Reavivados por Sua Palavra


ISAÍAS 25 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO
15 de setembro de 2020, 1:10
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO ISAÍAS 25 – Primeiro leia a Bíblia

ISAÍAS 25 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

ISAÍAS 25 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO – PR HEBER TOTH ARMÍ

COM. VÍDEO PR ADOLFO SUAREZ (link externo)

COM. VÍDEO PR EVANDRO FÁVERO (link externo)

VÍDEO PR WEVERTON CASTRO E EQUIPE (link externo)

VÍDEO PR VALDECI JÚNIOR (link externo)

VÍDEO PR RONALDO DE OLIVEIRA (link externo)



ISAÍAS 25 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS
15 de setembro de 2020, 0:50
Filed under: Sem categoria

803 palavras

1 Exaltar-te-ei. O profeta ergue a voz em agradecimento ao Senhor por acabar com o reino do pecado e estabelecer Seu reino glorioso, conforme anunciado em Isaías 24:23.

Os Teus conselhos antigos. O plano para a salvação do homem não foi uma ideia tardia. Muito antes de criar este mundo, Deus [Pai] Se reuniu com Cristo para discutir o plano a ser seguido no caso do surgimento do pecado. Cristo Se ofereceu e Se tornou o “Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo” (Ap 13:8). … O propósito eterno de Deus era que o ser humano desfrutasse a vida; e, para que isso se cumprisse, empregaram-se todos os recursos dos Céus (ver Is 46:10).

2 Da cidade. Provavelmente uma referência a Babilônia (ver com. [CBASD] de Is 14:4; 24:10), o centro simbólico das forças do mal no tempo de Isaías. Babilônia se levantou contra Jerusalém; e, por meio desse centro pagão, Satanás fez grandes esforços para controlar o mundo. Mas ele seria reduzido a um montão de ruínas … Poucos dias antes da segunda vinda de Cristo, a Babilônia espiritual será destruída (Ap 18:10, 21). A destruição da Babilônia aponta para a destruição do poder de Satanás (ver com. [CBASD] de Is 14:4-23; Jr 51:24-26, 41, 53, 55, 64).

4 A fortaleza. Esta verdade se aplica a todo livramento que o Senhor dá ao pobre e necessitado em relação aos opressores. Nos dias de Isaías, isso se aplicou à destruição dos exércitos de Senaqueribe que marcharam contra Judá. Nos dias de Daniel, a aplicação é à queda de Babilônia (ver com. [CBASD] de Is 14:4-6), e, na segunda vinda de Cristo, se aplica à destruição de todos os poderes do mal.

A tempestade. As forças do mal são comparadas a uma tempestade terrível que golpeia um muro.

5 Sombra. O “calor”será dissipado por uma “nuvem”que Deus manda para fazer sombra sobre Seu povo.

O hino. Quando o Senhor vier, o cântico dos inimigos do povo de Deus será silenciado.

6 Neste monte. Isto é, o monte Sião.

Um banquete de carnes gordurosas. A festa de coroação de Cristo (ver com. [CBASD] de Ap 19:7-9). Isaías vislumbra o tempo quando a Babilônia espiritual (ver com. de v. 2) será destruída (Ap 19:2) e a Nova Jerusalém será a capital da nova Terra (Ap 21:1-3). Deus chama os seres humanos a aceitar Seu convite a esse banquete (Mt 22:2-4, 9, 10; cf Lc 14:16, 16; sobre a aplicação dupla das profecias de Isaías, ver com. [CBASD] de Is 24:1 cf. p. 20-23; ver com. [CBASD] de Dt 18:15).

7 O véu. Neste mundo, a humanidade caminha na sombra das trevas, com um véu sobre os olhos. … Esse véu cobre o mundo todo, embora esteja levantado no caso das pessoas que aceitam a Cristo. Não haverá, porém, véu algum naquele dia feliz quando “a terra se encherá do conhecimento do SENHOR, como as águas cobrem o mar”, e quando “toda a terra est[ar]á cheia da Sua glória (Is 11:9; 6:3).

Nações. Esta promessa inclui o povo de Deus de todas as eras e nações.

8 Tragará a morte. Isaías apresenta uma descrição gloriosa da ressurreição, a vitória sobre a morte quando Jesus voltar a reinar. Paulo (1Co 15:54, 55) e João (Ap 7:17; 21:4) falam do mesmo tema.

Enxugará … as lágrimas. Comparar com Ap 21:4.

Opróbrio. Isto é, a ignomínia e o opróbrio a que os justos de todas as eras foram submetidos durante sua permanência na Terra. Então a zombaria dos pagãos “onde está o seu Deus?” (Sl 79:10) vai se calar para sempre.

9 Este é o nosso Deus. Este alegre grito de triunfo sai dos lábios dos santos quando Cristo surge nas nuvens dos céus. Seu sincero clamor por livramento se transforma em hinos de louvor.

Em quem esperávamos. Depois do surgimento de muitos falsos Cristos (ver com. [CBASD] de Mt 24:24) e depois da obra-prima do engano satânico, a personificação de Cristo (GC, 624), os santos reconhecerão com júbilo Aquele em quem esperaram com paciência por muito tempo. Os ímpios aclamaram Satanás como se fosse Cristo, e como o salvador do mundo, mas os santos negaram a Satanás sua lealdade e a dedicaram a Jesus.

10 Moabe. Neste grande hino de louvor, Moabe representa todos os inimigos do povo de Deus. Por séculos, os moabitas foram um espinho na carnde de Israel, mas, então, eles e todos os seus inimigos serão para sempre dominados…

A palha. Misturada com esterco pelas patas do gado.

11 Como se estende o nadador para nadar. Estas palavras se referem a Moabe, que luta contra as águas turbulentas da angústia, esforçando-se em vão para escapar. O salmista orava por livramento do mar de dificuldades em que se encontrava (Sl 69:1, 2, 14, 15).

12 As altas fortalezas. Moabe é descrito como uma fortaleza alta e forte que será vencida pelo Senhor. A nação novamente simboliza num sentido geral todos os inimigos do povo de Deus (ver com. do v. 6). Assim, prediz-se a destruição de todas as fortalezas dos exércitos das trevas e o aniquilamento de todas as forças do mal.

Fonte: Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 4.



ISAÍAS 25 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ
15 de setembro de 2020, 0:40
Filed under: Sem categoria

ISAÍAS 25 – Cantar é a expressão da gratidão do coração. É o louvor ao Senhor que opera em favor de Seu povo. É a manifestação incontida de adorar ao bondoso e misericordioso Deus.

A partir deste capítulo Isaías apresenta um “Livro de Cânticos” do remanescente fiel que provou da graça divina. Esta primeira canção refere-se aos acontecimentos narrados anteriormente:

1. Destruição das cidades iníquas que oprimiam ao povo Deus (v. 2; conferir 24:10). Profeticamente pode se referir à destruição da Babilônia histórica e escatológica (21:9; Jeremias 51:37; Apocalipse 18).
2. A conversão de pessoas do mundo inteiro e o reconhecimento da ação de Deus pelos incrédulos (v. 3; 24:14-16). Todo joelho se dobrará reconhecendo ao Senhor como reto Juiz (Filipenses 2:10-11; Apocalipse 15:2-4).
3. A vitória divina sobre os arrogantes, orgulhosos e indiferentes (vs. 2, 4-5; 24:21-22). Deus retribuirá aos opressores o mal que eles fizeram; assim, Ele manifestará auxílio aos oprimidos (Apocalipse 6:9-11).

Os atos de Deus em prol de Seus filhos fieis são como a de um pai que vê um cachorro feroz avançando sobre seu filhinho indefeso. O pai pega um pedaço de pau e corre atrás do cachorro que avança ferozmente no filho. Ele acerta a cabeça do cachorro, mata o cachorro que queria matar seu filho. O filho é salvo! Assim faz Deus com Seus filhos, porém, muitos não entendem o agir de Deus e O interpretam como um Deus duro, irascível e vingativo. Se Deus não fizesse nada seria negligente.

O bebê salvo das presas do cachorro é a alegria da família, assim como os filhos de Deus salvos das garras do mal é a alegria do Universo. A morte do cachorro trouxe alegria, assim como a eliminação do mal do Universo impulsiona os salvos a cantar altos louvores (v. 1).

• Deus prepara uma festa aos salvos para celebrar a vitória (vs. 6-7; Salmo 23:5);
• Deus ressuscitará mortos, matará a morte, enxugará as lágrimas dos salvos e retirará tudo o que lhes aflige (v. 8).
• Deus será o centro e a alegria das canções dos redimidos (v. 9);
• Os ímpios serão destruídos para sempre deixando o Universo sem qualquer perigo (vs. 10-12; Malaquias 4:1-2).

Deus não é indiferente, por isso Ele não é negligente! Seu cuidado é evidente! – Heber Toth Armí.



ISAÍAS 24 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO
14 de setembro de 2020, 1:10
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO ISAÍAS 24 – Primeiro leia a Bíblia

ISAÍAS 24 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

ISAÍAS 24 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO – PR HEBER TOTH ARMÍ

COM. VÍDEO PR ADOLFO SUAREZ (link externo)

COM. VÍDEO PR EVANDRO FÁVERO (link externo)

VÍDEO PR WEVERTON CASTRO E EQUIPE (link externo)

VÍDEO PR VALDECI JÚNIOR (link externo)

VÍDEO PR RONALDO DE OLIVEIRA (link externo)



ISAÍAS 24
14 de setembro de 2020, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/Is/24

No Japão, há o costume de frequentar uma casa de banho pública e ficar de molho em uma banheira de hidromassagem a fim de conversar com outras pessoas. Embora sua sociedade seja separada por posição social no local de trabalho ou na rua, essas distinções não se aplicam ao banho. Quando as pessoas têm que tirar todas as roupas e joias para entrar na banheira, isso iguala a todos, de modo que um trabalhador comum fica no mesmo nível de um executivo. Ninguém nu é privilegiado. Assim será no julgamento final.

Distinção de classe e posição social não o ajudarão no último dia. Isaías 24:2 diz: “Será o mesmo para o sacerdote e o povo, para o senhor e o servo, para a senhora e a serva, para o vendedor e o comprador, para quem toma emprestado e quem empresta, para o devedor e o credor.” Nossa única esperança é ouvir Aquele que diz: “Eu te aconselho a comprar de mim. . . vestes brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez ”Apocalipse 3:18.

Karen D. Lifshay
Coralista
Igreja Adventista de Hermiston, Oregon, EUA.

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=949
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli



ISAÍAS 24 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS
14 de setembro de 2020, 0:50
Filed under: Sem categoria

1097 palavras

24:1-27:13 Esta seção é conhecida como o Apocalipse de Isaías, por causa de seu amplo escopo. Bíblia de Estudo Andrews.

1 Devastar e desolar a terra. Como todas as mensagens proféticas de Isaías, a do cap. 24 foi originalmente dirigida ao Israel literal e descreve o modo como Deus deixaria a terra desolada e como teria vencido os inimigos de Israel se este tivesse sido fiel. Mas, em vista da infidelidade desse povo, essa profecia, como outras, será cumprida com o povo de Deus hoje. João aplica essa descrição da Terra à sua condição desolada durante o milênio (Ap 20). Isaías fala dos juízos de Deus sobre diversas nações (Is 13-23). Mas, a partir deste capítulo, sua visão profética se dirige ao horizonte mais amplo da história. Nos cap. 24 a 28, ele descreve as cenas finais, quando o povo de Deus será liberto e seus inimigos derrotados. Neste capítulo, o profeta apresenta uma descrição vívida da terra depois que os reis forem subjugados (v. 21, 22) e antes de o Senhor reinar “no monte Sião e em Jerusalém” (v. 23).

1-3 a terra. O juízo passa das nações citadas na seção anterior do livro para todo o mundo. A Terra se encontra desolada e vazia. Bíblia de Estudo Andrews.

1 Vai transtornar a sua superfície. Literalmente, “desconsertar sua face”. Esta é uma descrição das catástrofes que estremecerão o mundo na segunda vinda de Cristo (ver Sl 46:1-3, 6, 8; Ap 6:16; 16:18-20).

3 De todo devastada. Quando Cristo voltar, todos os ímpios vivos serão mortos e todos os justos subirão com Ele para o Céu (ver Jr 25:30-33; Lc 17:26, 29, 30; 1Ts 5:5; Ap 19:11-21; 20:4-6). A terra ficará desolada (ver Jr 4:25).

5 A terra está contaminada. Deus é santo. Ele deu Sua lei para manter o ser humano puro e o mundo incontaminado. Ao rejeitarem essa lei, os seres humanos contaminaram a si mesmos e ao mundo. O contágio do pecado alcança o solo abaixo dos pés, o alimento, a ;agua e o ar (ver Gn 3:17; Nm 35:22; Sl 107:34). A cada ano, a Terra se torna mais e maias corrompida. De Deus não interviesse, chegaria um tempo quando a corrupção do pecado de tal modo que seria impossível viver (ver Gn 6:5, 11, 12; DTN, 36, 37).

A apostasia em meio ao povo de Deus causou a desolação da Terra. O tema da relação entre o comportamento ético e a situação do planeta também é abordado em Os 4. A transgressão da aliança resulta em maldição. A contaminação da Terra, que a leva a se lamentar, é causada pela quebra do que é chamado de ” aliança eterna”. Tal expressão é entendida, no contexto, como uma aliança universal entre Deus e a humanidade, semelhante ‘a aliança feita com Noé (Gn 9:16). Isso revela a soberania divina sobre todo o mundo. Bíblia de Estudo Andrews.

6 A maldição consome. Não é Deus, e sim Satanás, o instigador do pecado, o responsável pela maldição que resulta dele. Em toda parte, as forças do mal estão operando e se pode ver claramente a obra de Satanás (DTN, 636; GC, 589). Na doença e na morte, em terremotos e tempestades, em incêndios e enchentes, manifesta-se a obra do mal. A transgressão das leis de Deus não trouxe paz e prosperidade, mas problemas, pestilência, dor e morte.

Queimados. Provavelmente, a quarta praga (Ap 16:8, 9).

8 Harpa. Lira; ver vol. 3 [CBASD], p. 15, 16. Quando sobrevierem as calamidades dos últimos dias, as pessoas não mais pensarão em “regozijo”ou “alegria”(ver Jr 7:34; 16:9; 25:10; Ap 18:22; cf. Ez 26:13; Os 2:11).

9 Entre canções. Em geral, a bebida está associada a festividade e prazer. Naquele dia, o Senhor transformará as festas em pranto e as canções, em lamento (Am 8:10; cf. Dn 5:1-6).

10 Caótica. Do heb. tohu, “caos”, “vazio”, “vaidade”. Em Gênesis 1:2, a palavra é traduzida como “sem forma”. … O mundo voltará ao seu primitivo estado caótico.

11 Fez-se noite para toda alegria. O sol da alegria se pôs e caíram as sombras da noite eterna (ver Jr 8:20). O ser humano, por fim, se desperta para o fato de que, ao excluir Aquele que é a luz da vida, trouxe sobre si uma noite sem fim.

13 Oliveira. Ver com. de Is 17:6. Em sua visão da destruição da Terra, Isaías tem um vislumbre da salvação do remanescente (ver Is 1:9; 10:20-22; 11:11). Eles serão como as poucas azeitonas que permanecem numa árvore “quando abaladas por um vento forte” (Ap 6:13), ou como as poucas uvas que restam quando a colheita chega ao fim.

14 Cantam. Quando em toda parte houver pranto e ranger de dentes por causa dos horrores a sobrevirem ao mundo, os justos verão que sua tristeza se transforma em alegria e que se inicia a alegre manhã da eternidade (ver Is 25:8, 9).

15 No Oriente  e, nas terras do mar. Do heb. ‘urim, de ‘or “luz”. É possível que ‘urim se refira ao “Oriente” como a região da luz, ao amanhecer. As “terras do mar” podem se referir às ilhas do Mar Mediterrâneo, sendo um termo poético para “ocidente”. A palavra ‘yam, “mar”, designa com frequência o “ocidente”(e é traduzida assim em Gn 28:14; Nm 34:6; etc.). Se esse é o significado em Isaías 24:15, deve-se entender que de todas as partes se ouvem louvores a Deus (ver v. 16).

16 Definho. … O profeta parece se desviar da glória futura para a vergonha e miséria do presente. … Após um breve vislumbre das alegrias do povo de Deus na hora do livramento, Isaías se volta às aflições e decepções dos perdidos, e segue a descrição do terrível juízo porvir.

17 Terror, cova e laço. Descrevem-se em rápida sucessão os terrores e calamidades que cairão sobre os ímpios. Jeremias 48:44 apresenta esta mesma sucessão de juízos. Nenhum ímpio escapará dos efeitos das sete últimas pragas; o que escapar de uma será pego pela outra (Is 24:18).

20 Balanceará como rede de dormir. Essa descrição se refere ao terremoto por ocasião do retorno de Cristo, que será a maior calamidade que jamais houve (ver Ap 16:18-20). Todo o contorno da superfície terrestre será mudado. Montes serão abalados de seus fundamentos, ilhas serão deslocadas, e a superfície terrestre se assemelhará às ondas de um mar tempestuoso (ver Sl 46:2, 3, 6).

22 Como presos. Satanás e suas legiões de anjos maus, “as hostes celestes”, do v. 1, e “os reis da terra” serão ajuntados como presos”. Os primeiros estarão confinados a esta Terra, que, em seu estado caótico (v. 1, 3, 19, 20), será sua prisão por mil anos (ver com. CBASD] de Ap 20:1, 2, 7); e os últimos serão confinados na prisão da sepultura (ver com. [CBASD] de Ap 20:5.

Masmorra. Do heb. bor, uma “cisterna” cavada para armazenar água. Durante a estação seca, ou quando não era usada como “cisterna”, servia de prisão (ver Gn 37:20; Jr 38:6-13; Zc 9:11; etc.).

23 O sol se confundirá. A fonte de luz mais gloriosa que se conhece se torna insignificante quando comparada à glória de Cristo (ver Is 60:19, 20; Ap 21:24; 22:5).

 

Fonte principal: Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 4.



ISAÍAS 24 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ
14 de setembro de 2020, 0:40
Filed under: Sem categoria

ISAÍAS 24 – O Deus bíblico é infinito. Seu poder de atuação é ilimitado. O diabo não manda nem no inferno, até ali Deus exerce sua autoridade.

Além de as nações serem citadas pelo Deus que a tudo observa e julga, o capítulo em pauta engloba a Terra inteira.

1. Deus olha por toda a terra, observa todas as nações; portanto, nenhum mal escapará de seu julgamento. Ele intervirá para dar um basta na proliferação do mal.
2. Nada neste mundo, nada do que o ser humano seja capaz de fazer, nenhum poder, riqueza ou status será útil para escapar do juízo divino.
3. Arrogância e orgulho são as razões da desaprovação dos pecadores no dia do juízo.
4. A salvação pela fé resulta em libertação do pecado e liberdade para observar a lei moral.
5. O remanescente é um grupo de todas as nações que confiam plenamente em Deus, do qual compõem estrangeiros e judeus.
6. Os que se alegram em sua imoralidade e prazeres pervertidos serão silenciados pelo medo do julgamento futuro.
7. O remanescente que sofreu injustiça, perseguição e oposição por servir a Deus entoará suas melodiosas canções.
8. Antes do fechamento da porta da graça haverá um reavivamento e reforma resultando num convite mundial para uma conversão total ao único Deus que merece adoração.
9. O castigo de Deus aterrorizará a todos os que O resistiram por amor ao pecado, isso foi nos dias de Noé, na Torre de Babel e será também antes dos salvos subirem ao Céu (ver Apocalipse 6:13-14; 16:1-21).
10. Anjos rebeldes que são os demônios da terra também não serão poupados, nem mesmo Satanás (2 Pedro 2:4; Judas 6).

No futuro, durante o julgamento pré-advento de Cristo “a terra cambaleará como um bêbado, como se houvesse sido atingida por um terremoto gigantesco […]. As hostes perversas nos lugares celestiais também serão julgadas […]. Os reis da terra que foram títeres dessas forças malignas serão julgados com elas na segunda vinda de Cristo. A glória excelsa do Senhor envergonhará o sol e a lua” (William MacDonald).

Certamente,
• O mal terá fim!
• O bem vencerá!
• Satanás e seus agentes serão destruídos!
• Deus dominará plenamente!

O tempo que temos serve para optar pela vitória ou pela derrota! Sejamos sábios! – Heber Toth Armí.



ISAÍAS 23 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO
13 de setembro de 2020, 1:10
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO ISAÍAS 23 – Primeiro leia a Bíblia

ISAÍAS 23 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

ISAÍAS 23 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO – PR HEBER TOTH ARMÍ

COM. VÍDEO PR ADOLFO SUAREZ (link externo)

COM. VÍDEO PR EVANDRO FÁVERO (link externo)

VÍDEO PR WEVERTON CASTRO E EQUIPE (link externo)

VÍDEO PR VALDECI JÚNIOR (link externo)

VÍDEO PR RONALDO DE OLIVEIRA (link externo)



ISAÍAS 23 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS
13 de setembro de 2020, 0:50
Filed under: Sem categoria

1077 palavras

1-18 A fama de Tiro, grande cidade portuária, remonta à antiguidade. Os fenícios também eram marinheiros, célebres e construtores da conhecida cidade norte-africana de Cartago. Tiro recebeu uma profecia de 70 anos, diferente da encontrada em Dn 9 (ver Is 23:15). A cidade também sucumbiu ao orgulho. Até Alexandre, o Grande, devastar Tiro em 332 a.C., todas as potências da época de Isaías em diante (assíria, Babilônia) infligiram pesados golpes sobre a cidade. Bíblia de Estudo Andrews.

1 Sentença contra Tiro. …Tiro e Sidom eram as principais cidades da grande nação marítima da Fenícia (ver vol. 2 [CBASD], p. 52-54), e, portanto, esta mensagem é do juízo contra a Fenícia. Tiro e Sidom eram com frequência alvo de ataque de grandes nações do antigo Oriente Médio, incluindo Assíria e Babilônia e, mais tarde, de Alexandre o Grande. A qual desses ataques se refere Isaías? Provavelmente a todos. Certamente o Senhor tinha uma mensagem para a Fenícia na época de Isaías, e a profecia, ou “sentença”, incluiria medidas contra Tiro, tomadas por Tiglate-Pileser III, Sargão II e Senaqueribe. Mas, sem dúvida, a profecia é de natureza mais abarcante e se refere também a tempos posteriores, quando o juízo predito se tornaria ainda mais completo, como nos dias de Nabucodonosor e Alexandre o Grande (sobre a profecia paralela de Ezequiel, ver Ez 26-28, …).

Navios de Társis. Em geral, acredita-se que Társis era uma colônia fenícia da Espanha [não confundir com Tarso, sul da Ásia Menor, atual Turquia] (ver com. [CBASD] de Gn 10:4). … A profecia de Isaías retrata os grandes navios de Társis carregados de riquezas, navegando pelo Mediterrâneo até o porto de origem em Tiro, os quais, pouco antes de ali chegarem, ficam sabendo que a cidade foi conquistada.

Nem ancoradouro. Os navios não tinham mais porto aonde ir.

Chipre. Ver com [CBASD] de Nm 24:24. Esta seria a última escala na viagem da Espanha a Tiro, quando a tripulação ficaria sabendo do desastre sobrevindo a seu porto natal.

2 Sidom. O termo Sidom com frequência representa toda a Fenícia. Os gregos dos tempos homéricos e os assírios, às vezes, usavam o termo Sidom nesse sentido.

3 A fenícia importava cereais do Egito, e navios fenícios, sem dúvida, os transportavam.

4 Envergonha-te Não ter descendência era considerado grande desgraça… retrata-se Sidom lamentando o fato de não ter filhos. Ela está só, desolada e abandonada, pranteando seu desamparo e impotência (ver Is 47:7-9; Ap 18:7).

5 Quando a notícia. Ao saber da destruição da Fenícia, o Egito ficaria angustiado. Visto que os assírios tinham se vingado de Tiro e Sidom, estavam em posição de atacar o Egito. Nos dias de Nabucodonosor e Alexandre o Grande, a conquista de Tiro antecedeu a invasão do Egito (ver Ez 29:18-20).

6 Uivai. A destruição de Tiro traria angústia a toda a costa da Fenícia (ver com. do v. 2) e a outras áreas que dependiam do comércio fenício.

7 Cujos pés a levaram até longe. Havia colônias fenícias espalhadas pelas margens do Mediterrâneo, do Mar Negro e da costa atlântica da Europa.

8 Quem formou este desígnio … ? Quem é o responsável pela destruição que humilhará Tiro?

9 O SENHOR dos Exércitos. Isaías responde à pergunta do v. 8. Tiro se opõe arrogantemente ao Deus do Céu, supondo ser maior do que Ele (Ez 28:2-8), mas o Senhor a reduzirá a humilhação e vergonha (ver Is 13:11; 14:24, 26, 27). A destruição de Tiro seria uma demonstração a todos de como o Senhor humilha o orgulho e a arrogância humana.

10 Percorre livremente o Nilo a tua terra. A terra mencionada é a “filha de Társis”, isto é, a própria Társis, ou seus habitantes. Eles deixarão sua cidade como um rio que transborda e irão aonde puderem.

Já não há quem te restrinja. Isto é, estão livre para fazer o que quiserem, e Tiro não pode mais restringi-los. Depois da queda de Tiro, as colônias fenícias dependeriam de si mesmas. Algumas (como Cartago) se tornaram ainda mais poderosas que Tiro.

11 Turbou os reinos. No sentido figurado, Deus estava turbando o mundo todo, a sim de cumprir Sua vontade (ver Is 2:19; cf. Ag 2:6, 7; Hb 12:26, 27). Nesse processo, muitas nações seriam removidas e outras estabelecidas.

Canaã. Do heb. Kena’an, Canaã, nome com o qual os fenícios se autodenominavam.

12 Nunca mais exultarás. Retrata-se a destruição final dos fenícios. O que quer que fizessem, não teriam êxito.  … Se os fenícios fugissem para Chipre (ver com. do v. 1) não encontrariam descanso, pois ali também cairiam nas mãos do inimigo. Não haveria como escapar.

13 Não era povo. … Na época de Isaías, A Assíria marchou contra Tiro, mas não a conquistou. mais tarde, Nabucodonosor a sitiou por 13 anos terríveis (ver Ez 28:18). Talvez aqui se profetize essa campanha de Nabucodonosor.

14 Uivai. Ver com. do v. 1. A profecia da destruição de Tiro termina do mesmo modo como começa. Os “navios de Társis”, dos fenícios, lamentariam que Tiro, sua fortaleza, estaria em ruínas.

15 Setenta anos. … Alguns creem que o período corresponda aos 70 anos do cativeiro judaico em Babilônia (2Cr 36:21; Jr 25:11; 29:10; Dn 9:2; Zc 1:12; 7:5), que começaram com a primeira conquista de Jerusalém por Nabucodonosor e terminaram com o retorno dos judeus sob ordens de Ciro e Dario e Dario, da Pérsia. Nabucodonosor começou o cerco de 13 anos a Tiro pouco depois de conquistar Jerusalém em 586 a.C.

Segundo os dias de um rei. É provável que a palavra “rei”seja usada com referência a “reino”, como em Daniel 2:44; 7:17; e 8:21. Portanto, essa expressão pode indicar o período da ocupação babilônica.

Dar-se-á com Tiro o que consta na canção da meretriz. Tiro desejava a supremacia comercial e faria qualquer coisa pelo lucro. Quanto a isso, ela era como a prostituta Babilônia, que se vendeu para obter ganho (Is 47:15; Ap 17:2; 18:3).

16 Toma a harpa. Uma lira. Tiro recorreria mais uma vez a seus exitoso ardis para seduzir os mercadores a negociar com ela a fim de lucrar às suas custas. ela é comparada a uma prostituta que toca e canta, e usa essas habilidades para seduzir homens desprevenidos (ver Pv 7:7-21). Babilônia também fez uso de “encantamentos”para estender sua influência (Is 47:9, 12; Ap 17:4; 18:3).

17 E se prostituirá. Isto é, as relações ilícitas que Tiro mantinha com outras nações visando ao lucro. Honras, direito, justiça e decência foram esquecidos para se obter lucro. Emprega-se a mesma expressão no caso da Babilônia mística (Ap 17:2; 18:3). O mundo não era diferente naquela época. A maldição de Babilônia e Tiro será a mesma da era moderna.

18 Serão dedicados ao SENHOR. Prediz-se a destruição final de Tiro e o triunfo final de Sião. Apesar de seus ardis, Tiro não continuaria para sempre enganando e defraudando as pessoas. Ela cairia, mas Jerusalém triunfaria.

Fonte principal: Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 4.



ISAÍAS 23 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ
13 de setembro de 2020, 0:40
Filed under: Sem categoria

ISAÍAS 23 – O significado do nome do profeta Isaías dá o tom de suas mensagens de julgamento. Isaías significa “Salvação de YHWH” ou “YHWH salva”.

Portanto, quando uma profecia de Isaías é interpretada indicando frieza, dureza e indiferença de Deus para com qualquer nação do mundo, pode ser que esteja desfocada, distante de sua proposta verdadeira.

Para uma interpretação correta da mensagem divina através de Isaías é importante observar seu desenvolvimento e objetivo. Disto isto, avance na leitura deste comentário com a Bíblia aberta no capítulo em questão. Observe os seguintes pontos:

1. Deus alerta por meio de Seu profeta aos mercadores que o comércio e os negócios findarão em Tiro – é uma advertência mais do que uma ameaça, um meio de despertar os pecadores de suas desgraças pela rejeição da graça e submissão ao pecado (vs. 1-7).

2. Deus disciplinará por meio dos exércitos babilônicos mais uma vez após a disciplina operada pela Assíria visando a destruição dos bens materiais dos habitantes de Tiro, mas não o povo (vs. 8-18).

3. Deus fará com que a cidade de Tiro seja esquecida por 70 anos visando reavivar seus moradores espiritualmente, querendo despertar-lhes para o abandono dos pecados e para a aceitação do perdão (vs. 15-17).

4. Deus faz o máximo e consegue o mínimo, mas não deixa de fazer tudo para salvar pelo menos um pouco – embora Sua intenção seja salvar cada habitante de todas as nações em todas as eras (v. 18).

O Comentário Bíblico Africano observa: “Da mesma forma que fez com Jerusalém, Deus demonstrará misericórdia a Tiro ao final de setenta anos (23:15,17; Jr 25:11; Dn 9:1-2). Apesar da gravidade e persistência do pecado, o Senhor permanece misericordioso. É possível que desta vez o termo ‘meretriz’ não se refira a um comportamento pecaminoso, mas ao comércio de Tiro com várias cidades. É por isso que o Senhor se alegra ao prever que a riqueza dessa cidade será utilizada para demonstrar a glória de Deus (23.18)”.

Deus tinha um plano positivo para Tiro, assim como tem maravilhosos planos para o Brasil, Portugal, Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe, e todos os outros países que não falam português.

Deus quer te salvar. Deus quer salvar teus familiares, amigos e país! – Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: