Reavivados por Sua Palavra


II REIS 12 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
4 de dezembro de 2022, 1:00
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO II REIS 12 – Primeiro leia a Bíblia

II REIS 12 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL

II REIS 12 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO – ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO – PR HEBER TOTH ARMÍ

Acesse os comentários em vídeo em nosso canal no Youtube (pastores Adolfo, Valdeci, Weverton, Ronaldo e Michelson)



II REIS 12 by Luís Uehara
4 de dezembro de 2022, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://www.bibliaonline.com.br/nvi/2rs/12/

Joás estava ansioso para reparar o templo de Deus. Então pediu aos sacerdotes que recolhessem dinheiro e deu também a sua oferta.

Dinheiro mal utilizado pode causar dor e sofrimento para muitos (1Tm 6:10 NVI). A Bíblia registra os passos tomados pelo sacerdote Joiada para seu controle e uso correto:
1. Uma caixa especial para recolher a oferta.
2. Sacerdotes guardavam a entrada.
3. O dinheiro era contado, trazido para o templo e colocado em sacos.
4. O valor do salário do trabalhador era determinado.
5. O dinheiro era dado aos supervisores para pagar os salários e para todos os itens relacionados com a reforma.
6. O uso do dinheiro era determinado e não podia ser alterado.

Todas estas cuidadosas medidas visavam garantir que o dinheiro de Deus fosse bem gasto. No entanto, a parte mais interessante está no versículo 15: “Não se exigia prestação de contas dos que pagavam os trabalhadores, pois agiam com honestidade” (NVI). Os supervisores estavam numa posição que lhes permitiria enganar os seus trabalhadores, mas porque eles eram confiáveis, obviamente tratavam os trabalhadores com honestidade e integridade.

Que o Senhor nos permita desenvolver este tipo de atmosfera de confiança no nosso ambiente de trabalho. E que sejamos honestos conosco mesmos ao lidar com dinheiro.

Daniel Jiao
União Missão Chinesa
Hong Kong

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/2ki/12
Tradução: Pr. Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli/Luis Uehara



II REIS 12 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
4 de dezembro de 2022, 0:50
Filed under: Sem categoria

424 palavras

não recebais mais dinheiro. O que evidentemente ocorreu foi que os sacerdotes receberam o dinheiro e o utilizaram em benefício próprio. O rei ordenou então que isso parasse, e que o dinheiro fosse entregue para o propósito para o qual fora planejado: reparar o templo. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 2, p. 1018.

8 O privilégio de receber as ofertas do povo vinculava-se com a responsabilidade de vigiar o estado do Templo. Tais sacerdotes não conheciam o segredo da mordomia, em usar os bens concedidos por Deus de uma maneira que o próprio Deus aprovaria. Parece que as despesas pessoais apresentavam-se sempre em primeiro lugar, e as da construção haveriam de ser feitas num “amanhã” que nunca chegava. Assim também a pessoa não experimentada na comunhão com Deus acaba por perder seus privilégios, para não ter de enfrentar as responsabilidades. Esses sacerdotes ficavam à espera que o dinheiro “sobrasse” após serem feitas suas próprias despesas. Até hoje, porém, as sobras não fazem a obra e Deus. Bíblia Shedd.

15 com fidelidade. Este é um magnífico testemunho do caráter dos escolhidos para essa importante responsabilidade. … É um triste comentário sobre o caráter dos sacerdotes que, por sua infidelidade, tornaram necessária essa medida. CBASD, vol. 2, p. 1019.

20 feriram Joás. Não havia motivo, mesmo em se considerando a apostasia do rei, permitindo a idolatria tão logo [o sacerdote] Joiada morresse (cujo filho fora apedrejado por levantar sua voz em protesto, 2 Cr 24.17-22; comp 2 Rs 12.2). Bíblia Shedd.

Quando os siros se retiraram, deixaram Joás”gravemente enfermo” (2Cr 24:25). Enquanto Joãs estava confinado à cama, os conspiradores o feriram. A conspiração estava ligada à apostasia do rei e ao assassinato de Zacarias, filho de Joiada. Joás devia sua vida e seu trono ao fiel sumo sacerdote. Foi um ato de ingratidão assassinar o filho de seu benfeitor. O sentimento contra Joás era tão forte que, quando morreu, o enterraram “não nos sepulcros dos reis” (2Cr 24:26). CBASD, vol. 2, p. 1020.

Milo. Possivelmente uma área fortificada na parte norte da antiga cidade jebusita conquistada por Davi [Jerusalém]. CBASD, vol. 2, p. 1020.

21 Jozacar. Jozacar que dizer “Yahweh lembrou”. CBASD, vol. 2, p. 1020.

Jozabade. Jozabade quer dizer “Yahweh retribuiu”. Há uma coincidência interessante entre os nomes desses dois conspiradores [Jozacar e Jozabade] e as últimas palavras que o filho de Joiada, Zacarias, proferiu quando foi apedrejado por ordem de Joás: “O SENHOR o verá e o retribuirá” (2Cr 24:22), ou seja, “Que o SENHOR veja e vingue”. O rei Joás falhou em recordar a bondade do sacerdote Joiada para com ele, mas o Senhor Se lembrou e o vingou. CBASD, vol. 2, p. 1020.



2Reis 12 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
4 de dezembro de 2022, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Também não pediram contas aos homens em cujas mãos entregavam aquele dinheiro, para o dar aos que faziam a obra, porque procediam com fidelidade” (v.15).

A missão de Joás não teve início em seus sete anos de idade, mas nos anos dos quais passou aprendendo aos pés do sacerdote na Casa do Senhor. Joiada foi para ele a figura de um pai e de um amigo fiel. Sua conduta foi pautada nos conselhos do sábio sacerdote. Ao ver o precário estado de conservação do templo, Joás ordenou que o lugar que lhe foi o primeiro lar fosse reformado. A Casa de Deus representava o desejo do Senhor em habitar no meio do Seu povo. Não há paredes que O contenham, mas Ele escolheu o templo como um lugar que representava a Sua presença e como uma escola da verdadeira educação.

Joás aprendeu aos pés de Joiada porque, antes, Joiada aprendeu aos pés do Senhor. A Bíblia afirma que nós somos “casa espiritual” (1Pe.2:5), edificada sobre a Rocha, que é Cristo e Sua Palavra (Mt.7:24). O firme fundamento da igreja não é a sua estrutura, nem tampouco os seus tesouros, pois estas coisas são perecíveis. O fundamento, o alicerce da igreja, é a pessoa de Cristo Jesus! Portanto, se a nossa vida estiver edificada em Jesus, em obediência à Sua Palavra, Ele mesmo reparará os estragos que o pecado tem nos causado e nos conservará como “povo de propriedade exclusiva de Deus” (1Pe.2:9).

Sobre a importância de reavivamento e reforma no meio do povo de Deus, Ellen White escreveu: “Precisa haver um reavivamento e uma reforma, sob a ministração do Espírito Santo. Reavivamento e reforma são duas coisas diversas. Reavivamento significa renovação da vida espiritual, um avivamento das faculdades da mente e do coração, uma ressurreição da morte espiritual. Reforma significa uma reorganização, uma mudança nas ideias e teorias, hábitos e práticas. A reforma não trará o bom fruto da justiça a menos que seja ligada com o reavivamento do Espírito. Reavivamento e reforma devem efetuar a obra que lhes é designada, e no realizá-la, precisam fundir-se”. (Mensagens Escolhidas, vol. 1, pág. 128).

Toda a nossa vida deve estar depositada “ao pé do altar” (v.9) do Senhor e Ele mesmo operará em nós o reavivamento e a reforma tão necessários. E, neste sentido, não podemos deixar de observar a fidelidade dos tesoureiros. Eram tão honestos que nem precisavam prestar contas do dinheiro que recebiam. Os filhos do reino, aqueles que um dia receberão coroas de glória, têm a obrigação de agir como aqueles homens, em total fidelidade. Sabemos que o dinheiro sempre foi o principal motivo da corrupção do coração do homem e as Escrituras dizem que “o amor do dinheiro é a raiz de todos os males” (1Tm.6:10). A ganância e a cobiça têm sido muito difíceis de se conter, principalmente em nossos dias, em meio à crise econômica em que vivemos. Mas já pararam para analisar que quanto mais se tem, menos se é feliz? Que a sociedade em que se predomina o consumismo é também a sociedade das doenças emocionais?

Na matemática de Deus menos é mais. Podemos observar isso nas lições deixadas por Cristo: quando exaltou a oferta da viúva pobre (Lc.21:1-4); quando condenou a avareza (Lc.12:15); quando pediu ao jovem rico que usasse suas riquezas para abençoar aos pobres (Mt.19:21); quando nos advertiu quanto não andarmos ansiosos por coisa alguma (Lc.12:22). Como vimos no início, somos casas espirituais de Deus e, como tais, precisamos confiar a administração de nossa vida a Ele, e Ele suprirá as nossas necessidades. Não é pecado ser rico, amados. Não entendam mal. Pecado é usar as riquezas sem a aprovação de Deus e apenas para propósitos egoístas. Que sejamos moradas do Senhor, valorizando mais as pessoas, e menos as coisas; eis a genuína reforma que repara os estragos de nosso enganoso coração. Vigiemos e oremos!

Feliz semana, templos do Espírito Santo!

Rosana Garcia Barros

#2Reis12 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



II REIS 12 – COMENTÁRIO PASTOR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
4 de dezembro de 2022, 0:40
Filed under: Sem categoria

II REIS 12 – Viver do passado pode implicar valorizar rachaduras, a deterioração provocada pelo tempo, ou o comodismo. Tais problemas o jovem rei Joás precisou enfrentar. Por estes mesmos motivos carecemos de reavivamentos e reformas.

Mais que reforma física e estrutural importa a reforma espiritual (pessoal/coletiva). Por conseguinte, é extremamente sábio considerar com oração este tema.

No reparo do templo através de Joás várias princípios podem ser observados:
• Atitudes proativas e ousadas baseadas na Palavra de Deus são passos essenciais para iniciar uma adoração genuína que eleve da atmosfera terrestre à atmosfera celeste. Natural ou automaticamente nenhum reavivamento e reforma acontece – é fundamental “decisão” e “ação” (II Reis 12:1-8).
• Investimentos financeiros estratégicos são primordiais ao desenvolvimento espiritual. As ofertas precisam ir além das convencionais, devem ser ofertas de sacrifício. Comprometimento integral com Deus promove desprendimento financeiro (II Reis 12:8-16).
• Ameaças e pressões dos inimigos do bem não devem afrouxar nosso compromisso com o Deus que reaviva a fé de pessoas desfalecidas espiritualmente. Se as tentações nos levarem a relaxar espiritualmente daremos brechas para as desgraças – pode ser o triste fim trágico de um começo fantástico (II Reis 12:17-21).

Quando uma reforma espiritual inicia, jamais deveria parar. Algumas pessoas ficam estagnadas no tradicionalismo; entretanto, tal tradicionalismo requer reforma. Outras alegam necessidade de retornar às estratégias que funcionaram no passado; no entanto, os museus revelam que nem tudo o que deu certo antigamente é eficaz na atualidade. Às vezes, para abrir uma mente bitolada, basta ter bom-senso!

“Não somos chamados a adorar e a servir a Deus mediante o uso dos meios empregados em anos anteriores. Hoje requer serviço mais eficiente do que antes. Ele requer o aproveitamento dos dons celestiais. Ele requer o aproveitamento dos dons celestiais. Ele nos colocou em uma posição na qual precisamos de coisas mais elevadas e melhores do que precisávamos antes”, afirma veementemente Ellen White.

Sobre a obra evangelística no tempo do fim, ela também salienta:
“Novos métodos precisam ser introduzidos. O povo de Deus tem que despertar para as necessidades da época em que vive […]. Alguns dos métodos usados nesta obra serão diferentes dos que foram usados na mesma no passado; mas não permitamos que alguém, por causa disto, ponha obstáculos no caminho mediante a crítica”.

Portanto, reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.



II REIS 11 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
3 de dezembro de 2022, 1:00
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO II REIS 11 – Primeiro leia a Bíblia

II REIS 11 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL

II REIS 11 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO – ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO – PR HEBER TOTH ARMÍ

Acesse os comentários em vídeo em nosso canal no Youtube (pastores Adolfo, Valdeci, Weverton, Ronaldo e Michelson)



II REIS 11 by Luís Uehara
3 de dezembro de 2022, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://www.bibliaonline.com.br/nvi/2rs/11/

Justamente quando Atalia pensava que estava no controle, seu julgamento veio de repente. Ações contra Deus certamente resultarão em fracasso. Atalia pensava que tinha matado todos os herdeiros legítimos do trono, assegurando sua posição no reino, mas não percebia que Joás havia sido protegido por Deus desde o nascimento. Deus não permitiria que o mal prevalecesse.

Na história de hoje, o sacerdote Joiada, esposo de Jeoseba, tia de Joás, foi o instrumento de Deus para trazer o reino de Judá de volta ao domínio do povo escolhido de Deus.

Às vezes, porque acreditamos que Deus está no controle, temos a tendência de deixar todo o trabalho para Ele e esperamos que tudo corra bem e tranquilo. É injusto para com Deus e com as pessoas ao nosso redor não sermos planejados e organizados. Na verdade, a vontade de Deus é melhor realizada quando cumprimos com excelência nossos deveres.

Quando o mal é derrotado, é importante fazer uma aliança com Deus como Joiada fez. Ele “fez uma aliança entre o Senhor, e o rei, e o povo, para serem eles o povo do Senhor”. Intenções e promessas humanas podem falhar, mas Deus não falha, mas o primeiro passo na reconciliação com Ele é a escolha em segui-Lo e se tornar Seu povo escolhido.

Daniel Jiao
União Missão Chinesa
Hong Kong

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/2ki/11
Tradução: Pr. Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli/Luis Uehara



II REIS 11 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
3 de dezembro de 2022, 0:50
Filed under: Sem categoria

1287 palavras

1 Atalia. Essa filha de Acabe casara-se com Jeorão, rei de Judá (8.18, 26), e o rei Acazias era o herdeiro assassinado por Jeorão. Bíblia Shedd.

mandou matar todos da família real. Como rainha-mãe, ela assumiu as prerrogativas reais após a morte de seu filho e depois de executar todos os membros do sexo masculino da família real. Bíblia de Estudo Andrews.

A fim de obter o trono de Judá para si mesma. Já nesses tempos, a família real em Judá tinha sido reduzida a um mero remanescente. Jeorão, marido falecido de Atalia e pai de Acazias, tinha mandado matar todos os seus irmãos quando sucedeu ao pai, Josafá, no trono (v. 2Cr 21.4). Jeú tinha morto mais 42 membros da família real de Judá, talvez incluindo muitos dos filhos dos irmãos de Jeorão (10.12-14; 2Cr 22.8,9), e os irmãos de Acazias já tinham sido mortos por árabes saqueadores (2Cr 22.1). É provável que o assassinato por Atalia se centrasse sobretudo nos filhos de Acazias, i.e., seus netos. Acazias morrera jovem, aos 22 anos de idade (v. 8.26). Essa tentativa de destruir completamente a casa de Davi era um ataque contra o plano divino da redenção – plano que se centralizava no Messias prometido segundo a aliança com Davi. Bíblia de Estudo NVI Vida.

Jeoseba. Uma filha de Jeorão, advinda do casamento com outra esposa; era, em parte, irmã de Acazias, e se casara com o sacerdote Joiada. [Jeoseba é também chamada de Jeosabeate, forma mais longa do seu nome, em 2Cr 22:11]. Bíblia Shedd.

Casa do SENHOR. O templo de Deus em Jerusalém. Bíblia de Estudo Andrews.

4 Joiada. A esposa deste sacerdote de Jerusalém salvou a vida de Joás (2Cr 22:11). Bíblia de Estudo Andrews.

cários … guarda. Ou seja, a guarda real (cf 2Sm 8.18; 20.23). Eles são de origem incerta, embora alguns eruditos os retratem como mercenários vindos da Cária, no sudeste da Ásia Menor. Bíblia de Genebra.

Os centuriões convidados por Joiada para uma conferência secreta parecem ter sido os comandantes da guarda real. Para esse empreendimento ousado, Joiada estava assegurando o sucesso de sua missão, porque teria ao seu lado os comandantes responsáveis por proteger o rei. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 2, p. 1013.

2Cr 23.2 inclui na conspiração os levitas e os líderes familiares de Judá. Bíblia de Estudo NVI Vida.

No sábado. Estes guardas estavam de folga no sábado, e por isso podiam ser colocados sem que Atalia notasse sua ausência. Bíblia Shedd.

10 Lanças e escudos que haviam sido do rei Davi. Os antigos escudos e as lanças que foram de Davi eram considerados como relíquias sagradas e não eram utilizados pela guarda. Isso indica que os membros da guarda, que foram ao templo naquele dia para vigiar o novo rei, estavam desarmados, para não levantar suspeitas. Como a revolução fora planejada para o sábado (ver com. de 2Rs 11:5), pode ser que esses homens disseram a seus oficiais que iriam ao templo com um propósito especial de adoração. Como eram adoradores do sábado, isso não levantaria suspeitas. Se, no entanto, eles tivessem sido ordenados a ir ao templo armados no dia de folga, o segredo seria descoberto imediatamente e o plano, frustrado. CBASD, vol. 2, p. 1014.

12 o filho do rei. O jovem príncipe foi escondido no templo e, depois que os guardas se posicionaram, ele foi levado à cerimônia de coroação para ocupar o seu lugar junto à coluna (2Cr 23:13) do pátio do templo. CBASD, vol. 2, p. 1014.

Livro do Testemunho. Ou 1) os dez mandamentos, 2) toda a aliança mosaica ou 3) um documento que tratava mais especificamente das responsabilidades pactuais do rei (v. Dt 17.40-20). A terceira opção é a mais provável

Esta passagem das Escrituras é a base do costume de se colocar uma cópia da Bíblia nas mãos dos monarcas britânicos durante o serviço de coroação. CBASD, vol. 2, p. 1014.

Viva o rei! Assegurar a vida dessa criança era de significado especial para a dinastia de Davi. … Se fosse morto, seria o fim da linhagem direta da casa de Davi. … Era pensamento comum que Atalia tinha conseguido destruir toda a descendência real (2Rs 11.1). Quando se descobriu que um dos príncipes foi poupado e agora era rei, um grito de triunfo deve ter soado por toda a cidade. CBASD, vol. 2, p. 1014, 1015.

14 estava junto à coluna. Segundo parece, uma das duas colunas de bronze do pórtico do templo, chamadas Joaquim e Boaz (v. 23.3; 1Rs 7.15-22; 2Cr 23.13). Bíblia de Estudo NVI Vida.

As colunas, chamadas “Jaquim” e “Boaz”, circundavam o vestíbulo do templo (1Rs 7.15-22). Quando o povo se reunia no templo, em ocasiões importantes, como em algum discurso real, as pessoas costumavam ficar de pé nessa área, defronte do templo propriamente dito. Bíblia de Genebra.

todo o povo. É provável que Joiada tenha optado por dar seu golpe político num sábado durante uma das festas religiosas principais quando muitas pessoas leais ao Senhor, provenientes da nação inteira, estariam em Jerusalém. Bíblia de Estudo NVI Vida.

se tocam trombetas. Soadas em volume alto durante a proclamação de um novo rei (1Rs 1:34). Bíblia de Estudo Andrews.

16 A mataram. Completou-se a sentença divina pronunciada contra a dinastia de Acabe. Essa fila devia ter sido a última a morrer, por ser a mais inacessível aos reformadores. Bíblia Shedd.

17 fez uma aliança entre o SENHOR, o rei e o povo. A aliança do Sinai entre Deus e Israel foi renovada. Bíblia de Estudo Andrews.

Renovação da aliança mosaica, mediante a qual Israel tinha sido constituído como o povo do Senhor (v. Êx 19.5,6; 12.14, 15, 24, 25). Os anos de apostasia que abrangiam tanto a casa real quanto o povo de Judá, tornavam necessária a renovação da lealdade ao Senhor na ocasião de u novo começo para o vindo do Sul. Bíblia de Estudo NVI Vida.

acordo entre o rei e o povo. Definiu responsabilidades e mútuas obrigações do rei e do povo compatíveis com o relacionamento de Israel com o Senhor, conforme a aliança. Bíblia de Estudo NVI Vida.

18 Na casa de Baal. A tal ponto chegou a filha de Jezabel que, sob seu domínio, foi estabelecido um templo para Baal em Jerusalém ou nas proximidades. Obviamente o propósito era o de tomar o lugar do tempo de Deus. Esse templo pagão foi completamente destruído. CBASD, vol. 2, p. 1015, 1016.

ídolos. Colunas de pedra e poses de Aserá. Bíblia de Estudo NVI Vida.

Matã. Deve ser um sacerdote fenício, convidado pela rainha Atalia. Bíblia Shedd.

Pôs guarda. Infelizmente, a casa de Deus foi negligenciada e até violada durante o reinado de Atalia e Alvez até no de seu antecessor [Acazias]. Algum sugerem que Atalia pode ter estabelecido a casa de Baal dentro dos recintos da casa de Deus, possivelmente no pátio exterior. Certas partes do templo e dos edifícios que os acompanhavam podem ter sido demolidos para fornecer materiais para a edificação do templo de Baal. Havia “brechas”que precisavam de grandes reparos (2Rs 12:5-12). Um edifício bem construído como o templo não se deterioraria com rapidez em resultado do processo natural de deterioração. Em 2 Crônicas 24:7 relata-se que a “perversa Atalia e seu filhos arruinaram a Casa de Deus; e usaram todas as coisas sagradas da Casa do SENHOR no serviço dos baalins [plural de baal]”. Depois da destruição da casa de Baal, foram nomeados oficiais cuja responsabilidade era supervisionar o restabelecimento dos serviços ao Senhor no templo e garantir que não houvesse profanação futura nos arredores do templo por simpatizantes do antigo regime (ver 2Cr 23:19). CBASD, vol. 2, p. 1016.

21 sete anos. O novo reinado baseava-se no direito da herança (2) e no apoio das autoridades civis e religiosas (4); na unção sacerdotal do Templo (12); na eliminação da inquidade (15); na obediência aos preceitos de Deus (17); e na aclamação popular (20). Comparar estes pontos com o reinado do maior filho de Davi, o Senhor Jesus Cristo (Fp 2.5-11; Ap 5.5-14, etc.). Bíblia Shedd.

começou a reinar. Cf. v. 3. O Senhor preservar uma lâmpada para Davi em Jerusalém. Bíblia de Estudo NVI Vida.



2Reis 11 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
3 de dezembro de 2022, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Joiada fez aliança entre o Senhor, e o rei, e o povo, para serem eles o povo do Senhor; como também entre o rei e o povo” (v.17).

Após Israel sofrer um período de apostasia nos dias de Jezabel, Judá passou por um tempo de trevas nas mãos de Atalia. Sabem quem era Atalia, amados? Filha de Jezabel com Acabe. Quando foi morto Acazias, Atalia decidiu assumir o trono, para garantir a sua monarquia, mandou matar todos os candidatos à sucessão real. Discípula de Jezabel, Atalia seguia os passos de sua mãe e dirigia o reino com mãos de ferro. Mas, como tudo o que o ser humano tenta fazer com as próprias mãos, sua suposta vitória tinha prazo de validade. Jeoseba, provavelmente enteada de Atalia, resolveu colocar a sua vida em risco em defesa do único herdeiro remanescente.

O pequeno Joás era apenas um bebê quando foi escondido na Casa do Senhor, e lá permaneceu por seis anos. Geralmente, os avós são figuras amáveis, de bochechas vermelhas e de colo aconchegante. Dizem que casa de avó é um dos lugares mais queridos pelos netos. Agora, imaginem uma avó como Atalia! Má, idólatra e assassina. Quanto a Joás, seus primeiros passos foram dados na Casa de Deus. Suas primeiras palavrinhas, foram na Casa de Deus. Seus primeiros anos de vida, foram na Casa de Deus. Joás recebeu instruções diretamente do sacerdote Joiada e com ele aprendeu a ser fiel ao Senhor.

Ao ser ungido rei com apenas sete anos de idade, Deus deu um recado ao Seu povo: “Não importa quem estiver sentado no trono terreno da nação, quer seja uma rainha sem escrúpulos ou uma criança, no fim, Eu estou no controle”. A vida de Joás foi preservada como cumprimento da promessa do Senhor a Davi, e dois objetos lhe foram dados simbolizando a sua missão: a coroa e o Livro do Testemunho. A responsabilidade que repousava sobre um menino de sete anos de idade estava sobre a sua cabeça infantil. Mas o que foi colocado em suas mãos, deveria estar gravado em seu coração: “Estas palavras que, hoje, te ordeno estarão no teu coração” (Dt.6:6).

A aliança feita pelo sacerdote Joiada com Joás e com o povo foi uma renovação da aliança que nunca deixou de existir. Eles não tinham que ser um povo, e sim “o povo” (v.17). Você não foi chamado para ser um cristão, e sim o cristão. Porque não servimos a um Deus, mas servimos O Deus, O Rei dos reis, O Senhor dos Exércitos, O Deus único e verdadeiro. Percebem? Ser mais um na multidão não é ser sal e luz (Mt.6:13-14). Joás fez a diferença não porque nele houvesse mérito algum, mas porque ele foi revestido com os méritos do Senhor.

A alegria e a tranquilidade do povo foram reflexo da vitória do bem quando “Joás sentou no trono dos reis” (v.19), e da derrota do mal, “depois que mataram Atalia à espada” (v.20). Muito em breve veremos a triunfante vitória do povo de Deus e o fim de todo o mal. E o apelo do Senhor é o de que sejamos verdadeiramente “o povo do Senhor” (v.17). Porque os salvos não serão uns restantes, mas “os restantes, os que guardam os mandamentos de Deus e têm o testemunho de Jesus” (Ap.12:17). Então, quando contemplarmos Cristo Jesus em Seu trono, viveremos a alegria e a tranquilidade eterna, sabendo que o Rei dos reis reina soberano, “o Seu domínio é domínio eterno, que não passará, e o Seu reino jamais será destruído” (Dn.7:14). Vigiemos e oremos!

Feliz sábado, remanescente do Senhor!

Rosana Garcia Barros

#2Reis11 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



II REIS 11 – COMENTÁRIO PR. HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
3 de dezembro de 2022, 0:40
Filed under: Sem categoria

II REIS 11 – É excelente quando a mulher utiliza seu poder para o bem; porém, é deprimente quando seu poder é usado para promover o mal. Neste relato, os dois tipos de poderes são exercidos, para o mal através das ações de Atalia; e, para o bem, através das reações de Jeoseba.

As duas mulheres possuem propósitos antagônicos (II Reis 11:1-3):
• Atalia, filha de Acabe e Jezabel de Israel, usurpou o trono de Judá. Reinou por seis anos ilegitimamente por não ser da linhagem davídica. Seu propósito visava eliminar todo descendente de Davi que pudesse assumir o trono. Sendo mãe do rei Acazias que fora morto por Jeú na tentativa de eliminar a adoração dos deuses pagãos, com a morte de Jeú, furiosamente tentou eliminar toda a família real.
• Jeoseba, filha do rei Jorão e irmã de Acazias, esposa do sacerdote Joiada, tomou o filho caçula de Acazias de um ano, chamado Joás, furtando-o dentre os filhos do rei, protegendo-o no Templo sob tutela de sua ama, escondido de Atalia, durante seis anos. No templo, Jeoseba “ensinou ao jovem herdeiro do trono a Palavra de Deus”, salientou Merrill Unger. Desta forma, a criança foi preparada para reinar em Judá.

Infelizmente, muitos não apenas conhecem mais sobre Atalia do que Jeoseba, como também comentam, pregam e ensinam as crianças mais sobre a mulher perversa do que a mulher correta.

Nossa inclinação para o mal pode ser fatal para valorizar mais quem não merece do que quem realmente merece.

Após a nobre, embora arriscada obra de Joeseba, seu esposo como sumo sacerdote cuidou da coroação de Joás, e orquestrou a morte da usurpadora Atalia. A partir daí, com a regência de Joás com 7 anos de idade, promoveu-se uma reforma em Judá (II Reis 11:4-21).

Tudo isso aconteceu pela ousadia de uma mulher… Jeoseba! Mostrando que, muito pode ser realizado para promover o bem mediante influência de mulheres que prezam pelos planos de Deus!

Carecemos de mulheres como Joeseba, e homens como Joiada – que prezem harmonicamente pela vontade divina, com ativa determinação! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: