Reavivados por Sua Palavra


Juízes 12 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
24 de agosto de 2022, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Vendo eu que não me livráveis, arrisquei a minha vida e passei contra os filhos de Amom, e o Senhor os entregou nas minhas mãos; por que, pois, subistes, hoje, contra mim, para me combaterdes?” (v.3).

Apesar de Efraim ser o filho mais novo de José, antes de morrer Jacó colocou sobre ele a sua mão direita para abençoá-lo (Gn.48:14). Foi profetizado que seria um grande povo, maior do que Manassés. E, de fato, assim aconteceu, mas as escolhas erradas levaram os filhos de Efraim a um caminho bem diferente do que o Senhor tinha para eles.

Quando estudamos nos capítulos anteriores sobre a história de Gideão, vimos que, após o Senhor lhe dar vitória sobre os midianitas, os efraimitas vieram e “contenderam fortemente com ele” (Jz.8:1). Gideão foi sábio ao aplacar-lhes a ira e evitar o confronto. Contudo, a reação de Jefté foi diferente e usando de uma estratégia um tanto incomum, dizimou quarenta e dois mil efraimitas.

Fica muito claro que os descendentes de Efraim tornaram-se homens sanguinários e vingativos. Pela segunda vez, eles fizeram questão de ter sido chamados para a guerra. E ao encontrar um líder que resolveu responder-lhes à altura, além do confronto pela espada, tiveram de enfrentar um “trava-línguas” da morte. A tribo de Efraim tinha tudo para ser uma das mais poderosas e bem-sucedidas tribos de Israel, mas escolheram ser guiados por seus próprios impulsos. E por suas ações e por suas palavras foram derrotados. E sabem o que é mais triste, amados? Em Apocalipse 7:5-8, encontramos uma divisão simbólica dos salvos dos últimos dias, representados pelas 12 tribos de Israel. E, além da tribo de Dã, a tribo de Efraim também foi excluída da profecia dos salvos.

Entendam. Não foi o simples fato de não saberem pronunciar um fonema que eles foram mortos. Foi muito além disso.

Quando Cristo foi acusado pelos fariseus de expulsar demônios pelo poder de Belzebu (Mt.12:24), mais a frente lhes disse: “Raça de víboras, como podeis falar coisas boas, sendo maus? Porque a boca fala do que está cheio o coração” (Mt.12:34). Os efraimitas faziam confusão justamente porque permitiram que o ódio e a vingança prevalecessem em seu coração. Podiam até fazer parte da nação eleita e estar dentro da herança do Senhor, mas o Senhor não estava neles.

A palavra “chibolete”, em hebraico, possui dois significados: “espiga de cereal” ou “águas correntes”. Como “chibolete”, aquela tribo recebeu a recompensa de seus maus desígnios; como espiga de cereal mirrada foi lançada fora; como águas correntes foi levada pela correnteza de corações corrompidos. Por analogia, “chibolete” representa a advertência que Cristo nos faz: “porque, pelas tuas palavras, serás justificado e, pelas tuas palavras, serás condenado” (Mt.12:37). O que falamos diz muito quem realmente somos. Os efraimitas representavam a classe “encrenqueiros de plantão”. Você conhece alguém assim? Você tem agido assim? Precisamos ter muito cuidado, amados! Como filhos do Reino, nossas palavras devem corresponder à obra purificadora do Espírito Santo em nosso coração. Precisamos clamar pelo Espírito Santo!

Há uma grande e urgente obra a ser realizada no meu e no seu coração. O Espírito Santo deseja imprimir em nós o puro e santo caráter de Cristo. Ou nos apegamos a Cristo esforçando-nos por permanecer em Sua presença, inculcando na mente a Sua Palavra “com toda oração e súplica” (Ef.6:18), ou nossa vida nunca irá corresponder àquela que se está preparando para habitar com o Senhor e com os Seus anjos. Sobre isto, a inspiração nos diz o seguinte: “Deus está a guiar avante um povo que é peculiar. Ele os limpará e purificará, habilitando-os para a trasladação. Tudo o que é carnal será separado dos peculiares tesouros de Deus, até que se tornem como ouro purificado sete vezes” (Testemunhos Para a Igreja, v.1, CPB, p.431).

Mesmo que a nossa natureza pecaminosa por vezes nos desvie do caminho que o Senhor nos traçou, a Sua Palavra é poderosa para nos trazer de volta ao caminho eterno. Gostaria de saber o que Deus deseja que ocupe o seu coração e os seus pensamentos? Está escrito: “Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento” (Fp.4:8). Se assim o fizermos, nossas palavras e nossa vida exprimirão a linguagem do Céu. Vigiemos e oremos!

Bom dia, santificados pela Palavra!

* Oremos pelo batismo do Espírito Santo. Oremos uns pelos outros.

Rosana Garcia Barros

#Juízes12 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100


1 Comentário so far
Deixe um comentário

Que palavras abençoadas, fazem brotar o desejo de estarmos aos pés do Salvador, buscando-O, para que não percamos a Salvação.
Bênção dos céus a todos.

Comentário por Ana Alice Silva Lopes




Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.



%d blogueiros gostam disto: