Reavivados por Sua Palavra


SALMO 72 – #RPSP – COMENTÁRIO ROSANA BARROS
11 de janeiro de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“… nele sejam abençoados todos os homens, e todas as nações lhe chamem bem-aventurado” (v. 17).

Apesar de trazer no título “Salmo de Salomão”, é mais provável que tenha sido escrito por Davi, tanto pelo fechamento do Salmo, que diz: “Findam as orações de Davi, filho de Jessé” (v. 20), quanto pelo teor do texto parecido com as palavras que disse em II Samuel 23:1-5 (Comentário Bíblico Adventista, p. 898). Se Salomão seguisse todas as orientações deixadas ali, certamente seria bem sucedido em seus propósitos. Sabemos que o seu pedido a Deus foi sincero e humilde. Salomão pediu um “coração compreensivo” (Vide I Reis 3:9) para julgar o povo e discernimento para saber fazer diferença entre o bem e o mal. Em outras palavras, e de forma mais popularmente conhecida, Salomão pediu sabedoria e Deus fez de Salomão o ser humano mais sábio que já pisou nesta Terra. 

Por outro prisma, este Salmo, em parte, também é considerado messiânico pelo fato de apresentar um reino totalmente justo e eterno. Cristo veio a primeira vez não para estabelecer este reino, como esperavam os judeus, mas para nos garantir a vitória sobre o mal. Ele nos deixou exemplo de como podemos ter um coração compreensivo e cheio de compaixão, principalmente pelos mais desvalidos, como está escrito: “Ele tem piedade do fraco e do necessitado e salva a alma aos indigentes” (v. 13). Este sim é o verdadeiro Rei, Justo e Eterno!

Salomão recebeu o que pediu, mas não soube fazer bom uso. Foi um rei que usou para com o povo de um jugo pesado (Vide I Reis 12:4) e seu envolvimento com mulheres estrangeiras o tornaram um idólatra (Vide I Reis 11:1-8). Todas as bênçãos descritas neste Salmo eram promessas para a descendência de Davi se tão-somente seguissem as instruções do SENHOR. Mas o Único que assim procedeu e que viveu em perfeita harmonia com o que lemos no texto sagrado de hoje, não recebeu as honras do povo e não foi por ele coroado e bendito. Pelo contrário, veio ao mundo da forma mais humilde que poderia haver, recebeu adoração da classe mais humilde de pastores e não recebeu as honrarias dos maiorais de Seu povo e nem as riquezas de Sabá (v. 15), mas presentes de sábios do Oriente que, contrariando todo um povo que se julgava o único conhecedor das profecias, foram os únicos que identificaram o fiel cumprimento da profecia messiânica.

Meus amados, todos somos detentores da promessa de um reino justo que não terá fim. Hoje, todos nós temos em mãos o “mapa do tesouro” eterno nos indicando não somente para onde devemos ir, mas como devemos andar para chegarmos lá. Cristo, o Rei da Glória, o Rei “Bendito para sempre” (v. 19) é a resposta. Só Ele é o Caminho, a Verdade e a Vida (Vide João 14:6). Por coroa, Ele recebeu espinhos. Por trono, uma cruz. Por adoração, uma turba furiosa. E tudo isso para nos garantir a vitória final. Ele nos deixou as pegadas da salvação para que as sigamos e vivamos. Ele viveu o que nós devemos viver. Somente quando experimentamos o que Ele viveu aqui, conseguimos compreender por onde devemos andar. Buscar conhecê-Lo diariamente é o segredo para alcançar a vida eterna (Vide João 17:3). Por essa maravilhosa e verdadeira promessa, podemos adorá-Lo neste momento com as palavras finais do Salmo de hoje e do Livro II de Salmos:

“Bendito seja o SENHOR Deus, o Deus de Israel, que só Ele opera prodígios.

Bendito para sempre o Seu glorioso nome, e da Sua glória se encha toda a Terra. Amém e amém!” (v. 18-19).

Bom dia, filhos do Rei dos reis!

Desafio do dia: Medite nas palavras de Cristo em João 17 e busque do SENHOR sabedoria para estar diariamente pronto para o retorno do Rei da Glória.

*Leiam #Salmo72

Rosana Garcia Barros



SALMO 71 – #RPSP – COMENTÁRIO ROSANA BARROS
10 de janeiro de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Ora, a Tua justiça, ó Deus, se eleva até aos Céus. Grandes coisas tens feito, ó Deus, quem é semelhante a Ti?” (v. 19).

Apesar de ser de autoria desconhecida, trata-se de um Salmo escrito por alguém idoso. Você já ouviu esta expressão: “Quanto mais velho, mais teimoso”? Parece que isso não se aplica ao caso deste ancião anônimo. Em completa atitude de humildade, ele queda-se aos pés do SENHOR e expressa a sua total confiança nEle (v. 5). Em sua fraqueza, Deus era o seu apoio (v. 6). E por ser tão temente a Deus e dar um bom testemunho, muitos o consideravam “um portento” (v. 7), ou seja, um prodígio, uma pessoa maravilhosa. Mas o que havia de tão maravilhoso na vida deste homem? Vejamos:

Primeiramente, enquanto as pessoas o consideravam alguém extraordinário, ele reconhecia que Deus era o seu forte refúgio (v. 7). Quem não se esconde em Deus, Deus não o revela para o mundo. Segundo, e não menos importante, observem o teor do que saía dos lábios do salmista: “Tu és motivo para os meus louvores constantemente” (v. 6).

“Os meus lábios estão cheios do Teu louvor” (v. 8).

“…Te louvarei mais e mais” (v. 14).

“A minha boca relatará a Tua justiça…” (v. 15).

“… até agora tenho anunciado as Tuas maravilhas” (v. 17).

“… até que eu tenha declarado à presente geração a Tua força…” (v. 18).

“Os meus lábios exultarão… Igualmente a minha língua celebrará a Tua justiça todo o dia” (v. 23-24).

Percebem qual era o conteúdo que emanava da língua do poeta? Agora acompanhem comigo o contraste de seus inimigos:

“Pois falam contra mim os meus inimigos… consultam reunidos” (v. 10).

Só este verso já foi o suficiente para compreendermos o porquê de sua angústia e o motivo pelo qual possuía tão estimada conduta. Enquanto ele louvava o nome de Deus, “o homem injusto e cruel” (v. 4) falava contra ele. Enquanto ele anunciava as maravilhas do SENHOR (v. 17), os ímpios se reuniam com o fim de prejudicá-lo (v. 10). Eis a diferença entre o justo e o perverso. Não precisamos ir tão longe para estar fazendo a coisa errada, basta estar no lugar errado. O salmista se refugiava em Deus, já os seus inimigos, em rodas de escarnecedores (Vide Salmo 1:1).

Meus amados, a missão que nos foi dada por Cristo, foi: “Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado” (Mateus 28:19-20). A nossa boca deve relatar de forma contínua os feitos da salvação do SENHOR (v. 15). Para isso que fomos chamados. Enquanto a vida alheia é o assunto principal, o evangelho eterno deixa de ser pregado. O salmista foi considerado um prodígio simplesmente porque seguiu a ordem de Deus (Compare o verso 18 com Deuteronômio 6:4-9) e que Jesus daria centenas de anos depois. Sua boca era uma fonte de bênçãos e o seu maior temor não era dos seus inimigos, mas em sair da presença de Deus (v. 12).

Que a nossa vida seja sempre um PORTENTO, não por méritos próprios, mas por estarmos revestidos da rememoravél justiça divina (v. 16).

Bom dia, portentos refugiados no SENHOR!

Desafio do dia: Passe o dia louvando ao SENHOR, ainda que não saia um som de seus lábios. Que a tua vida louve a Deus!

*Leiam #Salmo71

Rosana Garcia Barros



Aviso importante – Comentários Selecionados 
9 de janeiro de 2017, 1:30
Filed under: Sem categoria

Caros leitores,

Por motivo de força maior, não postaremos os “comentários selecionados” até o dia 17/Jan.

Fiquem todos na santa paz de Deus e buscando a cada dia ser Reavivados Por Sua Palavra.

Graça e paz,
Ivan Barros – EQUIPE RPSP 



SALMO 70 – #RPSP – COMENTÁRIO ROSANA BARROS
9 de janeiro de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Folguem e em Ti se rejubilem todos os que Te buscam; e os que amam a Tua salvação digam sempre: Deus seja magnificado!” (v. 4).

Quando Deus criou o homem, antes de criar a mulher deixou que este sentisse falta de uma companhia. Então, Ele fez o homem cair em pesado sono, fez a primeira cirurgia do mundo, e de Adão extraiu uma costela. Daquele osso, Deus fez a mulher e a chamou de auxiliadora idônea de Adão. Você pode ler este relato em Gênesis 2:18-25. O verbo auxiliar significa ajudar, prestar socorro, dentre outras coisas. Já a palavra idônea, quer dizer alguém que é competente para realizar algo, perfeitamente habilitado para a função que lhe cabe.

O Salmo de hoje é um clamor de Davi por auxílio divino. Ele pede ajuda ao único Auxiliador que é perfeitamente habilitado e competente para lhe socorrer. Assim como Adão olhou para um lado e para o outro daquele lindo mundo recém criado e sentiu falta de uma companhia que lhe fosse perfeitamente habilitada e se adequasse às suas necessidades, quando reconhecemos que somos pobres e necessitados, recorremos ao Deus magnífico que SEMPRE é perfeitamente habilitado para nos socorrer.

Não nasci em um lar cristão praticante, mas recebi de minha mãe, desde a infância, lições preciosas que, mais tarde, descobri serem princípios bíblicos. E um deles foi o de nunca me alegrar com o mal alheio. Ainda que este mal viesse sobre quem não me queria bem, foi impressa em minha mente que era muito feio dizer ou pensar: “Bem-feito!” (v. 3). Será que este princípio tem sido praticado em nossa vida? Percebam que o verso 1 nos mostra um pedido de socorro. Um S.O.S em forma de oração. Davi precisava, desesperadamente, do auxílio divino. A sua necessidade era maior do que a sua capacidade de fazer algo, e ele reconheceu isso.

Quando, ao invés de agir conforme as nossas próprias forças, buscamos a Deus e amamos a Sua salvação, assim como Ele fez Adão dormir para lhe acordar com o que ele estava precisando, também podemos descansar na fiel promessa de que Deus é o nosso amparo e o nosso libertador (v. 5), pois “aos Seus amados Ele o dá enquanto dormem” (Salmo 127:2). Que a nossa vida não seja uma vergonha (v. 2), e sim um testemunho para o mundo, declarando “sempre: Deus seja magnificado!” (v. 4). Que o SENHOR seja sempre o nosso único e perfeito auxílio em todo o tempo.

Bom dia, pobres e necessitados de Deus!

Desafio do dia: Seja um(a) auxiliador(a) idôneo(a) de alguém hoje. Desempenhe a sua função na escola, no trabalho, em casa, da melhor maneira que puder e, o que não estiver ao seu alcance fazer, clame pelo auxílio divino.

*Leiam #Salmo70

Rosana Garcia Barros



SALMO 69 – #RPSP – COMENTÁRIO ROSANA BARROS
8 de janeiro de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Por alimento me deram fel e na minha sede me deram a beber vinagre” (v. 21).

Imagine que você está passando por um grande apuro, de forma que não consegue enxergar saída alguma. Mas daí, de repente, surge alguém que, voluntariamente, decidiu ajudar-lhe e tomar sobre si o mal que era para você sofrer. Então, ao invés de ser imensamente grato, você o insulta, o rejeita, o odeia (v. 4) e lhe oferece o que há de pior por alimento e bebida (v. 21). E não para por aí. Você ainda o escarnece (v. 11), o torna objeto de fofocas (v. 12), o persegue e bate nele até a morte (v. 26). Você pode estar pensando: – Ah, minha irmã, eu já entendi. Você está se referindo ao que fizeram com Jesus. Sim. Também. Mas tudo aquilo se repete quando volvemos as costas para as palavras de Cristo. 

Enquanto eu lia o Salmo de hoje em voz alta, meu filho mais novo, de seis aninhos, estava deitado ao meu lado. Foi quando ele interrompeu a leitura com uma pergunta:

– Mãe, a Bíblia diz que temos que amar nossos inimigos?

– Sim, meu amor – respondi.

– Ah, eu não sabia! – e deu uma risadinha inocente.

A sua inocência me fez pensar que eu não sou mais inocente. Bem sei o que Jesus fez por mim e o que devo fazer para ser considerada Sua amiga: “Vós sois Meus amigos, se fazeis o que Eu vos mando… Isto vos mando: que vos ameis uns aos outros” (João 15:14, 17). Portanto, odiar sem razão e inventar de “falsos motivos” (v. 4) para criar inimizades não é e nunca será uma atitude cristã, mas demoníaca e avessa aos ensinamentos de Cristo. Este Salmo é tão entrelaçado com as palavras de Jesus em João 15, que Ele mesmo o citou em Seu discurso: “Odiaram-Me sem motivo” (v. 4, João 15:25). E ainda nos advertiu: “Se Me perseguiram a Mim, também perseguirão a vós outros” (João 15:20).

Apesar de ser um Salmo messiânico, também era um desabafo de Davi com relação aos seus perseguidores. O seu coração desfalecia diante das muitas afrontas (v. 20), mas a diferença estava em suportá-las por amor a Deus (v. 7). Encarar os perseguidores e inimigos com ira, além de não resolver nada, nos torna semelhantes ou piores do que eles. Experimentar sofrer afrontas e injúrias com oração, é amar como Cristo amou e viver como Ele viveu. Ainda que o nosso choro, jejum e oração nos sejam devolvidos “em afrontas” (v. 10); ainda que não encontremos piedade e consolo por parte de quem nos persegue sem causa (v. 20); ainda que nos ofereçam o pior da terra (v. 21); é preferível sofrer por Cristo aqui a ter o nosso nome riscado do Livro da Vida do Cordeiro (v. 28; Vide Apocalipse 3:5, 13:8, 17:8).

Precisamos nos aprofundar em nosso estudo sobre a vida do Messias. Não conseguiremos entender tudo o que Ele nos ensinou e viveu se não nos debruçarmos nas Escrituras que dEle testificam (Vide João 5:39). Não temos mais a desculpa de dizer como meu filho: 

– Ah, eu não sabia!

Cumpre-nos ser praticantes da Palavra que pregamos, ou, do contrário, estaremos nos enganando a nós mesmos (Vide Tiago 1:22).

Como Davi, e, acima de tudo, como Jesus Cristo, sejamos homens e mulheres de oração. Que o nosso lamento esteja primeiramente diante dAquele que é rico em graça e misericórdia (v. 13 e 16). Que, como o salmista, não sejamos pedras de tropeço para nossos irmãos (v. 6), espalhando contendas. Sigamos os passos do nosso Salvador (I Pedro 2:21), que escolheu viver por amor. E, assim como Ele reviveu, Ele também fará reviver o nosso coração (v. 32), salvará a nós e a nossa família e nos levará para morar para sempre em Sua habitação (v. 36). Louvado seja o nome de Deus (v. 30)!

Feliz semana, povo de oração!

Desafio do dia: Se você feriu alguém, procure, com oração e humildade, a reconciliação. HOJE, é o tempo que o SENHOR está lhe dando para tomar uma firme decisão e tornar-se, verdadeiramente, Seu amigo.

*Leiam #Salmo69

Rosana Garcia Barros



SALMO 68 – #RPSP – COMENTÁRIO ROSANA BARROS
7 de janeiro de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Bendito seja o SENHOR que, dia a dia, leva o nosso fardo! Deus é a nossa salvação!” (v. 19).

Deus cuida de nós.

Deus nos protege.

Deus nos abençoa.

Deus “leva o nosso fardo” (v. 19).

Não conseguimos ter noção do quanto deveríamos ser gratos a Deus e do quanto Lhe custou nos resgatar do domínio do inimigo (O Grande Conflito, p. 33). Ele escolheu tomar sobre Si as nossas iniquidades (Isaías 53:6) e nos oferece no lugar um jugo suave e um fardo leve (Mateus 11:30). 

Na primeira parte do Salmo, Davi descreve o fim dos inimigos de Deus (v. 1-2) em contraste com os justos (v. 3), seguido do cuidado paterno de Deus para com os injustiçados (v. 5-6). E a sequência nos mostra uma série de ilustrações, todas referindo-se à bondade de Deus para com o Seu povo, exaltando-O como SENHOR que tem tudo sob controle, inclusive a nossa vida (v. 20).

A cada dia que passa, o caos deste mundo se agrava, como nos dias de Noé, a humanidade se corrompe e se destrói. A maioria tem seus ouvidos fechados e sua mente bloqueada aos apelos do Espírito Santo que deseja descer sobre nós como “copiosa chuva” (v. 9). Deus nos revela em toda a Sua Palavra de que há sim diferença entre o justo e o ímpio, entre o santo e o profano, “entre o que serve a Deus e o que não O serve” (Malaquias 3:18). E quanto mais se aproxima o Dia do SENHOR, o Espírito é retirado da terra e o pecado mais se revela em consequências destrutivas e eternamente irreversíveis. Mas o mesmo Espírito permanecerá até o fim com os justos do Altíssimo, conduzindo-os, fortalecendo-os e livrando-os.

Munidos da força divina usada a nosso favor (v. 28), temos o privilégio de tributar a glória de Deus (v. 34), dizendo: “Bendito seja Deus!” (v. 35), que com Sua palavra nos arregimenta como mensageiros das boas-novas de salvação (v. 11), como Seus justos praticantes da verdadeira religião (v. 5-6): “A religião pura e sem mácula, para com o nosso Deus e Pai, é esta: visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações e a si mesmo guardar-se incontaminado do mundo” (Tiago 1:27).

Oh, meus amados, temos estudado a Bíblia juntos e juntos temos descoberto verdades libertadoras (Vide João 8:32) e transformadoras. É impossível estudar a Bíblia mediante o agir do Espírito Santo e continuar do mesmo jeito. Pois “a vereda dos justos é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito” (Provérbios 4:18). Apegados a esta promessa maravilhosa, podemos ter a plena certeza de que o fardo que era para nos castigar até à morte, Cristo já carregou. E o fardo que nos aflige o coração enquanto aqui estamos, Ele também prometeu levar. Basta apenas aceitarmos o Seu convite: “Vinde a Mim” (Mateus 11:28).

Se te afligem aqueles que se comprazem na guerra, confia que Deus mesmo os dispersará (v. 30) e te restabelecerá de tua exaustão (v. 9).

Que o Espírito Santo continue nos moldando e nos dando a força e o poder (v. 35) necessários para continuarmos firmes no caminho da justiça.

Feliz sábado, justos do Altíssimo!

Desafio do dia: Separe um tempo do seu dia para ajudar alguém. Seja um praticante da religião pura e sem mácula.

*Leiam #Salmo68

Rosana Garcia Barros 



SALMO 67 – #RPSP – COMENTÁRIO ROSANA BARROS
6 de janeiro de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Louvem-Te os povos, ó Deus, louvem-Te os povos todos” (v. 3 e 5).

Este é um dos textos bíblicos que lança por terra o pensamento de que a salvação e a bênção de Deus eram apenas para Israel. Na verdade, este Salmo deixa bem clara a mensagem de que a nação de Israel havia sido elegida para partilhar das novas de salvação. A graça e a bênção de Deus devia ser para com a nação eleita a fim de que refletisse a glória de Deus (v. 1). Então, assim, todas as nações conheceriam o caminho do SENHOR e a Sua salvação (v. 2). 

E assim aconteceu. Israel espalhava as boas novas da primeira vinda de Cristo e, quando Ele veio, já O estavam esperando com grande alegria. Foi assim?Infelizmente esta afirmação não confere com o relato bíblico. Muito pelo contrário, Cristo “veio para o que era Seu, e os Seus não O receberam” (João 1:11). Isto é, Ele veio para o que era Seu (todo o mundo), mas os Seus (Israel, a nação eleita) não O receberam. Duas coisas Israel rejeitou: refletir a glória de Deus e pregar o Caminho (Vide João 14:6). Apegaram-se mais ao título do que à esperança oferecida por nosso SENHOR. Enquanto isso, morriam espiritualmente sem nem perceber.

Cristo também nos deu uma missão. O chamado de ir ao mundo e pregar o Evangelho a toda tribo, povo, língua e nação (Vide Mateus 28:19), dizendo: “Temei a Deus e dai-Lhe glória, pois é chegada a hora do Seu juízo e adorai Aquele que fez o Céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas” (Apocalipse 14:7). A primeira voz angélica tem uma luz especial. Envolve adoração, justiça e bênção, justamente como lemos no Salmo de hoje. E também é um convite para TODOS: “um evangelho eterno para pregar aos que se assentam sobre a terra, e a cada nação, e tribo, e língua, e povo” (Apocalipse 14:6). Nós temos em mãos uma mensagem eterna para ser espalhada por TODO o mundo e não uma bênção privada.

Israel conhecia as Escrituras, mas não reconheceu o SENHOR das Escrituras. Que não sejamos conduzidos por este mesmo erro, mas que a nossa vida seja um constante louvor a Deus, proclamando ao mundo a Sua salvação. Então, “temerão, pois, o nome do SENHOR desde o poente e a Sua glória, desde o nascente do sol; pois virá como torrente impetuosa impelida pelo Espírito do SENHOR” (Isaías 59:19).

Bom dia, missionários de Deus!

Desafio do dia: Escolha um hino de louvor e/ou gratidão a Deus. Escute, cante e guarde no ❤️


*Leiam #Salmo67

Rosana Garcia Barros 




%d blogueiros gostam disto: