Reavivados por Sua Palavra


JOEL 1, Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
4 de dezembro de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria


“Promulgai um santo jejum, convocai uma assembleia solene, congregai os anciãos, todos os moradores desta terra, para a Casa do SENHOR, vosso Deus, e clamai ao SENHOR” (v.14).


Apesar de seus autores serem chamados de “profetas menores”, nos livros a partir de Oseias nos são apresentadas grandiosas e solenes mensagens. O livro de Joel apresenta uma mensagem diferenciada e universal: “escutai, todos os habitantes da terra” (v.2); e que não deve ser esquecida, sendo transmitida de geração a geração (v.3). Apesar das diversas interpretações teológicas acerca do que possa significar o gafanhoto citado no verso quatro, o objetivo central está no fato de que onde há afastamento de Deus há destruição. Tanto que no verso seguinte, há um chamado ao arrependimento: “Ébrios, despertai-vos e chorai” (v.5).

O momento que é apresentado em seguida é de juízo sobre a terra, que causaria grande tristeza e lamentação. As figuras de linguagem utilizadas eram bem características da época e representavam as ocasiões mais festivas do povo de Israel: o casamento (v.8), os rituais religiosos (v.9) e a colheita (v.10 e 11). Ou seja, nada mais seria motivo de “alegria entre os filhos dos homens” (v.12).

Em seguida, há um chamado extremamente solene e urgente. Observe que ele começa pelos líderes religiosos: “Cingi-vos de pano de saco e lamentai, sacerdotes” (v.13). Os ministros de Deus são convocados a serem os primeiros a reconhecer que é tempo de angústia e de contrição diante do Senhor. O termo “passai a noite” indica um período em que o silêncio das madrugadas deve ser quebrado com as súplicas daqueles que entendem o tempo em que estão vivendo. Deve partir deles a iniciativa seguinte, de convocar “todos os moradores da terra” (v.14) a participar deste clamor coletivo.

Então, logo depois, o profeta anuncia o porquê disso tudo: “Porque o Dia do SENHOR está perto” (v.15). Você entende agora para que época especificamente esta mensagem é dirigida? Entende que você e eu estamos inseridos neste livro como dois e dois são quatro? Deus não está dizendo que devemos ser pessoas tristes e desanimadas, mas plenamente conscientes de que a nossa vida não deve se resumir aos prazeres deste mundo; que os momentos que deveriam ser de maior alegria não mais o serão para os que compreendem que o Senhor não tarda em cumprir a Sua promessa.

O tempo de angústia que diante de nós está não se resume a uma perseguição coletiva, mas à consciência individual daqueles que já estão cientes da brevidade destes últimos dias: “Embora o povo de Deus esteja rodeado de inimigos que se esforçam por destruí-lo, a angústia que sofrem não é, todavia, o medo da perseguição por causa da verdade; receiam não se terem arrependido de todo pecado, e que, devido a alguma falta, não se cumpra a promessa do Salvador: ‘Eu te guardarei da hora da tentação que há de vir sobre todo o mundo‘ (Ap 3:10)… Sofrendo embora a mais profunda ansiedade, terror e angústia, não cessam as suas intercessões. Apoderam-se da força de Deus como Jacó se apoderara do Anjo; e a linguagem de sua alma é: ‘Não te deixarei ir, se me não abençoares” (Ellen G. White, O Grande Conflito, p. 624 e 625).

Amados, Deus nos fala em linguagem que possamos compreender. O Consolador ainda está à nossa disposição para aclarar a nossa mente e nos revelar os propósitos divinos. Não temos mais tempo a perder com coisas corruptíveis. Necessitamos urgentemente de um novo Pentecostes, e este, com força superior, para que se cumpra o sinal decisivo antes da vinda do Filho do Homem: “E será pregado este evangelho do reino por todo o mundo, para testemunho a todas as nações. Então, virá o fim” (Mt 24:14).

Erguei-vos, pastores, “ministros de meu Deus” (v.13)! Humilhai-vos perante o Senhor, nosso Deus, e convocai as ovelhas a participar deste clamor coletivo que moverá o coração de Deus a abreviar os tempos e a nos fortalecer para a batalha final. Então, haverá um só povo que, ainda que separado geograficamente, estará unido pelo elo infalível da oração. “Afligem a alma perante Deus, indicando o anterior arrependimento de seus muitos pecados, e reclamando a promessa do Salvador: ‘Que se apodere de Minha força e faça paz Comigo; sim, que faça paz Comigo‘ (Is 27:5)” (Ellen G. White, O Grande Conflito, p. 625).

Clamai ao SENHOR“, “todos os moradores desta terra“, “porque o Dia do SENHOR está perto“!

Bom dia, habitantes de toda a terra!

Jornada de oração, dia 18/21: Peça ao Espírito Santo que lhe traga à memória todos os pecados dos quais ainda não se arrependeu, inclusive os que nem imagina que sejam pecados, e clame pelo perdão divino. Se possível for, faça isto de madrugada.

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus
#Joel1
#RPSP


1 Comentário so far
Deixe um comentário

Olá!! Com certeza, o melhor momento p\ suplica é nas madrugadas. No silencio fica melhor ouvir a voz do Espirito Santo.

Comentário por Elias Nascimento Rodrgues Rodrigues




Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: