Reavivados por Sua Palavra


I Pedro 3 by jquimelli

Comentário devocional:

Continuando em uma linha prática, Pedro aconselha maridos e esposas a que sejam respeitosos e amorosos, considerando-se mutuamente  como herdeiros “do dom da graça da vida” (v. 7 NVI). Ele lembra as mulheres que o que as torna mais atraentes é ter uma conduta semelhante à de Cristo, ao invés de estratagemas externos para chamar a atenção. Por outro lado, Pedro lembra também que Deus não abençoa o marido tirânico, egoísta e dominador.

Pedro se dirige aos cristãos em geral, com uma exortação para que sejam unidos em espírito. O Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia sugere que o termo traduzido por “unidade” no verso 8 não significa uniformidade. Pedro reconhece que as diferenças de opinião podem surgir e exorta os crentes a amar uns aos outros, mostrando cortesia e compaixão, ao invés de brigas e xingamentos.

Alguns têm sido incomodados pelos versos 18-20, supondo que Jesus ou Noé pudessem ter pregado o evangelho para as pessoas no inferno. Na realidade, o que a passagem quer dizer é que Cristo pregou através do Espírito Santo (v.19) para as pessoas que vivem na prisão do pecado (Sl. 142:7).

Um dos maiores desafios deixados por Pedro para nós, como seguidores de Jesus, ocorre no verso 15, onde ele nos exorta: “Estejam sempre preparados para responder a qualquer pessoa que lhes pedir a razão da esperança que há em vocês”. Esta advertência é impossível de cumprir sem um estudo cuidadoso da Escritura, em espírito de oração, para que entendamos a vontade de Deus.

Cindy Tutsch, DMin
Estados Unidos

Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/1pe/3/

Traduzido por JAQ/JDS

Texto bíblico: I Pedro 3 

Comentário em áudio 



Cantares 2 by jquimelli
18 de fevereiro de 2014, 0:00
Filed under: intimidade | Tags: ,

Comentário devocional:

O segundo capítulo 2 retrata poderosamente a relação de amor entre Salomão e sua amada durante o seu namoro. Usando exemplos da natureza, a Sulamita descreve sua comunhão íntima com Salomão (verso 3). Este retrato da intimidade humana revela a nossa necessidade de termos semelhante intimidade com Cristo:

“Não uma parada momentânea em Sua presença, mas um contato pessoal com Cristo, sentando-nos em Sua companhia – tal é a nossa necessidade. Felizes serão os filhos de nossos lares e estudantes de nossas escolas quando pais e professores aprenderem em sua própria vida a preciosa experiência descrita nestas palavras dos Cantares de Salomão:

   ‘Qual a macieira entre as árvores do bosque,
   Tal é o meu Amado entre os filhos; 
   Desejo muito a Sua sombra e debaixo dela me assento;
   E o Seu fruto é doce ao meu paladar.
   Levou-me à sala do banquete,
   E o Seu estandarte em mim era o amor.’ Cantares 2:3 e 4” 
   (Ellen White, Educação, p. 261. Ver tb 7T, p. 69).

A Sulamita também recomenda a suas companheiras não se lançarem precocemente à busca de um relacionamento amoroso. Isso pode ser visto no solene apelo repetido para : “não despertem nem provoquem o amor enquanto ele não o quiser” [ou, melhor: “enquanto não for o momento certo”] (v. 7; ver tb 3:5 e 8:4).

O capítulo também alerta para as “pequenas raposas” (potenciais obstáculos ao relacionamento, v. 15) e ressalta a reciprocidade que deve haver na relação entre homem e mulher: “O meu amado é meu e eu sou dele” (v. 16 NVI, ARA). Estes princípios devem ser aplicados em nossa experiência pessoal.

Pai, ajuda-me a desfrutar diariamente de íntima comunhão com meu amado cônjuge e a passar tempo em íntimo companheirismo com meu Amado Salvador Jesus. Amém.

Richard M. Davidson
Professor de Interpretação do Antigo Testamento
Seminário Teológico da Universidade Andrews

Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/son/2/

Traduzido por JAQ/JDS/GASQ

Texto bíblico: Cantares 2 




%d blogueiros gostam disto: