Reavivados por Sua Palavra


LEVÍTICO 18 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
1 de maio de 2022, 1:00
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO LEVÍTICO 18 – Primeiro leia a Bíblia

LEVÍTICO 18 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

LEVÍTICO 18 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO – ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO – PR HEBER TOTH ARMÍ

Acesse os comentários em vídeo em nosso canal no Youtube (pastores Adolfo, Valdeci, Weverton, Ronaldo e Michelson)



LEVÍTICO 18 by Jobson Santos
1 de maio de 2022, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://www.bibliaonline.com.br/nvi/lv/18

Deus nos criou para a intimidade. Somos seres relacionais, feitos à imagem de Deus com um desejo de conexão. Em Gênesis 2:18, Deus declara: “Não é bom que o homem esteja só …” Embora esse princípio possa ser aplicado amplamente a amizades, família da igreja e conhecidos, foi aplicado primeiramente à unidade íntima de um relacionamento matrimonial.

Ao longo de Levítico 18, Deus dá diretrizes diretas e inflexíveis sobre o que não é permitido nas relações sexuais. Este capítulo nos mostra que Deus se importa profundamente com as áreas íntimas de nossas vidas.

A intimidade sexual é uma bênção de Deus, da qual nunca devemos nos envergonhar. Mas Satanás é um mestre em tomar o que é bom e abençoado e distorcê-lo em algo perverso, imoral, perigoso ou degradante. Como Deus queria poupar os israelitas e a nós dessas experiências negativas, Ele deu um conselho específico e claro sobre que tipos de intimidade evitar.

No verso 5 Deus declara: “Obedeçam aos meus decretos e ordenanças, pois o homem que os praticar viverá por eles. Eu sou o Senhor” (NVI). Deus, nosso Criador, sabe que, se seguirmos o plano dEle para as nossas vidas, seremos mais saudáveis, mais felizes e estaremos mais seguros.

Eric Sayler
Pastor, IASD de Eastgate
Walla Walla, Washington, EUA

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/lev/18
Tradução: Pr. Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli/Luis Uehara



LEVÍTICO 18 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
1 de maio de 2022, 0:50
Filed under: Sem categoria

1219 palavras

18:1 – 27:34 Estes capítulos ensinam os israelitas como viver vidas santas. Andrews Study Bible.

18.1 – 20.27 Aqui, o povo de Deus recebe instruções a respeito dos relacionamentos entre pessoas e de uma moralidade que reflete a santidade de Deus. Dessa maneira, Israel foi sendo preparado para um estilo de vida diferente daquele dos cananeus, cujo comportamento era deploravelmente imoral. O cap 18 contém proibições na esfera moral, o cap. 19 expande os dez mandamentos para detalhar a moralidade correta, e o cap. 20 determina as penalidades pela violação dos padrões divinos da moralidade. Bíblia de Estudo NVI Vida.

1-30 Moisés instrui [a partir da palavra do Senhor] Israel acerca das práticas ilegítimas vinculadas ao sexo e à família, incluindo o incesto (vs. 6-20), os sacrifícios de crianças (v. 21), o homossexualismo (v. 22) e a bestialidade (v. 23). Os vizinhos de Israel não tinham muitas restrições nas suas atitudes sexuais e no seu comportamento (v. 3). … As leis existentes neste capítulo pressupões o casamento entre israelitas. Entretanto, uniões entre parentes em primeiro grau … e … e parentes próximos por casamento também eram proibidas. Bíblia de Genebra.

Os padrões de pureza na vida familiar que sempre tinham tomado vulto perante os olhos dos israelitas, a saber, os do Egito e de Canaã, eram corrompidos; por este motivo, Israel precisava de um padrão divinamente inspirado, por ser um povo santo, dedicado a Jeová.  As leis modernas sobre o casamento, na sua maior parte, seguem as limitações estabelecidas aqui. O casamento entre parentes consanguíneos aumenta a possibilidade de problemas de hereditariedade, especialmente no caso de doenças mentais. a pureza sexual é uma parte integrante da saúde do corpo e da alma. Bíblia Shedd.

3 Os israelitas se moveram de um país infestado de ídolos para outro. À medida que Deus os auxiliava a formar uma nova cultura, Ele os advertia para deixar todos os aspectos do ambiente pagão de onde vieram. Ele também os advertia de quão fácil seria deslizar para dentro da cultura pagã de Canaã, para onde iriam. A sociedade e as religiões de Canaã apelavam para desejos mundanos, especialmente para imoralidade sexual e embriaguez. Os israelitas deveriam se manter puros e separados para Deus. Ele não queria que Seu povo se absorvesse na cultura e ambiente ao redor. A sociedade pode nos pressionar a nos conformar com seu modo de agir e pensar, mas ceder a esta pressão: 1) criará confusão quanto a que lado devemos estar e 2) eliminará nossa efetividade de servir a Deus. Siga a Deus, e não deixe que a cultura em torno de você molde seus pensamentos e ações. Life Application Study Bible.

viverá. Com a plena bênção de Deus. A lei era o caminho da vida para os redimidos (v. Ez 20.11, 13, 21), e não o caminho da salvação para os perdidos (v. Rm 10.5; Gl 3.12). Bíblia de Estudo NVI Vida.

As leis de Deus visam o bem das pessoas (comparar com Dt 10:13). Assim, por causa e efeito, o Seu povo prosperaria aos observá-las (comparar com Êx 20:12 – “para que se prolonguem os teus dias na terra”). Mas a obediência não afasta as consequências das falhas passadas em observar as leis de Deus (Rm 3:19-26; Gl 3:10-14). Andrews Study Bible.

6-18 Casar com parentes foi proibido por Deus por razões físicas, morais e morais. Crianças nascidas de parentes próximos poderiam experimentar sérios problemas de saúde. … Relações sexuais impróprias destroem a vida familiar. Life Application Study Bible.

6-27 Vários ações abomináveis ou perversas são listadas aqui. … A sociedade de hoje trata de forma condescendente de algumas dessas práticas, chegando a fazer algumas delas aceitáveis. Mas elas ainda são pecado aos olhos de Deus. Se você as considera aceitáveis, você não as está julgando de acordo com os padrões e Deus. Life Application Study Bible.

Nenhum homem se chegará a qualquer parenta de sua carne. Esta é a proibição básica do incesto, que obviamente regula as relações sexuais com filha ou irmã. Os vs. 17-20, 22-23 aplicam a regra a outros tipos de relações sexuais proibidas. … Essas são leis morais eternas [timeless]. Andrews Study Bible.

É verdade que nos primeiros dias da raça humana irmão se casava com irmã, desde que não havia mais ninguém com quem casar. Com o firme estabelecimento da raça humana, Deus proibiu casamentos consanguíneos. Por exemplo, um homem não devia se casar com sua irmã, nem com sua tia, ou com sua nora. Bíblia Shedd.

não lhe descobrirás a nudez (ARA). NVI: “não se envolva sexualmente com ela” [também nas demais ocorrências].

é nudez de teu pai (ARA). NVI: “isso desonraria seu pai” [de forma análoga, nas demais ocorrências].

16 a mulher de seu irmão. Casar-se com a viúva do irmão, além de ser imoral, poderia lesar a herança do irmão. A lei do levirato, em Dt 25.5, 6, oferecia uma exceção no caso de ser necessário preservar a herança do irmão falecido e continuar sua linhagem. Bíblia de Estudo NVI Vida.

18 Não tome por mulher a irmã da sua mulher, tornando-a rival. Nesse contexto, essa lei proíbe o casamento com duas irmãs entre si (comparar com v. 17), o que poderia causa rivalidade entre si (comparar com Gn 29-30). Mas a expressão “por mulher a irmã da sua mulher” pode se referir a qualquer mulher, não necessariamente irmã literal (p.e., 26:3, 5-6; Ez 1:9, 23; 3.13). Então, a letra dessa lei tende a desencorajar a poligamia. Andrews Study Bible.

O triste exemplo do casamento de Jacó com Lia e Raquel ilustra a sabedoria compassiva dessa lei (Gn 29.23-30.24). Bíblia de Genebra.

21 Moloque. O deus dos amonitas (v. 20.2-5; 1Rs 11.5 e nota). A prática detestável de sacrificar crianças a Moloque era comum na Fenícia e em outros países ao redor. V 2Rs 3.26, 27. O rei Manassés, segundo parece, sacrificou seus filhos a Moloque (2Cr 33.6; v. 2Rs 23.10). Jr 32.35 protesta contra essa prática. Bíblia de Estudo NVI Vida.

A proibição contra o culto idólatra  e cruel adoração a este deus adorado pelos amonitas se encaixa neste capítulo que trata de ofensas sexuais porque faz mau uso da “semente” (descendentes), assim como o adultério faz mau uso da “semente” (sêmen; Lv 18:20). Além disso, a adoração a Moloque era um tipo de adultério espiritual. Andrews Study Bible.

O culto a Moloque, o deus dos amonitas, foi uma tentação para os israelitas (1Rs 11.7; 2Rs 23.10). Bíblia de Genebra.

O nome específico usado aqui se refere a uma imagem oca, com braços estendidos, e com um incinerador na parte vazia, destinado a receber crianças em sacrifício queimado. Bíblia Shedd.

22 Não se deite com homem. Aqui a atividade homossexual masculina é declarada como abominação a Deus (ver tb 20:13). Rm 1:26-17 se refere como paixões pecaminosas tanto a homossexualidade masculina quanto a feminina. A condenação é por agir de acordo com a tendência. Andrews Study Bible.

24-30 Estes versículos lançam luz sobre o motivo da destruição das nações de Canaã por mandato divino. As abominações da imoralidade das nações pagãs tinham chegado a um tal extremo que, afinal, a “medida da iniquidade dos amorreus” se encheu, Gn 15.16. Por isso, Deus advertiu a Israel que tivesse cuidado e não fizesse como os cananeus. Como Israel era o povo escolhido de Jeová, esperava-se mais deles do que de qualquer outra nação, Dt 9.25-29. Bíblia Shedd.

25 a terra se contaminou. A imundícia e o pecado são contagiosos; tudo o que entrasse em contato com essas coisas ficava infectado, incluindo o santuário (16.16, nota) e a terra. Bíblia de Genebra.

28 se vocês contaminarem a terra, ela os vomitará. Não havia reparação ritual para tais contaminações, o que resulta no exílio da terra prometida (comparar com 26:33-39). Andrews Study Bible.



Levítico 18 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
1 de maio de 2022, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Portanto, os Meus estatutos e os Meus juízos guardareis; cumprindo-os, o homem viverá por eles. Eu sou o Senhor” (v.5).

Após a queda do homem, a primeira impressão que Adão e Eva tiveram do pecado foi de sua nudez. Despidos das vestes da glória de Deus, o homem e sua mulher fizeram para si vestes com “folhas de figueira” e, ouvindo a voz de Deus, “que andava no jardim pela viração do dia, esconderam-se da presença do Senhor Deus” (Gn.3:7 e 8). A nudez causou-lhes a sensação de impotência diante de tal situação. Tiveram medo de apresentar-se daquela forma diante do Criador. Mas com que amor o Senhor lhes proveu a solução! Antes mesmo de criá-los, o plano já estava estabelecido, através do “Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo” (Ap.13:8). Ali no Éden, o primeiro sacrifício foi realizado e “fez o Senhor Deus vestimenta de peles para Adão e sua mulher e os vestiu” (Gn.3:21).

Não podemos cobrir a nudez do pecado mediante nossos próprios esforços, mas Deus nos proveu os vestidos da salvação: “Aconselho-te que de Mim compres[…] vestiduras brancas para te vestires, a fim de que não seja manifesta a vergonha da tua nudez” (Ap.3:18). A nudez representa a condição vergonhosa do homem perante Deus. E os estatutos e juízos estabelecidos quanto aos casamentos ilícitos e uniões abomináveis revelam as bênçãos de Deus em cumpri-los, e as consequências destrutivas em desobedecê-los. O Senhor instituiu uma lista de parentes como proibida para o matrimônio. Antes mesmo da entrada do pecado, Deus já havia estabelecido a união entre o homem e a mulher. O casamento heterogêneo e monogâmico foi instituído por Deus para ser uma bênção à humanidade; e o sexo, planejado como uma bênção exclusiva para o uso sagrado dentro do casamento. O relato da vida dos personagens bíblicos que desobedeceram a estes princípios está escrito “para advertência nossa, de nós outros sobre quem os fins dos séculos têm chegado” (1Co.10:11).

O pecado deturpou a sexualidade humana de tal forma que a respeito do que o Senhor disse: “maldade é” (v.17), o homem responde: “é normal”. O que antes causou grande vergonha no Éden, hoje é publicado em praça pública. Estamos, de fato, devendo, e muito, a Sodoma e Gomorra! Os povos que ainda habitavam em Canaã estavam contaminados com uniões abomináveis, e Deus precisava instruir o Seu povo a fim de não praticarem “nenhum dos costumes abomináveis” (v.30) que ali se praticavam. O incesto, a homossexualidade, a bestialidade, dentre outras práticas sexuais ilícitas e perversas diante de Deus eram naturalmente aceitáveis entre os povos cananeus e praticadas em seus rituais pagãos. Os filhos de Israel estavam para entrar em terreno perigoso e o Senhor precisava alertá-los e protegê-los. Seus estatutos e juízos não são imposições arbitrárias, mas um código de segurança: “cumprindo-os, o homem viverá por eles” (v.5).

Ainda moro em zona urbana, mas quanto mais os dias passam mais me convenço de que o povo de Deus precisa sair das cidades. Está chegando o tempo (se é que não já chegou), em que os anjos do Senhor estão apelando, como fizeram com Ló, de que os filhos de Deus abandonem, o mais rápido possível, os grandes centros. A demora de Ló lhe custou a perda de parte de sua família e de sua esposa, e a gravidez abominável de suas filhas. A terra em que habitava tornou-se tão maligna que a homossexualidade era praticada em plena luz do dia. Estamos longe deste contexto, amados? Músicas, novelas, filmes e até desenhos animados incentivam nossas crianças e adolescentes a serem sexualmente ativos antes da hora, da forma que desejarem e com quem ou o quê desejarem. O mundo está testemunhando a desconstrução da família e do casamento, e o surgimento de uma nova geração cujo pudor é ignorado e a moral zombada.

Muitos carregam marcas de uma infância vivida em uma família que não era temente a Deus, ou de escolhas erradas que fizeram antes de conhecer ao Senhor. Todos nós, na verdade, possuímos marcas causadas pelo simples fato de existirmos. O pecado é letal e “a terra se contaminou” (v.25), e a menos que guardemos e andemos no caminho que o Senhor nos orienta a andar, carregaremos em nosso corpo e em nossa mente feridas que nos causarão traumas difíceis de esquecer. É desejo do Senhor que os Seus filhos se mantenham puros. Mas ainda que o pecado tenha nos causado manchas difíceis de limpar, ou que alguém tenha nos machucado, o Senhor nos prometeu: “ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a lã. Se quiserdes e Me ouvirdes” (Is.1:18 e 19).

Ao que o Senhor chamou de abominável sob a recorrente lembrança: “Eu sou o Senhor” (v.6), não consideremos aceitável. Não é normal, “é abominação” (v.22)! Não é natural, “é confusão” (v.23)! A repetida declaração de Deus como Senhor declara a Sua autoridade em legislar sobre a sexualidade humana. Aquele que cobriu a nudez de nossos primeiros pais é O mesmo que deseja cobrir a nossa, não mais com vestimenta de peles de animais, mas com “vestes de salvação[…] e com o manto de justiça” (Is.61:10). Não permita que o inimigo exponha a sua nudez, mas confiante nos méritos de Cristo Jesus, dEle adquira a roupa da vitória.

Bem-aventurado aquele que vigia e guarda as suas vestes, para que não ande nu, e não se veja a sua vergonha” (Ap.16:15). Vigiemos e oremos!

Feliz semana, vestidos pelo Senhor da glória!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Levítico18 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



LEVÍTICO 18 – COMENTÁRIOS PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
1 de maio de 2022, 0:40
Filed under: Sem categoria

LEVÍTICO 18 – O sexo foi criado por Deus. A depravação sexual é fruto da perversão moral resultante do pecado que deformou os desejos dos seres humanos. Deus, o Criador, precisou colocar ordens para corrigir as depravações em meio do Seu povo.

A imoralidade sexual permeou os indivíduos desde o início da história. A poligamia surgiu na sétima geração da humanidade (Gênesis 4:17-19). Um dos motivos do dilúvio foi a corrupção nos casamentos (Gênesis 6:1-5). A destruição de Sodoma e Gomorra também foi devido à imoralidade nos relacionamentos (Gênesis 19:1-13).

“Um dos pecados mais marcantes da antiguidade era a imoralidade… O casamento era tido em baixa conta, e as mulheres eram tratadas como gado. Este capítulo pinta um quadro vívido das condições em que viviam os pagãos (v. 24-27). Deus advertiu Israel de tudo isso […]. O tema de Levítico 18 é a reverência pelo corpo e suas funções; reverência pelo próprio corpo e pelo corpo dos outros”, observa o Comentário Bíblico Adventista.

A ética divina deve reger os filhos de Deus aqui neste mundo perverso e imoral. Não podemos permitir que as práticas e costumes contrários à ética do Criador suplantem os princípios divinos na vida do indivíduo que se consagra ao Senhor. A cultura pagã sempre esteve em contraste com a cultura judaico-cristã. Levítico 18 coincide com 1 Tessalonicenses 4:3-7 que diz:
“A vontade de Deus é que vocês sejam santificados: abstenham-se da imoralidade sexual. Cada um saiba controlar seu próprio corpo de maneira santa e honrosa, não dominado pela paixão de desejos desenfreados, como os pagãos que desconhecem a Deus. Neste assunto, ninguém prejudique seu irmão nem dele se aproveite. O Senhor castigará todas essas práticas, como já dissemos e asseguramos. Porque Deus não nos chamou para a impureza, mas para a santidade. Portanto, aquele que rejeita estas coisas não está rejeitando o homem, mas a Deus, que lhes dá o Seu Espírito Santo”.

Portanto, considere:
• Fuja das más influências da sociedade imoral (Levítico 18:1-5).
• Fuja da espiritualidade adulterada (Levítico 18:6-8).
• Fuja de toda prática corrupta (Levítico 18:20-26).

Deus abomina a imoralidade; contudo, deu Jesus para lavar, purificar e santificar à humanidade (Romanos 1:18-32; 1 Coríntios 6:9-11). No Céu entrará somente pessoas transformadas pelo evangelho (1 Timóteo 1:8-10; Apocalipse 21:6-8). Portanto, reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: