Reavivados por Sua Palavra


Hebreus 5 by jquimelli
29 de maio de 2015, 1:00
Filed under: Jesus | Tags: , ,

Comentário devocional:

Hebreus 5 nos diz que Jesus foi nomeado nosso sumo sacerdote. Na visão do mundo antigo, sacerdotes eram nomeados para mediar entre Deus e os seres humanos. Eles se purificavam para lidar com o mundo divino e sabiam como se aproximar de Deus a fim de receber as bênçãos solicitadas.

Os versos 1-6 nos dizem que foi o próprio Deus quem designou Jesus como sumo sacerdote. Isso nos lembra de que o Pai sempre quis restaurar o seu relacionamento conosco. Deus escolheu Jesus porque ele era o “Filho”. Conforme vimos em Hebreus 1 e 2, o Filho era ao mesmo tempo um com Deus e um com o homem. Assim, Ele é o mediador perfeito.

Os versos 7-10 dizem que Deus aperfeiçoou Jesus para o cargo de sacerdócio por meio do sofrimento. Por quê? Ele se ofereceu como sacrifício pelo pecado em nosso nome e foi aceito. Este capítulo também enfatiza que Jesus ao obedecer experimentou o sofrimento. Desse modo podemos ter certeza que Ele nos entende quando também passamos por sofrimentos.

Os versos 11-14 afirmam que é difícil para muitos entender a ideia de que Jesus é nosso sumo sacerdote perfeito. Mas o cristão maduro entende que há somente um mediador e que este mediador é Jesus (1 Timóteo 2:5).

Felix H. Cortez
Universidade Andrews
Estados Unidos

 

Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/heb/5/
Traduzido por JAQ/JDS/IB
Texto bíblico: Hebreus 5
Comentário em áudio 



Hebreus 5 – Comentários Selecionados by tatianawernenburg

1 Sumo Sacerdote. As qualificações essenciais do sumo sacerdote são aqui apresentadas para mostrar que Cristo as tem. Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 7, p. 459.

Pelos pecados. Os dons e sacrifícios eram pelos pecados do povo. O sistema cerimonial foi projetado para ensinar a aversão de Deus ao pecado e o plano para eliminá-lo. CBASD, vol. 7, p. 460.

2 Rodeado de fraqueza. O sumo sacerdote estava sujeito às mesmas paixões que seu povo. Seu conhecimento pessoal e prático das fraquezas e tentações da carne o levava a ter uma compreensão simpática das fraquezas e falhas dos outros, e o qualificava a dar conselhos e ajuda aos que eram tentados. CBASD, vol. 7, p. 460.

4 Chamado por Deus. O ofício de sumo sacerdote era por determinação divina. Foi Deus que escolheu Arão para a função (Êx 28:1). A sucessão na família de Arão também era ordenada por Deus, como está implícito no texto em consideração. No decorrer da história, muitos sacerdotes de Israel que exerceram a função eram indignos da mesma, mas, aqui, o autor não está preocupado com isso. É seu propósito expor a nomeação divina como a qualificação essencial do verdadeiro sumo sacerdote, a fim de mostrar que Cristo preencheu esse requisito, bem como outros. CBASD, vol. 7, p. 460.

7 Tendo oferecido. Isto é, oferecendo, ou, tendo a oferecer. A ideia da passagem é que, ao fazer Suas orações e súplicas, e sendo ouvido, Jesus aprendeu a obediência. A obediência foi aprendida através dessas experiências, e não em seguida a elas. CBASD, vol. 7, p. 461.

Quem O podia livrar. O fato de o Pai ser capaz de salvar o Filho da morte tornava a provação ainda mais intensa. A humanidade do Filho de Deus recuou de horror pela separação do Pai. Embora estivesse disposto a percorrer sozinho as águas profundas, Ele orou fervorosamente para ser dispensado de beber o cálice, caso houvesse outra maneira. Mas não havia e, por isso, Ele o bebeu. CBASD, vol. 7, p. 461.

9 Autor. Do gr. aitios, “causa”, “fonte”. Foi o cumprimento do plano estabelecido antes da fundação do mundo em relação à encarnação, vida, morte, ressurreição e glorificação que fez de Cristo o meio de salvação. CBASD, vol. 7, p. 463.

11 Difíceis de explicar. O autor estava ciente da dificuldade desse tema, e que era necessário haver a mesma percepção espiritual por parte da igreja. É evidente que ele estava bem familiarizado com seus leitores, caso contrário, não se atreveria a falar deles dessa maneira. CBASD, vol. 7, p. 463.

12 Devíeis ser mestres. Estes não eram novos conversos, do contrário, essa afirmação não faria sentido. Aparentemente, eles não haviam progredido tanto quanto poderiam. CBASD, vol. 7, p. 463.

Leite e […] alimento sólido. Estas figuras representam os avançados e fundamentais princípios do evangelho (ICo 3:1, 2). Deus quer que todos cresçam à plena estatura da maturidade em Cristo e que “não mais sejamos como meninos, agitados de um lado para outro e levados ao redor por todo vento de doutrina” (Ef 4:14). CBASD, vol. 7, p. 464.

13 Inexperiente. Do gr. apeiros, “que desconhecem”, “trabalhadores não qualificados”. O apeiros não desconhece por completo a Palavra da justiça, mas seu conhecimento é limitado, e o crescimento espiritual fica retardado. Assim como as pessoas se tornam hábeis em um ofício ou profissão, do mesmo modo, Deus quer que nos tornemos mais hábeis e experientes no uso da Palavra. CBASD, vol. 7, p. 464.

14 Alimento sólido. O autor está preparando seus leitores para instrução avançada acerca da verdadeira posição de Cristo. Deseja estimular os leitores a alcançar um grau de interesse mais elevado no que está prestes a transmitir Ele entende que era chegado o tempo para que eles dessem um passo à frente, abandonassem os hábitos infantis e se tornassem adultos. CBASD, vol. 7, p. 464.

Exercitadas. Do gr. gumnazõ, “treinar”, “exercitar”. CBASD, vol. 7, p. 464.




%d blogueiros gostam disto: