Reavivados por Sua Palavra


João 18 by Jobson Santos
26 de janeiro de 2015, 1:20
Filed under: Evangelho | Tags: , , ,
Comentário devocional:
Jesus sabe o que irá acontecer com ele (vs.3). Sua prisão, a negação de Pedro, a traição de Judas, incluindo os julgamentos injustos tudo acontecerá como previsto.
Ironicamente, ao invés de se esconder, Jesus e seus discípulos se dirigem para um jardim que costumavam frequentar. Logo chega um “destacamento de soldados”, conduzido por Judas. Com o beijo da traição vem a prisão de Jesus e duas vezes Ele diz: “Sou Eu” aquele a quem buscais (v. 5, 8). Por outro lado, Pedro negou conhecer Jesus por duas vezes. Pedro só aprenderia a lição de permitir que Jesus reinasse plenamente em seu coração depois de sua terceira negação.
Você tem deixado Jesus ser o Rei do seu coração e governar a sua vida, ou você está negando que o conhece por sua maneira de viver? Alguns oferecem a Jesus apenas o serviço de lábios, e não o serviço da vida, o que é uma negação dEle. Jesus não é um item acessório que você utiliza quando quer. Jesus nunca disse: “Dá-me o teu coração e faça de conta que você não me conhece nem a meus ensinos”. Ele quer o nosso TUDO, porque Ele deu TUDO de si.
João menciona neste capítulo três “julgamentos”. O primeiro foi diante de Anás, o sogro do sumo sacerdote Caifás. Quando questionado por Anás, Jesus respondeu com sinceridade. Por falar a verdade, um funcionário bateu no rosto de Jesus!! A verdade nem sempre é bem vinda.
Após ser interrogado por Caifás, Jesus foi levado para o palácio do governador romano, Pilatos, que lhe dirigiu mais perguntas. Pilatos não estava gostando nem um pouco de sentir-se encurralado entre a inocência de Jesus e a maldade dos líderes Judaicos.
Quando Pilatos perguntou a Jesus a importante questão: “És tu o rei dos judeus? Jesus disse: “O meu reino não é deste mundo. Se fosse, os meus servos lutariam para impedir que os judeus me prendessem” (v. 36). Então Pilatos perguntou: “Você é rei?” Jesus respondeu: “Tu dizes que sou rei. De fato, por esta razão nasci e para isto vim ao mundo: para testemunhar da verdade” (v. 37, NVI). Pilatos então perguntou: “Que é a verdade?” (v. 38), mas não parou para ouvir a resposta. A verdade para Pilatos era que ele não havia encontrado nenhum motivo para a acusação feita contra Jesus (v.38). No entanto, ainda assim ele enviou Jesus para ser crucificado.
O que é a verdade? Não é essa a questão que desafia a todos os seres humanos?
Jesus nos convida a aceitarmos a verdade existente em Sua Palavra. Um lugar de amor, serenidade e descanso. Isso é o que Ele deseja para cada um de nós!
Christopher Bullock
Pastor em Atlanta, Georgia
Estados Unidos da América
Texto original:  http://revivedbyhisword.org/en/bible/jhn/18/
Traduzido por JDS/JAQ
Texto bíblico: João 18
Comentário em áudio

 



Salmo 110 by Jobson Santos
25 de novembro de 2013, 0:15
Filed under: Salmos | Tags: , , , , ,

Comentário devocional:

O Salmo 110 é um hino messiânico, é o salmo mais citado no Novo Testamento (Mateus 22:42-45, Marcos 12:36-37, Lucas 20:42-44, Hebreus 1:13) e apresenta Jesus Cristo como Rei, Juiz e Sacerdote. Este Salmo também contém duas profecias curtas e várias promessas de vitória (vs. 1-3 e 4-7), que foram cumpridas pela primeira vez na ressurreição e ascensão de Jesus, enquanto o completo cumprimento virá no final do grande conflito entre o bem e o mal e a vitória final do Cordeiro.

Foi a Jesus apenas que o poder e a autoridade foram dados “até que eu ponha os teus inimigos debaixo dos teus pés” (v. 1, ARA). Esta autoridade não é baseada em poder, honra humana ou popularidade. Ela não se expressa em palavras ameaçadoras ou atos de coação. Pelo contrário, ela é baseada no amor, serviço e sacrifício.

Quando olhamos para Jesus através de olhos humanos, vemos que “Ele não tinha qualquer beleza ou majestade que nos atraísse, nada havia em sua aparência para que o desejássemos” (Isaías 53:2, NVI). Quando estava em pé para ser interrogado por Pilatos, o representante do poder romano, ele era o exemplo extremo da fragilidade humana. Foi lá que Jesus deu o seu testemunho de que Ele era Rei, esclarecendo que o Seu reino não era deste mundo.

Em Sua cruz, eles escreveram em três línguas: “O Rei dos Judeus”, como ato culminante da sua completa humilhação, um rei crucificado como um criminoso. Em sua cabeça, ele tinha a coroa de espinhos, enquanto o manto de púrpura havia sido tirado dele deixando-o exposto.

Se aqueles que participaram de Seu julgamento e zombaria pudessem olhar para o futuro, ficariam chocados. Se eles tivessem sido capazes de ver o grande número de Seus seguidores, a grande multidão de mártires dando suas vidas por Ele e a marcha irrefreável do seu reino para conquistar todo o planeta pelas poderosas palavras e ações generosas de seus fiéis, eles teriam recuado de vergonha, reconhecendo nEle o cumprimento das palavras proféticas de Davi: “O Senhor estenderá o cetro de teu poder desde Sião” (v. 2, NVI).

Querido Deus, abra meus olhos para ver, como o salmista viu, quem Tu és: nosso Rei, grande Sumo Sacerdote celestial e Juiz. Dá-nos a coragem, a força e a determinação para fazermos parte do seu exército vitorioso. Amém.

Ioan Campian – Tartar

Romênia

Texto original em: http://revivedbyhisword.org/en/bible/Psa/110/

Traduzido por JDS/JAQ

Texto bíblico: Salmo 110



Salmo 72 by Jobson Santos
18 de outubro de 2013, 0:05
Filed under: Salmos | Tags: , , ,

Comentário devocional:

Qual é o tamanho da sua lista de desejos? Quando Deus perguntou a Salomão, o que ele queria, ele pediu apenas uma coisa – sabedoria. Recentemente, li a história de um voluntário que estava ajudando um orfanato no sopé das montanhas do Himalaia. O voluntário perguntou à mulher que havia trabalhado na cozinha durante quase toda a sua vida o que ela pediria se lhe fossem concedidos três desejos. Sem pensar, ela respondeu: “alimento suficiente para todas as crianças”. Como seu segundo desejo, ela disse: “Talvez uma máquina de lavar roupas”. Ao ser encorajada a expressar o seu terceiro desejo, ela pensou um pouco e disse: “Eu não sei. Dois desejos são suficientes”. Muitos de nós também teríamos que pensar um pouco, não pela ausência de um terceiro desejo, mas para conseguirmos reduzir a nossa lista a apenas três!

A sabedoria e o acurado senso de justiça de Salomão tornaram-se lendários. Sua fidelidade a Deus resultou na prosperidade da nação. E Deus concedeu-lhe ainda outras bênçãos – vitórias nas guerras, que lhe trouxeram considerável riqueza, e vida longa .

Infelizmente, Salomão abandonou a Deus e desperdiçou grande parte da sua longa vida. Perseguiu fama e honra. Procurou a felicidade em bens materiais. Mais tarde, porém, Ele percebeu que a felicidade é um dom de Deus, mas havia perdido tempo valioso.

Cada um de nós também recebe dons especiais e uma alta vocação. Não desperdicemos nosso tempo correndo atrás daquilo que é ilusório. Usemos os dons recebidos para abençoar as nações (v. 17, NVI) e para encher a terra com a glória de Deus, o seu caráter (v. 19, NVI).

Gordon Christo

Índia

 

Texto original em: http://revivedbyhisword.org/en/bible/Psa/72/

Traduzido por JDS/JAQ

Texto bíblico: Salmo 72

 




%d blogueiros gostam disto: