Reavivados por Sua Palavra


ROMANOS 15 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
7 de setembro de 2021, 1:00
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO ROMANOS 15 – Primeiro leia a Bíblia

ROMANOS 15 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

ROMANOS 15 – COMENTÁRIO SELECIONADOS

COM. TEXTO – ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO – PR HEBER TOTH ARMÍ

Acesse os comentários em vídeo em nosso canal do Youtube (pastores Adolfo, Valdeci, Weverton, Ronaldo e Michelson)



ROMANOS 15 by Jobson Santos
7 de setembro de 2021, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: Texto bíblico: https://www.bibliaonline.com.br/nvi/rm/15

Em Romanos 15, Paulo novamente aborda questões relacionadas aos “fracos” e “fortes”. Ele não oferece, porém, instruções sobre como mudar o ponto de vista dos “fracos” … mas incentiva aqueles que podem ajudá-los com seus fardos que o façam. Deus é capaz de conduzir os “fracos” a circunstâncias que lhes trazem perspectivas mais profundas de verdades que desenvolverão a sua compreensão. Os “fortes” não devem atrapalhar os propósitos de Deus para os fracos!

Nosso objetivo não deve ser agradar a nós mesmos, buscando apenas o nosso próprio bem. Mas, como irmãos na fé, devemos ajudar os outros e edificá-los na fé, para o bem deles. Cristo é nosso exemplo.

Embora sendo Deus, não considerou que ser igual a Deus fosse algo a que devesse se apegar.
Em vez disso, esvaziou a si mesmo; assumiu a posição de escravo e nasceu como ser humano.
Quando veio em forma humana, humilhou-se e foi obediente até a morte, e morte de cruz.” (Filipenses 2: 6-8, NVT).

Deus nos capacitará a “cantar o mesmo cântico”, por assim dizer, embora entoando diferentes “partes” da harmonia, de modo que o resultado final seja “um belíssimo louvor” para a glória de Deus.

Virginia Davidson
Artista – projetista e construtora de vitrais,
Igreja Adventista do Sétimo Dia de Spokane Valley, Washington, EUA

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=1307
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli/Luis Uehara



ROMANOS 15 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
7 de setembro de 2021, 0:50
Filed under: Sem categoria

1 Nós, que somos fortes. A palavra traduzida como “fortes” significa “poder” ou “poderoso”, e descreve os espiritualmente amadurecidos. Esses crentes estão firmes e devem ajudar os outros a ficar firmes. Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 6, p. 708.

2 Para edificação. Ou seja, para beneficiar o próximo e ajuda-lo em seu crescimento espiritual. Paulo não quer dizer que  os mais experientes devem agradar os débeis por concordar com suas opiniões e práticas, nem condescender com o que eles acham que seja bom. CBASD, vol. 6, p. 708.

3 Não Se agradou a Si mesmo. Paulo ilustra e reforça o dever de sacrificar o próprio prazer para o bem dos irmãos, referindo-se ao exemplo supremo de amor abnegado. CBASD, vol. 6, p. 708.

4 Foi escrito para o nosso ensino. Paulo enfatizou a natureza permanente do AT. Mesmo com a revelação maior em Cristo, o NT, então em processo de produção, o AT mantém seu lugar como fonte segura da moral e da fé. CBASD, vol. 6, p. 708.

8 Da circuncisão. O propósito de Paulo em Romanos 15:7 a 12, é enfatizar a universalidade da graça de Deus em Cristo, como demonstrado em relação aos judeus e gentios. Cristo Se dispôs a submeter-Se a tudo que fosse necessário a fim de resgatar as criaturas caídas, onde estivessem. CBASD, vol. 6, p. 709.

9 Como está escrito. Citação do Salmo 18:49. Os v. 9 a 12 mostram que, desde o princípio, o plano salvífico de Deus incluía judeus e gentios. CBASD, vol. 6, p. 710.

14 Aptos para vos admoestardes. Ou, “qualificados também para exortar”, “competentes também para aconselhar”. CBASD, vol. 6, p. 710.

16 Espírito Santo. Somente as ofertas santificadas pelo Espírito Santo são aceitáveis a Deus. CBASD, vol. 6, p. 711.

20 Anunciado. Paulo evitava pregar em lugares em que as pessoas já tivessem sido ensinadas a crer em Cristo e invocar Seu nome em confissão publica e adoração. CBASD, vol. 6, p. 712.

21 Como esta escrito. Citação de Isaías 52:15. Paulo defende sua prática de pregar onde o nome de Cristo era desconhecido, observando que o procedimento cumpria as profecias do AT. CBASD, vol. 6, p. 712.

25 Estou de partida para Jerusalém. Apesar de seu desejo de ver os crentes de Roma, Paulo sentia ser seu dever primeiramente ir na direção oposta, a fim de levar assistência aos membros mais pobres de Jerusalém. CBASD, vol. 6, p. 713.

30 Luteis juntamente. O termo implica esforço extenuante; aqui, indica seriedade na oração. Mesmo sendo cheio dos dons de um apóstolo, Paulo ainda precisava e pedia as orações de outros crentes. CBASD, vol. 6, p. 713.

31 Seja bem aceito. Paulo havia, sem dúvida, ofendido os judaizantes na igreja de Jerusalém por causa da atitude deles em relação ao ritual judaico e á questão da admissão dos gentios. Por isso, eles poderiam achar que era impossível aceitar cordialmente uma oferta daqueles que por tanto tempo eles estavam acostumados a desprezar. CBASD, vol. 6, p. 714.

33 O Deus da paz. A bênção da paz mencionada na abertura da carta ocorre novamente perto do fim. CBASD, vol. 6, p. 714.

Compilação: Tatiana Wernenburg



ROMANOS 15 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
7 de setembro de 2021, 0:45
Filed under: Sem categoria

“E o Deus da esperança vos encha de todo o gozo e paz no vosso crer, para que sejais ricos de esperança no poder do Espírito Santo” (v.13).

Fica claro no livro de Romanos a preocupação de Paulo quanto ao quesito relacionamento. Tanto dos crentes com Deus, quanto uns com os outros. Uma igreja desunida e apática certamente não era uma opção, nem tampouco uma igreja egoísta e incrédula. Paulo exortou seus irmãos a viverem o altruísmo conforme o modelo deixado por Cristo. “Porque também Cristo não Se agradou a Si mesmo” (v.3). E apontando para as Escrituras, assinalou a sua finalidade: “para o nosso ensino foi escrito” (v.4).

A forma como lidamos uns com os outros define quem de fato nós somos. Quem possui um coração mal intencionado geralmente não revela a sua malícia a todos, mas somente àqueles que deseja atingir. Aquele, porém, que é guiado pelo Espírito Santo glorifica o nome de Deus diante de todos, ainda que nem todos queiram reconhecer. Somos convocados para fazer parte de um só povo “que concordemente e a uma voz” glorifique “ao Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo” (v.6). E para tanto, precisamos ter o mesmo sentimento “de uns para com os outros, segundo Cristo Jesus” (v.5), “pelo poder do Espírito Santo” (v.19).

O Espírito Santo é constantemente mencionado, e destacados alguns de Seus atributos: poder (v.13 e 19), santidade (v.16) e amor (v.30). Poder para “o sagrado encargo de anunciar o evangelho de Deus” (v.16). Santidade para que nossa vida glorifique a Deus “por palavra e por obras” (v.18). Amor “a serviço dos santos” (v.25) e “para conduzir os gentios à obediência” (v.18). A companhia do Espírito de Deus é viver constantemente “na plenitude da bênção de Cristo” (v.29). É travar a mais árdua batalha espiritual até que do alto recebamos a tão sonhada chuva serôdia e “o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus” (Fp.3:14). O Espírito Santo na vida promove a troca do egoísmo pelo altruísmo e do ressentimento pela simpatia.

Paulo pediu que seus irmãos lutassem com ele em oração a seu favor (v.30). Em sua peregrinação certamente enfrentaria algumas dificuldades, mas que não o impediriam de avançar conforme o Espírito Santo o guiasse. E resoluto em ajudar seus irmãos pobres que viviam em Jerusalém (v.26), continuou sua viagem blindado de “valores espirituais” (v.27) a fim de que logo pudesse ver os frutos do “evangelho de Cristo” (v.19). “Portanto, cada um de nós agrade ao próximo no que é bom para edificação” (v.2). Sigamos o exemplo de Paulo e “no poder do Espírito Santo” (v.13), sejamos transformados conforme o caráter de Cristo “para a glória de Deus” (v.7) e para que estejamos “possuídos de bondade, cheios de todo o conhecimento, aptos para [nos admoestarmos] uns aos outros” (v.14) a fim de que estejamos prontos para o breve retorno de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

E o Deus da paz seja com todos [nós]. Amém!” (v.33). Vigiemos e oremos!

Bom dia, cheios do Espírito Santo!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Romanos15 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



ROMANOS 15 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
7 de setembro de 2021, 0:40
Filed under: Sem categoria

ROMANOS 15 – O amor é a essência do cristianismo, cerne da vida satisfatória. “O princípio do egoísmo trava uma guerra com o princípio do amor. Busca interesseira, autopromoção e exaltação própria opõem-se aos métodos divinos do amor e da liberdade”, explica Timothy R. Jennings.

Como “Deus criou a humanidade para ser o repositório de Sua lei viva do amor”, quando o poder do evangelho erradicar o egoísmo, o amor regerá a conduta do cristão verdadeiramente convertido. “Os seres humanos não possuem naturalmente o verdadeiro amor, que é bem diferente dos nossos desejos naturais egoístas, de nossa herança genética, do egocentrismo e do id. O amor genuíno é o princípio que diz respeito ao interesse da outra pessoa, o princípio do dar – da benevolência, independente de como a pessoa se sinta de fato… O amor não é um sentimento, mas uma ação, a despeito dos sentimentos” (Jennings).

Paulo revela o princípio que rege o comportamento das pessoas que rendem a Cristo sua vida inteira. No capítulo em pauta, temos os seguintes pontos:
• Mesmo que o cristão seja forte, não deve ser intolerante com fracos e frágeis na fé (vs. 1-3). Nestes versos “Paulo apresenta a chave para deixar o egoísmo” e “dá a razão mais importante que pode existir para um cristão… Cristo levou sobre si o peso do pecado cometido por Seus inimigos. Agradou somente aos outros, a todos. Podemos nós, os cristãos, pensar em seguir conduta diferente? Não, certamente” (Mario Veloso).
• A esperança também faz parte da experiência de vida cristã, assim como o amor. “A pessoa que faz o que agrada aos outros é alguém que olha para o futuro com esperança. Uma esperança que comove e dirige todas as suas emoções”. Nos versos 4-6 encontramos “a fórmula que produz as emoções necessárias para a integração e a reciprocidade cristãs: Paciência, consolação, esperança. Quando brotam do coração, as ações externas serão todas simpáticas e favoráveis ao próximo” diz Veloso.
• A conversão a Cristo faz do cristão um reflexo do amoroso caráter divino, vive motivado pela esperança e planeja sempre com altruísmo (vs. 7-33).

O Espírito Santo ama (v. 30); portanto, todo aquele que estiver cheio desse Espírito terá o espírito do amor regendo todas as suas atitudes sem deixar dos absolutos princípios bíblicos.

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: