Reavivados por Sua Palavra


ZACARIAS 4 by Jeferson Quimelli
14 de abril de 2021, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/zc/4

Zacarias 4 é uma visão do lugar santo no céu e das duas oliveiras que estão em cada lado do candelabro. Está claro no versículo 12 que essas duas árvores que “esvaziam de si mesmas o azeite dourado” abastecem o candelabro com azeite.

Não creio que temos condições de fazer qualquer coisa por nós mesmos que providencie algo que Jesus necessite, mas creio que esta passagem mostra que Jesus é glorificado quando nos esvaziamos e entregamos tudo a Ele. Isso é mostrado de maneira prática quando testemunhamos que Jesus é digno de todo louvor. Note que as oliveiras também são chamadas de duas testemunhas. Jesus brilha com a máxima intensidade quando somos suas testemunhas.

Encontramos a ideia de duas testemunhas na Bíblia também em outros lugares. O Antigo e o Novo Testamento são duas testemunhas que lançam sua luz sobre Jesus. Moisés e Elias serviram como testemunhas quando Jesus foi transformado no Monte da Transfiguração e brilhou intensamente. Assim como os querubins cobridores olham para a luz existente no propiciatório, essas duas oliveiras apontam para a luz existente no candelabro.

“Vocês são minhas testemunhas”, declara o Senhor (Isaías 43:10, NVI). Permitamos que a luz de Deus brilhe em nós através do Espírito Santo!

Karen D. Lifshay
Hermiston SDA Secretário de Comunicações da Igreja, Oregon, EUA

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=1161
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli/Luis Uehara



ZACARIAS 4 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
14 de abril de 2021, 0:50
Filed under: Sem categoria

350 palavras

1 E me despertou. Este incidente marca a transição de uma visão para outra.

2 Candelabro. O simbolismo é evidentemente um empréstimo do candelabro no santuário.

Vaso. Este continha o óleo, que alimentava as sete lâmpadas nos sete tubos.

6 Zorobabel. Neste versículo, Zorobabel representa a liderança e a administração civil, assim como Josué (Zc 3:1) representa a liderança religiosa da nação.

Pelo Meu Espírito. O óleo fornecido pela oliveira (v. 3) tipificava o Espírito Santo (ver PJ, 408). Somente a graça divina venceria todos os obstáculos que os reconstrutores enfrentariam em Jerusalém (ver p. 1181). Zorobabel e seus companheiros estavam deprimidos por sua débil habilidade e escassos recursos para realizar a obra de restauração contra a oposição de seus inimigos. A visão mostrou que os propósitos de Deus para Israel seriam alcançados não por “força” ou “poder” humanos, mas pelo Seu próprio Espírito e poder.

7 Grande monte. Símbolo das dificuldades aparentemente insuperáveis que Zorobabel teria de enfrentar para realizar seu propósito (ver com. de Is 2:2).

Pedra de remate. A Zorobabel é assegurado que ele concluiria a obra de restauração ao colocar a pedra de remate ou pedra angular (ver T7, 170).

10 Humildes começos. Isto é, o pequeno progresso feito até então.

Alegrar-se-á. Isto é, com a realização do parecia impossível.

Aqueles sete olhos. Neste versículo, eles se convertem num símbolo de onisciência e onipresença de Deus. “O Guarda de Israel” não dormita nem dorme (Sl 121:4). De Seu grande e elevado trono, Ele dirige os negócios desta terra e cumpre os propósitos desta terra e cumpre os propósitos de Sua vontade. Nada escapa à Sua observação (ver Sl 139:1-12; ver com. de Dn 4:17).

11 Que são … ? O significado das duas oliveiras (v. 3) ainda não tinha sido dado.

14 Dois ungidos. Os ungidos, portanto, representam os instrumentos celestiais por meio dos quais o Espírito Santo é concedido aos seres humanos que são completamente consagrados ao Seu serviço.

[Nota: Os comentários da Bíblia de Andrews interpretam as duas oliveiras como sendo Josué e Zorobabel; A comentarista do blog mundial, Karen D. Lifshay, interpreta as duas oliveiras como sendo o Antigo e o Novo Testamento.]

 

Referências: Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 4, p. 1203, 1204.

 



ZACARIAS 4 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
14 de abril de 2021, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Prosseguiu ele e me disse: Esta é a palavra do Senhor a Zorobabel: Não por força nem por poder, mas pelo Meu Espírito, diz o Senhor dos Exércitos” (v.6).

Estamos diante de um dos princípios mais belos da Palavra de Deus, que é o da harmonia entre seus livros. Toda a Bíblia se comunica entre si como elos de uma corrente inquebrável. A linguagem do anjo que falava a Zacarias se assemelha em vários aspectos ao que o apóstolo João recebeu em visão também por intermédio de um anjo (Ap.1:1). No capítulo 11 de Apocalipse encontramos praticamente a mesma sequência de símbolos indicada nos capítulos 3 e 4 de Zacarias. Temos um homem tomando nota de medidas e temos símbolos bem semelhantes aos apresentados no capítulo de hoje. Zacarias foi despertado para ver o candelabro entre as duas oliveiras, o que indica a importância de compreender com clareza tal visão.

Além da ligação do livro de Zacarias com o livro do Apocalipse, também existem ligações entre as visões. Na visão anterior, por exemplo, Zacarias viu uma pedra com “sete olhos” (Zc.3:9). Notem que o candelabro possui “sete lâmpadas” (v.2), e, mais a frente foi dito: “Aqueles sete olhos são os olhos do Senhor, que percorrem toda a Terra” (v.10). Em Apocalipse 5:6, João viu o Cordeiro, que tinha o seguinte aspecto: “Ele tinha sete chifres, bem como sete olhos, que são os sete Espíritos de Deus enviados por toda a Terra”. Ou seja, há uma íntima e inerente ligação entre a pedra e o Cordeiro, que é Cristo, e as sete lâmpadas e os sete olhos, que são um símbolo da plenitude do Espírito Santo. Não seria por força ou violência que terminariam a construção do templo, mas pelo Espírito através da Palavra de Deus.

Através de Zorobabel e Josué, “os dois ungidos” (v.14), Deus cumpriria o Seu propósito de iluminar o mundo com a luz provinda de Sua Palavra. Em Apocalipse 11:3 João viu as “duas testemunhas” de Deus, sendo “estas as duas oliveiras e os dois candeeiros que se acham em pé diante do Senhor da Terra”, uma referência ao Antigo e Novo Testamentos, como testemunhas que condenam o pecado e que não podem ser destruídas enquanto não cumprirem sua missão de anunciar a mensagem de salvação até o último pecador arrependido. Como igreja de Deus, precisamos do Espírito Santo a fim de cumprirmos a missão que nos foi confiada como testemunhas de Cristo: “mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis Minhas testemunhas […] até aos confins da Terra” (At.1:8). Assim como os olhos do Senhor percorrem toda a Terra através de Seu Espírito, Ele nos concede o privilégio de sermos participantes em Sua obra de salvação.

Para cada pessoa resgatada das trevas para a luz, há uma aclamação que ecoa do Céu: “Haja graça e graça para ela!” (v.7). Todo o Céu se une em louvor quando um pecador se arrepende. E em meio à geração mais degradada pelo pecado e menos capaz de dar ouvidos à voz de Deus, o Espírito Santo tem sido derramado “sobre toda a carne” (Jl.2:28) a fim de operar grandes milagres de conversão. Amados, assim como Zacarias precisou ser despertado para ter a quinta visão, estamos vivendo em um momento em que o Senhor está despertando aqueles que, ao entrarem em contato com a verdade presente, com profundo interesse estão a exclamar: “Meu senhor, que é isto?” (v.4). Pessoas que, alcançadas e redimidas pela graça de Cristo Jesus, não estão satisfeitas com o conhecimento que possuem a não ser que este cresça “à medida da estatura da plenitude de Cristo” (Ef.4:13). Não pelo sacrifício de obras vazias, mas pela atuação do Espírito de Deus na vida.

Nem por força nem por poder, mas pelo Meu Espírito, diz o Senhor dos Exércitos” (v.6). Não é o que fazemos que nos abrirá os portais do Céu, mas o que permitimos que o Espírito Santo realize em nós. Deus está medindo, investigando cada canto da Terra em busca de Seus filhinhos. Há uma obra a ser terminada e você e eu fazemos parte deste projeto divino. A respeito disso, encerro com as palavras da irmã White: “É chegado o tempo em que os que escolhem ao Senhor como sua presente e futura porção, devem confiar unicamente nEle. Todos quantos professam piedade devem possuir uma experiência individual. […] Os anjos estão observando o desenvolvimento do caráter, e pesando o valor moral. Os que professam crer na verdade devem ser, eles mesmos, justos, e exercer toda a sua influência para esclarecer e ganhar outros para a verdade. Suas palavras e obras são o meio pelo qual são transmitidos ao mundo os puros princípios da verdade e da santidade. Eles são o sal da Terra, e a sua luz” (Testemunhos Para a Igreja, CPB, v.1, p.262). Vigiemos e oremos!

Bom dia, testemunhas de Cristo Jesus!

* Oremos pelo derramamento do Espírito Santo como chuva serôdia e para que passemos mais tempo com a Bíblia do que com o celular.

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Zacarias4 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



ZACARIAS 4 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
14 de abril de 2021, 0:40
Filed under: Sem categoria

ZACARIAS 4 – Às vezes parece que enormes problemas surgem quando alguém se propõe a fazer a obra de Deus; contudo, quando desafios parecem insuperáveis, o Espírito Santo é capaz de removê-los caso dependamos dEle.

Deus, através da mensagem a Zorobabel, revela-nos que, por meio do Espírito Santo, podemos ser habilitados a agir, edificar e superar grandiosos obstáculos para fazer avançar Sua obra no mundo.
• “Quando manifestamos fé no Senhor e cooperamos com Ele, Seu Espírito efetua o que o esforço humano é incapaz de realizar” (Philip G. Samaan).

Deste capítulo, podem-se extrair cinco lições que formam os passos que mudarão a vida daqueles que as seguirem:
1. Dependa plenamente do Espírito Santo (v. 6);
2. Não permita que circunstâncias ditem teu comportamento (v. 7);
3. Absorva as bênçãos divinas para tua vida (v. 7);
4. Não ignore os planos de Deus para você (v. 9);
5. Valorize as pequenas coisas (v. 10).

Indo além destas aplicações, os menorás/candelabros representam o povo de Deus. O crente deve ser a luz de Cristo neste mundo escuro. Para atingir esse objetivo, cada membro da igreja precisa confiar em Deus e no Espírito Santo.

Iluminar o mundo com a verdade é reavivamento e reforma. Entretanto, “a teoria da verdade não acompanhada do Espírito Santo, não pode vivificar a alma, nem santificar o coração” (EGW).

No tempo de Zorobabel, o templo seria concluído pelo poder divino e todo empecilho seria removido. Zorobabel seria o instrumento de Deus e a palavra divina seria cumprida (vs. 6-9). Diante disso, os críticos se calariam; os humildes se alegrariam; e, Deus seria exaltado (v. 10).
• Isso acontecerá nos dias atuais caso cada membro da igreja alcançar tais níveis espirituais.

O desafio de cumprir a missão evangélica mundial pode parecer impossível; porém, em vez de considerá-lo uma grande montanha, é necessário concentrar-se na capacidade do Espírito Santo de remover montanhas de problemas.

Portanto, hoje Deus nos diz o mesmo que disse a Zorobabel: “Você não pode fazer essas coisas à força. Elas só acontecem pelo meu Espírito” (v. 6).
• Se o Espírito Santo fosse retirado da igreja atualmente, a maioria das coisas continuaria igual?
• Precisamos urgentemente experimentar o poder de uma igreja cheia do Espírito?
• Viveremos do nosso jeito ou do jeito do Espírito?

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.



ZACARIAS 3 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
13 de abril de 2021, 1:10
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO ZACARIAS 3 – Primeiro leia a Bíblia

ZACARIAS 3 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

ZACARIAS 3 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO – ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO – PR HEBER TOTH ARMÍ

COM. VÍDEO PR ADOLFO SUÁREZ(link externo)

COM. VÍDEO PR VALDECI JÚNIOR (link externo)

COM. VÍDEO PR WEVERTON CASTRO E EQUIPE (link externo)

COM. VÍDEO PR RONALDO DE OLIVEIRA (link externo)

COM. VÍDEO PR MICHELSON BORGES (link externo)



ZACARIAS 3 by Jobson Santos
13 de abril de 2021, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/zc/3

Essa visão de Zacarias exalta as maravilhas da imensa salvação trazida por Jesus Cristo. Josué, o sumo sacerdote, e todos os que haviam retornado do exílio estavam procurando agradar a Deus, mas pensamentos de indignidade passavam pela mente deles. Como sumo sacerdote, Josué representava todas as pessoas, em pé diante do Senhor.

Mas Satanás está lá também. Ele era a fonte de toda a oposição que os judeus enfrentavam. Além disso, ele aponta para a sujeira moral, a incredulidade e os pecados do povo. Satanás alegava que não era correto Deus ajudar a Josué. Pensamentos de desesperança e de nunca conseguir levar as pessoas a amar a Deus acima de todas as coisas e assim cumprirem a missão rondavam a mente dos líderes.

A graça de Deus repreendeu a Satanás. A verdade apresentada nesta visão de que nossas vestes sujas de pecado são removidas e somos cobertos com o manto da justiça de Cristo nos enche de esperança. Para entender o significado glorioso desta visão, leia o capítulo “Josué e o Anjo”, no livro, Profetas e Reis. Você será fortalecido. Observe esta declaração: “Suas inclinações terrenas serão removidas, para que por meio deles a imagem de Cristo possa ser perfeitamente revelada”. {Profetas e Reis, 301.2}.

O Senhor nos ama e está conosco. Avancemos com fé!

David Manzano
Pastor aposentado, EUA

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=1160
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli/Luis Uehara



ZACARIAS 3 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
13 de abril de 2021, 0:50
Filed under: Sem categoria

544 palavras

1 Deus me mostrou. A quarta visão (v. 1-10) foi dada para mostrar o poder de Cristo “para derrotar o acusador do Seu povo” (PR, 583). Ela foi dada quando “o firme progresso realizado pelos construtores do templo aborreceu e alarmou grandemente as forças do mal” (PR, 582; ver com. de Zc 1:8).

Josué. Primeiro sumo sacerdote após o cativeiro, também chamado de Jesus (Ed 2:2), uma transliteração de forma aramaica do nome … . Nesta visão, o sumo sacerdote representa Israel diante de Deus.

Anjo do SENHOR. Isto é, “o Anjo que é o Senhor”, significando Cristo (cf. Jd 9; ver PR, 584; ver com. de Êx 23:20, 21).

Satanás. Do heb. hassatan, literalmente, “o adversário”. A palavra vem do verbo satan, que significa “acusar”, “agir como um adversário”(Sl 38:20; 71:13; 109:4, 20, 29).

Para se lhe opor. Ao passo que Josué intercedia diante de Deus por seu povo, Satanás estava próximo para se opor e frustrar seus esforços, acusando a Josué e seu povo com o fardo do pecado (cf. 1Pe 5:8; Ap 12:10). Ele salientou as transgressões de Israel como uma razão porque o povo não deveria ser restaurado ao favor divino (ver PR, 583; cf. Zc 1:11; 2:12). Afirmava que eles não mereciam ser restaurados ao relacionamento da aliança (ver com. de Zc 1:16).

2 O SENHOR te repreenda. É verdade que o povo de Deus pecara gravemente. Mas eles passaram pelo castigo do exílio, e muitos foram levados ao arrependimento e humilhação.

Tição tirado do fogo. O ardente fogo do cativeiro teria consumido o povo escolhido, caso Deus não tivesse movido o coração dos reis pagãos para mostrar favor a Seus filhos dispersos, e se alguns deles não estivessem dispostos a responder ao chamado de Deus para fugir de Babilônia (Jr 51:6, 45; cf. Zc 2:6).

3 Vestes sujas. Significando a corrupção do pecado (cf. Is 64:6).

4 Tirai-lhe. A remoção das vestes sujas significava remissão do pecado e restauração ao favor de Deus. A nova veste representava a justiça imputada de Cristo (PR, 584).

5 Um turbante limpo. Literalmente, “um turbante puro”. … O turbante, antigamente indicado para o sumo sacerdote, levava a inscrição “Santidade ao SENHOR” (Êx 28:36-38). A colocação do turbante limpo sobre Josué significava que suas transgressões tinham sido perdoadas e que ele estava qualificado para seu santo ofício. Sacerdote e povo foram restaurados ao favor divino (v. 9; ver com. do v. 1).

6 Protestou. Melhor, “alertou”.

7 Andares. Grandes bênçãos seguiriam a obediência (ver 1Rs 3:14).

Estes que aqui se encontram. Anjos assistentes (ver PR, 585).

8 Ouve, pois. A importante natureza da promessa prestes a ser feita exigia a completa atenção do sacerdote.

Homens de presságio. Literalmente, “homens de prodígio”. … Mofeth também é frequentemente traduzido como “sinal” (1Rs 13:3, 5; 2Cr 32:24; Ex 12:6; etc.). Como Ezequiel foi um sinal (do heb. mofeth) à sua geração (Ez 12:6, 11; 24:24, 27), assim os israelitas da restauração foram uma demonstração do que Deus estava disposto a fazer por aqueles que cooperassem com os propósitos celestiais. Eles seriam “honrados como os escolhidos do Céu entre as nações da Terra” (PR, 585).

Meu servo. Um título frequentemente dado ao Messias (ver com. de Is 41:8).

Renovo. Do heb. tsemach, “broto”, “crescimento”, um símbolo do Messias (ver Jr 23:5; 33:15), que seria o glorioso Rebento que brotaria da casa de Davi.

9 Pedra. O simbolismo não é explicado claramente. …O ensino central da visão foi a remoção da culpa de Josué e de seu povo.

10 Debaixo da vide. Um símbolo de paz e segurança, alegria e prosperidade (ver Is 65:17-25; Mq 4:1-5).



ZACARIAS 3 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
13 de abril de 2021, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Deus me mostrou o sumo sacerdote Josué, o qual estava diante do Anjo do Senhor, e Satanás estava à mão direita dele, para se lhe opor” (v.1).

Representando muito bem o seu papel de acusador, Satanás se pôs em oposição ao ministério sumo sacerdotal de Josué. A expressão “Anjo do Senhor” é uma referência ao próprio Jesus: o “Príncipe do exército do Senhor” (Js.5:14), “o Senhor dos Exércitos” (v.7), “Miguel, vosso Príncipe” (Dn.10:21). A experiência de Josué se assemelha ao que está relatado no livro de Judas: “Contudo, o arcanjo Miguel, quando contendia com o diabo e disputava a respeito do corpo de Moisés, não se atreveu a proferir juízo infamatório contra ele; pelo contrário, disse: O Senhor te repreenda!” (Jd.9). Da mesma forma, no capítulo de hoje, “o Senhor disse a Satanás: O Senhor te repreende, ó Satanás” (v.2).

O contexto do povo pós-exílio era o de estrangeiros na terra prometida. Os setenta anos de cativeiro os havia privado da adoração no templo e das tradições religiosas de seus pais. Era necessária uma obra de reavivamento e reforma a fim de restaurar a verdadeira adoração. Certamente, Josué nunca havia oficiado antes e tornar-se o principal líder religioso da nação era uma responsabilidade de grande peso sobre o inexperiente sumo sacerdote. A quarta visão de Zacarias, portanto, se tratava da autorização divina para a restauração do ofício sumo sacerdotal e da promessa de proteção e aprovação de Jesus frente à direta oposição de Satanás.

Como uma brasa retirada do meio do fogo, Josué é um símbolo do remanescente salvo da destruição pela fidelidade da aliança do Senhor com Seu povo. Suas “vestes sujas” (v.3) representam as iniquidades do povo e a substituição dessas vestes por “finos trajes” (v.4) e “um turbante limpo” (v.5), símbolos das vestes puras de Cristo e da salvação por Sua graça. Apesar de ser uma visão direcionada a Josué, ela também aponta para o perfeito ministério sacerdotal de Cristo, “o Renovo” (v.8), Aquele que tiraria a iniquidade não somente de alguns, mas “desta terra, num só dia” (v.9). Diante do “acusador de nossos irmãos, o mesmo que os acusa de dia e de noite, diante do nosso Deus” (Ap.12:10), a nossa condição é irremediável. Mas diante dAquele que num só dia, “ao se cumprirem os tempos, Se manifestou uma vez por todas, para aniquilar, pelo sacrifício de Si mesmo, o pecado” (Hb.9:26), nossa condição é perfeitamente remediável.

Mesmo que tenhamos saído de Babilônia carregando conosco as cicatrizes do passado, e tenhamos em nosso encalço um inimigo que nos acusa de dia e de noite, “possuímos tal sumo sacerdote, que Se assentou à destra do trono da Majestade nos céus” (Hb.8:1); “temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo” (1Jo.2:1), que Se manifesta para repreender a Satanás e que deseja nos vestir “com trajes próprios” (v.5), as “vestiduras brancas” de Sua justiça (Ap.3:18). A resposta à tão preciosa graça é a obediência, como o Anjo do Senhor protestou a Josué: “Assim diz o Senhor dos Exércitos: Se andares nos Meus caminhos e observares os Meus preceitos, também tu julgarás a Minha casa e guardarás os Meus átrios, e te darei livre acesso entre estes que aqui se encontram” (v.7). Foi assim que Jesus venceu e nos deu poder para vencer, “tornando-Se obediente até à morte e morte de cruz” (Fp.2:8).

A derradeira obra do Espírito já começou, em despertar as virgens prudentes para um curto e decisivo tempo de preparo para o reavivamento e reforma tão necessários, fruto da graça de Cristo recebida na vida. E como foi com Josué e na luta pelo corpo de Moisés, há um grande conflito sendo travado pela minha e sua vida. Se permitirmos, porém, pela fé simples e singela como de uma criança, que Jesus lute as nossas batalhas, o acusador não terá alternativa a não ser fugir de nossa presença pelo poder que há no sangue remidor e purificador de Cristo Jesus. Somos “sacerdócio real” de Deus (1Pe.2:9) e estrangeiros em uma terra de seis mil anos de pecado. Com certeza, ser chamados hoje de filhos de Deus, é um privilégio que geração nenhuma pôde experimentar sob o peso de milênios de corrupção.

Falta muito pouco para Jesus Cristo rasgar os céus com Sua glória, amados! Falta muito pouco para numa fração de milésimos de segundos “este corpo corruptível se revestir de incorruptibilidade, e o que é mortal se revestir de imortalidade” (1Co.15:54). Falta muito pouco para estarmos “em pé diante do trono e diante do Cordeiro, vestidos de vestiduras brancas, com palmas nas mãos” (Ap.7:9). Falta muito pouco para o Grande Dia do Senhor, quando Ele tirará “a iniquidade desta Terra, num só dia” (v.9). Falta muito pouco para “a pedra” (v.9), “uma pedra […] cortada sem auxílio de mãos” (Dn.2:34), e a pedra é Cristo (1Co.10:4), cumprir o Seu propósito glorioso, estabelecendo “um reino que não será jamais destruído” (Dn.2:44). Portanto, vigiemos e oremos, pois não sabemos “o dia nem a hora” (Mt.25:13).

Bom dia, sacerdócio real de Cristo!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Zacarias3 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



ZACARIAS 3 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
13 de abril de 2021, 0:40
Filed under: Sem categoria

Este capítulo apresenta a quarta visão de Zacarias; cuja essência é profecia e ilustração das ações de Satanás perante Deus quando se trata do pecador.

Neste texto teus olhos verão além do normal, o que os olhos carnais desconhecem:
• Existe um real conflito universal e sobrenatural entre o bem o mal;
• O mal conduz poderosamente pessoas ao pecado, cuja finalidade é afastá-las de Deus;
• Ao distanciarem-se de Deus, os pecadores aliam-se ao acusador-mor;
• Contudo, Deus age soberanamente quando o pecador O procura.

Nesta incrível revelação profética, é possível responder a três perguntas importantíssimas para quem vive em meio ao grande conflito entre Deus e Satanás:

1. Primeira: O que acontece quando o pecador arrependido busca a Deus? Os versos iniciais (1-5) respondem: O pecador tem seu acusador repreendido pelo Salvador; tem seus pecados retirados; e, finalmente, recebe aplicação da justiça divina representada pela substituição das vestes sujas pelas limpas.

2. Segunda: O que Deus espera do pecador perdoado? Os versos 6 e 7 mostram que, após purificar ao pecador, Deus espera obediência – um processo de santificação resultante da justificação. A graça que liberta opera poderosamente dando liberdade para viver a fidelidade a Deus.

3. Terceira: Qual é a base de Deus para restaurar o condenado pecador? Os versos 8 a 10 declaram que Cristo é a base da obra de restauração na figura do Servo, do Renovo e da Pedra.

Desta forma, o processo da salvação é unicamente pelas obras de Cristo. Ele é nosso Salvador; nEle o pecador silencia o acusador; nEle o acusado torna-se perdoado e reconciliado com o Deus santo; nEle há perdão, pureza e restauração.
• Em Cristo as imundícias do pecado são retiradas do pecador e aplica-se a justiça divina.

Agora, reflita, assimile e permita que estas certezas inundem a tua vida:
1. “Felizes os que terão ousadia santa diante do Juiz naquele dia, por saberem que ele é seu Amigo e Advogado!” (Matthew Henry).
2. “Quando estivermos revestidos da justiça de Cristo, não teremos nenhum prazer no pecado, pois Cristo está operando em nós. Poderemos cometer erros, mas haveremos de odiar o pecado que causou os sofrimentos do Filho de Deus” (Ellen G. White).

Você crê no que aprendeu? Então, você aceita viver o ideal de Deus? – Heber Toth Armí.



ZACARIAS 2 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
12 de abril de 2021, 1:10
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO ZACARIAS 2 – Primeiro leia a Bíblia

ZACARIAS 2 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

ZACARIAS 2 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO – ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO – PR HEBER TOTH ARMÍ

COM. VÍDEO PR ADOLFO SUÁREZ (link externo)

COM. VÍDEO PR VALDECI JÚNIOR (link externo)

COM. VÍDEO PR WEVERTON CASTRO E EQUIPE (link externo)

COM. VÍDEO PR RONALDO DE OLIVEIRA (link externo)

COM. VÍDEO PR MICHELSON BORGES (link externo)




<span>%d</span> blogueiros gostam disto: