Reavivados por Sua Palavra


Jeremias 45 by jquimelli
15 de junho de 2014, 0:00
Filed under: confiança em Deus, coragem, testemunho, verdade | Tags: ,

Comentário devocional:

O capítulo anterior (Jer. 44) tratava de acontecimentos ocorridos dez anos após a destruição de Jerusalém pela Babilônia (586-576 a.C.). Este capítulo (Jer. 45) está fora de sequência e complementa o capítulo 36, que é um registro da mensagem de Deus que Jeremias deveria entregar ao rei Joaquim de Judá anos antes, em 604 aC. Por alguma razão, Jeremias não pôde ir, então ele pede que Baruque leia a mensagem de Deus ao rei impenitente e aos seus servos. 

Jeremias 45:3 deixa claro que Baruque tinha um medo terrível de executar seu dever: “Ai de mim! O Senhor acrescentou tristeza ao meu sofrimento. Estou exausto de tanto gemer, e não encontro descanso.” (NVI). Baruque deve ter desejado alguma palavra de Deus assegurando-lhe Sua proteção contra o ímpio rei Joaquim.

Há pelo menos quatro pontos que Deus deixa claro. Em primeiro lugar, Deus iria permitir a destruição de Jerusalém (Jer 36:29). Em segundo lugar, Deus também se sentia triste por destruir o que Ele mesmo tinha construído, e arrancar o que Ele mesmo havia plantado (Jer 45:4). Em terceiro lugar, Baruque não deveria esperar bons resultados nesta tarefa (v. 4, 5). Por fim, Deus garantia a segurança da vida de Baruque após a entrega desta mensagem (v. 5).

De fato, o rei Joaquim queimou o rolo que Baruque escreveu (Jer 36:23) e ordenou aos seus servos que prendessem Baruque e Jeremias, mas Deus os escondeu dos olhos do rei e dos seus servos (Jer 36:26). Após Joaquim queimar o livro, Deus ordenou a Baruque que reescrevesse a mesma mensagem em um novo rolo (Jer 36:28, 32).

Após este incidente, o etíope Ebede-Meleque recebeu uma mensagem divina de incentivo (Jer 39:16-18), assim como Baruque também recebeu (Jer 45:4,5).

O que podemos aprender com este capítulo? “O Senhor não dá lugar na Sua obra aos que têm maior desejo de alcançar a coroa do que de transportar a cruz. Deseja homens que pensem mais em cumprir o dever do que em receber recompensas — homens que sejam mais amantes dos princípios do que de promoção” (A Ciência do Bom Viver, 476.2)

Precisamos orar para sermos como Jeremias e Baruque, cumprindo o nosso dever independente das circunstâncias, sem esperar recompensa.

Yoshitaka Kobayashi
Japão

 

Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/jer/45/

Traduzido por JAQ/JDS

Texto bíblico: Jeremias 45 



II Crônicas 12 by jquimelli
30 de abril de 2013, 0:00
Filed under: confiança em Deus | Tags: , ,


Comentário devocional:

Após Roboão ter seguido a Deus por três anos, apenas dois anos depois “ele e todo o Israel abandonaram a lei do Senhor” (v.1 NVI) e perderam totalmente a proteção de Deus. Um enorme exército, de 1.200 carros, 60 mil cavaleiros, e um povo incontável de várias nações, liderado por Sisaque do Egito, marchou contra Judá e tomou todas as suas cidades fortificadas.

Quando eles estavam prestes a entrar em Jerusalém, Deus deixou claro através de Semaías, o profeta, por que isso havia acontecido. “Vocês me abandonaram, por isso estou colocando vocês nas mãos de Sisaque.” (v. 5 NKJV).

Rapidamente os líderes e o rei se humilharam. Deus, com Sua graça característica, abrandou-se e disse que eles não seriam destruídos. No entanto, Deus disse que eles iriam experimentar a diferença entre servir a Deus e servir a Sisaque.

Com isso, Sisaque marchou contra Jerusalém e despojou a casa do Senhor e a casa do rei de todos os tesouros de ouro que Salomão havia reunido. E os colocou sob tributo.

Você já se iludiu pensando que é difícil servir a Deus? Seu alto padrão de caráter é muitas vezes visto como um muro que limita a nossa liberdade, em vez de ser uma fortaleza que nos protege. No entanto, quando o inimigo nos invade torna-se muito claro que o pecado é realmente o mais cruel de todos os feitores. Ele concede a seus escravos apenas os salários da mágoa, do sofrimento, dos vício e da morte.

Foque, hoje, a sua mente nas alegrias da obediência,. Deste modo você não perderá a  sua liberdade em Cristo pela invasão de algum Sisaque estrangeiro em sua vida espiritual.


Pastor Scott Griswold

Recrutador de Missionários

Apoio a Projetos para o Sudeste da Ásia

Trad JAQ – Rev GASQ/JDS


– – – – –

Texto bíblicoII Crônicas 12

FonteBlog da Bíblia



II Crônicas 10 by jquimelli
28 de abril de 2013, 0:00
Filed under: liderança | Tags: ,

Comentário devocional:

Após a morte de Salomão, o reino passou para seu filho Roboão. O rei Roboão tinha três grandes “livros textos” sobre liderança dos quais poderia aprender: as incríveis vidas de Saul, Davi e Salomão. Ele, aparentemente, não gastou muito tempo aprendendo com os erros e acertos de seus antecessores. Em vez disso, ouviu os jovens de sua idade. Ele declarou que iria aumentar os impostos e reinar através de chicotes com flagelos. Ele iria governar em vez de servir.

 Imediatamente o reino de Israel se separou dele, do modo como Deus havia profetizado. Somente Judá e Benjamin ficaram.

 O Rei Jesus chamou a você e a mim para que exercêssemos o Seu estilo especial de liderança. “Quem quiser tornar-se importante entre vocês deverá ser servo” (Mc 10:43 NVI). “O próprio Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos” (v. 45).

 Como pai, você simplesmente exige obediência ou você direciona os seus filhos com amor e gentileza? Como líder de igreja, você busca verdadeiramente fazer o melhor para cada membro? E em seu local de trabalho? A disposição de servir e incentivar o crescimento dos demais é maior do que o desejo de lucro e sucesso? Qualquer direcionamento diferente irá desqualificá-lo para o reino de Deus. Ter Jesus no coração construirá a sua cidadania celeste.

Decida, hoje, servir como Jesus.

Pastor Scott Griswold 

Recrutador de Missionários

Apoio a Projetos para o Sudeste da Ásia

Trad JAQ – Rev GASQ/JDS

 

– – – – – 

Texto bíblicoII Crônicas 10

Fonte: Blog da Bíblia



I Crônicas 26 by Jobson Santos
15 de abril de 2013, 0:01
Filed under: liderança | Tags: , , ,

Comentário Devocional: 

As funções mais importantes do reino de Israel eram desempenhadas pelos levitas. Alguns atuavam como porteiros, outros como tesoureiros e outros ainda como administradores e juízes da nação.


Os porteiros eram os vigias, os guardas do templo. A presença deles era muito necessária a fim de preservar a integridade dos adoradores e também para proteger o edifício em si. O templo de Salomão era revestido de ouro e abrigava os mais valiosos tesouros da nação. Cabia aos porteiros garantir a segurança de toda esta riqueza.


Zacarias, um dos porteiros, era também um conselheiro muito sábio. Isto ilustra que não precisamos ficar restritos a nossa atividade básica de sobrevivência, mas podemos ampliar a nossa área de atuação a fim de dar a melhor contribuição possível à sociedade.


Alguns levitas atuavam como tesoureiros. Eles zelavam pela correta utilização das dádivas do povo e dos espólios de guerras que haviam sido consagrados ao Senhor.  Aqueles que ocupavam esta função eram descendentes de Gérson e Eliézer, filhos de Moisés.


Seis mil levitas foram separados para atuar como administradores e juízes. Eles cuidavam de questões religiosas ligadas ao templo e de assuntos seculares ligados a administração civil. Ao redor do país, eles eram os encarregados pelo ensino religioso e pela sábia condução do reino como um todo.


O sucesso de qualquer empreendimento depende da atuação dedicada e fiel de alguns colaboradores chaves. Davi encontrou nos levitas homens capazes e consagrados, que lhe ajudaram a fazer da nação de Israel um reino próspero e justo. Hoje, também, Deus está procurando por pessoas de confiança a quem Ele possa usar para abençoar a humanidade.


Rei celestial, use-me para dar uma importante contribuição para o Seu reino.

 

Jobson Santos

Rede Novo Tempo

Ministério da Oração

– – – – –

Texto bíblico: I Crônicas 26

 



I Crônicas 23 by Jobson Santos
12 de abril de 2013, 0:00
Filed under: serviço | Tags: , ,

Comentário Devocional:

A boa organização permite que melhores resultados sejam alcançados com os mesmos recursos humanos e financeiros. Um dos legados que Davi deixou para seu filho Salomão foi a exemplar distribuição de responsabilidades entre os Levitas.


Desde os tempos de Moisés, os Levitas haviam sido separados para serem os guias espirituais entre o povo, transportarem o tabernáculo e cuidarem dos utensílios sagrados. No entanto, os tempos mudaram. Não era mais necessário transportar o tabernáculo de um lugar para outro. A tenda e o altar de sacrifícios estava em Gibeão e a Arca estava em Jerusalém. Sendo assim, Davi determinou que houvesse uma nova distribuição de tarefas entre eles.


Os descendentes de Arão continuariam com o sacerdócio. Somente eles podiam oferecer sacrifícios, entrar no lugar santo e lidar diretamente com os objetos sagrados. Cabia a eles a coordenação geral dos serviços dos demais levitas.


Duas funções receberam maior valorização: os porteiros e os músicos. Juntos somavam um pouco mais de vinte por cento dos levitas. Seu número expressivo nos dá uma idéia da importância deles naqueles tempos.


Os Levitas viviam em cidades estrategicamente distribuídas pela nação. Eles eram os professores da Torah, os escritos de Moisés, e também os juízes. Periodicamente eles se dirigiam ao tabernáculo a fim de cumprirem com suas obrigações. Cada um sabia exatamente o que fazer, quando e como. A influência deles levava o povo para mais perto de Deus.


A exemplar organização dos Levitas, nos dias de Davi, é um modelo a ser imitado. Jesus, o supremo Sumo Sacerdote, oficia, hoje, no santuário celestial. Ele deseja ver seus seguidores organizados e ativos em Seu serviço. Como levitas e sacerdotes modernos, é nosso privilégio ajudar a preparar um povo que ame a Deus e sinta prazer em adorá-Lo.


Sumo sacerdote celestial, consagre-me e use-me em Seu serviço em qualquer posição que escolher para mim!

 

Jobson Santos

Rede Novo Tempo

Ministério da Oração

 

Link para o texto bíblico: I Crônicas 23




%d blogueiros gostam disto: