Reavivados por Sua Palavra


NÚMEROS 11 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
21 de maio de 2022, 1:00
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO NÚMEROS 11 – Primeiro leia a Bíblia

NÚMEROS 11 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

NÚMEROS 11 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO – ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO – PR HEBER TOTH ARMÍ

Acesse os comentários em vídeo em nosso canal no Youtube (pastores Adolfo, Valdeci, Weverton, Ronaldo e Michelson)



NÚMEROS 11 by Jobson Santos
21 de maio de 2022, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://www.bibliaonline.com.br/nvi/nm/11

Depois de tudo o que Deus tinha feito para satisfazer a todas as necessidades de seus filhos israelitas, eles se envolveram no ato verdadeiramente terrível de se queixar. Sabemos que o comportamento de alguns da borda do acampamento foi particularmente ruim, porque o Senhor teve que intervir e destruir aqueles que mais se queixaram.

Possivelmente teríamos sido mais indulgentes com os reclamantes, mas Deus conhece o coração das pessoas. Como se pode ver, as pessoas não só se queixaram a respeito das circunstâncias do momento, mas queriam voltar para o Egito. Elas valorizaram mais a cebola, o alho, e os peixes que tinham no Egito do que os atos maravilhosos de Deus para a salvação deles.

Na verdade, Deus tolerou uma enorme quantidade de reclamações. Em Números 11, Moisés mesmo reclama amargamente e duvida do poder de Deus para fornecer carne para satisfazer o desejo de um número tão grande de pessoas. Deus o ouviu e então decidiu intervir, resolver os problemas de Moisés, e dar ao povo o que eles queriam. Mas aquilo que as pessoas queriam gerou algumas más consequências.

O contraste entre os dois tipos de queixas, a de Moisés e a do povo, deveria nos dar conforto. Às vezes, servos fiéis de Deus simplesmente não aguentam mais. E Deus remove suas cargas. Por isso devemos ser gratos.

Mark Sheffield
Southern Adventist University

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/num/11
Tradução: Pr. Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli/Luis Uehara



NÚMEROS 11 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
21 de maio de 2022, 0:50
Filed under: Sem categoria

887 palavras

Queixou-se o povoextremidades. O populacho… ficava nas extremidades do arraial, pois, pelas disposições das tribos (Nm 2) só lhes restava essa posição. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia , vol. 1, p. 932.

1, 6-15 Os israelitas reclamaram e Moisés reclamou. Mas Deus respondeu positivamente a Moisés e negativamente ao resto do povo. Por quê? O povo reclamou um para o outro, e nada se fez. Moisés levou suas reclamações a Deus, que poderia resolver qualquer problema. Muitos de nós somos muito bons em reclamar para os outros. Precisamos aprender a levar nossos problemas para Aquele que pode resolvê-los. Life Application Study Bible Kingsway.

Deus lhes satisfez o apetite físico, mas suas almas emagreceram, Sl 106.15. Bíblia Shedd.

Taberá. Esse local só é mencionado mais uma vez (Dt 9:22). O lugar nunca foi identificado. Seu nome provém de um verbo que significa “queimar”, “consumir” ou “exterminar”. CBASD , vol. 1, p. 932.

4 populacho (ARA; NVI: “Um bando de estrangeiros”). Essa gente não se compunha de israelitas, mas de pessoas que vieram do Egito juntamente com os filhos de Israel (Êx 12.38, nota). Bíblia de Genebra.

4-6 A insatisfação nos vem quando nossa atenção se muda do que temos para o que não temos. … Não deveríamos permitir que nossos desejos não realizados fizessem nos esquecer dos dons de Deus da vida, alimento, saúde, trabalho e amigos. Life Application Study Bible Kingsway.

4-9 Eles não pediram a Deus para satisfazer suas necessidades; em vez disso, eles pediram por comida e pararam de confiar no cuidado de Deus por eles. … Quando você pede algo a Deus em atitude pecaminosa, conseguir o que você quer pode se mostrar muito custoso. Life Application Study Bible Kingsway.

seca-se a nossa alma. Isso se dava por causa da falta de frutas e legumes com alto teor de água, que são refrescantes em clima quente e seco. CBASD , vol. 1, p. 933.

maná. Jesus usou o maná como símbolo do alimento oferecido em abundância pelo Céu (Jo 6:30-35; 41-58). O cristão vencedor tem a promessa de receber o “maná escondido” (Ap 2:17). CBASD , vol. 1, p. 933.

Este pão gostoso, milagroso e celestial, é figura de Jesus Cristo, Jo 6.48-50. Bíblia Shedd.

10 cada um. Os orientais têm o costume de dizer a todos sobre seus pesares e luto. Neste caso, ao que tudo indica, houve um plano pré-concebido de ação conjunta: cada família choraria em voz alta na porta de sua tenda. CBASD , vol. 1, p. 933.

14 não posso. Na verdade, Moisés estava sendo tão irracional quanto o povo, pois Deus nunca o deixara sozinho, nem esperava que ele, por si mesmo, fornecesse alimento para o arraial. CBASD , vol. 1, p. 933.

17 do Espírito. Este verso retrata como os dons e a atuação do Espírito Santo são fatores que conferem energia ao espírito humano a fim de que cumpra os planos de Deus. CBASD , vol. 1, p. 933.

rejeitastes o SENHOR. O povo preferia a vida sob Faraó à vida com o Senhor que providenciava maná. Andrews Study Bible.

20  Comer até sair pelos narizes é comer até vomitar. Bíblia Shedd.

rejeitaram o SENHOR. A questão principal em pauta não era realmente carne – era a falta de demonstração de gratidão apropriada ao Senhor, que estava no seu meio e era fonte constante de todo o bem. Bíblia de Estudo NVI Vida.

21, 22 Quando começamos a confiar em nosso próprio entendimento, estamos em perigo de ignorar a avaliação de Deus para a situação.  Ao recordarmos Suas obras passadas e Seu poder no presente, podemos garantir de não estarmos a interromper Seu auxílio potencial. Life Application Study Bible Kingsway.

23 Estará limitado o poder do Senhor? (NVI). A impossibilidade humana é uma ocasião para demonstrar o poder do Senhor. Bíblia de Estudo NVI Vida.

a mão do Senhor (ARA). Significa a parte ativa da personalidade de Deus. Sua atividade no mundo. Estas mãos são prontas a ajudar. São prontas a socorrer e consolar. São prontas a guiar. Bíblia Shedd. 

25 profetizaram. Esse fenômeno aparentemente temporário [apesar de algumas versões indicarem que este dom podia ser permanente] serviu para autenticar a liderança dos anciãos. Bíblia de Genebra.

mais depois nunca mais tornaram a fazê-lo. Parece que o dom temporário da profecia que as autoridades receberam visava sobretudo a estabelecer suas credenciais como líderes revestido do poder do Espírito.Bíblia de Estudo NVI Vida.

29 Mas Moisés respondeu: “Você está com ciúmes por mim … “. Aqui está demonstrado qual a verdadeira atitude de Mosiés. em vez de se sentir ameaçado pela demonstração pública dos dons do Espírito por Eldade e Medade, Moisés desejava que todo o povo tivesse os plenos dons do Espírito (cf Fp 1.15-18). Esse versículo é uma introdução apropriada ao desafio indesculpável à liderança de Moisés no cap. 12.Bíblia de Estudo NVI Vida.

Moisés, depois de suas queixas apresentadas numa má hora, vv. 10-15 e 21-22, revela sua volta à plenitude da comunhão com Deus, pela sua verdadeira humildade, e pelo seu zelo com vistas ao verdadeiro progresso espiritual do povo de Deus, em geral. Bíblia Shedd.

31 Não se trata da espessura da camada de codornizes pelo chão, mas sim que os pássaros esgotados pela migração estavam voando nesta altura (mais de um metro), e por isso mesmo, eram uma presa fácil para os israelitas. Bíblia Shedd.

32 as estenderam para si. Cada pessoa pendurava as codornizes que recolhera, para deixar escorrer o sangue antes de [prepará-las e ] comê-las. Bíblia Shedd.

34 Quibrote-Hataavá. Esse local não é identificado com precisão. O significado do nome é “as sepulturas de seus desejos”. CBASD , vol. 1, p. 934.



Números 11 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
21 de maio de 2022, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Porém Moisés lhe disse: Tens tu ciúmes por mim? Tomara todo o povo do Senhor fosse profeta, que o Senhor lhes desse o Seu Espírito!” (v.29).

Vivendo como peregrinos no deserto, os filhos de Israel enfrentavam muitas privações, mas o cuidado e o zelo do Senhor para com eles não lhes deixava faltar nada quanto às suas necessidades básicas. A água da rocha e o maná eram uma prévia da fartura que encontrariam em Canaã e deveriam ser motivo de grande gratidão. Acostumados, porém, com os alimentos do Egito, permitiram que seus desejos os dominassem a ponto de assumirem uma atitude de queixa e murmuração. Atitude incitada pelo “populacho” (v.4), o povo híbrido, que ficava nas extremidades do acampamento. O apetite dominou a razão, acendendo-se assim a ira de Deus como fogo consumidor. Então Moisés orou pelo povo e “o fogo se apagou” (v.2).

Em frente à tenda de Moisés, família após família apresentava a sua queixa e, com lágrimas, expressava o seu desejo pelos alimentos da terra do exílio. Vendo Moisés que novamente a ira de Deus se havia acendido contra o povo, com o coração quebrantado, depôs diante do Senhor o seu pesado fardo. O grande líder reconheceu a sua impotência diante da obra de guiar pelo deserto um povo tão obstinado e rebelde, que conservava no coração as coisas do Egito. Pedindo a morte, Moisés demonstrou um alto grau de sofrimento emocional, pensando ser esta a solução para a sua profunda angústia.

A resposta divina veio em forma de setenta homens designados para auxiliar o grande líder, dividindo com ele as agruras do deserto. Disse o Senhor a Moisés: “tirarei do Espírito que está sobre ti e o porei sobre eles” (v.17). No tempo determinado, “o Espírito repousou sobre eles, [e] profetizaram” (v.25). Dois deles, porém, Eldade e Medade, não foram à tenda da congregação como dito pelo Senhor. Porém, o mesmo Espírito foi derramado sobre eles, de modo que profetizavam no arraial. Josué, “servidor de Moisés” (v.28), entendeu que a atitude daqueles dois era uma espécie de ameaça à liderança de Moisés. Este, no entanto, demonstrou genuíno interesse em que todo o povo pudesse experimentar da suave e confortante companhia do Espírito Santo.

Quando o apetite e as paixões carnais assumem o controle da mente humana, o homem fica limitado a enxergar tão somente o corruptível. Furtado o coração pela cobiça, tornam-se irracionais as suas ambições, frustradas as suas aspirações, entrando em um processo de constante insatisfação. O insuperável Educador utiliza Seus métodos de ensino conforme a necessidade de Seus aprendizes. Contornando o arraial de codornizes, o Senhor não exagerou em Sua provisão, mas deu ao povo exatamente na medida que desejavam. Através de sua glutonaria, Israel experimentou os resultados de permitir que a vontade própria assuma o lugar da “boa, agradável e perfeita vontade de Deus” (Rm.12:2).

Assim como Moisés desejou que o Espírito Santo fosse derramado sobre todo o povo, o Senhor deseja derramar o Seu Espírito “sobre toda carne” (Jl.2:28). Mas como apenas setenta homens dentre os filhos de Israel estavam prontos para recebê-Lo, assim também, hoje, poucos têm se preparado para receber a chuva serôdia. Desde o princípio, Satanás tem usado o apetite para desvirtuar o homem da vontade de Deus. Ele bem sabe a intrínseca relação que há entre o corpo e a mente, e é especialista em induzir dietas que promovam o vício, a doença e o bloqueio da razão para a clara compreensão do “assim diz o Senhor”. Há luz suficiente para que não sejamos alvos desta estratégia maligna. Temos aceitado e praticado a luz que nos foi dada?

Não há ruptura entre mente, corpo e espírito. O homem é um ser holístico, e como tal precisa buscar a nutrição ideal de cada aspecto de sua vida. É um processo que requer renúncia, paciência, confiança na provisão divina e completa dependência de Deus. E eu encerro hoje com a advertência de parte da luz que nos foi dada, através de Ellen White:

“Meu irmão e minha irmã, tendes uma obra a fazer que ninguém pode fazer por vós. Despertai de vossa letargia, e Cristo vos dará vida. Mudai vosso modo de viver, de comer e de beber, e vosso sistema de trabalho. Enquanto continuardes no caminho que tendes seguido por anos, não podereis discernir com clareza coisas eternas e sagradas. Vossas sensibilidades estão embotadas, e vosso intelecto obscurecido. Não tendes estado a crescer em graça e no conhecimento da verdade como é vosso privilégio. Não tendes crescido em espírito, mas aumentado em trevas” (Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p.45).

Vigiemos e oremos!

Feliz sábado, cheios do Espírito Santo!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Números11 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



NÚMEROS 11 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
21 de maio de 2022, 0:40
Filed under: Sem categoria

NÚMEROS 11 – A insatisfação é a mãe da reclamação. O desejo pervertido leva a conclusões absurdas. A reclamação com base no próprio “eu” impede as pessoas de verem a presença de Deus.

E tem gente que só sabe reclamar! Quando abre a boca, em vez de oração, só sai reclamação. O pior, é que a reclamação é extremamente contagiosa. E tudo tem por base a incredulidade que gera desobediência (Hebreus 4:1-11).

A murmuração resulta de corações desprovidos de fé. Consequentemente, quem aprecia lamentar logo se rebelará contra Deus e atrairá Seus juízos, não bênçãos. Inspirado pelo Espírito Santo, Paulo adverte seus leitores:

“Porque não quero, irmãos, que vocês ignorem o fato de que todos os nossos antepassados estiveram sob a nuvem e todos passaram pelo mar. Em Moisés, todos eles foram batizados na nuvem e no mar. Todos comeram dos mesmo alimento espiritual e beberam da mesma bebida espiritual; pois bebiam da rocha espiritual que os acompanhava, e essa rocha era Cristo. Contudo, Deus não Se agradou da maioria deles; por isso os seus corpos ficaram espalhados pelo deserto. Essas coisas ocorreram como exemplos para nós, para que não cobicemos coisas más, como eles fizeram… não se queixem, como alguns deles se queixaram e foram mortos pelo anjo destruidor. Estas coisas aconteceram a eles como exemplo e foram escritas como advertência para nós, sobre quem tem chegado o fim dos tempos” (1 Coríntios 10:1-11).

Poucas vezes consideramos o pecado da gula, embora seja bem claro na Bíblia que a glutonaria é pecado. O sábio, inspirado pelo Espírito Santo, adverte: “Não ande com os que se encharcam de vinho, nem com os que se empanturram de carne” (Provérbios 23:20). Quando o Deus das pessoas se tornam o seu próprio estômago (Filipenses 3:19), coisas absurdas são proferidas e realizadas. Isso explica a “saudade” de alho e cebola do Egito quando Israel recebia maná, o “pão do Céu”. Quibrote-Hataavá foi o nome dado ao lugar “onde foram enterrados os que tinham sido dominados pela gula” (Números 12:34).

“Já é hora de despertarmos do sono, porque a nossa salvação está agora mais perto de nós do que quando aceitamos a fé… Andemos honestamente… não em glutonarias, nem em orgias e dissoluções, nem em contendas e inveja…” (Romanos 13:12-13) – Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: