aflige? Clame ao SENHOR e releia algum relato bíblico onde Deus concedeu a vitória aos Seus filhos. Deus há de renovar as suas forças!

*Leiam #Salmo77

Rosana Garcia Barros



SALMO 76 by jquimelli
15 de janeiro de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

Desde os tempos mais remotos as nações tiveram que gastar muito tempo e esforço não só na concepção de novas armas de guerra, mas também no preparo de proteções adequadas.
Deus em diversas ocasiões enviou Seus anjos para deter aqueles que tinham a intenção de prejudicar o seu povo. Ele enviou anjos para ferir com paralisia e hanseníase pessoas egoístas e cobiçosas, para afogar um exército debaixo do Mar Vermelho e desencadear uma série de outros eventos a fim de proteger os inocentes.
Deus é descrito em vários textos bíblicos como lento para irar-se. Ele não perde a paciência ou age de forma vingativa. Mas há um limite para o que Deus tolera daqueles que querem prejudicar o Seu povo. Ai deles quando este limite é atingido!
Como é maravilhoso sentir a proteção que vem de estar do lado de Deus. Aqueles que pertencem à Sua igreja sentem o calor da Sua presença. Aqueles que permanecem no Seu amor experimentam a paz que o Seu Espírito confere. Embora precisemos andar pelo vale da sombra da morte, nós não tememos mal algum, porque Ele está conosco.
Gordon Christo 
India

Texto original: http://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/psa/76 e http://revivedbyhisword.org/en/bible/Psa/76/
Tradução: Jeferson Quimelli/Pr Jobson Santos
Texto bíblico: Salmo 76 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leitura da semana programa Crede em Seus Profetas: blog Conferência Geral e blog Crede em Seus Profetas



SALMO 76 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
15 de janeiro de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria

SALMO 76 – Deus é imanente, presente em nossa história e em nossa vida nos dando vitórias. Deus é poderoso, agindo em prol dos seres humanos a fim de que não sejam destruídos por inimigos rancorosos e odiosos. Deus é temível, pois executa Sua justiça com santidade aterrorizando os arrogantes e orgulhosos. Por tudo isso e muito mais, Deus é digno de louvor.

Deste Salmo, Warren Wiersbe, extrai quatro verdades fundamentais que merecem nossa consideração:

• Deus deseja que O conheçamos (vs. 1-3);
• Deus deseja que confiemos nEle (vs. 4-6);
• Deus deseja que O temamos (vs. 7-9);
• Deus deseja que Lhe obedeçamos (vs. 10-12).

Para conhecer a Deus precisamos de Sua Palavra; sem estudar a Bíblia, refletir e meditar em Sua mensagem, fica difícil, para não dizer impossível, conhecer a Deus. Sem conhece-lO através de Sua própria revelação, criaremos conceitos, ou mesmo deuses em nossa mente, que não existem.

O Deus que revelou-Se nas páginas sagradas possui caráter bélico, não inerte. É poderoso em Seus atos, não ocioso. Suas atitudes resultam em vitórias, não em derrotas. Seus planos deram e darão certos – nenhum deles ficará apenas no “papel”. O armagedom será a maior demonstração de Seu poder bélico contra os mais altos opositores de Seu governo (ver Apocalipse 16).

Como um Deus atento a tudo, que zela pela justiça, também preza pela erradicação da injustiça. “O julgamento divino provém de Deus, do Céu, e do santuário celestial. Julgar significa livrar. O juízo divino é pronunciado em favor dos aflitos. Quando Deus se ergue para julgar, Seus seguidores fieis ficam em vantagem, e os arrogantes são condenados. Quando o juízo divino traz livramento e justiça, os salvos louvam e glorificam ao Senhor” (Bíblia Andrews).

Conhecendo melhor o caráter de Deus, Suas atitudes e planos, somos convidados a reverenciá-lO humildemente, a agir com responsabilidade e humildade com os seres humanos. Somos desafiados a substituir a ira pelo louvor, sufocar a ruindade com a bondade e trocar a reclamação por gratidão.

• Precisamos conhecer melhor a Deus, para então confiarmos mais nEle, assim O temeremos e seremos devidamente motivados a obedecer-Lhe com coração contrito e submisso.
• Precisamos aproximar-nos mais de Deus através de Sua Palavra para não sermos iludidos com imagens imaginárias de um Deus inventado por nossa criatividade.

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.



SALMO 76 – #RPSP – COMENTÁRIO ROSANA BARROS by Ivan Barros
15 de janeiro de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Tu és ilustre e mais glorioso do que os montes eternos” (v. 4).

A biografia divina trazida pelo salmista descreve atributos de Deus grandes demais para a nossa finita compreensão. É um Deus ilustre (v. 4), mas também terrível (v. 7). Como entender? (Vide Deuteronômio 29:29).

Diante da majestade e do poder de Deus, somos chamados a fazer parte do grupo de salvos denominados “os humildes da terra” (v. 9). Notem o início do Salmo, onde cada lugar revela o que somos chamados a revelar. “Conhecido é Deus” (v. 1) em você? Grande é o nome do SENHOR em sua vida? Você tem sido o templo de Deus e a Sua morada (v. 2)?

Para todo aquele que vive em humildade diante de Deus, não há o que temer quanto à Sua ira (v. 7). Os humildes de Deus não O temem no sentido de sentir medo, e sim na expectativa de que o Justo Juiz logo os salvará. Suas vidas são verdadeiros votos ao SENHOR, compromissos vivos em fiel cumprimento de seu dever (v. 11). Entendem que a conclusão de tudo que norteia suas vidas é a mesma a que chegou o sábio Salomão: “De tudo o que se tem ouvido, a suma é: Teme a Deus e guarda os Seus mandamentos; porque isto é DEVER de todo homem” (Eclesiastes 12:13).

Muito em breve, todos, inclusive os ímpios, hão de reconhecer (v. 10; Vide Apocalipse 5:13) a majestade do SENHOR. E sabendo que “o fim de todas as coisas está próximo” (I Pedro 4:7), precisamos nos esforçar por andar em retidão diante de Deus, seguindo a orientação de Sua Palavra: “Se alguém fala, fale de acordo com os oráculos de Deus; se alguém serve, faça-o na força que Deus supre, para que, em TODAS as coisas, seja Deus glorificado, por meio de Jesus Cristo, a Quem pertence a glória e o domínio pelos séculos dos séculos. Amém!” (I Pedro 4:11).

Que a nossa vida seja uma manifestação da majestade e do poder de Deus! Este, sem dúvidas, é o maior e melhor presente (v. 11) que podemos dar ao nosso SENHOR.

Bom dia, humildes da terra!

Desafio do dia: Abrace a sua família. Demonstre que os ama. Comece a ser um testemunho de Cristo dentro do seu lar.

*Leiam #Salmo76

Rosana Garcia Barros 




%d blogueiros gostam disto: