Reavivados por Sua Palavra


Provérbios 8 by Jobson Santos
12 de janeiro de 2014, 0:19
Filed under: obediência | Tags: , ,
Comentário devocional:

O uso de palavras profanas e obscenas me deixa muito desconfortável.

Uma juventude irreverente me deixou com um dicionário mental de frases de baixo calão que tenho procurado apagar da minha mente. Para piorar, logo percebi que não poderia fazer muito a respeito daqueles que amaldiçoam na minha presença. Mas eu poderia tomar medidas para controlar o que entraria em meus olhos e ouvidos a partir da Internet e das notícias da imprensa. A questão tornou-se pessoal quando assumi o comando da política de uso de palavras ofensivas na agência de notícias onde trabalho.

Muitos meios de comunicação não têm nenhum problema com obscenidades. Alguns jornais publicam a primeira letra da palavra ofensiva, seguido por uma série de traços levando o leitor mentalmente a completar a frase.

A agência de notícias onde eu trabalho não tinha regras claras quanto ao uso de palavras obscenas nos textos. Mas eu percebi que não poderia ser a única pessoa entre os meus colegas de profissão que desejava dizer juntamente com Salomão: “Todas as minhas palavras são justas; nenhuma delas é distorcida ou perversa” (v. 8, NVI). Então, eu tomei emprestado e adotei a política do jornal Washington Post a qual proibe palavrões em seus artigos e recomenda a substituição entre parênteses da obscenidade em uma citação direta.

Foi muito difícil manter esta política no início. Uns poucos jornalistas insistiram que suas histórias perdiam impacto sem as palavras profanas. Mas eu me mantive firme na defesa do que acreditava ser correto. Pouco tempo depois, o governo russo entrou em cena. Em um esforço para proteger as crianças, foi aprovada uma lei exigindo que as organizações de mídia avaliassem criteriosamente seus conteúdos. Optamos por uma classificação um pouco melhor tornando ilegal para nós mesmos publicar palavrões.

As vezes esquecemos que é errado falar palavrões, espalhar boatos e contar piadas sujas. Mas somos alertados por Salomão: “Temer o Senhor é odiar o mal; odeio o orgulho e a arrogância, o mau comportamento e o falar perverso” (v. 13, NVI). Amar a Deus envolve odiar as palavras ofensivas.

Fiquei contente quando o governo russo apoiou a minha política mais elevada quanto ao uso das palavras. Mas melhor mesmo é receber a aprovação de Deus.

Andrew McChesney

Jornalista na Rússia

 

Texto original em: http://revivedbyhisword.org/en/bible/pro/8/

Traduzido por JDS/JAQ

Texto bíblico: Provérbios 8




%d blogueiros gostam disto: