Reavivados por Sua Palavra


II Crônicas 16 by jquimelli
4 de maio de 2013, 0:01
Filed under: vitória | Tags: , ,

Comentário devocional:

Você terminará bem? Muitos começam bem. Nós os vimos disparar à frente no começo da corrida, como, por exemplo: Saul, Salomão, Roboão e, agora, Asa.

Saul era alto e belo.Ninguém poderia se comparar a Salomão em sabedoria. As vitórias e reformas de Asa foram notáveis. 

Entretanto, a corrida é longa e mesmo bons corredores se cansam.

Asa tirou seus olhos do Senhor e usou a prata e o ouro do tesouro de Deus para comprar o apoio de Ben-Hadade, da Síria. O profeta Hanani veio relembrar o rei de que é um erro apoiar-se no homem. O que aconteceu a seguir é relevante. O rei Asa ficou tão bravo que colocou o profeta na prisão! Mais tarde, com uma séria doença nos pés, ele se recusou a buscar o Senhor e continuou buscando aos médicos. Pouco tempo depois ele morreu.

Que orgulho estúpido este, que nos impede de nos arrependermos!

Deus é tão gracioso, tão pronto a perdoar! Não há pecado que Ele não possa perdoar, a não ser aquele para o qual não pedimos perdão. Lealdade não significa nunca falhar. Lealdade, significa sempre retornar à fonte da força.

“Pois os olhos do Senhor estão atentos sobre toda a terra para fortalecer aqueles que Lhe dedicam totalmente o coração” (v. 9 NVI).

Levante-se! Retorne à corrida!Termine bem!

 

Pastor Scott Griswold

Recrutador de Missionários

Apoio a Projetos para o Sudeste da Ásia

Trad JAQ – Rev GASQ/ JDS


– – – – –

Texto bíblico: II Crônicas 16

Fonte: Blog da Bíblia



II Crônicas 16 – Comentários bíblicos by jquimelli
4 de maio de 2013, 0:00
Filed under: Sem categoria

1 O capítulo registra uma reversão na dependência exclusiva em Deus de Asa, resultado numa repreensão do profeta Hanani. É paralelo a 1Rs 15:7-24(Andrews Study Bible).

2-9 Alugar tropas estrangeiras colocou Asa num pacto internacional, que demonstrava uma falta de confiança no Senhor (Bíblia de Estudo NVI Vida).

2 Prata e ouro. Até pessoas com um longo histórico de serviços podem vir a macular seu registro ao olhar para as dificuldades do momento, em vez de colocar a confiança em Deus (CBASD, vol. 3, p. 262).

7 escapou. Pelo seu ato político ele havia repelido o rei de Israel, mas pela fé em Deus poderia ter obtido a vitória sobre as forças combinadas de Israel e da Síria. Não era propósito de Deus que Seu povo estivesse à mercê de seus inimigos, e só quando rejeitavam o Senhor ou manifestavam falta de confiança nEle é que experimentavam a derrota. Se a fé e a coragem não tivessem falhado nessa ocasião, seu reino teria sido ampliado e o nome do Senhor, exaltado entre as nações da terra (CBASD, vol. 3, p. 262).

7-10 Não é pecado usar meios humanos para resolver nossos problemas. Mas é pecado confiar neles mais do que em Deus, pensar queeles são melhores do que os meios de Deus ou deixar Deus de fora do processo de resolução dos problemas (Life Application Study Bible, Kingsway NIV).

9 por toda a terra. Os olhos de Deus estão em toda a parte, procurando os que O servem de todo o coração, para, por meio deles, revelar Seu grande poder e realizar Suas maravilhosas obras. Através dos atos de pessoas justas, o mundo se familiariza com a natureza e o poder de Deus. Ao deixar de manifestar fé em Deus, Asa cometeu uma injustiça, não apenas para consigo mesmo e para com a nação, mas também para com Deus. No momento em que Deus procurava alguém por meio de quem pudesse se revelar às nações e quando o rei de Judá pareceia ser a pessoa certa para isso, Asa fracassou. Se tivesse sido forte e corajoso, avançando em nome do Senhor, a reforma que ele iniciara em Judá poderia ter-se estendido para outras nações, e muitos dentre os pagãos conheceriam a Deus e tomariam posição ao lado dEle e de Seu povo (CBASD, vol. 3, p. 262).

cujo coração é totalmente dEle. A palavra totalmente é a mesma que em heb se traduz por “perfeito” em 5.17. A idéia, inclusive na palavra shalom, significa inteireza, fidelidade, integrifade, digno de confiança. Há o sentido de plenitude e de saúde na saudação shalom, que se pode traduzir “A paz do Senhor” (Bíblia Shedd).

12 nos médicos. Não foi só na guerra e nas políticas nacionais que Asa colocou indevida independência na ajuda humana, mas também no caso de sua enfermidade. Tornou-se fraca a fé do rei que um dia fora tão forte. Uma vitória nunca é garantia de outra. A força de hoje não é certeza da força de amanhã (CBASD, vol. 3, p. 263).

A crítica à visita de Asa aos médicos não é uma crítica geral à medicina. O problema de Asa foi que ele ignorou completamente a ajuda de Deus. A medicina praticada na época era uma mistura de superstição e remédios populares. Nós devemos, certamente, evitar qualquer pseudo tratamento médico derivado de origens ocultas. A experiência de Asa deve também nos encorajar a seguir a prática do NT de receber oração por nossas doenças, assim como procurarmos ajuda médica responsável (Life Application Study Bible, Kingsway NIV).




%d blogueiros gostam disto: