Reavivados por Sua Palavra


Hebreus 4 – Comentários Selecionados by tatianawernenburg

1 Sendo-nos deixada a promessa. A promessa de entrar no “descanso” de Deus não foi retirada como resultado dos repetidos erros de Israel. A promessa continua válida e se repete a cada geração. Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 7, p. 448.

Tenha falhado. Ou seja, assim como o antigo Israel não havia conseguido entrar no prometido descanso de Deus. CBASD, vol. 7, p. 449.

3 Descanso. 0 descanso em que os cristãos, incluindo os de origem judaica, entram é o mesmo ao qual Deus tinha convidado o antigo Israel a entrar. É um descanso de alma que resulta da entrega total a Cristo e da integração da vida ao propósito eterno de Deus. CBASD, vol. 7, p. 449.

6 Não entraram. A geração de israelitas que deixou o Egito “não entrou” na terra da promessa, e os que entraram em Canaã, como nação, nunca entraram no descanso espiritual que Deus lhes propôs. CBASD, vol. 7, p. 452.

Povo de Deus. Ou seja, os cristãos, que agora são o povo escolhido de Deus tão verdadeiramente quanto os israelitas o foram no passado. CBASD, vol. 7, p. 455.

11 Esforcemo-nos. Ou, “sejamos zelosos”, “façamos todo o esforço”. É necessário esforço diligente e determinado a fim de entrar no “descanso” de Deus. CBASD, vol. 7, p. 455.

A fim de que ninguém. Aquele que se esforça para “entrar naquele descanso” se desvia da armadilha da descrença em que o antigo Israel caiu. CBASD, vol. 7, p. 455.

12 Pensamentos e propósitos. Ou, “pensamentos e motivos”, “pensamentos e intenções”. Como uma lâmina afiada que separa “juntas” de “medulas”, os claros princípios da “palavra de Deus” discernem entre o bem e o mal, entre os pensamentos e motivos certos e errados. CBASD, vol. 7, p. 456.

14 Conservemos firmes. Do gr. krateõ“ter a posse de”, “reter”, como a própria vida. Cristo é digno de nossa plena fé e confiança, e nada deve ser permitido entre nós e Ele. CBASD, vol. 7, p. 457.

15 A nossa semelhança. Em todos os aspectos, a não ser pelo pecado.Ele Se tornou um conosco. CBASD, vol. 7, p. 457.

16 Para socorro em ocasião oportuna. Isto é, em tempos de tentação. Precisamos da graça para suportar as dificuldades e o sofrimento, bem como para vencer a tentação. Aquele que vai diariamente ao trono da graça para novos suprimentos de misericórdia e graça entra no “descanso” que Deus provê a todo crente sincero. CBASD, vol. 7, p. 458.



Jeremias 42 by Jeferson Quimelli
12 de junho de 2014, 0:00
Filed under: fidelidade | Tags: , ,

Comentário devocional:

Joanã e outros capitães militares resgataram com sucesso as pessoas que tinham sido capturadas por Ismael. Então, em vez de voltarem para Mispa, Joanã, os capitães e as pessoas, temendo a vingança dos caldeus da Babilônia, decidiram fugir para o Egito e chegaram a uma estalagem em Gerute-Quimã perto de Belém, ao sul de Jerusalém (Jer 41:17).

Os capitães militares e as pessoas resgatadas queriam uma viagem segura para o Egito. Jeremias estava entre essas pessoas em Gerute-Quimã. Eles sabiam que a profecia de Jeremias acerca da destruição de Jerusalém pelos caldeus tinha se cumprido integralmente. Por isso queriam ouvir da boca de Jeremias qual a orientação de Deus a respeito, a fim de garantir a proteção divina em sua fuga para o Egito. Eles ocultaram a firme determinação de fugirem para o Egito fingindo ser humildes, e disseram a Jeremias: “Quer seja favorável ou não, obedeceremos ao Senhor, o nosso Deus” (Jer 42:6, NVI). 

Jeremias lhes garantiu que bênçãos divinas seriam derramadas sobre eles se aceitassem ficar em Judá (42:7-19), mas se fugissem para o Egito, perderiam suas vidas. Deus conhecia os corações deles e que estavam determinados a fugir para o Egito. Então Jeremias acusou-os, dizendo: “Eu lhes disse, hoje mesmo, o que o Senhor, o seu Deus, me mandou dizer a vocês, mas vocês não lhe estão obedecendo. Agora, porém, estejam certos de que vocês morrerão pela guerra, pela fome e pela peste, no lugar em que vocês desejam residir” (Jer 42:21-22, NVI).

Quando procuraram a Jeremias para ouvirem a Palavra do Senhor eles haviam jurado solenemente: “Que o Senhor seja uma testemunha verdadeira e fiel contra nós, se não mantivermos o nosso juramento! Juramos que faremos tudo o que o Senhor teu Deus te mandar dizer-nos “(Jeremias 42:5 New English Bible – NEB). Eles enganosamente juraram em nome do Senhor. Eles quebraram o mandamento encontrado em Levítico 19:12 “Não jurem em meu nome com a intenção de enganar profanando assim o nome do vosso Deus” (NEB).

Toda forma de engano é pecado contra Deus. Precisamos ser cristãos verdadeiros, pessoas sinceras, sem engano, que não profanam o nome de Deus.

Nesse relato percebemos o imenso amor de Deus para com seu povo. Após a destruição de Jerusalém, sob circunstâncias nada favoráveis, Deus amorosamente promete proteção aos restantes que haviam ficado na terra, caso eles confiassem em Sua Palavra e aceitassem permanecer em Judá. Infelizmente os líderes decidiram ir para o Egito e o povo os seguiu. Mais uma vez os planos bondosos de Deus foram impedidos de se cumprirem na vida do seu povo devido à incredulidade e desobediência. 

Oremos para que Deus nos dê um coração disposto a aceitar e obedecer a todas as suas orientações.

Yoshitaka Kobayashi
Japão

 

Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/jer/42/

Traduzido por JDS/JAQ

Texto bíblico: Jeremias 42 



Jó 35 by Jobson Santos
31 de julho de 2013, 10:56
Filed under: obediência | Tags: , , ,

Comentário devocional:

Eliú desafia a Jó: “Você disse: ‘A minha justiça é de Deus” ” (V. 2). E continua: “Você diz: “No que eu me beneficiarei? Que lucro eu terei do meu pecado? “(Versículo 3). Como um crente em Deus, Jó formula corretamente estas perguntas. Segundo o autor,  esta é a tradução literal do hebraico, contudo a maioria das modernas traduções vertem de forma diferente.

Segundo Eliú: “Não há quem pergunte: ‘Onde está Deus, o meu Criador, que de noite faz surgirem cânticos… Quando clamam, ele não responde, por causa da arrogância dos ímpios” (vv. 10, 12).

Diante da expectativa de Jó em relação a um processo judicial, Eliú diz: “a sua ira jamais castiga, … ele não dá a mínima atenção à iniquidade” (v. 15, NVI). Ele não está correto nestas afirmações. Eliú acusa a Deus de não se importar o suficiente a ponto de visitar a raça humana com Sua ira. Mas Jó entende de forma diferente e expressou isso anteriormente.

Eliú acusa Jó de abrir a boca com vaidade e multiplicar suas palavras sem conhecimento (versículo 16). No entanto, quem está multiplicando palavras com vaidade é o próprio Eliú.

Querido Deus,

Nós também queremos dizer juntamente com Jó, que a nossa justiça vem de Ti e que nada lucraremos com o pecado em nossas vidas. Neste ambiente hostil em que nos encontramos, as pessoas torcem nossas palavras e deturpam nossas intenções. Abençoe o trabalho que fazemos para Ti. Amém.

Koot van Wyk

Universidade Nacional Kyungpook

Sangju, Coreia do Sul

Traduzido e adaptado por JDS

Texto original em: http://revivedbyhisword.org/en/bible/Jó/35/

Texto bíblico: Jó 35




%d blogueiros gostam disto: