Reavivados por Sua Palavra


FÉ E OBRAS em Tiago 2:14-26 by Jeferson Quimelli
8 de junho de 2015, 0:02
Filed under: , salvação | Tags: , ,

14-46 Esses versos tem sido utilizados como argumento para mostrar que uma pessoa precisa fazer algo para obter salvação; portanto, esta passagem é vista como uma retificação ou contradição à declaração de Paulo: “o homem é justificado pela fé, independentemente das obras da lei” (Rom. 3:28-4:25). Mas ela não é uma reação a Paulo; é uma ilustração da “religião pura e sem mácula” (Tiago 1:27); Tiago e Paulo não estão se contradizendo, nem em oposição um com o outro; eles estão sendo complementares. O equivalente de Paulo ao argumento de Tiago é: “a fé que atua pelo amor” (Gál. 5:6). Andrews Study Bible.


Nos v. 14-40, 24, 26, “fé” não é usada no sentido da genuína fé salvífica. Pelo contrário, a fé aí é demoníaca (v. 19), inútil (v. 20) e morta (v. 26). Trata-se de mera aceitação intelectual de certas verdades, sem confiança em Cristo como Salvador. Tiago não está dizendo, tampouco, que a pessoa é salva pelas obras e não pela fé genuína. Pelo contrário, está dizendo – como Lutero bem definiu – que o homem é justificado (declarado justo perante de Deus) exclusivamente pela fé, mas não por uma fé desacompanhada. A fé genuína produzirá boas obras, mas somente a fé em Cristo salva. Bíblia de Estudo NVI Vida.


14 Tem fé, mas não tiver obras. Note-se que a questão não é uma oposição entre fé e obras; mas sim, entre a fé viva e a morta. Tiago nunca afirma que as boas obras nos podem salvar. Ele assinala claramente que a fé viva e real (17) se manifestará sem falta em obras, tal como a vida no corpo se manifesta na respiração, no bater do coração e em outras condições. Bíblia Shedd.


obras. Quando Paulo fala sobre “obras” em Romanos e Gálatas, ele está se referindo à tentativa dos seus leitores de obter salvação pela guarda da “lei”. “Obras” para Paulo tem significado teológico e legalístico – obras de lei. Para Tiago, tem significado ético e social – atos de compaixão. Compare o chamado de João Batista para o arrependimento que inclui preocupação social (Lucas 3:8-14). Fazer algo que conforte e atenda a pessoas sem moradia, sob o flagelo da AIDS, ou prestar socorro àqueles sem plano de saúde e educação poderiam ser exemplos dos dias atuais das obras que Tiago propôs. Andrews Study Bible.


qual é proveito, se alguém disser que tem fé, mas não tiver obras? Quando alguém diz que tem fé, o que ele ou ela tem é assentimento intelectual – concordância com um conjunto de ensinos cristãos – e, como tal, pode ser uma fé incompleta. A fé verdadeira transforma nossa conduta, bem como nossos pensamento. Se nossa vidas permanecem inalteradas, nós não acreditamos verdadeiramente nas verdades que dizemos que acreditamos. Life Application Study Bible Kingsway NVI.


Pode, semelhante fé salvá-lo? Esta frase introduz o ponto crucial da relação entre fé e obras. A pergunta em pauta é: Que tipo de fé é salvadora? A pergunta de Tiago é retórica; a resposta óbvia é que a fé sem obras não pode salvar. A fé que não produz nenhuma ação não é uma fé salvadora. O Novo Testamento não fala de uma justificação através de uma profissão de fé ou de uma afirmação de fé; ele ensina justificação através da possessão de uma fé verdadeira. Bíblia de Genebra.


15-16 Descreve uma “fé” que consiste em meras palavras, sem qualquer ação. Bíblia de Genebra.


15-17. Um exemplo de fé morta é atitude de alguns crentes em face da necessidade dos irmãos na miséria. Como o simples falar não ajuda, tampouco terá valor reivindicar nossa fé sem demonstrar os frutos do amor (cf Mt 7.16-23; Gl 5.6). Bíblia Shedd.


17 . Isto é, a fé sem obras do v. 14. Tal fé não passa de mera convicção intelectual de que algumas doutrinas são verdadeiras. A mente está convencida por causa das convicções incontestáveis da Palavra de Deus, mas o coração permanece frio e resistente. CBASD, vol. 7, p. 568-569.


por si só está morta. Lutero insistiu que a fé salvadora é uma fé viva. A “fé” morta não indica uma fé que veio a morrer. Antes, a ideia sugere uma fé que nunca possuiu qualquer vida verdadeira. Uma fé morta não pode vivificar ninguém, não pode “salvar a vossa alma” (1.21) e, portanto, é falsa e inútil. Bíblia de Genebra.


Por si só. Tiago não compara a fé com as obras, mas fé genuína com fé morta. A fé morta crê em Deus, mas se prova inútil, pois a convicção mental não torna o serviço cristão um hábito de vida. Além de não ter valor nesta vida, a fé morta não pode salvar quem a possui. CBASD, vol. 7, p. 569.


Não podemos ganhar nossa salvação servindo ou obedecendo a Deus. Mas estas ações mostram que nosso comprometimento com Deus é real. Atos de serviço amoroso não são um substituto para a fé em Cristo, mas, sim, uma comprovação de nossa fé em Cristo. Life Application Study Bible Kingsway NVI.


Se não tiver obras. Assim como a autenticidade das boas intenções para com os pobres e necessitados só pode ser demonstrada por meio de obras, a fé não pode se provar genuína sem obras. Fé sem o fruto das obras cristãs é apenas nominal, carente do princípio de vida que rege as ações do coração (Rm 2:13). CBASD, vol. 7, p. 569.


18 Mostre-me a sua fé sem obras, e eu lhe mostrarei a minha fé pelas obras (NVI). À primeira vista, este verso parece contradizer Romanos 3:28: “o homem é justificado pela fé, independentemente das obras da lei”. Uma investigação mais profunda, contudo, mostra que os ensinos de Tiago e Paulo não estão em oposição. Enquanto é verdade que nossas boas ações não podem obter salvação, a fé verdadeira resulta numa vida transformada e boas ações. Paulo estava falando contra aqueles que procuravam ser salvos pelas obras em vez da fé verdadeira; Tiago fala contra aqueles que confundiam mero assentimento intelectual com fé verdadeira. Afinal, mesmo demônios conhecem Quem Jesus é, mas não obedecem a Ele (2.19). A fé verdadeira envolve um comprometimento de todo o nosso ser a Deus. Life Application Study Bible Kingsway NVI.


mostra-me essa tua fé. Tiago desafia qualquer pessoa que tem a fé a demonstrá-la, a fazê-la visível. A única evidência visível aos olhos humanos são os atos de obediência. Embora Deus possa ler o coração, a nossa única visão do coração vem através da presença de fruto exterior. Bíblia de Genebra.


Mostre-me a sua fé sem obras. Ironia; Tiago nega a possibilidade disso. Bíblia de Estudo NVI Vida.


19 demônios. O contraste é entre a resposta da fé dos demônios (em grego, “fé” e “crença” compartilham a mesma raiz) e à do crente: a dos primeiros é medo e tremor, enquanto que dos últimos é uma ação social positiva. Andrews Study Bible.


21-24 Tiago diz que Abraão foi “justificado” (declarado justo por Deus) pelo que ele fez. Paulo diz que ele foi justificado porque ele creu em Deus (Rom. 4:1-5). Tiago e Paulo não estão se contradizendo, mas se complementando. Não concluamos que a verdade é a combinação destas duas declarações. De modo algum somos justificados pelo que fazemos. A verdadeira fé sempre resulta em boas obras, mas as boas obras não nos justificam. A fé nos traz salvação; obediência ativa demonstra que nossa fé é genuína. Life Application Study Bible Kingsway NVI.


21 Não foi Abraãojustificado por obras? à parte do contexto, esse versículo talvez pareça contradizer o ensinamento bíblico de que as pessoas são salvas pela fé e não pelas boas obras (Rm 3.28; Gl 2.15, 16). Mas Tiago só quer dizer que o procedimento correto é prova de fé genuína … pois o versículo (Gn 15.6) que ele cita (v. 23) para confirmar o seu argumento diz: “Abraão creu em Deus e isso lhe foi creditado como justiça”. Além disso, o ato de fé de Abraão, registrado em Gn 15.6, ocorreu antes de oferecer Isaque, comprovando que a fé que já tinha era genuína. Paulo escreveu dizendo que a única coisa que tem efeito é “a fé que atua pelo amor” (Gl 5.6). A fé que salva produz ações. Bíblia de Estudo NVI Vida.


Tiago cita Abraão como exemplo clássico de quem foi justificado por suas obras. Esta afirmação não envolve nenhum conflito com Paulo, que também usa Abraão como exemplo clássico de quem foi justificado pela fé. Observe os textos. Tiago cita Gn 22, enquanto Paulo cita Gn 15. Aos olhos de Deus, Abraão é justificado em Gn 15, muito antes de oferecer Isaque sobre o altar. Deus soube que a fé que o patriarca tinha era genuína. Em Gn 22, Abraão é justificado diante de nós, diante de olhos humanos, quando ele demonstra a sua fé através da obediência. Jesus usou o mesmo verbo quando declarou que “a sabedoria é justificada por todos os seus filhos” (isto é, demonstrada como uma sabedoria genuína através dos resultados). Aqui, “justificar” não significa ser reconciliado com Deus, antes, demonstra a veracidade de uma afirmação anterior. Da mesma maneira em que a verdadeira sabedoria é demonstrada através de seu fruto, a fé que Abraão confessava foi vindicada por sua obediência visível. Contudo, as suas obras não foram a causa merecedora de sua salvação; elas não acrescentaram nenhum mérito aos méritos perfeitos e suficientes de Cristo. Bíblia de Genebra.


Tiago … destaca que as obras de Abraão provaram a autenticidade da fé que Deus tinha declarado correta. CBASD, vol. 7, p. 570.


22 a fé se consumou. O pleno desenvolvimento da fé é observado através das obras. A fé verdadeira sempre produz frutos. A fé e as obras podem ser distinguidas entre si, porém, nunca separadas ou divorciadas. Bíblia de Genebra.


23-25. AbraãoRaabe. Duas figuras populares na história judaica – um santo patriarca e fundador de uma nação e uma mulher estrangeira “pecadora” – uma da parte mais baixa da escada social e outro no topo da escada religiosa. Ambos ilustram que fé e obras não estão desconectados. Justificado. Não um termo grego legal, forense; mas, como no AT, estar em relacionamento de aliança (concerto) com Deus. Andrews Study Bible.


23 Abraão creu em Deus, e isso lhe foi imputado para justiça. Essa justiça só se manifestou quando ele obedeceu, como no caso do oferecimento de Isaque. Assim também a realidade da justificação é somente demonstrada na obediência. Bíblia Shedd.


24 não apenas pela fé (NVI). Não pelo assentimento intelectual a certas verdades. Bíblia de Estudo NVI Vida.


não por fé somente (ARA). A justificação de alguém não é demonstrada através de uma mera profissão de fé ou uma fé solitária. Uma pessoa demonstra que é justa pelas coisas que faz. Nenhuma das nossas obras merece uma justificação absoluta diante de Deus. Somente os méritos de cristo garantem essa justificação. Só confiando exclusivamente em Cristo podemos ser feitos justos diante de Deus. Qui, Tiago repreende todas as formas de antinomianismo que procuram ter Jesus como Salvador, sem aceita-lo como Senhor. No mesmo sentido em que Paulo demonstrou que confiança em nossas próprias obras é fatal, Tiago ensina que confiança numa fé vazia ou morta é igualmente mortífera. Bíblia de Genebra.


25 Raabe, a prostituta. Tiago não aprova a ocupação de Raabe. Éa sua fé (v. tb. Hb 11.31), demonstrada ao ajudar os espiões (Js 2), que ele louva. Bíblia de Estudo NVI Vida.


Raabe viveu em Jericó, uma cidade que os israelitas conquistaram quando entravam na terra prometida (Josué 2). Quando os espiões de Israel foram até a cidade, ela os escondeu e os ajudou a escapar. Deste modo ela demonstrou fé no propósito de Deus para Israel. Como resultado, ela e sua família foram salvos quando a cidade foi destruída. Hebreus 11:31 lista Raabe entre os heróis da fé. Life Application Study Bible Kingsway NVI.



Tito 3 by Jeferson Quimelli
23 de maio de 2015, 1:00
Filed under: Cartas de Paulo, harmonia, religião viva, Vida Cristã | Tags: , , ,

Comentário devocional:

Paulo deve ter ouvido falar a respeito de alguns dos desafios que Tito estava enfrentando em seu ministério na ilha de Creta. Assim, como nos dois primeiros capítulos, Paulo novamente incentiva cada crente a viver uma vida de entrega aos princípios do Céu. Esse estilo de vida exige submissão às leis e governantes da terra e inclui manter uma rédea curta sobre a língua (v. 2), o instrumento mais frequentemente utilizado para gerar discórdia e conflito (Tg 3:5-6).

Paulo também aconselha Tito a silenciar disputas sem sentido sobre questões teológicas inúteis e menores. Elas costumam criar mais calor do que luz (v. 9)! Na verdade, Paulo ainda incentiva Tito, assim como cada um de nós, a manter distância de pessoas problemáticas que parecem viver para criar controvérsias e divisões.

No entanto, como nos capítulos anteriores, Paulo se volta para a principal fonte de motivação para refrearmos nossa língua: o amor e a gratidão sinceros pela vida eterna que temos recebido de Cristo por permanecermos nEle (vs. 4-7). Desse modo, ficaremos longe de controvérsias e obedeceremos as leis governamentais. 

Como herdeiros da promessa da vida eterna, nossa vida deve ser preenchida com boas obras que são o resultado natural de uma vida em Cristo (v. 8). 

Viva hoje corajosamente por Ele. Resplandeça a sua luz diante dos homens para que venham a conhecer e glorificar a fonte dessa luz maravilhosa – o Pai celeste. 

“Assim brilhe a luz de vocês diante dos homens, para que vejam as suas boas obras e glorifiquem ao Pai de vocês, que está nos céus” (Mt 5:16 NVI).

Bob Folkenberg Jr.
Missão chinesa

 

Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/tit/3/
Traduzido por JAQ/JDS
Texto bíblico: Tito 3
Comentário em áudio 



Efésios 2 by Jobson Santos
20 de abril de 2015, 0:30
Filed under: Cartas de Paulo | Tags: , , ,

Comentário devocional:

“Mas Deus …” (v. 4 ARA). Essas duas palavras devem ser as palavras mais cheias de esperança que a humanidade conhece. Nos versos 1-10 Paulo descreve o passado sombrio de sua audiência. Compartilhando o infortúnio de toda a humanidade que se pôs num caminho de rebelião contra Deus e teve suas vidas dominadas pelo pecado e por Satanás (vs. 1-3). 

“Mas Deus…” interveio. E o que Deus fez por eles e por nós? 1) Ele nos ressuscitou com Cristo – a ressurreição de Cristo é a nossa ressurreição; 2) Ele nos fez ascender com Cristo – a ascensão de Cristo é a nossa ascensão; 3) No céu, ele nos fez assentar com Cristo – a coroação de Cristo é a nossa própria coroação (vs. 4-7). Nós não somos meros espectadores dos eventos palpitantes ​​da vida de Cristo! Deus realiza essas fabulosas ações ​​não por causa de qualquer mérito nosso, mas por causa do Seu amor (vs. 8-9) que nos habilita a vivermos em solidariedade com Jesus e praticar “boas obras” (v. 10).

 Enquanto os versos 1-10 ensinam a nós que devemos viver em solidariedade com Jesus, os versos 11-22 ensinam que devemos viver em solidariedade uns com os outros, pois compomos Sua Igreja. A morte de Jesus tem benefícios verticais em estabelecer o relacionamento do crente com Deus (vs. 1-10) e horizontais em cimentar nossas relações com os outros (vs. 11-22). 

Através da Sua cruz, Jesus derruba o muro de separação entre os crentes gentios e os crentes judeus, incluindo o uso indevido da lei para aumentar o fosso (vs. 11-18). Porém Jesus também constrói algo ainda mais incrível, um novo templo, composto por crentes. Os gentios, que no passado eram impedidos de participar do culto nos lugares sagrados do templo, agora juntam-se aos crentes judeus formando um só povo. 

Nós também passamos a fazer parte da igreja de Deus como “um santuário santo no Senhor” (v. 21 NVI).

John McVay
Universidade Walla Walla
Estados Unidos


Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/eph/2/
Traduzido por: JDS/JAQ/IB
Texto bíblico: Efésios 2
Comentários em áudio 




%d blogueiros gostam disto: