Reavivados por Sua Palavra


Números 22 – Comentários selecionados by jquimelli
27 de novembro de 2015, 0:30
Filed under: Sem categoria

Balaão é descrito como o mercenário que negociava com seus dons, em Jd 11. Bíblia Shedd.

Moabe teve muito medo deste povo. Os israelitas haviam derrotado os amorreus, que eram mais fortes do que os moabitas (21:26). Os moabitas que Deus ordenara aos israelitas que não perturbassem os moabitas ou os amonitas, que eram aparentados com eles através de Ló (Dt 2:9, 19; ver tb Gn 19:36-38). Andrews Study Bible.

4 Moabe. Os moabitas eram descendentes da relação incestuosa de Ló com uma de suas filhas (ver Gn 19.37-38, nota). Bíblia de Genebra.

Moabe e Midiã eram inimigos tradicionais (Gn 36:35), mas se mostraram prontos a se unir contra Israel. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 1, p. 980.

Balaão. O profeta pagão Balaão vivia em Petor, uma cidade do norte da Mesopotâmia, às margens do rio Eufrates [Hoje área controlada pelo EI]. O fato de Balaque ter enviado emissários por aquela distância respeitável serve como evidência da considerável reputação de Balaão como alguém que tinha poderes sobrenaturais. … Balaão parece ter sido um oportunista sincretista, que procurava manipular o mundo espiritual visando seu próprio lucro. Bíblia de Genebra.

Petor. Identificada, hoje, com toda certeza, com Pitru, a curta distância do Eufrates, ao sul de Carquemis. … A viagem desde Pitru … uma viagem de aproximadamente 650 km, requeria duas semanas (ver PP, 438, 439). CBASD, vol. 1, p. 980.

amaldiçoa-me este povo. Balaque e seu povo criam nos poderes da feitiçaria e dos encantamentos. A mágica, magia negra e possessão demoníaca são acompanhamentos naturais da idolatria. CBASD, vol. 1, p. 980.

vos trarei a resposta. Um profeta apóstata brinca com o fogo, na expectativa de obter ganhos materiais. Balaão já conhecia os israelitas e a atitude de Deus em relação a eles (PP, 439). CBASD, vol. 1, p. 981.

o SENHOR. Literalmente “Yahweh“, o nome santo de Deus. Muitos comentaristas acham extremamente confuso Balaão ter usado a palavra “Yahweh”, pois o definem como um adivinho pagão. A realidade é que Balaão era originalmente um verdadeiro profeta de Deus, que perverteu seus dons para obter ganhos materiais [PP, 439]. CBASD, vol. 1, p. 981.

9 Passagens posteriores na Bíblia mostram que Balaão não pôde resistir à tentadora atração de dinheiro e idolatria (31:16; 2Pe 2:15; Jd 11). Life Applications Study Bible Kingsway.

10 Balaque. Fica sugerido que o componente mais forte da coalizão era Balaque, rei dos moabitas, e que os midianitas eram os participantes mais fracos. CBASD, vol. 1, p. 981.

12 é povo abençoado. Ver Gn 12:2-3; 22:16-18. Balaão ecoou esta promessa na conclusão de seu terceiro oráculo (Nm 24:9). Andrews Study Bible.

13 o SENHOR recusa. Mais uma vez, Balaão usa o nome “Yahweh”, como no v. 8. Ele deixa de informar aos mensageiros de Balaque que os filhos de Israel eram abençoados por Deus. CBASD, vol. 1, p. 981.

16 não te demores. A forma reflexiva do verbo sugere que Balaque achava que a relutância de Balaão se devia ao desejo de mais reconhecimento e recompensa. CBASD, vol. 1, p. 981.

19 para que eu saiba o que mais o SENHOR me dirá. Isto poderia implicar que a resolução de Balaão de recusar as ricas recompensas de Balaque estava se enfraquecendo (v. 12), senão, porque perguntar de novo, como se Deus pudesse mudar sua vontade (23:19)? Andrews Study Bible.

20 Se aqueles homens vierem chamar-te. Este seria o sinal de que Balaão teria a permissão de Deus para ir e amaldiçoar Israel. Mas os homens não o chamaram de manhã, o que significa que a permissão divina foi negada. Entretanto, ele decidiu alcançar os enviados de Balaque, trazendo sobre si a ira de Deus. Andrews Study Bible.

21 a jumenta. Jumentos eram veículos para todos os usos utilizados para transporte, carregar cargas, moer grãos e arar campos. Eram usualmente totalmente dependentes, o que explica por quê Balaão ficou tão irado quando sua jumenta se recusou a se mover. Life Applications Study Bible Kingsway.

Naquela época, os jumentos eram usados normalmente por pessoas de toda categoria, em especial para percorrer curtas distâncias. Os camelos eram usados para jornadas mais longas. CBASD, vol. 1, p. 982.

22  Balaão ia caminhando… e dois de seus servos com ele. Não se menciona que os príncipes de Balaque estavam com Balaão. Esses mensageiros, homens de posição, com grande presentes em mãos e com a promessa demais (v. 15-17), estavam chateados porque Balaão não concordara em acompanhá-los de imediato. Antecipando outra negativa, já haviam iniciado a jornada de regresso (PP, 441). Balaão tentava alcançá-los e, por isso, qualquer demora o incomodava. Os dois servos não figuram na cena, nem mesmo para ajudar a controlar a jumenta. CBASD, vol. 1, p. 983.

Acendeu-se a ira de Deus. Se o profeta tivesse o desejo de cumprir a vontade de Deus, as palavras registradas no v. 12 teriam encerrado o assunto. Mas, quando uma pessoa é rebelde de coração, Deus pode permitir que ela siga seus desejos e sofra as consequências (ver Sl 81:11, 12; Os 4:17). Balaão é um exemplo de um profeta que prostituiu seu chamado, ao tentar obter ganhos com o dom divino. Por isso, lê-se sobre “a doutrina de Balaão” (Ap 2:14), o “erro de Balaão” (Jd 11) e o “caminho de Balaão” (2 Pe 2:15). CBASD, vol. 1, p. 982.

o Anjo do Senhor. Com frequência, a expressão se refere a Cristo (Êx 3:2, 14; 23:20, 23; 32:34; PP, 311, 366)… Nesta situação, trata-se de Cristo (PP, 366; ver Êx 23:20). CBASD, vol. 1, p. 982. [Esta conclusão é reforçada pelas expressões que indicam fonte divina: “o teu caminho é perverso diante de Mim”, v. 33, e “aquilo que Eu te disser, isso falarás”, v. 35].

23 uma jumenta tem mais visão do que um homem cego pela cobiça. Bíblia Shedd.

27 a jumenta… deixou-se cair. A jumenta não podia virar para a direita nem para a esquerda; tampouco conseguiria virar para trás e fugir apressadamente. … percebeu que não havia esperança para a situação. O profeta, cego pela avareza e ira, só conseguia enxergar teimosia no comportamento do animal. CBASD, vol. 1, p. 983. [Vemos aqui, no comportamento da jumenta, um claro exemplo de como a depressão funciona em nós. Quando o emocional não vê mais esperança nas agressões de contrariedade, pressão e ansiedade que sofre – e também se impõe-, simplesmente desiste de lutar e deixa-se cair. É um conflito para o qual não se vê saída. O melhor caminho para que o deprimido se levante é alívio do fardo, aceitação e uma nova perspectiva, mais leve, da vida.]

28 o SENHOR fez falar a jumenta. A história de Balaão está repleta de ironia cômica. A jumenta foi capaz de ver a vereda melhor do que o adivinho, para então falar-lhe (2Pe 2.16). Bíblia de Genebra.

Há apenas mais um episódio de um animal falando na Bíblia: a serpente de Gênesis 3. CBASD, vol. 1, p. 983.

O apóstolo Pedro ensina-nos que este milagre impediu os intentos do profeta de amaldiçoar Israel, 2 Pe 2.15-16. Bíblia Shedd.

29 tivera eu uma espada. Balaão estava clamando por uma espada, sem saber que, em breve, ele veria uma apontada para ele. Bíblia de Genebra.

30 Acaso tem sido o meu costume fazer assim contigo? O comportamento estranho da jumenta deveria ter sido suficiente para impressionar Balaão de que algo estava errado, pois ela nunca havia apresentado tal comportamento antes. CBASD, vol. 1, p. 983.

31 Então o SENHOR abriu os olhos de Balaão (NVI). A linguagem segue a mesma estrutura das palavras iniciais do v. 28 [“Então o SENHOR abriu a boca da jumenta”]. Bíblia de Estudo NVI Vida.

32 perverso. Literalmente, “irresponsável”. A ideia é que Balaão estava fazendo aquela jornada com base em sua obstinação, em desarmonia com a vontade de Deus. CBASD, vol. 1, p. 983.

33 Eu, agora, te haveria matado. O profeta devia a própria vida à jumenta que ele espancara com tanta violência. O espírito que controlava Balaão ficou completamente manifesto em sua conduta. CBASD, vol. 1, p. 983.

36 Este encontro simboliza o poderio cívico e o poderio eclesiástico colaborando para restringir os verdadeiros crentes. Bíblia Shedd.

40 Balaque sacrificou bois e ovelhas. Não sacrifícios aos Senhor. Bíblia de Estudo NVI Vida.

É provável que se tratasse de uma festa de sacrifícios para honrar a Balaão e abrir espaço para um começo propício de seu trabalho. CBASD, vol. 1, p. 984.

41 Bamote-Baal. Quer dizer “os lugares altos de Baal”; era, portanto, um monte consagrado à adoração das divindades pagãs. Bíblia Shedd.

Provavelmente era o mesmo Bamote de Números 21:19. O nome indica que se tratava de um santuário pagão. É possível que Balaque tivesse a ideia de que a maldição de Balaão seria mais eficaz se ele visse os israelitas enquanto os amaldiçoava. CBASD, vol. 1, p. 984.


6 Comentários so far
Deixe um comentário

Independência de Deus nos faz agir pior que jumenta ….

Comentário por Rosa Almeida

Amém , obrigada irmão por todos os comentários. Deus vos ilumine Sempre .!

Comentário por Janai Padilha Pessoa .

Corrigem o verso no final do comentário do versículo 28, para 2Pe 2:15-16

Comentário por Luiz Henrique Miranda Toledo

Muito obrigado pelo aviso, Luiz! Já corrigido.
Parabéns pela leitura atenciosa.

Comentário por jquimelli

Corrigem também da introdução do verso 31, está escrito que Deus abriu os olhos de Abraão.

Comentário por Luiz Henrique Miranda Toledo

Muito obrigado pelo aviso, Luiz! Já corrigido.

Comentário por jquimelli




Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.



%d blogueiros gostam disto: