Reavivados por Sua Palavra


ISAÍAS 56 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
16 de outubro de 2020, 1:10
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO ISAÍAS 56 – Primeiro leia a Bíblia

ISAÍAS 56 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

ISAÍAS 56 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO – PR HEBER TOTH ARMÍ

<COM. VÍDEO PR ADOLFO SUÁREZ(link externo)

COM. VÍDEO PR EVANDRO FÁVERO (link externo)

VÍDEO PR VALDECI JÚNIOR (link externo)

VÍDEO PR WEVERTON CASTRO E EQUIPE (link externo)

VÍDEO PR RONALDO DE OLIVEIRA (link externo)



ISAÍAS 56 by Jobson Santos
16 de outubro de 2020, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/Is/56

Chegamos à seção final da grande Sinfonia da Salvação escrita por Isaías, na qual salvação e julgamento, justiça e misericórdia, advertência e conforto, consequências e deslumbrante esperança se entrelaçam belamente num final sublime.

Os capítulos 56 a 66 compreendem a mensagem especial de Deus para os exilados que seriam libertados do cativeiro por Ciro e enviados de volta para sua terra a fim de começar tudo de novo (44:24-28). Quebrantados pelo sofrimento da disciplina, eles seriam “humildes e contritos e tremeriam diante da Sua palavra” (66:2). Para estes exilados que irão retornar, seria um momento de elevadas expectativa. Eles ficariam muito entusiasmados com as promessas de um templo e reino restaurados e de um novo começo prestes a alvorecer para eles.

Mas Isaías precisava preparar o povo de Deus para as dificuldades de viver em um reino que era “agora, mas não ainda!” Antes que o reino de Deus se tornasse uma realidade gloriosa, seu povo teria que enfrentar imensas dificuldades.

A mensagem de Isaías é para nós; para todos os que têm vivido entre a Primeira e a Segunda Vinda de Cristo. Não devemos ficar desanimados ou permitir que nosso coração esfrie por causa de todas as dificuldades. Ao invés disso, devemos nos concentrar na certeza do glorioso reino Sabático que Deus introduzirá na “plenitude dos tempos”.

Aleta Bainbridge
Coordenadora do projeto “Parceiros de Ministério”
Associação da Grande Sydney, Austrália

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=981
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli/Luis Uehara



ISAÍAS 56 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
16 de outubro de 2020, 0:50
Filed under: Sem categoria

836 palavras

1-2 Uma aliança universal simbolizada pelo sábado. Os temas de justiça e retidão aparecem ligados à observância do sétimo dia. Os benefícios da aliança não eram exclusivos a Israel: estrangeiros e mesmo eunucos, que pela lei eram excluídos da assembleia do Senhor, poderiam ser integrados ao povo, se demonstrassem fé e lealdade a Deus ao se guardarem da prática do mal e observarem o sábado, não o profanando. Até o templo, com os limites claros que que nenhum estrangeiro devia transpor, é chamado neste texto de “Casa de oração para todos os povos”. A passagem reforça uma verdade encontrada em todo o livro de Isaías, a saber, que os propósitos divinos vão além do povo da aliança, Israel, e incluem os não israelitas. Bíblia Shedd.

1 Assim diz o SENHOR. O pensamento central de Isaías 56 é a conversão dos gentios. Em contraste com essa brilhante perspectiva, traça-se o sombrio quadro de Israel, que não está disposto a recebê-los. É necessária grande obra de reforma antes que Deus possa incorporar a Seu povo esses “separados da comunidade de Israel, e estranhos às alianças da promessa” (Ef 2:12). Essa reforma deve visar ao restabelecimento da fiel observância do sábado. A mensagem deste capítulo é repleta de significado para o povo de Deus hoje. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 4, p. 318.

Mantende o juízo e fazei justiça. Comparar com Mq 6:8. Religião não é mera teoria, mas prática intensa. CBASD, vol. 4, p. 318.

sábado. Assim como o sábado era um sinal da aliança no Sinai, é um sinal da nova aliança discutida aqui (ver também 4. 4, 6). Bíblia Shedd.

Deus ordenou a Seu povo para descansar e a honrá-Lo no sábado (Êx 20:8-11). Life Application Bible Study Kingsway.

Que se guarda de profanar o sábado. Era tão importante para o gentio convertido observar o sábado fielmente (v. 6) como era para os judeus. A observância genuína do sábado é evidência de que a pessoa reconhece a Deus como criador e redentor, e de que está disposta a render-Lhe obediência em tudo (ver com. de Is 58:13; Ez 20:12, 20). Para os gentios, é tão fundamental reconhecer esses princípios como o foi para os judeus. Deus criou ambos, planejou a salvação de ambos (Rm 1:16, 17) e tem direito de exigir dos dois grupos obediência e lealdade. Além disso, os princípios envolvidos no relacionamento do ser humano com Deus como criador e redentor não são diferentes na era cristã, e a observância do sábado não é menos importante hoje. CBASD, vol. 4, p. 318.

eunuco. Os eunucos eram normalmente excluídos… (Dt 23.1). O eunuco etíope, de At 8.26-29, cumpriu essa promessa através da fé em Jesus, o Servo de Is 53. Bíblia de Genebra.

um memorial e um nome. O hebraico traduzido nesse versículo por “um memorial e um nome” (yad vashem) foi escolhido para ser o nome do monumento principal do Holocausto, erigido em Jerusalém no atual Israel. Bíblia de Estudo NVI Vida.

Nome melhor. Ao não deixar descendentes, um eunuco poderia temer que seu nome e herança fossem esquecidos em Israel. Porém, Deus prometeu a essas pessoas que, se permanecessem fiéis a Ele, daria a elas algo muito melhor que filhos, isto é, receberiam novos nomes (Ap 2:17), e a certeza de que esses nomes estariam escritos no livro da vida (Ap 3:5). A deficiência física de forma alguma afeta a posição do ser humano perante Deus. Para o Senhor, o que importa é o caráter e a fidelidade aos princípios de justiça e verdade. CBASD, vol. 4, p. 318, 319.

6 O sábado. Este versículo é uma resposta convincente a quem afirma que o sábado não é para os gentios. CBASD, vol. 4, p. 319.

7 Jesus citou este verso quando atirou ao chão o dinheiro dos cambistas do templo (Mc 11:17). Life Application Bible Study Kingsway.

Casa de Oração. Estar ali significa ter sido incluído na aliança e desfrutar da vida de comunhão com Deus (2.2-4; Sl 15:1; cf. 1Rs 8.41-43; Mc 11.17). Bíblia de Genebra.

9. Animais do campo. Uma metáfora que representa as nações hostis (18.6; Ez 34.5, 8, 25). Bíblia de Genebra.

Invasores estrangeiros (v. 18.6). Bíblia de Estudo NVI Vida.

Vós, todos os animais. A cena muda. Os “animais do campo” apontam apara as nações estrangeiras que logo devorariam o povo de Judá por causa de seus pecados. CBASD, vol. 4, p. 319.

10 atalaias. Eles avisavam a uma cidade sobre algum perigo que se aproximava. Os profetas foram chamados para serem atalaias espirituais. Bíblia de Genebra.

cães. No Oriente próximo, os cães são considerados animais imundos, indesejáveis comedores de carniça. Aqui, eles servem de figura daqueles que tem ganância insaciável. Bíblia de Genebra.

Cães mudos. Os líderes de Israel não se portavam sequer como cão de guarda. Eles dormiam mesmo com a aproximação do perigo e não davam o alerta. CBASD, vol. 4, p. 319.

11 Tais cães são gulosos. Em vez de buscar o bem-estar do rebanho confiado a seu cuidado, os líderes de Israel eram como cães que devoravam as ovelhas que deviam proteger (ver Jr 12:10, 11; Ez 34:8). CBASD, vol. 4, p. 319.

12 O dia de amanhã. Eles agiam como se o tempo não passasse, como se o juízo não estivesse próximo (ver v. 1). Suas bebedices e festanças eram contínuas e habituais. CBASD, vol. 4, p. 319.



ISAÍAS 56 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
16 de outubro de 2020, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Bem-aventurado o homem que faz isto, e o filho do homem que nisto se firma, que se guarda de profanar o sábado e guarda a sua mão de cometer algum mal” (v.2).

Em um tempo de exclusivismo e hipocrisia, Isaías ergueu a voz profética declarando uma mensagem difícil de ser aceita e compreendida pelos líderes de Israel. A inclusão de estrangeiros e eunucos na adoração no templo era inaceitável. Tecnicamente, havia um pátio do templo reservado para eles, a fim de que os judeus pudessem evitar-lhes o contato. Isto explica a ira de Cristo ao ver que o único lugar onde era permitido o acesso aos estrangeiros estava tomado por comércio espúrio. Replicando as palavras dadas ao profeta e repreendendo o povo severamente, Sua voz embargada e cheia de santa autoridade pôde ser ouvida em cada recinto do templo: “Não está escrito: A Minha casa será chamada Casa de Oração para todas as nações? Vós, porém, a tendes transformado em covil de salteadores” (Mc.11:17). E, logo depois, ali mesmo, recebeu cegos e coxos, os quais curou (Mt.21:14).

Até mesmo as pessoas com alguma imperfeição física, como os eunucos, eram impedidas de entrar no templo por serem consideradas impuras. No livro de Atos, encontramos o relato de um coxo de nascença que era colocado “diariamente à porta do templo… para pedir esmolas aos que entravam” (At.3:2). Mas a partir do momento em que ele se viu curado por intermédio de Pedro e João, a primeira coisa que fez foi entrar “com eles no templo, saltando e louvando a Deus” (At.3:8). Filipe foi enviado pelo Espírito Santo ao eunuco etíope que estava lendo justamente o livro de Isaías. E ao ensiná-lo sobre a acolhedora salvação em Cristo Jesus, seu coração foi tomado pela maravilhosa graça e fé viva que o fez declarar: “Creio que Jesus Cristo é o Filho de Deus”, e Filipe o batizou (At.8:37 e 38).

Assim como a observância do sábado, a obediência à vontade de Deus e fé na aliança do Senhor (v.4) eram os critérios divinos que revelavam o caráter de Seus servos, não importando sua etnia ou condição física, estes mesmos critérios permanecem como “um memorial” (v.5) dos “que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus” (Ap.14:12). A palavra profética continua operante: “Ainda congregarei outros aos que já se acham reunidos” (v.8). Mas ai dos atalaias cegos (v.10) e dos “pastores que nada compreendem” (v.11), que fazem acepção daqueles que Deus prometeu dar “um nome melhor do que filhos e filhas” (v.5)! Nossa vida, nossa casa e a igreja devem ser uma “Casa de Oração para todos os povos” (v.7). Se permitirmos que o Espírito do Senhor habite em nós, em nosso lar e na igreja, veremos poder ainda maior do que no Pentecostes, de forma que, dia a dia, o Senhor nos acrescentará os que serão salvos (At.2:47).

Amados, breve os justos que estiverem vivos terão de enfrentar “um tempo de angústia qual nunca houve” (Dn.12:1). Tempo em que serão “purificados, embranquecidos e provados” (Dn.12:10). E o Espírito Santo está preparando um só remanescente de “cada nação, e tribo, e língua, e povo” (Ap.14:6), “dizendo, em grande voz: Temei a Deus e dai-Lhe glória, pois é chegada a hora do Seu juízo; e adorai Aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas” (Ap.14:7). A verdadeira adoração ao Criador, que, “em seis dias, fez… os céus e a terra, o mar e tudo o que neles há e, ao sétimo dia descansou” (Êx.20:11), que já na criação estabeleceu o Seu dia santo (Gn.2:1-3), confirmará os que receberão do Senhor “um nome eterno” (v.5): “Farei passar a terceira parte pelo fogo, e a purificarei como se purifica a prata, e a provarei como se prova o ouro; ela invocará o Meu nome, e Eu a ouvirei; direi: é Meu povo, e ela dirá: O Senhor é meu Deus” (Zc.13:9). Vigiemos e oremos!

Bom dia, filhos e filhas de Deus!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Isaías56 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



ISAÍAS 56 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
16 de outubro de 2020, 0:40
Filed under: Sem categoria

ISAÍAS 56 – A revelação sobrenatural não visa orientar unicamente aos judeus. Os judeus eram os instrumentos de Deus para alcançar a todas as pessoas.

O Deus do juízo oferece a salvação a todos os perdidos. A graça é um presente a todos os desgraçados do pecado. E, antes do juízo, Deus alerta, desperta e incentiva a todos a permanecerem firmes na justiça.

1. Salvação e justiça estão prestes a serem evidenciadas no mundo (v. 1).

2. Bem-aventurado quem se apega às bases de aliança que revela compromisso com Deus (v. 2):
• Se guarda de profanar o sábado, o qual é um sinal e bênção da graça divina;
• Guarda a sua mão de cometer algum mal – afasta-se radicalmente do pecado.

3. Nem o estrangeiro, nem o mutilado sexualmente, nenhum ser humano terá razão para suas desculpas para a desobediência, falta de compromisso e perdição (v. 3).

4. Deus quer abençoar até aqueles que pensam que não restam graça, bênção e salvação para eles. Só precisam aceitar e não rejeitar as bênçãos da revelação graciosamente oferecidas por Deus (vs. 4-5).

5. Cada pessoa, de todas as raças e lugares (v. 6), precisa…
• Achegar-se a Deus;
• Servir exclusivamente ao Senhor;
• Guardar o sábado sem nunca profaná-lo;
• Abraçar a aliança divina – um compromisso sério com Cristo.

6. As promessas divinas são para judeus e não judeus. A igreja de Deus deve ser conhecida como Casa de Oração para todos os povos, Ele anseia reunir pessoas de todas as nações (vs. 7-8).
• Não deveria existir igrejas para negros e outras para brancos;
• Igreja não deveria ser conhecida como Casa de Shows, milagres, etc.
• Não deveria ser lugar de bagunça, desordem, teatro, exibição, busca por poder, etc.
• Deveria ser Casa de Oração para todos os povos.

7. Deus alerta quanto à presença de falsos líderes religiosos, para que Seu povo não seja desviado do caminho da salvação (vs. 9-12). Sempre existiram líderes espirituais que parecem:
• Atalaias cegos: Não enxergam a verdade bíblica corretamente.
• Cães gulosos e preguiçosos: São insaciáveis gananciosos, e folgados.
• Pastores irresponsáveis: Ensinam somente o que lhes interessam, visando explorar o rebanho.

A Bíblia nunca foi um privilégio divino concedido exclusivamente aos judeus. É um presente do céu para toda a humanidade. Portanto, busque a bem-aventurança deste capitulo! – Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: