Reavivados por Sua Palavra


Daniel 10 by Jeferson Quimelli

Comentário devocional:

Neste capítulo, é a vez de Daniel ter uma visão da glória de Deus, à semelhança de Ezequiel (Ez. 1). Na Bíblia, a glória de Deus sempre se manifesta quando o Senhor tem algo muito importante a revelar. Nos cap. 11 e 12, de fato, Deus revela a Seu servo fatos importantes que envolverão Seu povo.

A presença poderosa do Rei do universo é majestosa demais para que mortais suportem permanecer na sua presença. Mesmo sem ver o que acontecia, os companheiros de Daniel fugiram, amedrontados (v. 7), e Daniel, que teve um vislumbre da glória divina, caiu desfalecido. Somente a força concedida através do mensageiro celestial o pôde suster naquele momento (v. 8 e 9).

Após orar e jejuar durante três semanas inteiras (v. 2 e 12), Daniel recebe o mensageiro Gabriel que lhe diz que suas palavras, ditas em espírito de humildade, foram ouvidas no Céu desde que ele iniciara a sua oração. Que maravilha saber que nossas orações são ouvidas pelo Pai no mesmo momento que as iniciamos! Jamais saberemos neste mundo as forças espirituais que as nossas orações moveram em favor de quem intercedemos.

Gabriel revela que desde o momento do início da oração de Daniel, ele viera atuar sobre o rei da Pérsia, mas durante estes 21 dias, o ”príncipe da Pérsia” lhe havia resistido, com tanta intensidade que foi necessário que Miguel, o “Príncipe dos exércitos do Céu” (v. 13, Clear Word), ou seja, o próprio Cristo viesse ajudá-lo a conseguir a vitória.

A citação da expressão “príncipe da Pérsia” em oposição ao “Príncipe dos exércitos do Céu” revela a guerra espiritual que se trava nos bastidores dos poderes governantes terrenos. Alguma decisão muito importante que envolvia o povo de Deus estava nas mãos de Ciro, provavelmente a retenção do povo de Deus na Babilônia ou a proibição da reconstrução do templo e dos muros de Jerusalém. 

“Durante três semanas Gabriel se empenhou em luta contra os poderes das trevas, procurando conter as influências em operação na mente de Ciro. […] Tudo que o Céu podia fazer em favor do povo de Deus foi feito. A vitória foi finalmente ganha; as forças do inimigo foram contidas todos os dias de Ciro e todos os dias de seu filho Cambises” (PR, 572).

Gabriel ainda diz que quando a influência divina fosse retirada de sobre os governantes persas, viria o príncipe da Grécia (v. 20). As forças do mal agiriam, trazendo a ruína aos persas, através de Alexandre, o líder dos exércitos grecomacedônicos.

Deus respeita a decisão dos homens em rejeitar a Sua influência. Mas quando Seu povo, como Daniel, intercede com espírito humilde, todo o Céu trabalha em seu favor.

Senhor,

Nestes dias decisivos em que vivemos, em que impérios resistem ao Teu amor, vemos já Seu povo sendo perseguido por amor de Ti. Mantenha-nos obedientes firmes à Tua vontade manifesta em Tua Palavra e derrama em grande intensidade o Teu Espírito sobre este mundo carente do Teu amor, a começar por nós. Em humildade de coração pedimos. Amém.

 

Texto do blog mundial: http://revivedbyhisword.org/en/bible/dan/10/

Texto bíblico: Daniel 10 

Comentário em áudio

 

Comentários pastor Heber sobre Daniel 10

Daniel é um livro de oração, porque quem o escreveu viveu em oração. Se as pessoas soubessem o efeito da oração, dedicariam a vida a essa ação. Há um grande conflito entre o bem e o mal, precisamos da oração para promover o bem.

Em seu extraordinário livro Arilton Oliveira chama-nos a atenção para tal conflito: “O texto bíblico deixa claro que por traz do rei da Pérsia estava o príncipe do mal, Satanás, que deseja interferir nos planos de Deus. Neste ‘grande conflito’ Daniel ‘viu’ uma luta muito intensa. De um lado estava um ‘anjo mau’ agindo para frustrar os desígnios divinos, e do outro, possivelmente o anjo Gabriel…”.

Consequentemente, “para ter vitória nesse conflito precisamos nos entregar à oração, ao jejum, ao pranto e ao quebrantamento. Precisamos discernimento para entender a luta que se trava no mundo visível”, comenta Hernandes Dias Lopes. Nosso capítulo de estudo, pode ser assim divido:

1. A importância do jejum para a vida espiritual (vs. 1-3);
2. Jesus Se revela àquele que jejua (vs. 4-6);
3. Quem ora recebe explicação, outros não (v. 7);
4. A presença de Jesus impressiona (vs. 8-9);
5. Quem ora recebe conforto do Céu (vs. 10-11);
6. O anjo Gabriel vem do Céu a Terra para auxiliar a quem ora (vs. 12-14);
7. Humildade caracteriza quem experimenta a presença do ser celestial (vs. 15-17);
8. Gabriel fortalece àquele que ora por discernimento espiritual (vs. 18-21).

Precisamos aprender pelo exemplo de Daniel a enfrentar com oração todos os nossos problemas. Reclamando, culpando, criticando ou com arrogância, estupidez e grosseria não é característica de verdadeiros filhos amados de Deus.

Precisamos entender que a oração é fundamental para que a atuação de Deus nos alcance; não que Deus dependa de nossas orações para agir, é por meio dela que demonstramos às hostes satânicas que pertencemos a Deus. Quando oramos e jejuamos damos total liberdade para Deus agir contra Satanás que nos assedia.

Deus entra nessa luta universal para valer. Ele nunca perde nenhuma batalha. Jesus veio ao mundo, lutou, sangrou, e, morreu; porém, ressuscitou, pois Ele é mais poderoso que Satanás e mais forte que a morte. Sua vitória é eficaz, e, nossa única segurança e esperança de vencer.

Louve-O. Adore-O. Exalte-O! Glorifique-O! – Heber Toth Armí.


7 Comentários so far
Deixe um comentário

Que maravilhoso é
saber que nossas orações são ouvidas por nosso Deus.Que confortante saber que Daniel foi amado e nós também somos amados por nosso Deus.

Comentário por Clecia

Com certeza orarmos sempre ao nosso Deus , Oro sempre ,agradesso sempre por Deus nos proteger , só o Nosso Deus pode nos livra e nos proteger , de todo o mal que esta acontecsendo no mundo em que estamos vivendo , estou me preparando para a volta do nosso Jesus .parar irmos para a vida Eterna , oro sempre para que o nosso Deus nos ajude , a volta De Jesus vai cer uma Benção para todos nós que cremos e comfiamos no nosso Bom Deus e no Nosso amado Jesus .

Comentário por Janai Padilha Pessoa

Que conforto saber que Deus nos ouve e podemos dialogar com ele. Sem nosso Deus não somos nada.

Comentário por Regina Celi Moengue

No Comentário Devocional, o Homem vestido de linho foi definido como Miguel (Jesus), porem no comentário do pastor Heber, o anjo e definido como “provavelmente Gabriel”, gostaria de saber se não ha consenso da teologia neste sentido e porque. Att Roney

Comentário por Roney Vilaça

Prezado Roney, sua pergunta foi repassada ao pr. Heber. Obrigado pela sua participação. Um abraço.

Comentário por jquimelli

Prezado Roney,

Neste capítulo, tanto Jesus como Gabriel estão presentes. No início, o Homem vestido de linho realmente se refere a Jesus como no comentário devocional. Estando Daniel a contemplar Jesus, outro ser tocou o tocou (v. 10). Esse ser, que não é Jesus, que pode ser Gabriel que atendeu Daniel em outras ocasiões disse: “Daniel, homem muito amado… porque eu te fui enviado” (v. 11). E continuou: “Não temas, Daniel, porque desde o primeiro dia em que aplicastes o teu coração a compreender e a humilhar-te perante o teu Deus, são ouvidas as tuas palavras, e eu vim por causa das tuas palavras” (v. 12).
Note que Daniel contemplava a Jesus, o Homem vestido de linho. Outro ser o tocou, o levantou, etc. E, conforme as palavras deste ser no verso 12, não era Deus. Veja que, no verso 13 ele faz uma referência a Miguel, que é Jesus: Então “Miguel, um dos primeiros príncipes”.
Agora, perceba o que diz Gabriel a Daniel: “… eu vim por causa de tuas palavras. Mas o príncipe do reino da Pérsia me resistiu por vinte e um dias. Então, Miguel… veio para ajudar-me, e eu fiquei ali com os reis da Pérsia”.
Em meu comentário, fiz um apanhado geral da mensagem do capítulo na introdução, onde utilizei uma citação do Dr. Arilton Oliveira, que está corretíssimo, quando entendido dentro do contexto. Note que, quando dividi o capítulo, especifiquei quem é quem dentro do texto bíblico:
1) Nos pontos 2 e 4 está explícito a pessoa de Jesus, relacionados com os versos 4-6, 8-9.
2) Nos pontos 6 e 8 está evidente a pessoa de Gabriel, relacionados com os versos 12-14, 18-21.
Ou seja, não existe discrepância entre o meu comentário, (ou melhor, a citação do Dr. Arilton) com o comentário devocional, de autoria de Koot van Wyk.

Te desejo muito sucesso espiritual ao avançar no estudo da Palavra de Deus!

Pr. Heber.

Comentário por Heber

Uma colega me fez um questionamento semelhante dizendo que, baseada nessa passagem, Miguel não poderia ser Jesus. Fiquei com essa dúvida por muito tempo, só agora entendi o que está tão claro! Obrigado por se deixarem ser usados por Deus e dividir o conhecimento das escrituras pra que possamos fortalecer a nossa fé. Deus abençoe a todos

Comentário por ULISSES DE SOUSA CUNHA




Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.



%d blogueiros gostam disto: