Reavivados por Sua Palavra


1Reis 04 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
4 de novembro de 2022, 0:45
Filed under: Sem categoria

“De todos os povos vinha gente a ouvir a sabedoria de Salomão, e também enviados de todos os reis da terra que tinham ouvido da sua sabedoria” (v.34).

O filho de Davi, que aos olhos humanos seria o menos promissor, foi exaltado por Deus como o mais sábio monarca de Israel. Salomão construiu um grande império, estabeleceu uma nação próspera e tornou-se o homem mais afamado da Terra. Mantinha um governo bem estabelecido e organizado, mediante a administração dividida em doze territórios subordinados a ele. Dentre os seus oficiais principais, o ministro “era amigo do rei” (v.5), e dois de seus doze intendentes eram seus genros.

O receio de Salomão diante da responsabilidade de liderar os filhos de Israel não era sem razão, visto que estes eram “numerosos como a areia que está ao pé do mar” (v.20). E para tão grande e sublime tarefa, o Senhor o capacitou na medida equivalente, pois lhe deu também “sabedoria, grandíssimo entendimento e larga inteligência como a areia que está na praia do mar” (v.29). Em matéria de aconselhamento, composição musical e conhecimento das espécies, certamente Salomão poderia ter sido o campeão de troféus do mundo antigo.

Em meio a tanta prosperidade, Judá e Israel “comiam, bebiam e se alegravam” (v.20), e “habitavam confiados” (v.25). Mas logo eles perceberiam que esta falsa tranquilidade lhes custaria um alto preço. Salomão submeteu o povo a pesados tributos e ao trabalho forçado na construção do templo e de seus palácios. Consequências que o Senhor já havia predito por intermédio do profeta Samuel, quando o povo lhe exigiu um rei: “vós lhe sereis por servos” (1Sm.8:17).

É de fundamental importância que a igreja de Deus seja organizada. O Senhor dividiu Israel em doze tribos. Salomão organizou o seu reino em doze repartições. Jesus convocou doze discípulos para auxiliá-Lo em Seu ministério. O povo de Deus precisa, hoje, de ministros que sejam amigos do Rei do Universo e líderes que amem a igreja do Senhor como a sua própria família; que não sejam conhecidos apenas por sua fama, mas por obras que testemunhem do propósito altruísta de seu chamado e de sua consagração a Deus.

Ao vislumbrar a cidade santa, João a descreveu como a cidade dos doze fundamentos, das doze portas e da “árvore da vida, que produz doze frutos” (Ap.22:2). Nem todos fomos chamados para assumir a posição de liderança na obra de Deus, mas todos fomos chamados, primariamente, como discípulos de Jesus Cristo. Não é um nome de destaque nesta Terra que vai nos garantir entrada na cidade santa, mas um nome inscrito “no Livro da Vida do Cordeiro” (Ap.21:27). Perseveremos, portanto, como discípulos de Cristo. Vigiemos e oremos, “pois a vinda do Senhor está próxima” (Tg.5:8).

Bom dia da preparação, súditos do Rei dos reis!

Rosana Garcia Barros

#1Reis04 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100


Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.



%d blogueiros gostam disto: