Reavivados por Sua Palavra


II Reis 5 – quinta, 28.02.2013 by Jeferson Quimelli
28 de fevereiro de 2013, 0:02
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico à II Reis 5

Texto de hoje do blog da Bíblia:

Neste capítulo, Naamã, general sírio poderoso e rico, vem até Eliseu em desespero, em busca da cura para a sua lepra avançada.

Quando Naamã e sua comitiva de soldados chegaram à humilde casa de Eliseu, o profeta enviou seu servo com uma mensagem inesperada:  “Vá lavar-se no rio Jordão sete vezes e você será limpo.” O oficial sentiu-se insultado e com muita raiva porque o profeta nem ao menos saíra para falar com ele pessoalmente! Não houve orações de súplica a Deus ou as palavras mágicas que se esperariam num momento como este. Além disso, Naamã ficou indignado porque o profeta deixou implícito que ele estava tão sujo que precisava banhar-se, sete vezes!

Tudo parecia muito simples, mas o orgulho de Naamã havia sido atingido. Num acesso de raiva, o general em doença terminal se afastou bufando da casa de Eliseu e começou a retornar para Damasco.

O que a lepra representa? Se o Jordão representa o batismo – morte, sepultamento e ressurreição (Romanos 6:4) – a lepra representa o pecado. Era uma doença mortal contagiosa que causava uma morte lenta miserável. Começava afetando os nervos e as extremidades, de tal forma que se você tivesse lepra perdia o sentido do tato.

Isso é o que o pecado faz com você: ele paralisa a sua consciência (1 Timóteo 4:2). No início sua consciência te convence do pecado, mas quanto mais você ficar em uma vida de pecado, mais você perde este sentido. O seu coração torna-se endurecido; a doença do pecado devora você como lepra.

Naamã raciocinou: “Os rios de Damasco são muito mais claros e mais limpos do que o Jordão.” Isso era provavelmente verdade, mas Deus havia dito: “Lave-se no rio Jordão.” Deus é bom e sabe o que está fazendo. Para chegar a Damasco, Naamã tinha de andar ao lado do rio Jordão. Então, um dos soldados de Naamã se aproximou dele e disse: “Olhe senhor, se o profeta pedisse para fazer algo difícil, você faria isso, certo?” Ele concordou. “Então por que não lavar-se no rio Jordão e ficar limpo?”

Naamã se humilhou, desceu para a beira do rio, tirou sua armadura, entrou na água barrenta do rio Jordão, mergulhou, e esfregou-se a cada imersão. Eliseu disse a Naamã para lavar-se sete vezes. Se o comandante tivesse se lavado apenas cinco vezes, não teria tido sucesso. Deus parece particularmente interessado em números. Quando Ele disse a Josué para marchar ao redor de Jericó sete vezes no sétimo dia, as paredes desabaram após quatro vezes? Deus espera que o obedeçamos nos menores detalhes.

Quando Naamã, finalmente, emergiu pela sétima vez, sua pele tinha outra aparência. A lepra que tinha devastado a sua pele e talvez atacado alguns de seus dedos das mãos ou dos pés, havia ido embora. Naamã estava curado! A Escritura diz: “…sua carne se tornou como a carne de uma criança” (2 Reis 5:14).

Você pode imaginar a cena? Após o general se lavar no Jordão pela sétima vez, ele sai da água e seus soldados dizem: “Aconteceu um milagre! Louvado seja o Senhor! Sua lepra desapareceu completamente e sua pele parece nova!” Todos se alegraram com o milagre operado por Deus!

Querido Senhor, como Naamã, todos fomos atingidos pela lepra do pecado. No entanto, neste momento,  humildemente nos achegamos a Ti. Nós nos arrependemos de nossos pecados e desejamos ser lavados no sangue de seu Filho Jesus – o Cordeiro que derramou o Seu sangue por nós para fazer-nos limpos. Amém.

Doug Batchelor
Pastor Sênior
Igreja Central de Sacramento  
Trad JAQ – Rev JDS


II Reis 4 – quarta, 27.02.2013 by Jeferson Quimelli
27 de fevereiro de 2013, 0:02
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico à II Reis 4

Texto de hoje do blog da Bíblia:

Vemos outro dos milagres de Eliseu quando a viúva de um dos filhos dos profetas disse: “Meu marido está morto e os credores estão chegando. Tudo que eu tenho na casa é este frasco de azeite.” Por que ela o havia guardado até o último momento? Era óleo de oliva. O azeite era um bem fundamental, básico e necessário em casa. Era usado para a cura (unção médica), em alimentos (fazer pães), para a beleza (cosméticos), para produzir luz em suas lâmpadas e para aquecer. A viúva queria que seus filhos estivessem bem, ela queria que eles estivessem bonitos. Ela queria que eles estivessem iluminados; ela queria que seus filhos estivessem alimentados. Ela queria que eles estivessem aquecidos.
Na Bíblia o que uma mulher representa simbolicamente? A Igreja. Por todos os benefícios apresentados acima, não deveríamos ter óleo em nossas igrejas?  Eu não estou falando de óleo de cozinha comum, do armário, é claro. Eu estou falando sobre o óleo do Espírito de Deus.
O que isso tudo significa? Tem a ver com o crescimento de uma igreja. Quanto do Espírito Santo você tem? Você certamente tem algum. Você procura seus vizinhos que não conhecem a Cristo: são vasos vazios. Você os leva para sua casa para um estudo bíblico. Você derrama o pouco de óleo que você tem sobre eles, e ele vai se multiplicar. Além disso, você ainda terá mais para o próximo recipiente vazio e para o outro, até que muito em breve todos os vasos estarão cheios.
O milagre para a mulher não parou até que não havia outro lugar para derramar o óleo e ela foi capaz de pagar seus credores. Há outros milagres neste capítulo que não temos tempo para mencionar, como a ida de Eliseu até Suném trazer à vida o jovem filho morto de uma mulher, a purificação de uma panela de cozido venenoso, e alimentar uma centena de homens com 20 pequenos pães.
O Espírito Santo de Deus nunca se esgota. Ele só para de ser derramado na vida de pessoas que estão muito cheias de outras coisas. Se você está cheio de coisas do mundo, não haverá lugar para aquilo que Deus deseja derramar em sua vida.
Você está disponível para o Espírito de Deus ou a sua vida está abarrotada de outras coisas?
Eu amo o que o rei Davi disse sobre Jesus: “unges a minha cabeça com óleo, o meu cálice transborda” (Salmo 23:5). Os discípulos tinham 12 cestos de pão extra após os milagres de Cristo. O Senhor nos abençoa abundantemente, acima de tudo o que possamos imaginar. Há transbordamento, há sobras. Isso é uma boa notícia, não é? Você não ficará sem o Espírito Santo, especialmente se você compartilhar o amor de Deus com outros. Ele vai abrir as janelas do céu e derramar uma bênção tal que você não vai ter espaço suficiente para receber tudo.
Querido Senhor, no dia de Pentecostes Jesus abriu as janelas do céu e derramou de tal modo o Espírito sobre os Seus discípulos até que suas vidas transbordaram para as ruas de Jerusalém e a igreja do Novo Testamento nasceu. Por favor, faça isso de novo para nós hoje! – Amém.
Doug Batchelor
Pastor Sênior

Igreja Central de Sacramento
Trad JAQ – Rev JDS



II Reis 3 – terça, 26.02.2013 by Jeferson Quimelli
26 de fevereiro de 2013, 0:02
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico à II Reis 3

Texto de hoje do blog da Bíblia:

Os reinos de Israel e Judá se uniram em uma guerra com seus vizinhos, os moabitas. Em um esforço para surpreender os inimigos pela retaguarda, eles decidiram fazer uma longa e tortuosa marcha através do deserto de Edom . Eu poderia acrescentar que este é um dos mais quentes, secos e mais baixos desertos do mundo. Sendo o caminho mais longo que o esperado, a provisão de água do exército de Israel acabou. 

Naqueles dias, os exércitos levavam gado consigo como se fora provisões portáteis. Mas o gado não tinha nem grama para comer e nem água para beber. Os soldados estavam com sede e os animais estavam morrendo. Então, o rei de Judá perguntou ao profeta Eliseu, que os acompanhara em sua marcha, “O que podemos fazer?”

Eliseu pediu, então, algo incomum. Ele disse: “Traga-me um músico”, e quando eles encontraram um soldado que tocar, levaram-no a Eliseu. Quando o músico começou a tocar, “o poder do Senhor veio sobre Eliseu, e ele disse: […] Cavem muitas cisternas neste vale”.

Então, pela fé, o rei de Judá fez os soldados cavarem bebedouros secos na areia. Milagrosamente, durante a noite, tempestades nas montanhas de Edom trouxeram água que encheram as valas. Então, os soldados, reavivados, derrotaram os moabitas. Isto nos lembra a milagrosa água viva que Deus nos dá através de Jesus para que possamos ter vitória sobre o nosso adversário Satanás.

Querido Senhor, dá-nos a fé e a determinação para cavar cisternas para receber a Sua bênção, mesmo quando não houver nuvens no céu. Neste mundo desolado, surpreenda-nos e refresque-nos com a água viva do Seu Espírito. Amém.

Doug Batchelor
Pastor Sênior
Igreja Central de Sacramento
Trad JAQ – Rev GASQ/JDS


Comentários bíblicos selecionados:

11 Será que não há aqui profeta do Senhor…? V. 1Rs 22.7. Somente depois de as estratégias dos próprios três governantes parecerem ter fracassado é que procuraram a palavra do Senhor (v. 12) (Bíblia de Estudo NVI Vida).

27 seu filho mais velho. O rei Mesa, num ato extremo de desespero, sacrificou seu primogênito ao deus Quemos, na esperança de obter perdão por seus pecados passados (Miq 6.7) e garantir uma vitória militar (Jz 11:30-40) (Andrews Study Bible).
em holocausto. A despeito da proibição divina (Deut. 18:10), Acaz, um rei posterior de Judá, sacrificou seu filho no fogo, seguindo as detestáveis práticas das nações circundantes (Andrews Study Bible).
grande ira contra Israel. Essa expressão, á luz do hebraico, normalmente faz alusão a uma visitação da ira de Deus. (Bíblia de Estudo NVI Vida).
…talvez devamos entender que os aliados ficaram abalados pelo terror supersticioso da ira da divindade local. (Foi justamente naquela época da história de Israel que a idolatria se acentuara entre os israelitas) (Bíblia Shedd).
A devoção de Mesa ao seu deus Quemos [ou Camos] foi maior que a lealdade de Israel ao Senhor. O descontentamento causou a imediata retirada da campanha militar de Israel contra Moabe (Andrews Study Bible).


II Reis 2 – segunda, 25.02.2013 by Jeferson Quimelli
25 de fevereiro de 2013, 0:02
Filed under: Sem categoria
Texto bíblico à II Reis 2
Texto de hoje do blog da Bíblia:
Este capítulo nos conta que Elias subiu ao céu num carro rodeado por um grupo de anjos de fogo. Quando Eliseu viu isto, ele caiu de joelhos e rasgou suas roupas, o que significa que “todos nós somos como o imundo, e todas as nossas justiças, como trapo da imundícia” (Isaías 64:6). Em contraste com a glória da escolta celeste, ele se sentiu dominado por um sentimento de sua própria indignidade. Mas depois que a visão do carro e anjos haviam desaparecido, Eliseu pegou o manto caído de seu antecessor e, ao fazer isso, ele recebeu por herança o ministério do espírito e poder de Elias, como havia pedido.
O que fazemos quando aceitamos a justiça de Cristo? Nós admitimos que somos pecadores, que “todas as nossas justiças são como trapo da imundícia” e colocamos o manto da justiça de Cristo.
          
Qual era a condição para que Eliseu recebesse a porção dobrada do espírito de Elias como ele havia pedido? Ele tinha que ver Elias subir (v. 10). A Escritura diz: “O que vendo Eliseu…” (2Rs 2:12). Os discípulos também viram Jesus subir entre as nuvens. Do que consistiam aquelas nuvens? Salmo 104:3 e 4 diz: “…tomas as nuvens por Teu carro e voas nas asas do vento. Fazes a teus anjos ventos e a teus ministros, labaredas de fogo.” Todas as Bíblias dizem, “Anjos, nuvens, fogo, carro.”
Essas ondas de luz que os discípulos viram recebendo Jesus eram anjos. No Antigo Testamento, os escritores se referem a eles como carros e cavalos de fogo. Os anjos não estão ao redor em seus cavalos à medida que veem para a Terra e partem dela. Nos tempos bíblicos, este era o modo mais rápido e potente de transporte que eles conheciam, de modo que este era um símbolo compreensível para eles. Era uma grupo de anjos que veio para levar Elias, e também foi um grupo brilhante de anjos que veio para receber Jesus.
Eliseu viu Elias ascender ao céu e foi-lhe dada uma porção dobrada do espírito de Elias. Os apóstolos viram Jesus subir ao céu e logo depois eles foram ungidos com o poder do Espírito Santo, representado por línguas de fogo.
Caro Senhor, ajuda-nos a manter nossos olhos fixos em Ti e que a principal oração de nossas almas seja: “que uma porção dobrada do Seu Espírito caia sobre nós.”
Doug Batchelor
Pastor Sênior
Igreja Central de Sacramento
Trad JAQ-Rev GASQ



Comentários bíblicos selecionados:

3 os discípulos dos profetas. Nos dias de Elias e Eliseu, existiam várias “Escolas de Profetas”. […] Aqui Elias está fazendo sua visita de despedida a três escolas: Gilgal, Betel e Jericó (Bíblia Shedd).

9 que me toque por herança porção dobrada do teu espírito. “Faze de mim o principal herdeiro”, NVI. Eliseu não estava expressando o desejo de ter um ministério duas vezes maior que o do Elias. Usava, isso sim, uma linguagem tirada das leis da herança, para expressar seu desejo de continuar o ministério de Elias. A lei da herança atribuía uma porção dupla das posses do pai ao filho primogênito (v. Dt. 21.17) (Bíblia de Estudo NVI Vida).

18 Estes discípulos acreditavam em milagres, mas nunca em uma viagem diretamente aos céus (Bíblia Shedd).

20 tigela nova. O que seria usado no serviço do Senhor não poderia ser contaminado pelo uso profano (v. Lv 1.3,10; Nm 19.2; Dt 21.3; 1Sm 6.7) (Bíblia de Estudo NVI Vida).
sal. Desde tempos antigos o sal tem sido valorizado por suas propriedades preservativas. Figurativamente, simboliza a lealdade do povo à aliança de Deus (Nm 18.19; Jz 9.45) (Andrews Study Bible).

23 calvo! Uma maneira de zombar de uma pessoa. A aparência de Eliseu era diferente dos cabelos de Elias. Tendo em vista que cabelo significava força e vigor, os jovens provavelmente estavam zombando da falta de poder profético de Eliseu (Andrews Study Bible).


I Reis 16:34 Os muros de Jericó by Jeferson Quimelli
24 de fevereiro de 2013, 11:01
Filed under: Sem categoria

34 Durante o seu reinado, Hiel, de Betel, reconstruiu Jericó. Lançou os alicerces à custa da vida do seu filho mais velho, Abirão, e instalou as suas portas à custa da vida do seu filho mais novo, Segube, de acordo com a palavra que o Senhor tinha falado por meio de Josué, filho de Num.
reconstruiu Jericó. “Não significa que Jericó tenha permanecido desabitada desde a sua destruição por Josué (v. Js 18.21; Jz 1:16; 3.13; 2Sm 10.5), mas que permaneceu como uma aldeia sem muros. Durante o reinado de Acabe, Hiel fortificou a cidade reconstruindo seus muros e portões. Assim foi violada a intenção de Deus de deixar as ruínas de Jericó (Js 6.26) como lembrança perpétua de que Israel recebera a terra de Canaã da mão de Deus como uma dádiva da sua graça. Por isso, Hiel sofreu os efeitos da maldição impetrada por Josué.” (Bíblia de Estudo NVI, Vida).


II Reis 1 – domingo, 24.02.2013 by Jeferson Quimelli
24 de fevereiro de 2013, 0:02
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico à II Reis 1
Texto de hoje do blog da Bíblia:
Bem-vindo ao Segundo Livro de Reis! Uma continuação do Primeiro Livro de Reis, este livro cobre aproximadamente 300 anos, acompanhando o declínio gradual de Israel e, em seguida, o de Judá. Entretanto, no meio desta época de apostasia, ainda vemos alguns poucos reis bons e muitos milagres da misericórdia de Deus.
No primeiro capítulo de 2 Reis vemos o orgulhoso filho de Acabe, Acazias, enviando mensageiros para consultar o deus filisteu Baal-Zebube, de Ecrom. Acazias tinha se ferido gravemente em uma queda e queria saber se ele iria se recuperar. Mas ao invés de perguntar ao Deus do Céu, Acazias envia mensageiros para consultar a um detestável deus pagão. Ele tinha conhecimento para fazer muito melhor. Ele testemunhara o poder de Jeová através do profeta Elias, mas seu coração tinha, provavelmente, sido endurecido contra o Senhor através da má influência de sua infame mãe Jezabel.
Curiosamente, para ir de Samaria a Ecrom, os mensageiros tinham de contornar tanto o lugar onde Elias morava quanto Jerusalém. De forma semelhante, nos desviamos de Deus quando corremos para os oráculos populares do mundo à procura de respostas. A advertência de Deus, entretanto, sempre está à nossa frente, mesmo quando fugimos dela e para Acazias veio na condenação feita por Elias, que interceptou os  mensageiros do rei. Quando os soldados de Acazias são enviados para prender Elias, em vez de humilhar-se como seu pai Acabe havia feito, ele tenta prender o poderoso profeta. Má idéia. Os dois primeiros capitães e seus homens são queimados quando Elias pede que caia fogo do céu sobre eles. Sem se abalar com isso, o teimoso rei envia um terceiro contingente de 50 soldados para prender Elias. Mas o terceiro capitão e seus soldados, rodeados pelos restos fumegantes de seus antecessores, agem com mais bom senso. Eles se humilham diante de Elias e recebem misericórdia. Elias os acompanha voluntariamente até o jovem rei e lhe diz que vai morrer porque desprezou a palavra de Deus.
Os desvios que fazemos, em nossa teimosia e orgulho, a fim de não nos encontrarmos com Deus sempre nos conduzirão a um beco sem saída.
Querido Senhor, por favor, perdoe-nos pelas muitas vezes em que nos esquecemos que estás perto e buscamos por respostas nos lugares errados. Por favor, ajude-nos a lembrar de trazer nossas orações e perguntas a Ti. E se descobrirmos que estamos no caminho errado, nos ajude a estarmos dispostos a nos humilhar e mudar de rumo. Amém.
Doug Batchelor
Pastor Sênior
Igreja Central de Sacramento
Trad JAQ – Rev GASQ/JDS


I Reis 22 – sábado, 23.02.2013 by Jeferson Quimelli
23 de fevereiro de 2013, 0:02
Filed under: Sem categoria
Texto bíblico à I Reis 22

Texto de hoje do blog da Bíblia:

As lições e aplicações deste capítulo são muitas. Quantas vezes somos apanhados agindo impulsivamente como fez Acabe, quando realmente deveríamos seguir o exemplo de Josafá: “…busques primeiro o conselho do Senhor” (v. 5, NVI).

Os profetas de Deus nunca são populares – e, infelizmente, isto é muitas vezes também verdadeiro para o próprio povo Deus. O rei de Israel detestava convidar o profeta de Deus porque ele raramente tinha boas notícias. Ele preferia ouvir as mensagens falsas de 400 falsos profetas! A razão era porque, como Micaías mesmo dizia, “Tão certo como vive o Senhor, posso dizer-lhe apenas o que o Senhor me diz.”

A mensagem de Micaías ergue-se em gritante contraste com as palavras agradáveis dos falsos profetas. Mais uma vez somos levados a apreciar o compromisso inabalável deste fiel homem de Deus, mesmo em face de perseguição e prisão.

A batalha começa, e como Micaías profetizara, Acabe morre em uma poça de seu próprio sangue no seu carro. É um final triste para um homem a quem Deus havia oferecido a salvação tantas e tantas vezes. E assim, a sua vida permanece como uma lembrança para todos nós. Nenhum de nós terá a quem culpar, a não ser a si mesmo, se estivermos perdidos. 

Esta é a razão de se ouvirmos hoje a voz de Deus, então agora é a hora de atendermos. Hoje, exatamente agora, nós temos uma escolha. Podemos escolher entre a vida ou a morte. 
Podemos escolher entre a nossa vontade ou a do Salvador. A escolha é sempre sua e o que você escolhe afeta o seu destino eterno.

Ao encerrar este comentário sobre o livro de 1 Reis, notamos repetidas referências bíblicas sobre filhos seguindo as pegadas dos pais (v. 43 e 52). Como pais, nossa responsabilidade é grande – grande demais para que a carreguemos sozinhos. Que seja sempre o nosso desejo levar nossos filhos a amar e conhecer a Jesus, enquanto seguramos firme na mão de Deus. Nossas crianças estão sempre observando, pois eles irão nos imitar um dia. Que possamos sempre, portanto, procurar imitar a Cristo. Amém.

Charissa Fong
Sydney, Austrália
Trad JAQ – Rev GASQ


I Reis 21 – sexta, 22.02.2013 by Jeferson Quimelli
22 de fevereiro de 2013, 0:02
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico à I Reis 21
Texto de hoje do blog da Bíblia:
Vendido para fazer o mal – este foi Acabe. A natureza humana tem uma tendência para retroceder rapidamente a um comportamento infantil, e foi exatamente isso o que aconteceu com Acabe neste capítulo. Depois de Nabote se recusar a dar a Acabe sua terra de herança, Acabe se emburrou porque não podia ter o que queria. Então Jezabel, através de meios enganosos e assassinos (ver 2Rs 9:26), conseguiu a vinha de Nabote para ele.
O desejo egoísta produz este comportamento em todos nós. Quando nossas vontades não estão alinhadas com a do próprio Deus, nossos corações buscam egoisticamente por coisas que não precisamos e coisas que não deveríamos desejar.
   
Ambos, Jezabel e Acabe, acreditavam que estavam acima das leis de Deus e podiam fazer tudo o que queriam. Contudo, um outro encontro com Elias rapidamente corrigiu este equívoco quando perceberam que Deus está sempre no comando e o pecado sempre traz consigo um preço elevado.
A propósito, dirijamos o nosso pensamento para Elias. Falar contra o pecado não é uma tarefa agradável ou popular! Mas aqueles que temem a Deus chamam o pecado pelo seu nome.
Que Deus nos conceda a coragem de falar honesta e verdadeiramente sobre o pecado para aqueles cujas vidas estão seduzidas por ele. Fazendo isto, Deus pode trabalhar através de nós para salvar essas pessoas. Quando Acabe soube dos pensamentos de Deus acerca dos seus atos, ele os lamentou e se humilhou diante de Deus. Deus viu isso e respondeu com misericórdia. Mais do que qualquer outro traço de caráter, a humildade parece mover a Deus. O egoísmo e orgulho de Acabe o levaram a um terrível pecado. A repreensão divina, aceita com humildade lhe concedeu mais uma oportunidade. Que testemunho você tem passado às pessoas: egoísmo e orgulho ou humildade?
Charissa Fong
Sydney, Austrália
Trad JAQ – Rev GASQ/JDS


I Reis 20 – quinta, 21.02.2013 by Jeferson Quimelli
21 de fevereiro de 2013, 0:02
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico à I Reis 20
Texto de hoje do blog da Bíblia:
 Depois de uma série de mensagens entre Ben-Hadade, rei da Síria, e Acabe, rei de Israel, um estado de guerra é declarado entre as duas nações. Os anciãos disseram para Acabe não dar ao inimigo o que ele queria. Acabe os ouviu e ao se recusar a dar a Ben-Hadade o que ele pedira, a guerra começou.
Nossa recusa em dar ao inimigo (Satanás) o que ele quer sempre cria guerra. Mas uma das maiores armas que podemos empregar contra o diabo é a nossa resistência a ele. Resistência que se baseia em nossa entrega contínua e total a Deus. “Sujeitai-vos, pois, a Deus. Resisti ao diabo, e ele fugirá de vós” (Tiago 4:7). Nunca dê nada ao inimigo. Sempre que damos algo para o inimigo, ele volta para conseguir mais.
No meio do conflito que se seguiu, Deus envia uma mensagem a Acabe através de um profeta de nome não identificado. A mensagem de Deus é simples e transmite a estratégia de batalha que irá garantir a vitória para Israel. Mais uma vez somos levados a considerar a incrível paciência de Deus para conosco. Nos capítulos anteriores, Acabe tinha demonstrado resistência significativa para o Senhor, mas o Senhor ainda não tinha desistido de tentar alcançar o coração de Acabe.
    
Após primeira vitória de Israel, Ben-Hadade voltou à guerra na primavera seguinte. O rei Acabe preparou o seu exército e o conduziu ao campo de batalha. Curiosamente, uma vez mais, um “homem de Deus” aparece com uma mensagem do Senhor para o rei – aparentemente o rei não havia buscado o conselho do Senhor. A mensagem vinda pelo profeta é notável. Porque os sírios acreditavam que o Deus de Israel tinha poder apenas nas colinas, Deus disse a Acabe que Ele iria entregar os inimigos de Israel em suas mãos também no vale, de tal forma que o rei “saberá que Eu sou o Senhor.”
Que maravilhosa declaração para nela meditarmos! Nosso Deus é o Deus das montanhas e os vales! Ele é o Deus dos maus e bons momentos! O Deus do dia é também o Deus da noite. E Deus esteve disposto a fazer tudo isso a fim de apelar ao coração de Acabe. Não é isso incrível?
Após Acabe vencer triunfantemente a segunda batalha contra Ben-Hadade, o ímpio rei apelou com sucesso para que Acabe poupasse sua vida. Acabe fez isso sem consultar o Senhor. E assim, o capítulo termina com uma triste mensagem final do profeta de Deus para o rei: “… a sua vida pela vida dele.” Quando Deus nos oferece uma forma de escapar do pecado e recusamos aceitá-la, estamos trocando a liberdade pela escravidão e, em última análise, a vida pela morte.
Lembremos sempre da promessa: “Não sobreveio a vós tentação que não fosse comum aos homens. E Deus é fiel; Ele não permitirá que vocês sejam tentados além do que podem suportar. Mas, quando forem tentados, Ele mesmo lhes providenciará um escape, para que o possam suportar” (1 Cr 10:13, NVI).

Charissa Fong

Sydney, Austrália 
Trad JAQ – Rev GASQ/JDS


I Reis 19 – As consequências da fuga de Elias by Jeferson Quimelli
20 de fevereiro de 2013, 10:17
Filed under: Sem categoria

3 Temendo, pois, Elias, levantou-se, e, para salvar sua vida, se foi, e chegou a Berseba, que pertence a Judá; e ali deixou seu moço.

“Após uma vitória completa sobre os profetas de Baal, e uma demonstração de grande coragem, poderia parecer que o profeta de Deus estivesse pronto para encarar qualquer prova de fé. Pode-se supor que Elias, que teve uma evidência tão marcante da presença e bênçãos divinas, jamais permitiria que sua fé vacilasse. Contudo, ele estava sofrendo a reação que com tanta frequência acompanha um êxito notável. Ele esperava que a vitória gloriosa no Carmelo quebrasse a influência que Jezabel exercia sobre o rei. Quando o profeta soube da obstinada resistência da rainha ao novo apelo para reforma, isso foi mais do que podia suportar. Ele não estava preparado para o ódio frio, calculado, determinado da rainha ímpia. Ele só conseguiu pensar em como escaparia das garras de inimiga tão perversa e implacável. Sem pensar nas consequências, fugiu para salvar sua vida.

Elias não fez bem em abandonar seu posto. Ele ainda não tinha terminado sua obra. A batalha estava só começando. Se tivesse resistido valentemente e respondido com uma mensagem para a rainha relembrando-a de que Deus, que tinha lhe dado a vitória sobre os profetas de Baal, não o abandonaria naquele momento, ele teria encontrado anjos prontos para proteger sua vida. Os juízos de Deus teriam caído sobre Jezabel, e isso teria produzido tremenda impressão e uma poderosa reforma se difundiria por todo o país (ver PR, 160). Ao fugir para salvar a vida, Elias se colocou nas mãos do inimigo. A fuga para Berseba teve muita influência em anular a vitória no Carmelo” (Comentário Bíblico Adventista do 7º Dia, vol. 2, p. 905).




%d blogueiros gostam disto: