Reavivados por Sua Palavra


Hebreus 3 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
21 de novembro de 2021, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Hoje, se ouvirdes a Sua voz, não endureçais o vosso coração” (v.15).

Pela primeira e única vez nas Escrituras, Jesus recebeu o título de “Apóstolo” (v.1). Como alguém que deixa a sua própria vontade de lado, Cristo veio e cumpriu fielmente a Sua missão conforme a vontade de Seu Pai. Sendo o superior e incomparável Apóstolo, preparou a primeira formação de apóstolos que, seguindo o Seu exemplo, renunciaram a própria vida por amor ao evangelho que creram e abraçaram. Crer na Palavra de Deus e em Cristo consiste em seguir os passos de Jesus, assim como Ele andou sobre as pegadas de Deus (Jo.15:10). A expressão “santos irmãos” (v.1) indica o cuidado e o amor do autor para com os judeus cristãos, a fim de deixar claro que o seu objetivo não era feri-los, mas orientá-los quanto ao perigo de sustentar uma religião cerimonialista, tradicional, mas nada relacional.

A consideração e o respeito por Moisés e “suas leis” eram elevados acima da honra que deveria ser dada ao Legislador divino. O recado do autor foi mais ou menos o seguinte: “Ei, vocês que foram separados para habitar no Céu, considerem com muita atenção a obra realizada por Cristo na Terra e a obra que agora Ele realiza no Céu”. Ele não disse, observem as obras de Moisés, ou de Abraão, ou de outro patriarca. Mas colocou em ordem os papéis que estavam sendo invertidos. “E Moisés era fiel, em toda a casa de Deus, como servo… Cristo, porém, como Filho, em Sua casa” (v.5-6). Cristo e Sua Palavra devem compor o fundamento de nossa fé. Construir a casa sobre esta Rocha, “a qual casa somos nós” (v.6), será a nossa única segurança frente à derradeira tempestade que se aproxima.

Tal fundamento possui um significado que Jesus mesmo descreveu: “Todo aquele, pois, que ouve estas Minhas palavras e as pratica será comparado a um homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha” (Mt.7:24). Tiago complementou este pensamento, ao dizer: “Tornai-vos, pois, praticantes da Palavra e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos” (Tg.1:22). Ouvir e praticar são as duas ações que se fundem no plano da salvação. Precisamos compreender as palavras que Jesus dirigiu aos Seus conterrâneos judeus: “Porque, se, de fato, crêsseis em Moisés, também creríeis em Mim; porquanto ele escreveu a Meu respeito. Se, porém, não credes nos seus escritos, como crereis nas Minhas palavras?” (Jo.5:46-47). Ora, Jesus estava falando aos homens que se diziam fiéis cumpridores da lei de Deus e dos estatutos dados a Moisés. Como, pois, Jesus afirmou que eles não criam nos escritos de Moisés?

Ao citar o exemplo da rebelião de Israel no deserto, o autor revelou o verdadeiro significado do que seja crer conforme a Bíblia: “E contra quem jurou que não entrariam no Seu descanso, senão contra os que foram desobedientes? Vemos, pois, que não puderam entrar por causa da incredulidade” (v.18-19). Ao igualar a desobediência à incredulidade, o autor não abriu um precedente à salvação pelas obras, mas em que a salvação sempre redunda em boas obras, as obras do Espírito Santo. “Assim, pois, como diz o Espírito Santo: Hoje, se ouvirdes a Sua voz, não endureçais o vosso coração” (v.7-8). A humanidade tem enganado a si mesma ao resistir à voz de um Consolador que está prestes a encerrar a Sua missão nesta terra. E o “engano do pecado” (v.13) enrijece o coração até que se torne insensível à voz do Espírito Santo.

A resposta de Paulo ao carcereiro romano, portanto, não foi uma frase de efeito apenas, mas uma firme decisão que pode definir o nosso destino eterno: “Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua casa” (At.16:31). Aquele que veio “engrandecer a lei e fazê-la gloriosa” (Is.42:21), está reunindo os Seus últimos e fiéis servos, cuja vida está edificada sobre a Rocha, “porque são estes que o Pai procura para Seus adoradores” (Jo.4:23). Homens e mulheres, que como o salmista, possam exclamar: “Quanto amo a Tua lei! É a minha meditação todo dia!” (Sl.119:97). Servos fiéis de Deus cuja obediência exale o bom perfume de Cristo, e não o legalismo de um fariseu. “Porque nos temos tornado participantes de Cristo, se, de fato, guardarmos firme, até ao fim, a confiança que, desde o princípio, tivemos” (v.14).

Deseja ser um fiel servo de Cristo? Peça ao Espírito Santo que lhe ajude a viver como Ele viveu, “tornando-se obediente até à morte” (Fp.2:8.). E logo a recompensa virá: “Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida” (Ap.2:10). Vigiemos e oremos!

Feliz semana, fiéis servos de Jesus!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Hebreus3 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100


1 Comentário so far
Deixe um comentário

Excelente!

Comentário por Silvio Fernandes




Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.



%d blogueiros gostam disto: